segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Reviravolta para o Presidente


São já mil jogos! Parabéns Presidente! Na foto, Jackson está a agradecer a outro Senhor, mas os portistas bem que podem agradecer a Pinto da Costa na mesma posição...

Mas se a intenção era a de oferecer a vitória ao Presidente, podíamos ter arranjado uma coisa melhorzinha. Foi sofrida, sem muita inspiração, mas com uma segunda parte que chegou para a reviravolta. Não foi grande coisa mas o Presidente gostou na mesma...

Vamos por partes. Na primeira tivemos um golo sofrido muito cedo e de bola parada. Estas coisas acontecem e não seria preocupante se não fosse o segundo jogo seguido em que sofremos golos em cantos marcados ao primeiro poste, com a defesa e Helton a olharem de cadeirão para a movimentação dos avançados. Lances a rever visto que, com Mangala em campo e com a ajuda de Jackson, temos demasiados cabeceadores na área para tantos calafrios. Passará, por exemplo, por posicionar um destes no primeiro poste. Com o golo a estratégia de contenção do Estoril ganhou ainda mais alento e a falta de vontade portista também ajudou. Na segunda parte, as coisas melhoraram. Não foi uma diferença grande mas melhoraram um bocadinho. E esse bocadinho aliado à óptima forma de Jackson chegaram para se conquistarem os 3 pontos.

Individualmente, mais uma vez, o MVP é Jackson. Assistência, golo e presença em todas as jogadas de perigo exceptuando aquele centro de Varela que, por engano, vai à barra. Vai ganhando a pulso uma posição de destaque no plantel e começa a soltar-se cada vez mais. Prova disso foi o lance do empate e a forma como parte para o drible. Gostei ainda de Danilo. Tinha uma extremo 'chatinho', daqueles que morde os calcanhares e que não desiste de nenhum lance. Não perdeu um único lance na defesa e isso é bom visto que era por aí que vinha coleccionando críticas. Gostei mais uma vez de Otamendi. Para mim continua a ser o terceiro melhor central do plantel atrás de Maicon e Rolando, mas está em boa forma e tem jogado bem. Pela negativa, Maicon. Não fez nada de especial e ainda teve alguns erros como um canto que cedeu estupidamente e um lance em que o avançado do Estoril cabeceia à vontade na sua zona. Mangala não me convence a lateral e não percebo porque não se aposta em Miguel Lopes para a posição. Assim ficamos sem apoio ofensivo na lateral esquerda. Para terminar, Fernando oscilou entre o descontrolo da primeira parte que lhe valeu um amarelo e a oferta do canto que deu golo, e o brilhantismo da segunda parte onde, a par de Jackson, foi dos melhores.

Objectivo conseguido. Seguem-se dois jogos em casa para cimentar a liderança. Venham daí mais vitórias e já agora venham maisl mil!

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Interruptor


É talvez a grande crítica que tenho a apontar ao FCPorto deste ano: tem oscilações de intensidade dentro do próprio jogo. Liga, desliga, volta a ligar, desliga novamente e no final as coisas têm-se composto, com excepção de Barcelos e de Vila do Conde onde já ligámos tarde demais. Desta vez, Vitor Pereira argumenta que a paragem afectou a forma da equipa. Acredito, mas nem sempre pudemos apresentar essa desculpa. Se calhar o problema é outro, existe e deverá ser atacado antes que traga mais dissabores. É que resolvido este problema, teremos condições para estar confiantes neste FCPorto pós-Hulk. Esta constante rotação da organização e do centro do jogo entre Lucho, Moutinho e James, tem confundido facilmente os adversários que têm de lidar com vários focos de imprevisibilidade. Depois, a qualidade que temos nas extremidades do jogo equipa é maior. Por exemplo, temos um avançado capaz de gerar confiança nos colegas e nos adeptos, coisa que não tínhamos na época anterior. Temos ainda jogadores sólidos nas alas como Varela e Atsu (apesar de andarem a alternar nas boas exibições) e sobretudo nas laterais onde Alex Sandro e mais recentemente Danilo mostram muita qualidade e encaixam na perfeição no esquema de circulação de bola rápido que temos implementado. Ou seja, por mim o esquema parece estar bem montado, mas faltará a VP conseguir gerir a intensidade de outra forma. Sei que é impossível  ter estes índices lá em cima durante todo o jogo, mas convém saber controlar o jogo por forma a que os 'desliganços' sejam com bola e não em correrias atrás dela.

Ontem  não gostei propriamente do jogo. Não achei nada de especial. Vi os bons promenores habituais mas não vi uma produção ofensiva ao nível de jogos anteriores. O que vi foi uma eficácia tremenda. Não tem sido habitual, mas em 5 oportunidades tivemos 3 golos e isso resolveu muita coisa. Aqui entra o homem do jogo: Jackson. O primeiro golo é bastante bom pela forma como protege a bola da investida do defesa. É de matador. Além disso impressiona a facilidade de finalização seja em que circuntâncias for. Vimos isso ontem naquele remate de pé esquerto em rotação e até na bicicleta que mandou à barra quando já estava em fora de jogo. Entusiasmante! De resto, Lucho e James estiveram bem dividindo entre eles as assistências para golo. Danilo também me agradou apesar de continuar a distrair-se um pouco na marcação defensiva. Não gostei de Moutinho apesar de se saber que não sabe jogar mal. Também não gostei da entrada de Atsu. Otamendi e Fernando borraram a pintura no segundo golo do Dínamo  e Helton teve demasiada dificuldade com os cantos do Veloso. É qie foram todos iguais e todos perigosos. Varela jogou medianamente mas o golo é muito bom. Quanto a Mangala... Chega a ser hilariante a forma como qualquer adversário que se aproxima dele, aparece irremediavelmente e violentamente capotado e estatelado no chão... Continuo a não gostar daquela oscilação táctica da entrada de Defour para a ala direita de um 4-4-2 clássico. Até percebo a ideia de aproximar James de Jackson, mas não percebo porque não se aposta num ala de raiz. Ainda assim, gostei que tivesse saído Moutinho em vez da habitual substituição de Lucho.

Quanto aos 9 pontos, é bom sinal mas ainda não chegam. Reparem que com um adversário tão fraco como o Zagreb no grupo, se facilitarmos nas duas deslocações que temos,  sobretudo na da próxima semana, podemos facilmente acabar com uma igualdade a 12 pontos entre 3 equipas no final do grupo. Além disso, o primeiro lugar no grupo será sempre importante no sorteio dos oitavos. Está próximo mas convém não desligar...

Última nota para o horrível equipamento alternativo deste ano. O terceiro equipamento é muito mais bonito, mas já sabemos que o que é alternativo é o escuro e esse podia estar bem melhor...

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Sem crónica


Em solidariedade com o jornalismo português com greves, despedimentos e com grupos angolanos a comprar tudo e mais alguma coisa, não vai haver crónica esta semana. Por isso e porque não vi o jogo... 

Vi apenas os minutos finais e foi uma coisa bem fraquinha. Segundo percebo e me foram dizendo, deu-se oportunidade a muita gente e ninguém aproveitou para ganhar pontos junto do treinador. Dizem-me que só Atsu mexeu um pouco e que o golo de Danilo foi a única coisa que se aproveitou. Pouco. Alguns jogadores que se diz que prometem, não cumprem nas oportunidades que vão tendo e é pena. Falo sobretudo de Kleber, Iturbe, Mangala, só para citar os que têm tido mais minutos. Não é caso para alarme mas são mais razões para se pensar que este plantel poderá não ser tão equilibrado quanto isso. Quanto à declaração final do treinador, direi que era dispensável e que foi demasiado teatral. É que o Sr. também tem culpa naquilo. Mas também não esteve assim tão mal... 

Com as selelecções e com este interregno gigantesco no campeoanto, não são só os nossos jogadores e treinadores que desrespeitam a competição. Os organizadores da prova e os que arranjam este calendário têm mais responsabilidade...

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Por uma vez o Vitor não tem culpa em maus resultados


E daí até tem alguma. Pouca. A Champions do ano passado ficou aquém das expectativas... 

Mas não foi por aí que veio este resultado negativo. Sem grandes e aprofundadas análises até porque, apesar de ser esta a minha área, isto é um tasco cibernético onde se fala essencialmente de futebol, direi que sempre me mantive preocupado com a gestão e a saúde financeira do clube. E é nesse estado que continuo. Todos sabemos que a actividade do futebol dá rendimentos a toda a gente menos aos clubes, que vão acumulando resultados negativos e passivos galopantes. Acontece assim com quase todos os clubes grandes, médios, pequenos e até com o clube do fundo da nossa rua. O problema é que isto é tratado como uma inevitabilidade. Assume-se que para equilibrar o barco financeiramente a parte desportiva sofre. Assentes nesta premissa os gestores aplicam os seus esforços numa gestão de danos por forma a que o seu rombo seja inferior ao do adversário. No final, quando isto começar tudo a 'estourar', e não faltará assim tanto, os outros 'estouram' primeiro... Ora eu não acho que isto tenha de se aplicar ao FCPorto. A brilhante gestão desportiva das últimas décadas deu ao FCPorto algo que a maior parte dos clubes não tem, que é um rendimento desportivo muito superior ao que seria de esperar perante os recursos de que dispomos. É isto que a maior parte dos clubes não tem e é isto que, na minha opinião, poderia e poderá ser aproveitado para que a gestão financeira passe a acompanhar mais de perto o nosso sucesso desportivo. Mas não é isso que tem acontecido e continuamos demasiado dependentes daquele encaixe na venda dos nossos melhores jogadores, da prestação na Champions, etc., quando, pelo menos, já deveríamos estar numa posição de maior segurança.

Quanto às contas em si, deixo apenas umas notas até porque ainda só temos o anúncio. Faltará a análise ao mapa dos fluxos de tesouraria que é a área que mais me preocupa, o detalhe do que são as amortizações e do que são as imparidades, e falta também saber o que está nas contas de 'saco' nomeadamente a dos 'Outros Passivos' corrente e não correntes. Ainda assim é fácil de explicar o decréscimo nos proveitos operacionais, visto que este ano já lá não temos os 15 milhões do AVB e visto que o rendimento na Champions foi medíocre. Faltará mais uma vez saber em que consiste o aumento nos FSE's. Conseguimos perceber que a mais valia nos negócios Falcao e Guarin não foi tão elevada como se esperaria visto que o resultado na transacção de passes foi inferior ao dos dois anos anteriores. Os jogadores saem por preços elevados mas os custos de aquisição têm crescido consideravelmente... É de referir que aqui não entraram Hulk e Alvaro Pereira. Esses ficarão para o próximo ano. Quanto à parte patrimonial, é de referir que este resultado negativo é mais do dobro dos resultados positivos acumulados nos últimos 5 exercícios e voltamos a ter Capitais Próprios negativos. Mau sinal. É também preocupante o montante do passivo corrente: 170 em 220 milhões. É demasiado e indica que as dificuldades de tesouraria que nos vão chegando por rumores e por notícias de atrasos em pagamentos como no caso de Defour e Mangala, são para continuar. É de referir que vai cair este ano o empréstimo obrigacionista. Óbvio que será substituído por outro. Falta saber as condições que se terão de oferecer para garantir o sucesso desta operação.

Mas já me alonguei mais do que o que queria. Em suma, continuo preocupado e julgo que os portistas deveriam ter uma melhor noção de que a situação das contas do clube está bem longe do seu habitual fulgor desportivo. Mais cedo ou mais tarde isso vai começar a influenciar os resultados desportivos. Será que aí já darão importância ao assunto?

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Best Of dos Golos de Calcanhar...

Razões profissionais tem levado a que apareça menos neste nosso blogue com os vídeos de outros tempos, pelo que o aparecimento, pelo menos nesta fase, será mais esporádico... contudo, tenho acompanhado a actividade portista oficial neste imenso espaço online e partilho o best of dos golos de calcanhar do FCP, um dos quais (o segundo), parece-me que a fonte foi mesmo a do nosso blogue... aproveito para referir que tenho gostado bastante do trabalho dos responsáveis pelo canal do fc porto no youtube, em particular os vídeos promocionais dos jogos...

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Taco colombiano


Foi o ponto alto da noite de ontem no Dragão. Grande golo do Jackson! Execução magnífica e muito cedo no jogo. Mas a exibição da equipa não esteve à altura. Julguei que a partir daquele grande momento, perante um adversário destroçado pelo calcanhar e pelos acontecimentos recentes, a equipa partisse para uma exibição arrebatadora. Puro engano. Dá a ideia que jogamos bem até ao primeiro golo e que depois nos retraímos ou relaxamos. É perigoso e isso já se viu em Vila do Conde. O que nos valeu é que do outro lado estava um adversário estéril que pouco rematou e que não conseguiu uma única oportunidade de golo durante o jogo todo. E assim chegou o nosso futebol acinzentado. Não diria que foi cinzento durante todo o jogo. Assistimos a algumas jogadas interessantes e fomos perigosos nas bolas paradas. Simplesmente esperava mais perante o adversário de ontem e perante o golaço que marcámos tão cedo no jogo. Isto apesar das pesadas contrariedades que tivemos com as lesões de Maicon e de Alex Sandro, sendo que esta última nos impediu de desfrutar da superioridade numérica que James nos arranjou.

Jakson Martinez acaba como MVP óbvio. Marca aquele golaço e sofre o penalti do segundo golo. Não entusiasma em algumas acções no jogo mas tem feito por provar o seu valor e poderá estar ali um caso sério se se conseguir integrar melhor na pressão ofensiva e se aprender o timing certo para soltar a bola. Gostei também de Moutinho, Otamendi e Mangala. James esteve bem mas não esteve brilhante. Atsu voltou a entrar bem mas mantenho a confiança em Varela. Danilo deu um arzinho do que pode fazer em terrenos interiores. Como lateral não me entusiasma e continua a dar muito espaço e a não procurar a linha de fundo. Pela negativa Lucho. Não parece ter regressado em grande forma da Argentina. Ainda por cima falhou um penalti. Continuo a não gostar da substituição de Lucho por Defour. Ainda por cima precisamos dessa substituição mais tarde...

E eis que chega mais interregno de Três semanas. Que maravilha! Este calendário foi mesmo bem pensado. É que pelo meio desta ausência de competição teremos que reentrar a frio na Champions... Génios, este organizadores!

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Meio a zero chegava...


... mas assim também está bom... 

Foi uma noite de algum sofrimento no Dragão. Muitas oportunidades desperdiçadas e um adversário que chegou poucas vezes à nossa baliza, mas sempre com muito perigo. Dava a ideia que poderia ser uma daquelas noites em que a boa exibição não iria evitar uma desilusão. James acabou por resolver o jogo num lance de pura eficácia para júbilo do Dragão.

A equipa apresentou-se bem com Lucho e Moutinho muito envolvidos na organização e na pressão em terrenos avançados. Mas se o primeiro brilhou mais nas recuperações que no último passe, Moutinho fez tudo bem. Terá sido o seu primeiro grande jogo nesta época e a equipa já precisava. O homem estava em todo o lado, mas começou por espalhar o pânico na ala esquerda com a ajuda de Varela e Alex Sandro. Na segunda parte e com as mexidas acabou por aparecer noutros terrenos e até é dele o passe para o golo de James, isto apesar de Fernando ter tocado ligeiramente na bola. Mas foi a referida pressão dos nossos jogadores mais avançados que fez a diferença. Grande parte dos lances mais perigosos surgiram de recuperações nessa zona do campo e isso ajudou a inquietar o PSG. É certo que também tivemos lances em que facilitámos, mas aí beneficiámos da noite pouco inspirada dos avançados adversários. Esta equipa do PSG não é fácil e está bem orientada. Foi um teste difícil à valia da nossa equipa.

Individualmente, para mim o MVP foi João Moutinho. Num plano bom estiveram James, Varela, Alex Sandro, Fernando e Lucho. Gostei ainda da entrada de Atsu que espevitou o jogo, isto apesar de Varela também ter estado em bom plano. Voltei a não gostar de Danilo e não gostei de alguns lances de Jackson em que se agarrou demasiado tempo à bola matando algumas saídas rápidas. Voltei a não gostar da troca de Lucho por Defour. É que nesse momento ainda nem estávamos a ganhar. Não percebo Vitor...

Mas isto está bem encaminhado. Quatro pontos no confronto com o Dínamo de Kiev darão o apuramento. E ainda temos o Dínamo de Zagreb em casa. Que esta performance acorde a equipa para o campeonato.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Soneca = 2 Pontos perdidos


E até podiam ter sido 3... Afinal não se aprendeu em Barcelos. Simplesmente, desta vez, a soneca foi mais curta e durou os primeiros 30 minutos da segunda parte. Não diria que, antes disso, estivessemos a fazer uma grande exibição. Longe disso. Apenas estávamos a fazer o suficiente para manter o jogo controlado e da forma pachorrenta que já tem sido habitual. Mas na segunda parte conseguimos baixar ainda mais a intensidade. E acredito que teríamos continuado naquilo até ao final do jogo não fosse aquela 'Maiconice' que ofereceu um golo ao Rio Ave. É certo que o adversário estava mais perigoso, que reforçou o ataque, mas não estava a criar perigo antes da nossa oferta. Que se aprenda de uma vez por todas que estes erros acontecem e que só há uma maneira de evitar sarilhos destes: se é para descansar em campo, que o façamos com resultados seguros. No mínimo um 2-0! E até parecia um resultado fácil de atingir. Dava a ideia que uma mera aceleração do ritmo de jogo nos levaria ao golo. Uma prova disso foi a forma como, perante o escândalo que o resultado chegou a atingir, criámos várias situações de muito perigo e até marcámos o golo do empate. Dava até a ideia que o golo da vitória estaria iminente se houvessem mais uns minutos de jogo. Enfim, tal como aconteceu em Barcelos... São já 4 pontos que perdemos à custa da falta de intensidade que mostramos. Já está na altura de aprender com isso...

Individualmente, gostei do MVP Miguel Lopes. Um golo e uma assistência são números óptimos para um lateral direito e, por mim, jogava de início na quarta-feira. Otamendi esteve bem com excepção de um lance em que corta rasteiro para a entrada da área. James teve dois ou três rasgos que definem jogos. Um deles deu golo e outro bateu com estrondo na barra. E até foi uma exibição acinzentada... Pela negativa, a ausência de Lucho, a recaída de Maicon na asneira e a desastrada substituição de Lucho por Fernando. Se o objectivo era dar ritmo a Fernando para quarta-feira, era escusado tirar fantasia à equipa. Custa-me reconhecer, mas acho que o Freitas Lobo teve alguma razão no comentário que fez e que repetiu imensas vezes como é seu apanágio. Mas ao contrário dele, eu continuo a achar que o Lucho e o James são compatíveis no meio.

Venha a Champions! Uma vitória na quarta-feira será um passo gigantesco em direcção à qualificação.