quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Lá Se Foi o Anonimato...

Há uma semana foi assim no programa"Dupla Improvável"...

Antes o anúncio da nossa presença no facebook na página oficial do programa...

E por último a foto para a posterioridade...

Em suma, fica para nós, o privilégio de ter convivido alguns momentos com estes senhores e com o grande Bernardino Barros...

Hoje, em dia de aniversário de Paulo Futre, o programa terá, certamente muitos mais motivos de interesse... finalizamos o post, com a recordação dos melhores momentos do nosso número 10 de Viena... a parte III desta compilação já está em produção e prestes a ser revelada no nosso blogue...



Belo dia para almoçar na Baixa...


Sporting 0-1 FC Porto (85-86)...

Um jogo que fica marcado pelo mítico livre de Celso do meio da rua que nos deu 2 preciosos pontos e nos permitiu continuar na corrida pelo título que depois viemos a conquistar na última jornada do campeonato em casa com o Sporting da Covilhã...

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Obviamente perdoado


Se há jogador que, pelo que tem feito no seu ano de estreia, tem margem de erro, é Jackson Martinez. Rapidamente este jogador, que era uma contratação cara de um jogador desconhecido, vindo de uma liga menor e com nome de estrela pop latino-americana, se tornou num dos mais letais avançados da Europa. E isto em apenas 6 meses. São já 22 golos num campeonato que se tem definido palmo a palmo, detalhe a detalhe. E quantos detalhes já se foram fazendo à custa deste jogador. Ainda assim, aquele lance horrível foi corrigido no próprio jogo. Maicon e Helton não tiveram a mesma sorte/talento e não se conseguiram redimir daquele caricato lance que dá origem ao golo do Rio Ave. Destacaria igualmente a decisão de Lucho em 'obrigar' Jackson a cobrar o penalty pela segunda vez. Temos capitão!

Pela segunda vez consecutiva no Dragão, chegámos a estar em desvantagem. E isto em mais uma exibição bastante fraca na primeira parte. Ao contrário do que aconteceu em Guimarães e com o Gil Vicente, os números de posse de bola não significaram necessariamente bom futebol. Antes muita complicação de lances fáceis. Nessa altura apenas criámos perigo nalgumas arrancadas de Varela. Vá lá que os penaltis foram aparecendo e o empate ao intervalo deixava em aberto a possibilidade de lavagem da imagem na segunda parte. E assim sucedeu. Não foi brilhante mas foi bem melhor. A entrada de James trouxe um impacto imediato no futebol da equipa e podíamos ter marcado logo no início da segunda parte. Não aconteceu e o ímpeto foi diminuindo. Vá lá que Jackson ainda sentia que se tinha de redimir mais um pouco... Vitória muito importante como são todas. Mas as vitórias em jogos que se tornam complicados acabam por dar mais moral à equipa. Tal como o nosso adversário directo, vamos ganhando os jogos em que jogamos bem e aqueles em que jogamos mal como no sábado.

Individualmente, não gostei de Ismaylov. Assim, perderá facilmente o lugar para Varela, Atsu e James. O miúdo que se estreou na esquerda é verdinho. Já o tinha visto a jogar na equipa B e é daqueles que teve a primeira aula sobre defesa no primeiro dia em que treinou no Olival... Ainda não está preparado para estas andanças. Mas não comprometeu. O mesmo não poderemos dizer de Maicon e Helton. O primeiro, no lance do golo do Rio Ave, estava a metros dos outros defesas pondo em jogo o adversário. Além disso abordou o lance de uma maneira estranha saindo a correr na direcção oposta do adversário e da bola. Depois tivemos Helton que parece que fez tudo para não estorvar o avançado. Nem as mãos levantou. Na segunda parte o guarda-redes do Rio Ave, perante Jackson, fez o que Helton devia ter feito. Pela positiva, destaco o MVP Jackson. Dois golos numa vitória por 2-1... Gostei também Fernando e de Otamendi. Varela, ao contrário da equipa, esteve melhor na primeira parte. Continuo a não gostar da substituição de Lucho por Defour. Não percebo a intenção e cheira-me que nunca hei de perceber... É suposto ficarmos mais ofensivos?

Na próxima semana, mais uma deslocação ao terreno de uma equipa do meio da tabela. Mais uma boa oportunidade de voltar às boas exibições na Liga. Desde Guimarães que não vemos o verdadeiro FCPorto.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

FC Porto 3-0 Rio Ave (86-87)...

Em semana de recepção à equipa de Vila de Conde, recordamos um jogo nas Antas contra o Rio Ave que ocorreu, também no mês de Fevereiro, há 26 anos atrás... vitória da equipa portista por três bolas sem resposta com golos de Futre, Elói e Gomes, sendo que os dois últimos surgiram nos últimos 10 minutos da partida... resumo com relato de Costa Monteiro (habitual comentador na TSF) com o pormenor de identificar o minuto de cada lança que ocorre no resumo... destaque ainda para duas perdidas de Gomes, uma na primeira parte depois de uma jogada de belo efeito com um cabeceamento ao lado após cruzamento de Futre, e outra, no segundo tempo, a picar a bola por cima de Figueiredo, mas a bola a sair ligeiramente ao lado...

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Curto...


... mas deve chegar! Foi tal a superioridade que demonstrámos sobre este Málaga que duvido que a inversão do factor casa vá mudar significativamente a eliminatória. Mais que isso, não acredito que o FCPorto vá a Málaga fazer a triste figura de fazer apenas um ou dois remates e quatro ou cinco jogadas de ataque. É que foi isso que os espanhois mostraram hoje no Dragão. Pena que a equipa do FCPorto não estivesse no pico da sua inspiração. Fizemos um bom jogo, intenso mas com demasiadas decisões erradas na altura de definir as jogadas. E isso permite que esta eliminatória não esteja já decidida. Pena também que o golo tenha sido em fora-de-jogo. É que ficam com razão de queixa do árbitro, mas poderão queixar-se da sorte? Não creio. O quarto classificado do campeonato espanhol tem de apresentar melhor que a Olhanense. Pelo menos uma táctica mais ambiciosa...

O jogo foi todo nosso com a equipa, comandada por Moutinho, a tomar conta da bola e a engolir toda e qualquer tentativa de réplica do adversário. Moutinho, o MVP, perante algum desacerto dos avançados, teve de ir lá à frente resolver. Exibição monstruosa! A linha de quatro defesas esteve também muito bem. Destacaria especialmente Otamendi e Alex Sandro. Gostei ainda de Izmaylov. Boa exibição do russo e foi pena não ter conseguido aquele golo 'cantado' que teve à disposição. Não tendo exibições negativas a apontar, diria que houve exibições menos inspiradas de Lucho e de Jackson. Quanto a Vitor Pereira julgo que explorou pouco as alas do Málaga. Na direita tinham um central adaptado e, na esquerda, defender nunca foi a especialidade de Antunes. Teria apostado em Atsu de início. James ainda está longe do que pode fazer.

Em suma, não foi mau. A eliminatória está na mão! Continuamos favoritos para a passagem aos quartos de final. Em Málaga será mais fácil marcar golos. Não acredito que se tenha de enfrentar o autocarro espanhol novamente.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Regressos desejados


Não se estava a notar demasiado até ao jogo com a Olhanense, mas faltava algo ao nosso ataque. Faltava a magia de James e a irreverência fulminante de Atsu. Se no primeiro caso apenas tivemos um pouquinho, Atsu já apresentou argumentos daqueles que decidem jogos. O jogo até estava morno depois de uma entrada interessante e morno ficou desde que Atsu resolveu abaná-lo até ao momento em que Jackson 'molhou a sopa' como já vem sendo habitual. Pelo meio tivemos o costume: domínio do jogo, zero oportunidades do adversário e muita posse de bola. Não tivemos tantas oportunidades como nos últimos jogos. Diria que foi um jogo QB e perfeito para a transição para os jogos europeus.

Individualmente gostei de Atsu, Danilo e Moutinho. Venho gostando de Fernando. Muito dinâmico e participativo no carroussel ofensivo. Ainda não vi o que espero de Izmailov mas imagino que, com a forma física que vai adquirindo, o russo vai aparecer. Nota negativa para os amarelos desnecessários de Mangala e Alex Sandro.  Poderia descansar um deles no próximo jogo, mas nunca os dois ao mesmo tempo.

Quanto a Xistra, dei por mim a pensar já perto do final do jogo que Mangala tinha dado ao árbitro duas boas oportunidades de enveredar pelo seu tão querido protagonismo. Foram duas faltas em zonas demasiado distantes da baliza mas que, pela teatralidade dos jogadores do Beira-mar e pela impetuosidade do Francês, constituíram duas oportunidades. Na verdade Xistra andava distraído e quando acordou já parecia tarde. O Beira-mar já não dava réplica e Mangala já estava encostado à lateral esquerda. Nada que impeça o Xistra. Uma expulsão do mais ridículo que tenho visto. Atenção que regressou a táctica que se usava com Bruno Alves. Perante o salto de Mangala os adversários simplesmente não saltam e dão um passo atrás para que o francês lhe caia em cima. Com árbitros fraquinhos ou 'bem' intencionados a táctica funciona...

Venha a Champions que já estou com saudades dos quartos de final da prova!

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Gelo





Gelo no relvado, gelo no resultado, gelo no pé de Jackson, gelo na confiança Portista. Que jogo horrível! Não é normal o FCPorto perder oportunidades destas para ganhar vantagem na tabela classificativa. E isso assusta-me. Assusta também esta montanha-russa exibicional. Em 2013 fizemos dois jogos bastante medianos em casa, uma exibição, apesar de tudo, boa na Luz e arrancámos para 3 jogos bons, sendo que os dois últimos foram excelentes. E depois vem isto. O total controlo sobre o jogo deu lugar a um jogo nervoso e descontrolado. E para isso bastou que o adversário tivesse marcado primeiro. Estranho!


Individualmente gostei apenas de Moutinho. Tudo o resto foi médio ou fraco. Alguns dos jogadores que se vinham afirmando, falharam e os jovens lançados não aproveitaram a oportunidade. Questiono se não terá sido demasiado arriscado lançá-los num jogo destes. Eu não o faria. No golo, parecia que estava tudo à espera que o Mangala resolvesse sozinho. Helton nem sai da baliza, a dobra demora uma eternidade a chegar. 

Não querendo pensar muito mais neste jogo, que este balde de gelo sirva para se perceber que não estamos no nível que pensávamos. Há que trabalhar sempre da mesma forma. A posse de bola diabólica transforma-se facilmente num chorrilho de rodriguinhos estéreis. Que sirva de lição. O azar não explica tudo!

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Paulo Futre - Best Of (1985/86) - Parte II...

E a saga continua... os melhores momentos do menino do Montijo no FCP...

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Paulo Futre - Best Of (1985/86) - Parte I...

Temos verificado que os nossos vídeos têm tido repercussão na página oficial do facebook do Paulo Futre. Nessa sequência, decidimos empregar um bocado do nosso tempo livre para fazer um Best Of da sua passagem no FCP (uma ideia que poderá ser extensível a muitos outros craques do nosso clube). Começamos pela época 1985/86 porque era, como se diz na gíria, a que tínhamos mais "à mão" (em suporte digital), mas já deu para perceber que este Best Of vai ter vários capítulos até chegar à versão final.  Aproveitamos ainda para agradecer publicamente ao Pedro Cardona e ao Jaime Marques que nos ajudaram a completar a nossa já vasta videoteca do FCP, pelo que, este "trabalho" só foi possível com a ajuda deles. E agora, mais do que as palavras, fiquem com vídeo...

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Magia em tournée


Os portistas ficaram deliciados com a bela exibição no Dragão contra o Gil Vicente. Poucos julgariam que se visse ainda melhor em Guimarães. Vimos menos posse de bola mas vimos ainda mais futebol. Defour tem vindo a jogar bem, mas Izmailov tem outros argumentos ofensivos. E ainda não sucumbiu fisicamente... O russo, juntamente com Moutinho e Lucho e contando adicionalmente com um inspirado Fernando, compõem um carrossel de passes que poucos adversários podem contrariar. Muito menos o Vitória deste ano. Como gosto de sovar estes tipos do Guimarães! A isto temos de juntar ainda o trabalho óptimo de integração dos dois laterais e ainda um Varela regressado da penumbra para o regresso às boas exibições. Se Mangala e Otamendi só contam, e de que maneira, nas bolas paradas ofensivas, sobra Jackson. Que mais haverá a dizer sobre este jogador? Terá defeitos? Já cá anda há meia época e eu ainda não notei... Mangala também começa a ser um caso sério.

É de louvar esta capacidade do FCPorto para apresentar este futebol autoritário quer no Dragão quer 'na estrada' e em tournée. Aos adeptos das equipas adversárias aconselho a esquecer a crise e a investir num bilhete para ver este FCPorto 2012/2013 de Vitor Pereira. É um espectáculo digno de se ver. Muito mais quando regressarem artistas como James e Maicon.

A fasquia está cada vez mais alta. Será que o Olhanense vai apanhar um FCPorto ainda melhor?

Nota negativa para o vergonhoso comportamento de alguns adeptos do Guimarães. Cidade tão bonita e habitada por tantos animais... Se não põe termo a estes comportamentos facilmente se confundirão os animais com a totalidade dos adeptos do Vitória. Eu que já lá fui ver o FCPorto jogar várias vezes, já tenho dificuldade em distinguir...

domingo, 3 de fevereiro de 2013

V. Guimarães 0-2 FC Porto (84-85)...

Vitória importante da equipa portista em Guimarães na no caminho para o título 1984/85... Estádio "abarrotar", terreno ensopado e difícil, vitória suada dos azuis e brancos... destaque para o primeiro golo do FCP em que Gomes já está a festejar antes da bola entrar, mas depois ela trava em cima da linha e tem de ser ele a confirmar o primeiro tento do encontro... nota também para o golo anulado a Eurico (aos 3 minutos), demasiado escandaloso... Jaime Magalhães sentenciou a partida perto do fim...