quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Post de Março de 2009

Na sequência de alguns comentários ao post anterior fica aqui uma recordação de um post que publiquei após a passagem aos quartos de final da Champions League. Na altura defendia porque achava que não deveria ser renovado o contrato de Jesualdo Ferreira. Isto para que fique claro que aqui não há portistas com opiniões que oscilam consoante o momento da equipa. Só espero que não tenha que dizer daqui a uns tempos que tive razão antes do tempo...

http://basculacao.blogspot.com/2009/03/renovar-ou-nao-renovar.html

«Renovar ou não renovar


Eis a questão. Enfrentando mais uma enorme pausa no campeonato, aproveito para pôr à discussão o que mais me tem preocupado nos últimos tempos. Primeiro foi Lisandro e agora Jesualdo. Se em relação ao primeiro defendo que deve ver renovado o seu contrato de imediato, não posso dizer o mesmo em relação ao nosso treinador. Vamos com calma. Parece que em relação a Jesualdo não consegue haver meio termo. Em Outubro e após as 3 derrotas consecutivas, muitos pediam a sua cabeça, apesar de nada estar decidido. Agora e após a exibição de Madrid e a curta vantagem adquirida no campeonato parece que muitos dos seus defensores sairam da toca a gritar pela renovação do seu contrato. Neste aspecto parece-me que a táctica da nossa administração do 'esperar para ver' está correcta (se é que é esta a táctica...). No entanto, convém ir fazendo a soma dos prós e contras para na altura certa agir. Vamos por temas.

Resultados falam por si?

Ora muitos falam dos resultados. Não deixa de ser verdade que se trata de um treinador que ainda não perdeu um único campeonato desde que chegou. E todos sabemos em que circunstâncias chegou. E mesmo treinando uma equipa montada por outro treinador chegou ao título apesar de um afrouxamento na parte final. Na segunda época fez uma prova fantástica. Pouco haverá a apontar. Este ano houve mais sobressaltos mas parece que tudo acabará bem. Na Champions o desempenho também tem sido bom. Se no primeiro ano atingimos os objectivos mínimos e fomos eliminados em Londres com uma amarga 'vitória moral', nos dois anos seguintes ficámos em primeiro lugar no nosso grupo e este ano chegámos mesmo aos quartos de final. Os resultados são bons. Não há dúvida.

Em contraponto, fica-nos sempre a ideia que, com Jesualdo, e ao contrário do que é norma neste clube, perdemos eficácia nas provas a eliminar. Tal fica bem marcado no desempenho frente a Paulo Bento. Aliás, o Paulo bem pode agradecer a Jesualdo o facto ainda ter um emprego... Perdemos duas Supertaças seguidas e ainda uma final da Taça num ano em que demos a esse mesmo adversário 20 pontos de vantagem no campeonato. Como é possível não ficar claro numa final a diferença de qualidade demonstrada ao longo um ano inteiro? Tal só pode indiciar que Jesualdo não controla os níveis de motivação da equipa. Também nos clássicos deixamos de ter aquele ascendente que era nosso apanágio. Tal está claramente demonstrado nos resultados em casa este ano em que não fomos capazes e nem sequer estivemos perto de vencer. Isto apesar de nos reconhecerem mais uma vez a melhor equipa do campeonato. Nos anos anteriores poucas foram as excepções a esta regra. Lembro a vitória em Alvalade este ano, a vitória magra mas clara em casa sobre o Benfica no final do campeonato passado e pouco mais. Tudo o resto têm sido empates e exibições pouco coloridas em jogos em que nem é preciso trabalho motivacional.

Jesualdo fez jogadores como Bruno Alves, Lisandro, Rolando, Fernando, etc.

De facto foram jogadores que explodiram com este treinador. Poucos eram os que acreditavam que Bruno Alves desse neste portento que é agora. Muitos achavam que Lisandro seria sempre um avançado para partir para a área da ala e nunca um ponta de lança. Rolando e Fernando são escolhas deste treinador e que foram lançados às feras, tendo dado provas a todos os níveis. Até com Quaresma se tem provado que é preciso trabalho e compreensão de treinador ,que Jesualdo teve e que outros Doutorados simplesmente não tiveram paxorra. Hulk é mais um exemplo. De facto, Jesualdo cria um núcleo duro de titulares e alguns desses jogadores cresceram muito no seio da equipa e beneficiaram muito da eficácia da máquina de meio campo formada por Meireles, Lucho e Assunção que como sabemos vem já do tempo de Co Adriaanse.

No outro lado da moeda estão os jogadores a quem este conceito do núcleo duro não permite chegarem a mostrar o que valem. Farias marca quase sempre que joga. No entanto, quando são precisos golos não é opção e entra apenas aos oitenta minutos. Se Jesualdo faz um esforço para perceber Quaresma e Hulk, porque não fazer um esforço para ter um plano B que inclua um rato de área como Farias ou mesmo o esquecido Adriano. Isto tudo num ano em que temos uma dificuldade gritante em marcar golos em casa. Mariano, por exemplo, tem sido dos melhores nos últimos jogos e, após a sequência de oportunidades que teve e inserido na engrenagem da equipa titular, nem parece o trapalhão do costume. Stepanov poderá ser outro exemplo. Outros jogadores que dão provas noutros clubes também nos põe a pensar no porquê de não terem mais oportunidades. Lembro-me por exemplo de Luís Aguiar. Jesualdo achou que não deveríamos exercer opção. Já o Braga beneficia do futebol mais excitante da liga com este jogador ao leme e com outro jogador a quem Jesualdo não deu oportunidades a brilhar na frente de ataque. Tudo isto perante a nossa falta de opções ofensivas no banco. Isto já para não falar de outros nomes muito badalados como Ibson, Pitbull, Paulo Machado (que também já perdemos de vez) e os jovens extremos que estão condenados a serem emprestados para toda a eternidade. Jesualdo está mesmo integrado no projecto de desenvolvimento das nossas escolas? Que jogadores introduziu ele no plantel principal? Há que perceber que se continuarmos a desprezar as segundas linhas, teremos sempre de ir ao mercado cada vez que nos vierem buscar uma das jóias acabando por desaproveitar parte dos camiões de dinheiro que têm entrado. E já percebemos, pela mera análise das contas e dos resultados sem transferências de jogadores, que isso terá de acontecer todos os anos.

Jesualdo tem sido a única voz do clube

Neste período em que o nosso presidente, e o clube por arrasto, continua a enfrentar o ódio de morte que nos têm (em parte devido a algumas imprudências da sua parte) com ataques em toda a linha, tem sido sempre Jesualdo a defender as nossas cores. Logo ele que é apenas um convertido por razões profissionais. E tem-no feito com grande mestria. Fala sempre o suficiente, com moderação, clareza, deixando até a ideia que este é mesmo o seu clube do coração. Não é, mas já percebeu que somos diferentes e provavelmente até terá pena que o benfiquismo ter vindo misturado no genes familiar. De outra maneira não poderia representar o clube como tem feito. Chega até a dar a sensação que o faz demasiado sozinho, o que valoriza ainda mais esta sua faceta.

Mas se comunica bem para fora do clube, não podemos dizer que o faça em termos para dentro, nomeadamente para os adeptos. A desconfiança nunca desapareceu mesmo depois de um campeonato ganho com históricos 20 pontos de vantajem e mesmo depois da bela recuperação que está a fazer este ano. Não esquecer que já estivemos a 7 pontos do primeiro. Como explicar este fenómeno? Como explicar o facto que eu estar para aqui a fazer os prós e contras da renovação deum treinador que provávelmente será tricampeão? Uma coisa é certa, o facto de a discussão existir, prova que a comunicação para dentro não funciona. Percebe-se que a própria figura cinzenta do treinador não empolga e daí muitos defenderem que deve passar para uma função mais de gestão global do plantel como director desportivo. O futebol quase sempre assente unicamente em transições rápidas também não ajuda.

Conclusão: Vale a pena trocar o seguro pelo desconhecido?

É o maior dos argumentos pela renovação. Há alternativas seguras no mercado? Não vejo. E nem me falem de Jorge Jesus e Paulo Bento... Não há alternativas sem ser de risco. Como foi a de Mourinho por exemplo. A minha opinião assenta na velha expressão 'o seguro morreu de velho'. O futebol faz-se de ciclos e acredito sinceramente que o de Jesualdo acabou. Após o ciclo glorioso com Mourinho, tivemos um ciclo de tumulto que terminou com a saída do insano Adriaanse. Com Jesualdo acalmamos ao sabor das vitórias. Agora há que tentar explodir! Foi um bom ciclo mas não me parece que, sendo prolongado, possa vir a ser melhor. E é isso que todos queremos: queremos mais que isto. Mais que o bom queremos o excelente! Será pedir de mais?»

11 comentários:

riskolas disse...

Boa Prata!

Fizeste aquilo que eu tinha vontade de fazer.

O BASCULAÇÃO é, de facto, diferente e independente.

Quem não gostar, azar! :)

Ricardo de Sousa disse...

Compreendo, e apesar de não concordar com o teor do Post, de facto, se há coisa de que não podem ser acusados é de incoerência.

Mas uma questão. Querem uma chicotada agora? Ou, já que ficou que faça o trabalho até ao fim da época.

Abraço

miguel87 disse...

Ricardo, a essa questão há que colocar outra: qual é o maior risco?

a)esperar que o trabalho que tem vindo a ser feito sem sucesso até agora (estou a falar desta época, mas com os antecedentes das anteriores-fracas exibições, capacidade dos adversários directos, etc..) comece a dar resultados.

b)acertar no treinador certo que vier a entrar.

Para mim, esta é a questão fundamental.

prata disse...

O que quis demonstrar é que tal como escrevi no post dessa semana, não se deveria ter renovado o contrato de Jesualdo. Mas agora custa-me pedir que seja demitido já. Só se todos os objectivos estiverem mesmo em risco e não é esse o caso. E como não é, não faz sentido pô-los em risco com uma substituição de treinadores, sobretudo porque que se por norma quando acontece, isso dificilmente traz resultados imediatos.

Antas disse...

A pergunta é tão pertinente na altura como colocada agora.

Mas acho que estamos apostar um pouco em fazer futurologia, senão vejamos, qualquer treinador que viesse iria ser um treinador que vinha para fazer ruptura com o passado pois não ia contar com os dois jogadores dos mais influentes na nossa equipa e contava com 8 jogadores novos alguns inadaptados ás exigicências do futebol europeu.

Depois contamos com o factor que treinador contratar?

Que sistema de jogo iria adoptar?

Será que estaríamos pior ou melhor do que estamos agora?

Por algum receio, ou talvez por achar que Jesualdo ainda podia fazer um bonito na Europa é que na altura achava (e claro que ainda acho) que podíamos chegar longe.

Apostar na continuidade era para mim a solução mais viável, não estava a ver o FC Porto este ano a começar tudo de novo.

Mas ao que o Presente diz respeito temos de levantar a cabeça e continuar a dar alegrias aos adeptos que bem merecem, colocando agora Jesualdo com um pé fora do clube era fazer mais mal que bem isso podem ter a certeza.

Prata posso até ser a favor do contrário , ou seja da renovação de Jesualdo na altura , mas li o teu post atentamente e com calma, respeito muito a tua opinião mas eu continuo achar que devemos manter o Treinador.

Não podemos estar de acordo em tudo e também não é por isso que eu deixo de cá aparecer, ler o que escrevem e claro dar a minha opinião que conta o que conta.

Um grande abraço a todos e continuar com os videos fantásticos que aqui colocam.

Pispis disse...

Não é altura de mudar de treinador, a questão colocou-se no final da época passada e vai tornar a ser colocada no final desta...

Só um descalabro poderá antecipar a mudança de treinador e só a conquista da Liga dos Campeões poderá evitar a saída no final da época...

Daniel disse...

Um Post bem mais lúcido que os mais recentes, existiam prós e contras...

Como o Jesualdo renovou por 2 anos... já tou a ver o mesmo Post daqui a um ano, "...eu avisei o ano passado..."

Anónimo disse...

Professor Jesualdo é um grande treinador, como tem comprovado nos últimos anos. Tem perdido jogadores atrás de jogadores, ano após ano e tem conseguido construir sempre (sempre)uma equipa competitiva a nível interno (tricampeão nacional) e a nível externo (4 qualificações consecutivas para os oitavos de final da Champions). Diz-se que não tem aproveitado jogadores da casa? O que dizer de Bruno Alves que antes da chegada de Jesualdo não passava de um patinho feio assobiado a cada vez que falhava 1 passe ou entrava em campo. Outra crítica feita é o facto de não haver aproveitamento suficiente da nossa formação. Já se interrogaram que talvez os nossos escalões de formação não estejam a formar jogadores de qualidade suficiente para estarem no nosso plantel? Por que é que o FCP criou o projecto 611 e reformulou toda a estrutura de formação?
As contratações de jogadores argentinos? Que culpa tem Jesualdo se a SAD acha que este é um mercado atractivo? Não podemos ser inocentes o suficiente para acreditar que as contratações são definidas pelo Jesualdo. O professor faz o que pode com os jogadores que a SAD disponibiliza e faz mais ainda valorizando-os. Bosingwa, Lisandro, Cissokho, Anderson, Quaresma, Bruno Alves, Rolando, Fucile, Fernando, Lucho, Hulk são apenas alguns jogadores que evoluíram nas mãos do professor e que já deram ou darão mais valias financeiras à SAD. Aposta em jogadores do nosso campeonato? Varela, Beto, Orlando Sá,Rolando e Maicon estavam em que campeonato?
O problema de alguns adeptos portistas é que estamos demasiado bem habituados. O Manchester United perdeu este ano 1 jogador influente, Cristiano Ronaldo e a equipa parece a milhas da que chegou nos 2 anos anteriores à final da Champions. No entanto, não me parece que tenha visto 1 adepto do Manchester a pedir a cabeça do treinador. O FCP "só" perdeu 3 jogadores influentes, por isso vamos lá correr com o Jesualdo.
Quanto à suposta falta de ambição, que posso mais dizer... 1 treinador que em 4 anos perdeu em casa do Liverpool, Arsenal, Chelsea e Schalke 04 é de facto um perdedor nato. Aliás de facto é muito fácil conseguir resultados positivos em casa de equipas como Manchester United, Atlético de Madrid, CSKA Moscovo, Fenerbahce, Besiktas, Hamburgo, Dinamo de Kiev e Marselha.
Para finalizar, o trabalho de 1 treinador só deve ser avaliado a partir do momento em que os principais objectivos da época estão comprometidos. Ora nesta altura não me parece que nenhum deles esteja irremediavelmente comprometidos. O Porto encontra-se a 5 pontos dos dois primeiros classificados no campeonato, já se apurou para a 2.ª fase da Liga do Campeões à 4.ª jornada e poderá ainda lutar pelo 1.º lugar com o Chelsea.
Eu também não estou satisfeito com o nível futebolístico da equipa, por vezes discordo de algumas decisões técnicas, mas julgo que o professor, como já aconteceu no passado, é a pessoa certa para dar a volta à situação e colocar a equipa a jogar a 1 nível elevado.
Cumprimentos desportistas

Anónimo disse...

Mais que o bom queremos o excelente! Será pedir de mais?»

_____________

Na teoria até parece um bom argumento...

Anónimo disse...

A desconfiança nunca desapareceu mesmo depois de um campeonato ganho com históricos 20 pontos de vantajem

______________

Com alguns adeptos que vivem no "mundo da Lua"...

Anónimo disse...

Ibson, Pitbull, Paulo Machado (que também já perdemos de vez) e os jovens extremos que estão condenados a serem emprestados
________

Se tivessem lido a entrevista de FSaNTOS ao JN, perceberiam porque razão os jovens extremos não apareceram...

Pitbull, para quê?!
Ibson, não basta saber jogar...
Paulo Machado, este sim poderia fazer parte do plantel, mas se calhar também ele proprio tem algumas culpas no cartorio...

FALAR É FACIL.