terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Sporting 1-0 FC Porto (89-90)...



Notas:
- O primeiro jogo de Gomes contra o seu FCP...
- Os comentários deliciosos de Gabriel Alves...
- Aquele Douglas do Sporting tinha um estilo... meias para baixo, camisola bem por fora dos calções e cabelo comprido... fantástico...
- Oceano a defesa direito...
- Falhanços escandalosos de Lima (Sporting)... vale a pena ver... dois lances seguidos... inacreditáveis...
- Sabem quem era Edu? Internacional brasileiro que veio do Torino e esteve na Copa América de 1987... no FCP não me lembro de nada de significativo que tenha feito...
- Já davam bastantes repetições na altura... até mais do que dão agora...

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Feliz Natal...

... em particular a todos aqueles que nos acompanham neste espaço!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

CR10 aponta ao defeso


É daquelas evidências a que qualquer treinador do FCPorto cede, mesmo o Vitor. Aproxima-se um período de transferências e o Cristian Rodriguez passa a jogar. Isto porque aumenta exponencialmente o seu rendimento. Eu até propunha que, mesmo depois de o deixar sair, que é coisa que parece inevitável, se lhe propusesse um contrato de part-time. Vinha cá jogar o Dezembro, Janeiro e Maio. O resto do tempo até poderia tirar férias visto que já sabemos que nesse período das duas uma: ou segue a dieta do Walter e não joga nada; ou segue a dieta do Walter e está constantemente lesionado.

Vamos ao jogo mas com uma abordagem muito leve, visto que esta competição vale muito pouco na cotação de um portista. E não! Não vou mudar de opinião se ganharmos a coisa. Por esse motivo apresento já uma crítica ao Vitor. Eu não resisto... Eu sei que o Hulk decidiu o jogo numa altura que a coisa estava morna e com tendência a complicar, mas eu queria ver antes o Iturbe em campo. Que o Moutinho jogue, até percebo. Defour e Guarin estão magoados e era preciso reformular o meio-campo para a segunda parte. Mas é a Taça da Liga! Isto é para dar ritmo competitivo e confiança aos menos rodados. Três ou quatro titulares no meio das segundas linhas é mais que suficiente... E foi. Chegámos ao golo num remate excelente de Rodriguez após boa assistência de Kleber. A partir daí fomos sempre mais perigosos e, tal como em Aveiro, sofremos um golo de bola parada e sem o merecer. Logo voltámos a ser sempre mais perigosos e, com tanto desperdício, acabou por se lançar Hulk que acabou por resolver como só ele sabe. Pelo meio duas ou 3 jogadas perigosas do Paços sempre com o mesmo protagonista: um paraguaio emprestado pelas papoilas ao Paços que, em cada metro de corrida de Otamendi, lhe ganha três metros de avanço. Jogador interessante. O paraguaio, não Otamendi.

Individualmente posso dividir o grupo em 3:

Bem: Rodriguez (MVP), Belluschi (apesar de um passe assassino na segunda parte), Hulk (que decidiu a coisa) e Souza (voltou às exibições do início da época).

Mal: Varela (ou o tipo que esteve lá no lugar dele), Kleber (apesar da assistência para o primeiro golo), Otamendi (lento demais), Maicon (palavras para quê)

Assim-assim: Mangala (a rever no lugar de Otamendi), Alex Sandro (a rever), Bracalli (teve pouco trabalho), Djalma (controlou o Melgarejo), Moutinho e Fernando

Ficámos a aguardar o regresso das competições a sério...

domingo, 18 de dezembro de 2011

Afinal não foi preciso ir à bruxa


Mas estava a ver que tínhamos de lhe fazer uma visita. Incrível como apenas chegamos ao golo no último quarto de hora. Pior: o Marítimo tem a única grande ocasião para marcar pouco antes. Naquele lance em que o madeirense passa de mota pelo Otamendi... Talvez o único remate que fez à baliza, na única vez que passou do meio campo na segunda parte. Era o chamado 'golpe de teatro'. Ainda bem que os nossos receios não se concretizaram. Melhor ainda o facto de ter sido o CR10 a quebrar o enguiço.

Vamos ao jogo. Gostei muito da primeira parte. Se esta semana me queixava da falta de oportunidades de golo e a relacionava com a falta do ponta-de-lança, nada melhor do que analisar a primeira parte de ontem. De facto, o problema resolve-se com a movimentação e com a dinâmica que se emprega no jogo. Continuo a achar que, com Kleber no lugar de Djalma fazíamos ainda melhor, mas fiquei contente com a evolução que temos demonstrado nos últimos jogos. Não consigo é dissociá-la da actuação de um jogador nuclear: João Moutinho. Que grande primeira parte que fez! Tudo na perfeição. Uma circulação de bola que deixou a defesa contrária em constantes situações de pânico perante as investidas de Hulk, James e Belluschi que apareceu mais solto e com ordens para atacar a área adversária. Na segunda parte, não fomos tão organizados mas, ainda assim, com grande ascendente com um adversário entregue à exibição do guarda-redes, ao nervosismo dos nossos avançados e a alguma sorte que foi tendo. 

Individualmente destaco Moutinho e Belluschi. Os melhores. Depois, Álvaro e Fernando que continua a jogar muito. Pela negativa a lesão de James que estava a ser dos melhores e a exibição de Djalma. Ainda melhorou quando passou a defesa direito mas no resto foi um desastre. Não gostei muito da forma como Otamendi foi comido no lance mais perigoso do Maritimo. Pior ainda o facto de Rolando estar a ver o lance de cadeirão, em vez de ajudar com a dobra. Por último destacaria as substituições. Achei a de Maicon estranha. Julguei que iria assumir a linha de 3 defesas mas afinal Djalma foi jogar para lateral. Mais surpreendido fiquei quando, pouco depois, sai o Djalma e se desloca o Otamendi para a lateral direita da linha de 3. Não percebi o que se tentou fazer nos minutos entre as duas substituições.

Em suma, boa vitória e até é pena que venha agora o interregno do Natal. Vem interromper uma serie em que crescemos a cada jogo.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

É só em Fevereiro...


É o meu único consolo. Até Fevereiro muita coisa pode mudar. Se não mudar, resta-nos constatar que nos calhou a fava... Venham eles!

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Ponta de Lança


Temos discutido muito a opção por Maicon a defesa direito. É a opção que mais contribui para os nossos calafrios, mas talvez não seja o grande problema da equipa no momento. Para mim, é a questão da colocação de Hulk a ponta de lança. Não está em causa o rendimento de Hulk nessa posição que até tem sido bastante acima das minhas expectativas. Nos últimos dois jogos, voltámos a demonstrar uma característica que nos empolgou nos primeiros jogos, nomeadamente o jogo da Supertaça Europeia. Recuperámos a bola rápido e no campo do adversário. Isso dá-nos a sensação que estamos a fazer um bom jogo. E até é verdade. No entanto, não vos parece que uma equipa que joga desta maneira deveria ter mais oportunidades de golo? Aquelas que aparecem nos resumos do Telejornal. E não vos parece também que temos usado e abusado dos remates de fora da área? Julgo que isto está relacionado com o facto de não jogarmos com um ponta de lança. São várias as situações em que abdicamos dos cruzamentos por não termos ninguém na área. E assim o jogo afunila. Já sei que o Barcelona joga muito e joga com Messi no meio, mas convenhamos que não é comparável. É o Barcelona e é o Messi. E até pelas características de Hulk que, quando recebe a bola, ou sai arranque para a baliza ou sai assistência ou sai remate. Não põe a equipa a jogar como faz Messi. Precisamos de uma referência de área para que este 4-3-3 funcione.  Para que possamos aproveitar melhor as subidas de Alvaro e último passe do James e para que Hulk possa voltar ao lugar onde é mais desequilibrador que é de frente para a baliza, seja na ala ou seja no meio atrás de um outro avançado.

Se essa referência é Kleber, isso já é outra história. Eu julgo que poderá ser, mas a sua inclusão precoce na equipa tem-no prejudicado. Não que jogue mal. Um jogador destes não faz nada sozinho. No período em que a equipa jogou mal, ele não tocava na bola e portanto não fazia nada. E Vitor Pereira deixou-o cair da equipa. De qualquer forma, não vejo em Djalma e em Varela um rendimento que justifique que se empurre Kleber e até Walter para o banco. Para mim é simples: se queremos mais oportunidades e mais golos, temos de jogar com um ponta de lança.

PS: Há quem peça um ponta de lança no sapatinho, mas acho difícil. Segundo me contam, as dificuldades de tesouraria são de tal ordem que vamos ter de vender para aguentar o barco e não para ir ao mercado novamente. E não estou a falar das modalidades. Isso é um assunto à parte.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

FC Porto 4-1 Marítimo (89-90)...

Notas:
- André a marcar de cabeça na sequência de um canto? Fantástico...
- O gajo do Marítimo passou-se? Na sequência Pinto da Costa a sair do banco e a mandar vir... MUITO BOM!
- O remate na atmosfera de João Pinto na segunda parte...
- O árbitro a transformar um penalty (bem dentro da área) num livre perigoso...
- Os livres de Branco eram qualquer coisa... passou a ser o meu ídolo após a saída de Gomes para o Sporting...
- Ewerton, e a sua barba, o mítico guarda-redes do Marítimo...

domingo, 11 de dezembro de 2011

Seguimos lambendo as feridas


Depois da desilusão de terça-feira, o mais importante era ganhar. Pelo menos isso está feito. O jogo foi completamente dominado pelo FCPorto e o facto de o Beira Mar ter estado na frente do marcador foi uma autêntica aberração. Nada tinham feito até essa altura e pouco fizeram a partir daí. Jogámos sempre no meio campo adversário, é certo que causando pouco perigo, mas também é certo que, se lá estamos, é sempre mais provável marcar. Até que Otamendi se lembra de fazer uma falta desnecessária e golo. É uma bola parada. Pode acontecer. Nada de demasiado grave. Importava ver a reacção. Não foi má. Tal como aconteceu no jogo todo, não foi nada de muito intenso, mas nota-se que já vai havendo mais confiança e mais vontade. Na segunda parte Hulk tratou de resolver o resto dando justiça ao marcador. Quem pareceu indiferente à justeza do resultado foi Maicon. Naquela fracção de segundo, vi outra vez o jogo de Nicosia. Não é que nos vamos lixar outra vez perante um adversário que passou três vezes o meio-campo e rematou duas? Os deuses do futebol não permitiram. Mas esses mesmos deuses permitem que haja treinadores que apostem consecutivamente em Maicon a lateral direito... Até quando Vitor? Aproveita o oxigénio destas vitórias e da exibição agradável frente ao Zenit para corrigir a teimosia.

Invividualmente, a equipa acentou nos pilares do costume. Falo de Alvaro, Fernando, Moutinho e Hulk. Desta vez com participação mais activa de James. Boa notícia. Precisamos dele. Hulk não vai chegar para todas as encomendas. Belluschi é demasiado intermitente. Faz coisa óptimas e depois desaparece ou, quando aparece, complica. Rolando continua numa época em que aparece poucas vezes ligado aos golos sofridos mas,convenhamos que está poucas vezes lá, onde se tem de cortar. Nesse capitulo Otamendi é muito mais interventivo, mas aqueles passes... Parece muitas vezes que está a gozar de tão maus que são. Djalma é uma solução transitória. Enquanto o Varela andar desaparecido. Que se cuide! 30 segundos de Iturbe entusiasmam mais que meia hora dele. Quanto a Maicon, é uma opção tão absurda que me recuso a avaliar o seu desempenho. É possível dizer mais que um «faz o que pode»?

Ultimo destaque para Xistra. O costume. Toda a vitória do FCPorto com Xistra a apitar é uma vitória apesar do árbitro. Não fugimos à regra. Mas já que falamos de arbitragem, não pude deixar de reparar na análise do jornal O Jogo aos lances da partida. Destacaram o lance do primeiro golo. Queriam saber se há fora-de-jogo de Hulk. Desculpem? Que combinado de comprimidos, alcool, cogumelos, verniz, diluente, creolina andaram a tomar? Resolvi ler. A única conclusão que tirei é que o Coroado está senil...

Para terminar, convém dizer que vi grande parte dos jogos dos três grandes este fim-de-semana. Começo a perceber como é possível o Vitor ficar tão contente com as nossas exibições. O Sporting então, é uma total fabricação. Basta ver as capas dos jornais de Domingo e os diferentes tratamentos aos dois jogos. Então a nossa vitória é que foi sofrida? Só se for pelo brinde do Maicon. De resto não sofri nada. Já o Sporting... Há gente que se contenta com pouco! O Benfica continua a jogar tão pouco que é uma questão de tempo até perder pontos.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Beira-Mar 0-1 FC Porto (89-90)...

Notas:
- Três centrais???
- O que foi aquela saída do Baía nos minutos iniciais?
- No miolo, Branco foi o grande esteio? No lugar normalmente de André?
- Um Egípcio e um Sueco no Beira-Mar??? E o Bozinovski (Australiano/Macedónio) foi o melhor jogador do Beira-Mar??? E agora é que é só estrangeiros???
- Uma vitória feliz? Eu diria que tivemos mais do que oportunidades e até marcamos cedo...

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Segundo objectivo falhado


«Lá está o gajo a implicar... Viu o mesmo jogo que nós?» Não é isso. A nossa Champions não se mede só no jogo de ontem e a dura das verdades é que não nos conseguimos apurar num grupo bastante acessível. Direi até que ontem não tivemos a sorte que tivemos na Ucrânia. Direi também que jogámos melhor que no único jogo que vencemos em casa. Isto interessa? Não somos clube de vitórias morais e há que assumi-lo: a equipa falhou um crónico objectivo. É uma desilusão dada a qualidade do plantel e, tal como aqui previ, pouco a pouco os objectivos e ambições legítimas da equipa e do clube e dos adeptos vão sendo defraudados. Que termine por aqui.

Vamos ao jogo. Ao contrário do que aconteceu no jogo com o Braga, gostei da forma como jogámos nos primeiros 30 minutos. Dinâmica, ataque organizado, ideias de jogo e futebol variado com James e Moutinho a pensar o jogo. Nada do pontapé para a frente que chegámos a ver no último jogo do Dragão. Depois disso e sobretudo na segunda parte, deixa de haver cabeça, deixa de haver treinador e só há coração. Houve muito, mas não chegou. De falta de empenho não os podemos acusar. Quanto a Vitor Pereira, não concordei com a equipa e já aqui expliquei porquê. Ninguém saberá se não teria sido diferente se tivéssemos tido um ponta-de-lança de raiz a jogar durante o nosso melhor período. Ou se o Hulk não se teria conseguido soltar mais vezes se tivesse a entrar nas costas o Fucile em vez do Maicon, que até nem jogou mal, mas que ofensivamente não consegue mais que aquilo. Pelo menos meteu num bolso rafeiro luso-venezuelano...

Individualmente, Moutinho foi um gigante. Voltou aos grandes jogos e começa a assumir a equipa, o que constitui uma óptima notícia para Vitor Pereira. Depois gostei do Alvaro e do James. Mais atrás gostei também do Otamendi que matou cedo vários contra-ataques. Hulk não esteve soberbo mas não consigo dizer que jogou mal. Por último, destacaria o ridículo que é acabar o jogo com Rolando na área adversária não havendo opções de avançados no banco. Problema que já vem de trás. Mais uma vez, a Champions não se perdeu ontem... Mas se se tivesse perdido, gostaria de destacar também um espanhol que parecia que vinha com o guião delineado pelos russos. Incrível a entrada que, não só não expulsa por acumulação um jogador do Zenit, como tira do jogo por lesão, um Defour que vinha crescendo no encontro. Isto por entre uma serie de decisões bizarras como os amarelos a Helton e Hulk, uma falta por marcar sobre Djalma em cima da área e um período de compensação ridículo.

Resta-nos tentar o Bi. Se assim for, cairá bem na mesma. Mas, depois de uma repescagem da Champions, não será a mesma coisa...

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

FC Porto 4-0 Dínamo de Bucareste (90-91)...

Vídeos made in Basculação...


Notas:
- Taça dos Campeões Europeus - Época 90/91 - 2.ª Eliminatória...
- Apenas os primeiros segundos do vídeo não têm som...
- Domingos... muita classe... a assistir, a cair para a piscina e, claro, a marcar...
- Kostadinov... rapidíssimo...
- Geraldão, mesmo a marcar penalties, não pensava muito... apenas puxava o pé atrás...

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Já que temos de ganhar...

Convém entrar com uma equipa para ganhar! Imagino que se aposte na mesma equipa que jogou na Ucrânia e contra o Braga. Mesmo assim, deixo a minha sugestão: Helton; Fucile, Rolando, Otamendi e Álvaro; Fernando, Moutinho, Belluschi; James, Hulk e Kleber.

Notam com certeza que estão sublinhadas as alterações que proponho e que não são meras trocas de elementos. São antes trocas de filosofia. Da contenção para a emotividade, do 'play it safe' para a ambição. Joga-se a época e ainda mais depois de olharmos para as contas que foram divulgadas na passada semana.

Com Fucile deixamos de estar coxos ofensivamente nas laterais. Com Belluschi juntamos a James outro 'artista' para inventar caminhos até à baliza e com Kleber, as despesas da finalização deixam de ficar entregues unicamente a Hulk que ficará mais liberto. E nem terá que necessariamente ser encostado a uma ala. Poderá até insistir nos movimentos nas costas que fez enquanto jogou como ponta-de-lança. Seria mais um elemento de surpresa para um Zenit cuja especialidade, não é certamente defender.

PS: parece que, este ano, os vasquinhos têm caminho aberto para o Jamor. Com 2 jogos em casa e com as meias finais a duas mãos, convenhamos que fica mais fácil. É o sorteio...

PPS: gostaria de me debruçar sobre as contas da SAD. Falta tempo, mas não faltam os sinais de preocupação. Mas a minha preocupação com as contas já vem de longe...

PPPS: Eu acho que o meu FCPorto joga pouco. E digo-o tendo como referência os nossos padrões de qualidade. Se tivesse em consideração o contexto nacional, ficaria muito menos preocupado. Sexta-feira isso ficou mais uma vez provado...

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Por falar em queimar coisas


Estou agora a recordar-me de um jogador que, pela exposição a que o treinador o submete com uma opção estapafúrdia, não tardará a ser queimado de vez. Falo de Maicon... É um acidente à espera de voltar a acontecer. E quando acontecer, veremos se ele volta a jogar na sua posição natural...

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

O campeão voltou?


Sinceramente não sei. Pelo menos o Hulk voltou. É essa a grande evolução desde Coimbra. Poderão dizer-nos que há mais vontade e até nos poderão dizer que estamos a jogar melhor. Comigo não cola. Em primeiro lugar porque já tomei este treinador 'de ponta'. Será muito difícil que ele me reconquiste. E digo-vos que gostaria muito que isso acontecesse. Não me importaria nada de estar errado em relação às capacidades de Vitor Pereira. Julgo que não estou. O que vejo em campo é o exacto oposto do FCPorto que tínhamos no ano passado. No ano passado chegou a comparar-se o nosso futebol de posse com o do Barça. Que longe que estamos hoje... Repararam com certeza nos lançamentos longos constantes com a bola directa nos avançados, sobrevoando os médios. Os lances mais perigosos são sempre as transições rápidas. Em futebol apoiado não sai nada. Não que me choque esta forma de jogar. Simplesmente, não foi isto que me foi vendido por Vitor Pereira. Se bem me lembro era para se seguir o rumo do ano passado. Dificilmente poderíamos estar mais longe...

Vamos ao jogo. Complicado mas resolvido pelo Hulk sempre que a coisa começava a apertar. Uma frase basta. Hulk que até nem estava a fazer uma grande exibição. Algo trapalhão no inicio. Recuperou a tempo e ainda bem. Individualmente, gostei também do Fernando. Tem sido o jogador mais consistente da equipa. Ele e Hulk. Quem diria... Depois gostei do Moutinho Belga. Injusta a sua substituição e, mais uma vez, notou-se alguma quebra de produção depois das mexidas de Vitor Pereira. Não acerta uma... Voltei a não gostar do James. Com este rendimento e com a sua reacção à substituição, não me choca que passe pelo banco. Por outro lado seria injusto visto que Hulk fez o mesmo.

Pena aquela quebra no final. Os 3-0 seriam mais motivadores. Gostei do Dragão. Muita gente até do Braga. Último destaque para o árbitro. Esteve bastante mal. Ainda bem que não teve influencia.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

FC Porto 3-0 SC Braga (Campeonato Nacional 1989/90)...

É o número 10...

O clube que mais amei foi o Porto. Sempre sonhei jogar no Barcelona, e acabei por conseguir, mas a minha paixão é pelo Porto. Não sonhava jogar lá, mas a vida levou-me para lá e eu apaixonei-me.

Melhor que um jogador do Porto dizer que ama o clube (porque parece sempre um puxa-saco) é ouvir isto dum antigo jogador do Porto... e logo o Mágico!


quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Vamos Porto!!!


 Grande vitória! Hulk é enorme! Helton fez o impossível! A Champions volta a fazer parte dos objectivos. Até podemos ficar em primeiro lugar. Será assim tão absurdo que o Apoel perca em casa com os ucranianos? Bem... Relendo estas primeiras frases consigo perceber algum entusiasmo a mais... Vou seguir a minha regra numero 1 das postagens, que é a de não escrever em cima do jogo. Volto daqui a umas horas.

...

Pensando bem, a coisa não mudou assim tanto. Foi um jogo descontrolado em que a vitória poderia ter ido para qualquer dos lados. Óbvio que quem tem Hulk, está mais perto de ganhar um jogo destes. Além disso, a atitude da segunda parte já se coaduna com os pergaminhos da nossa casa. Quando assim é, a coisa tem de correr melhor. Mas não convém esquecer que o factor aleatório do jogo só acontece porque ainda temos uma equipa incapaz de controlar o jogo. É certo que não esperava que o fizesse depois dos últimos resultados. Pelo menos que o fizesse a espaços... Isso não aconteceu. Parabéns à equipa, boa viagem de regresso, o Vitor está seguro para já, mas não convem esquecer que isto está longe de ser o FCPorto que se exigia nesta altura da época.

Vamos à equipa. Vitor Pereira fez o que grande parte dos treinadores faz quando se vê encostado à parede: inventou. Não que as invenções tenham corrido mal. Hulk a ponta-de-lança foi o melhor em campo. Grande exibição! Defour também jogou muito bem apesar de a sua entrada resultar num deficit de criatividade no meio-campo. Djalma também não desiludiu. Também não me entusiasmou... Até a repetição da invenção de Maicon como lateral direito correu melhor, sobretudo porque o Shaktar encosta na esquerda um médio de organização que tende sempre a vir para o meio... Não quero com isto dizer que acho a mínima piada ao onze escalonado. Acho um síndrome de pequenez que não gosto de ver no meu FCPorto. Correu bem... Adiante. Juntamente com Hulk gostei da exibição de dois brasileiros: Helton que nos segurou no jogo e Fernando que parece talhado para estes 'thrillers'... Num segundo plano gostei de Defour, Moutinho e Alvaro Pereira. Menos inspirado esteve James que, no entanto, tinha uma missão ingrata de segurar jogo longe da baliza para fazer o último passe para Djalma e Hulk. Não conseguiu.

Em suma, esperemos que esta vitória pelo menos reacenda a chama. Pode ser que a coisa evolua a partir daí. Domingo os jogadores já não estão na 'montra' da Champions... Mas há que atacar com a mesma atitude o primeiro lugar isolado, depois de assistirmos de cadeirão ao clássico da TV a preto e branco...

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Não Vou à Tropa...

Vídeos made in Basculação... Dínamo de Kiev 1-2 F.C. Porto (86-87)...



Notas:
- O título do post é a frase mais gritada por Paulo Futre no final deste jogo, episódio que recentemente contou no seu livro:

"Tinha de ir para a tropa em Maio, mas o Pinto da Costa fala com o Ministro da Defesa e chega a acordo que se o FC Porto fosse à final da Taça dos Campeões Europeus eu só ia no próximo turno. Quando joguei a meia-final queria lá saber da final, queria era livrar-me da tropa, tinha o cabelo por aqui [aponta para os ombros]. Os meus colegas a festejar ‘vamos à final!’ e eu a gritar ‘não vou à tropa’. Se perdêssemos em Kiev, oito dias depois tinha de estar em Castelo Branco. Depois surgiu o Atlético de Madrid, era a segunda operação mais cara de sempre no futebol, eu e o Pinto da Costa sabíamos que tinha de ir para a tropa 16 meses e eu ali caladinho a rezar que ninguém falasse nisso, senão já não havia contrato."

- O resumo mostra bem a vontade de Futre... duas arrancadas nos primeiros minutos... a segunda a dar uma falta que origina o primeiro golo da partida...
- A estrelinha da sorte no livre de Celso...
- Gomes, oportunista, a colocar o FCP praticamente na final... depois daquele golo o D. Kiev precisava de 4 golos para chegar á final...

O homem tem cláusula


Muitos falam em despedimento, mas não é de descartar a saída pela cláusula de rescisão. São só 18 milhões de euros! Se há quem dê mais de 8 milhões pelo Roberto...

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Mancha Negra...



Só porque o Prata pediu seguem uns bitaites do jogo da Taça...

Haverá melhor equipa para nos espetar 3 do que a Académica? Uma equipa que veste de preto e nós há tanto tempo para andar de luto... Eles tem a Mancha Negra e nós é que somos uma nódoa... Eles levaram um treinador e nós ficamos com o Vítor Pereira e um gajo de bigode no banco... Enfim, tentemos ver as coisas pelo lado positivo, com tanta crise são umas dezenas de euros que poupamos lá para Maio e já há 3 anos que íamos para a mata do Jamor...

Quanto ao jogo, que pena não termos jogado com a 3ª linha e assim termos desculpa para o descalabro, não, só trocamos o guarda-redes. Pela enésima vez esta época tornamos a entrar mal na partida, tornamos a dar 45 minutos de vantagem ao adversário, tornamos a fazer tudo o que de mal temos vindo a fazer esta época.

Eu até aceito que o Maicon jogue a defesa-direito, agora não posso admitir é que um treinador obrigue um central de raíz adaptado a defesa-direito faça o mesmo papel dum Álvaro Pereira, Fucile ou Sapunaru... Ir à linha cruzar??? Pedir a um central que faça isso??? Que faça parte das jogadas ofensivas no último quarto do terreno de jogo??? A um central adaptado a defesa-direito?!?! Parece que estou a ver o Picanha a gritar 'Cruza Maicon, cruza!' e o Maicon com aqueles pés 'Cruzar? Só se for os braços...'.

A isto, meus amigos, chama-se queimar um jogador. Ao Maicon, o que se podia pedir era: "Chegas à linha do meio-campo e STOP, não avanças mais, fecha o meio que o Otamendi descai mais um bocado para a esquerda e o Álvaro pode avançar o que quiser já que este ano ele também não quer defender muito".

Portanto, o Maicon é queimado pelo treinador e como se não bastasse queima-se a ele próprio com erros infantis naquilo que ele devia saber fazer melhor, ou seja, defender.

Isto, claro, não explica o tédio daquela primeira parte. Eu mandei sms a dizer que era uma tortura ver o Porto, talvez masoquismo fosse melhor. Lentos, sem princípios de jogo, a quererem resolver tudo sozinhos porque ninguém dá uma linha de passe, o Walter não segura uma bola de costas para a baliza, o Hulk deixa-se antecipar, ninguém vai apoiar o Hulk, Belluschi e Moutinho sem ponta de entendimento e, principalmente, uma equipa sem vontade e sem querer. Assim, não dá...

Na segunda parte entramos melhor e o guarda-redes suplente da Académica faz uma defesa estupenda a remate de Fernando. Pouco depois o James entra e ainda por cima para a frente do meio-campo e pensei mesmo que a equipa iria dar outra imagem, até já só estava com medo de não conseguirmos evitar a lotaria das grandes penalidades... Que optimista que sou...

Académica faz o 1-0. 'Rápido, faz duas substituições, tira o Maicon ou o Otamendi ou o Rolando, sobe a equipa para uma pressão alta com mais 1 ou 2 jogadores lá na frente e não deixes a Académica sair a jogar para o contra-ataque, obriga-os ao chutão para a frente para perderem rápido a bola e começarmos a construir jogo!'

Ou então tira o Varela e o Moutinho, perde o meio-campo e deixa-os jogar à vontade e encarar a nossa defesa fortíssima no 1x1 em velocidade...

Época muito parecida a 2004/05 só que desta vez não vendemos metade dum plantel sobreavaliado e nem sequer andamos com trocas de treinadores durante a pré-época...

domingo, 20 de novembro de 2011

E começou...


Não poderei fazer uma crónica do jogo porque não o vi. Poderei apenas escrever sobre o que vi num resumo e o que li nas muitas sms's que recebi a partir do momento em que a Académica marcou o primeiro golo. Não posso deixar de concluir que nada do que se viu neste jogo surpreende. Isto porque se trata de uma evolução natural perante as evidências de que temos vindo a falar aqui no blog. Passo então a listar:
- A ausência de ideia de jogo é tal que era apenas uma questão de dias até que se perdesse o primeiro jogo entre portas. Para estas equipas a estratégia é do mais simples possível: jogar para o 0-0 até aos 60 minutos e depois esperar o erro para ganhar. Em Olhão o erro não surgiu. Em Coimbra, os erros não faltaram...
- Já aqui tínhamos avisado que Maicon era a pior solução possível para defesa direito. Confirmou-se e, mais uma vez, era uma questão de tempo.
- Os jogadores não estão com o treinador. Dirão que a culpa não é dele e que os gajos são uns mercenários que só querem dinheiro. Errado! Com um bom líder não há grupos amotinados.
- Era uma questão de tempo até que começássemos a perder títulos. O primeiro já foi. Este ano não vai haver pic-nic na mata do Jamor. Será que quarta-feira vai a Champions? Será que vai a Liga Europa? E no fim de semana, vai o campeonato? Bem, isso não deve ser para já. Mas tal como na Taça, será uma questão de tempo. Isto se continuarmos à espera...

Custa admitir uma aposta errada. Sobretudo para quem acerta 90% das vezes. Mas a evidência é tanta que começa a parecer casmurrice...

PS: Pis, tu que viste o jogo, já escrevias aqui qualquer coisinha... Eu sei que custa relembrar, mas vê lá isso.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Voltamos dentro de instantes




O interregno para as selecções e a gritante falta de tempo de que tenho padecido têm-me afastado aqui do nosso tasco cibernético. Não tendo grande assunto, apraz-me registar o bom desempenho da nossa malta ao serviço das suas selecções. Guarin marcou um dos seus golaços, James foi o melhor em campo, Moutinho fez dois bons jogos, Hulk começa a convencer a terra do samba e até Alex Sandro jogou a titular pelo Brasil. Espero que a equipa ganhe com o 'boost' de moral que estes desempenhos trazem. Vitor, aproveita e já sabes que apesar de nós aqui não estarmos contigo, te desejamos a melhor sorte. É que a tua sorte está intimamente ligada com a do nosso FCPorto...


Para terminar esta curta posta e no seguimento do post do Pis, apraz-me registar que as papoilas continuam a alienar uma considerável franja de adeptos que tinham em Braga. Até o Eusébio entra numa festa onde a inteligência já transbordava... Com certeza que preferem expandir-se por territórios ultramarinos. É mais fácil agradar a gente que os vê jogar uma ou duas vezes por ano...

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

“Preto de merda”

Há coincidências brutais. Na semana em que Javi passa dos cotovelos e agressões a atitudes racistas, a Confederação do Desporto em Portugal decide atribuir o mais alto galardão – Prémio Alto Prestígio – ao Sporting e ao Benfica pelos «particulares laços desportivos com os países que têm o Português como língua oficial».

É claro que esta justificação da Confederação do Desporto em Portugal só veio depois do Porto demonstrar alguma surpresa através do seguinte comunicado:

A Confederação do Desporto de Portugal realizou a sua gala anual esta semana no Casino Estoril. Para além de uma série de desportistas premiados pelos seus desempenhos no último ano desportivo, entenderam os responsáveis atribuírem o prémio Alto Prestígio ao Benfica e ao Sporting.

Estas distinções valem sempre o que valem, mas não deixa de ser surpreendente e estranho que os responsáveis pela Confederação tenham distinguido dois grandes clubes de Lisboa e tenham esquecido, por exemplo, os finalistas da última Liga Europa, FC Porto e Braga, os dois clubes que nos últimos anos mais têm feito pela imagem internacional de Portugal.

Pela primeira vez dois clubes portugueses disputaram uma final europeia, pela quarta vez nos últimos oito anos uma equipa portuguesa venceu um troféu internacional – e só para recordar o quão difícil é vencer competições internacionais basta recordar que os agora distinguidos venceram troféus internacionais há 47 anos (Sporting) e 49 anos (Benfica) – mas os senhores da Confederação do Desporto de Portugal decidiram homenagear esses emblemas com o prémio Alto Prestígio.

Desconhecem-se os critérios de tais escolhas, necessariamente muito criativos, mas para os mais desatentos convirá também recordar que caso queiram retirar o futebol e concentrar a argumentação nas chamadas modalidades, o FC Porto venceu todas e até tem uma equipa (hóquei em patins) que há dez anos consecutivos conquista o campeonato nacional, mas isso ainda deve estar no “quase prestígio”, longe de atingir o épico “alto prestígio”...

É este funcionamento em circuito fechado, alheado da realidade, que o FC Porto continuará sempre a denunciar e a combater. Para ao menos no Desporto o país ser realmente do Minho ao Algarve, sem esquecer as regiões autónomas.

domingo, 6 de novembro de 2011

Tem a palavra o Presidente


Continuamos a jogar à FCPorto. Pelo menos temos jogado com o equipamento principal... Tudo o resto é exactamente o oposto do que é jogar à FCPorto. Que mais há a dizer? Presidente, resta a conversa de fim de relação: Vitor... Desculpa lá. Esta conversa é desconfortável. Eu sei que és portista e tal... Que andas a trabalhar duro e como nunca trabalhaste na vida. Não és tu que estás mal, é o FCPorto... Sabes que nos últimos tempos desenvolvemos um certo estado de exigência à qual tu nunca poderás chegar por muito que tentes. Mais uma vez, não és tu... Vamos ser apenas bons amigos...

Falemos do jogo. Mau. Péssimo. Pouquíssimas oportunidades de golo, muito pouco futebol, jogadores que oscilam boas exibições, com más, depois razoáveis e depois péssimas. Só Fernando parece estar em forma. Hulk não está mas tenta como ninguém e até começa a parecer injusta aquela substituição no Dragão. É dos menos culpados. Desta vez Mangala não agradou. Moutinho é uma sombra do que pode ser e, pela flash interview, até parece que desaprendeu o que é futebol. E o Vitor continua a destruir a partir do banco. A opção por Maicon é risível dado que todos sabemos que Otamendi tem rotinas na posição. Enfim, nem fizemos por merecer os muitos erros de arbitragem que nos prejudicaram. Conto uma expulsão perdoada e dois penaltis não marcados.

Espero que o facto de nos mantermos à frente não tolde o julgamento dos dirigentes quanto ao futuro da equipa. Todos sabemos que estamos em primeiro e que até na Champions temos hipóteses de passar se ganharmos os próximos 2 jogos. O problema é que não jogamos nada. E isso é preocupante quando olhamos para o plantel e, tirando Falcao, estamos muito melhor servidos que no ano passado. Não se admite chegarmos a esta altura e não conseguirmos distinguir uma ideia de jogo. Ou percebemos que isto não funciona e corrigimos a tempo, ou adiamos a decisão e vamos passar esta época a sofrer lentamente até ao adeus final aos títulos mais importantes. Haja coragem!

sábado, 5 de novembro de 2011

Lição de futebolês

Chicotada psicológica - Despedimento de treinador de forma a que a equipa inverta um curso de maus resultados e más exibições.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

O Guarin não percebe

O homem queixa-se que «não entende Vitor Pereira»... Já vimos coisas destas no twiter, no facebook, em entrevistas do paizinho ou, mais vulgarmente, em entrevistas de empresários. Não querendo defender a opção do treinador, nesse campo julgo que o meu post anterior foi claro, deixo aqui um vídeo em que o próprio Vitor Pereira poderia deixar de perceber porque insiste em dar minutos a um jogador que não corre por ele e pela equipa.


Reparem logo no inicio que Guarín era o jogador mais próximo de Alvaro Pereira quando este perde a bola. De seguida e ainda a trote, olha para o jogador que se desmarca na esquerda e apenas acelera o passo quando a bola já lá está.

Será que o Guarín irá perceber que são atitudes destas que faziam com que ele, há um ano, fosse apenas um jogador 'exótico'? Não percebes Guarín?

Longe de mim tentar pôr as culpas da derrota num jogador, mas tinha de ser logo ele a reclamar? Não resisti...

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Treinador de transição engolido por treinador de transições


E não foi a primeira vez. Estou farto de pôr paninhos quentes neste FCPorto de Vítor Pereira. É triste constatar isto mas não temos outra hipótese. Não jogamos nada e fizemos 3 bons jogos esta época. Mesmo quando ganhamos, há sempre algum senão, alguma trapalhada. Pior que isto tudo é o facto de a equipa não ter confiança nela própria. O FCPorto de hoje em dia é de uma banalidade que se resume numa multiplicação lenta e pachorrenta de passes laterais até que se solte Hulk ou Alvaro Pereira, para que estes tirem algo da cartola. Nada mais. E este Apoel é uma equipa fraquíssima e de um nível médio/baixo no nosso campeonato nacional. E só não nos ganhou duas vezes seguidas, porque não calhou. Sei que dificilmente este treinador não terminará a época. Não é muito habitual despedirmos treinadores e acredito que com estes jogadores é difícil fazer muito pior. Por isso, devemos continuar a ganhar no campeonato e devemos manter uma distância relativamente curta para os da frente e até é provável que lutemos pelo título nacional. Também, mau era... É até possível que a equipa se empolgue com os resultados na Liga Europa, se é que ainda vamos lá parar. Uma coisa ficou hoje clara para mim: esta é uma época de fim de ciclo e este é um treinador de transição. Como tal, convém começarmos a preparar a próxima época.

Quanto ao jogo, nem me quero alongar. Do pior que tenho visto contra uma das equipas mais limitadas que defrontamos na Champions nestes últimos anos. Pequeno problema: os gajos correm muito mais. Querem ganhar. Nós... Bem. Nós, nem por isso... Só Fernando escapa à razia.

Basta Um Assim...

Vídeos made in Basculação... Apoel Nicosia 0-1 FC Porto (2009-10)...


Notas:
- Vitória sofrida... já perto do fim que valeu 3 pontos... mais do que tudo, é o que precisamos para logo... os 3 pontos...
- Grande Golo de Falcao... excelente movimento e finalização...
- Gosto de ver o FCP com calções brancos... "paneleirices" da minha parte... :)

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Assobiadores


Proponho desde já uma alteração na campanha para o Dragon Seat da próxima época. Deverá ser perguntado no formulário de renovação ou adesão se se trata de um sócio assobiador ou não. Julgo que seria importante para a equipa ter os assobiadores todos concentrados numa ponta do estádio. Ficaria mais fácil para a equipa perceber onde estão os gajos que assobiam por tudo e por nada, e assim poderiam ficar mais tranquilos. Falamos de adeptos exigentes. Tretas! Eu sou exigente! Mas isso não faz com que assobie a minha própria equipa. Quero criticar, critico aqui e se não tivesse um blog arranjaria maneira de participar noutros. Não me passa pela cabeça assobiar a equipa e muito menos assobiar um golo, por muito que tenha sido um auto-golo. Assobiar porquê? Não merecíamos o golo? Não tínhamos criado oportunidades para isso? A própria jogada é boa, apesar de o Alvaro não ter encontrado nenhum jogador do FCPorto para encostar. Não consigo perceber. É de doidos assobiar-se um golo. Pior ainda é assobiar o nosso melhor jogador, melhor marcador, melhor assistente, etc. Hulk não fez um grande jogo mas ninguém me tira da cabeça que ainda poderia vir a decidir o jogo se não tivesse saído. O treinador não quis esperar e compreende-se, quando ainda havia James no banco. Quanto à atitude de Hulk à saída, é normal. Podia ter sido outra, mas é o que é. Não está habituado e até pediu desculpa. Assunto encerrado.

Vamos ao jogo. Fraco na primeira parte onde apenas Belluschi, Alvaro e Varela pareciam querer mudar as coisas. Na segunda parte entra Moutinho e tudo mudou. Bem melhores. No entanto, ainda não foi brilhante. Acabou por ser uma vitória segura mas, tal como na semana passada, não totalmente convincente. A equipa ainda está intranquila e as bancadas também não ajudam. Destacaria individualmente o Mangala. Jogador muito interessante e depois das falhas de Otamendi, pode mesmo ganhar o lugar. Quem esteve mal mais uma vez foi o Sapunaru. Quase que ofereceu um golo. Precisa claramente de descansar.

Terça- feira decidimos se queremos ficar na Champions ou se vamos defender o título na Liga Europa

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

"Mudem o Nome da Superliga..."

Mourinho Moments...

Declarações após a notícia do possível castigo de Capucho que tinha sido expulso num jogo particular e que tudo indicava que, dessa forma, iria falhar um importante jogo no Bessa...

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

O Que é Nacional é Bom!

Vídeos made in Basculação... FC Porto 1-2 Nacional (90-91)...


Notas:
- Estive lá...
- Nacional, claramente a nossa malapata... 3 vitórias no Dragão, mas nas Antas também deram a sua gracinha...
- Foi a primeira vez que me deram "tanga" com o slogan "O que é Nacional é bom!"...
- Que grande golo o do FCP... arrancada de Domingos, trivelada de Madjer à Quaresma e grande finalização do nosso novo 9 depois da saída de Gomes para Alvalade...
- O guarda-redes do Nacional era artista...
- Na flash interview o jornalista sai-se com: "A cabeça do Paille fez falta hoje?"

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Forgiven, not forgotten


Dragão que é Dragão é grato. Mas não esquece...

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Goleada em pleno temporal


O mau tempo já tinha chegado ao Dragão na passada quarta-feira. Empatar com um Apoel fere o orgulho de qualquer portista. Mais que isso, a exibição descontrolada a que assistimos fazia voltar a nuvem da fraca ou falta de liderança no banco de suplentes. Vitor Pereira sentiu o toque e resolveu com uma revolução. Mudou tudo o que podia mudar e sobretudo os piores elementos do jogo da Champions. Não gosto de revoluções. Se há algo que está claro é que temos jogadores e que nem sempre temos equipa. Ora não se fazem equipas com mudanças drásticas na estrutura do onze. Isso deveria acontecer quando a equipa já está num patamar bastante elevado de evolução. Apesar de não me agradar a revolução, não poderei dizer que não me agradaram os resultados. De facto a equipa esteve melhor e apesar de alguns sustos conseguiu a vitória de uma forma segura e consistente. 'Pormaiores' que faltaram no último jogo.

Vamos então ao jogo. Longe de ser brilhante, até porque o  temporal não ajudava, acabámos por golear o que é fundamental para reanimar a equipa. Individualmente, as novidades estiveram bem. Varela esteve muito dinamico, Walter está nos 3 primeiros golos, Defour marcou e é mesmo o Moutinho Belga, Belluschi é um primor com a bola nos pés e Mangala é uma agradável surpresa. Hulk continua a ser o mais influente e Fernando aproveitou as condições do terreno para elevar o nível do seu jogo e, para mim, foi o MVP. Moutinho em 20 minutos fez mais do que no último jogo.

Último destaque para os vinte e poucos mil portistas que enfrentaram o temporal. Poucos mas bons. A equipa fez questão de os premiar com aqueles dois últimos golos.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

"As outras equipas vão levar massacres que nem respiram..."

Mourinho Moments...

Declarações após a primeira derrota na pré-época 2002/03...

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Vi bem? Era o APOEL, não era?

Julgo que são campeões do Chipre. Esse belo país que em termos futebolísticos apanha o refugo do futebol português... A verdade é que até parecia que tinha argumentos. Defendiam todos e contra-atacavam com facilidade e com perigo. Será que eles nos apanharam desprevenidos e afinal têm boa equipa? Eu acho que não. Se há jogos que, mediante o que jogamos, tornamos fáceis, neste fizemos o contrário. Entramos em jogo sem grande vigor e quando acelerámos, chegámos logo ao golo. Depois de uma dormida geral veio o empate. Aqui esteve o ponto de viragem no jogo. A equipa tremeu imenso. A partir daí foi uma tremideira absolutamente preocupante. Não há uma ideia, não há um improviso. É passar a bola de um lado para o outro até que Hulk se apanhe com mais espaço ou até que Álvaro Pereira possa cruzar. Muito pouco. Há ainda James que neste estilo não rende. Há ainda os remates do Guarín que acaba por estar sempre muito longe da área. Há o Moutinho que parece que perdeu a licença para correr todo o campo, ao contrário do que antes fazia. Alvaro só ataca e Sapunaru simplesmente não ataca. Há quem critique Fucile e muitas vez com razão, mas fez falta. Não poderão esquecer que nos jogos em casa exige-se dois laterais que dêem profundidade alternadamente. As substituições acabaram por ser tardias. Varela foi bem lançado e mexeu com o jogo. Mas foi troca por troca. Eu arriscaria mais. Quanto aos outros que entraram, pouco puderam trazer perante a ausência total de ideia de jogo vinda do banco.

Neste jogo tivemos apenas Hulk. Ele carregou a equipa e não merecia este castigo. Tudo o resto, e exceptuando Helton e Kleber que, perante esta forma de jogar não tem possibilidade de fazer melhor, foi mau. Mais concretamente, Otamendi foi péssimo. Pior que Otamendi, só o primeiro redes cipriota e o árbitro que, sem ter tido decisões com influência directa no resultado, foi uma vergonha. O lance do amarelo ao James é de loucos... O gajo estava a um metro do lance. Já o de Kleber tinha sido bizarro, visto que se antecipou ao redes e rematou à baliza antes do inevitável choque.

Poderíamos estar a lamentar a oportunidade perdida. Uma vitória quase que resolvia o grupo apesar da derrota na Rússia. O pior é que, jogando assim, vamos sofrer...

Jogos Fáceis... Na Teoria e na Prática...

Vídeos made in Basculação... FC Porto 5-0 Portdown (90-91)...


Notas:
- Primeira Mão da Primeira Eliminatória da Taça dos Campeões Europeus (90-91)...
- Jogo no Bonfim por castigo da UEFA... teve de se realizar a mais de 300 km... fruto dos veementes protestos no último jogo realizado nas Antas contra o Hamburgo... eu estive lá... que roubalheira... ganhamos 2-1 mas foi insuficiente... um penalty escandaloso que ficou por marcar que um dia recordaremos neste blogue...
- Alguém sabe quem é a gaja que está a fazer a reportagem? Já sei, aparece lá o nome... Maria José Garrido... Parece muito má... e não deve ter aparecido muitas mais vezes...
- Musiquinha nos golos???
- Grande assistência de Jorge Couto no golo do Kostadinov...
- O VLK também sabia marcar livres...
- Não, não é o Emerson... é mais o Kiki... a mesma força, mas menos qualidade...
- Gosto das declarações do gajo do Portadown...

terça-feira, 18 de outubro de 2011

A porta vai reabrindo lentamente

 

Sei que a maior parte dos portistas ainda não engoliu a saída de André Villa-Boas. Há até quem tenha ficado indignado com a nomeação deste para Dragão de Ouro. Sejamos claros. Depois da época passada só via uma maneira de Villas-Boas não ser treinador do ano: ter saído para o clube das papoilas saltitantes em vez do Chelski... E mesmo aí seria ressabianço. Foi uma época perfeita onde o único senão foi um facto impossível de imputar a este treinador, que é o facto de não termos provado o valor da equipa na Champions. É de doidos achar que não se deveria atribuir o Dragão de Ouro a um treinador que nos elevou a tamanho desempenho. Por muito que a elevação não se tenha mantido na altura da saída, estou grato ao trabalho de Villas-Boas e acho que o facto de lhe ser atribuído este prémio, ao contrário do que aconteceu na época da Champions de Mourinho, significa que o  nosso Presidente já aceita melhor o que aconteceu. É óbvio que, ao contrário dos adeptos, não foi apanhado de surpresa. Mas julgo que, como eu, o Presidente esperava mais de Villas-Boas. Pode ser que tenhamos mais no futuro. Isto é um sinal de que a porta não está fechada.

PS: não sei se viram o documentário sobre Pedroto que aqui disponibilizámos. Vejam. Interessante ver como o homem que ajudou a cimentar o FCPorto de hoje, foi corrido várias vezes do clube. Imagino o que nessa altura se deve ter dito dele... (isto com as devidas distâncias entre a lenda e Villas-Boas)

domingo, 16 de outubro de 2011

Belluschi não marca mas encanta...


A foto que ilustra a crónica não é inocente... Walter marcou 4, Djalma 2, Defour enche o campo e começa a meter Moutinho em sentido e Belluschi acrescenta o toque de classe essencial a qualquer equipa.

A primeira meia-hora ainda me fez acreditar que se calhar a estratégia seria esgotar o adversário fisicamente e depois apostar tudo no prolongamento. Vá lá, bastaram os últimos 15 minutos da primeira parte!

Até ao primeiro golo, destaque para as subida do Alex Sandro, uma das quais colocou-o frente-a-frente com o guarda-redes e quase tinha uma estreia perfeita mas tudo bem, é lateral e não se exige golos. Alguns bons pormenores, muito potencial mas também não foi muito barato... a rever.

A partir do 1º golo começaram as facilidades e foi bom ver 5 golos num quarto-de-hora.

Algumas notas:
- Walter marcou 4 mas podia ter marcado muitos mais, de qualquer das formas tem faro pelo golo, pode é emagrecer mais um bocado porque acho que isso não afecta o olfacto;
- Belluschi, que classe, então aquela jogada para o golo de Walter é fantástica;
- Gosto muito de Defour, enche o meio-campo e tem pézinhos, veio um ano mais cedo para o Porto mas a continuar assim é bom que Moutinho volte ao Moutinho que sempre nos habituou;
- Continuo muito expectante sobre Mangala, acho que tem um potencial inacreditável mas ainda parece um bocado imaturo na abordagem a alguns lances, de qualquer das formas é novo (dizem que tem 20 anos).

Venham os jogos a sério! Prata, vê o jogo e assume a crónica outra vez!

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

A Festa da Taça...

Vídes made in Basculação... FC Porto 5-0 Samora Correia (Taça de Portugal 86/87)...


Notas:
- É pena estar praticamente sem som...
- Destaque para assistência e para o golo do Casagrande... uma grande contratação da época... internacional brasileiro mas que esteve muito longe de pecar de estaca no FCP...
- Vermelhinho a deixar a sua marca com um bis na partida...
- Grande golo de Celso... parecia tudo menos um defesa central na jogada do seu golo...

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Cartões Amarelos e Vermelhos nos Treinos...

Iniciamos hoje uma nova rubrica no nosso blogue... Mourinho Moments...

Porque vai fazer 10 anos que arrancou a carreira vitoriosa de Mourinho (ou seja não contabilizo a carreira como treinador, mas sim o início da carreira como treinador vitorioso - 2002/03) no nosso FCP, aproveitamos para lançar esta nova rubrica que visa recordar alguns momentos, muitos deles que ficaram para a história, das flash interviews e conferências de imprensa deste senhor da bola no nosso FCP...

O primeiro desses vídeos reporta a Julho de 2002 e prende-se com o facto dele ter imposto cartões amarelos e vermelhos nas peladas realizadas nos treinos do FCP com o intuito de controlar a agressividade competitiva dos jogadores...

O que fiquei a saber sobre a selecção


Já não via um jogo da selecção há algum tempo. Tem calhado e a vontade também não é muita. Vi ontem e fiquei elucidado. Tudo na mesma. 

Rolando fez um jogo fraco quando comparado com o que faz do FCPorto. Mas se só tivessemos som, graças ao Conduto, ficaríamos a pensar que estava a fazer uma exibição terrível. Longe disso. Este Conduto pode saber onde os gajos nasceram, onde tomam o pequeno almoço e qual a frase com que pais engataram as mães dos jogadores. Mas de futebol percebe pouquinho ou então algo lhe tolda o julgamento. Em primeiro lugar ele está lá para relatar e o Tadeia para comentar. Por muito que não me interesse a opinião nem de um nem do outro, o Tadeia não é jornalista, é comentador e nessa posição até pode perfeitamente não ser isento. É pago para dar a opinião dele. Mas acho incrível como não foram usados os mesmos comentários depreciativos em relação às inenarráveis exibições de Postiga, João Pereira, Eliseu, Miguel Veloso. Passou-se directamente de uma exibição horrível de Rolando para uma exibição horrível generalizada. Carlos Martins não foi dos piores, mas é uma vergonha que seja titular e pior ainda que a alternativa seja o Ruben Micael. Pobreza... Não foi explorada a falta de cobertura defensiva que a opção Meireles a trinco traz num jogo de chuveirinho como o de ontem. Estiveram constantemente a insistir que Ronaldo não estava a jogar nada. Ora se ele não toca na bola não pode fazer milagres. Ou até faz, como o de ontem no último minuto.

Outra coisa que ficou evidente é que Queiroz não era o problema. Poderia não ser a solução, mas o problema, não era. Continuamos com um problema no banco e isso só se resolveu quando grande parte da equipa era formada pelo núcleo duro do FCPorto de Mourinho. Mas é ridículo como desde essa altura ninguém aproveita o potencial do melhor jogador do mundo (já sei que há portugueses que preferem o Messi mas é indiferente para o meu argumento). Poderia pôr-se a hipótese de ele não se empenhar nestes jogos, mas acontece exactamente o contrário. É que até parece que é difícil ser-se seleccionador de uma selecção destas. Não é! Basta ser humilde e não estragar o trabalho que é feito nos clubes. Simples não é?

Voltemos ao que interessa que é o FCPorto.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Como defender Hulk


Parece que alguém do Correio da manhã sonhou com a maneira perfeita de defender Hulk. É prendê-lo! Era doce...

PS: Imagino que Mourinho esteja atento aos desenvolvimentos. Poderá ser também a maneira de parar Messi...

Adenda:

Este Sandro Correia que segundo alegados relatos de um alegado processo, não pôde trabalhar durante 9 dias, é este menino de coro que agride gente em frente às câmaras dos jornalistas:


Agora em versão remix:

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Falta assunto, falemos do que tem sido o FCPorto 2011/2012


Ouvi Vitor Pereira a defender que a paragem era boa para limar algumas arestas. Pois, apesar da boa vontade do mister, acredito que não possa fazer milagres com a meia dúzia de atletas de que dispõe nestes dias. Falta-me também a mim tempo e assunto para ir escrevendo por aqui. 

Lembrei-me, no entanto, de fazer uma curta apreciação ao que tem sido esta época para o nosso FCPorto. Obviamente, abaixo das expectativas. A grande maioria dos portistas sente isto. Falta saber é se as expectativas não estariam inflacionadas. Eu até acho que sim. Ainda assim, julgo que já poderíamos estar melhor. Ainda se notam demasiado as saídas do treinador e do goleador. Quanto à questão do treinador, julgo que está com demasiada dificuldade em descolar do passado. Nota-se que ele não quer fazer tudo diferente, preferindo antes uma revolução gradual e silenciosa. No entanto, não tenho a certeza que as ideias estejam a passar para a equipa. Por um lado, falamos constantemente em posse, no modelo de jogo à Barcelona, mas eu não vejo a equipa a jogar assim. Vejo pouca paciência na construção de jogo, muito passe longo directo dos defesas, muito cruzamento disparatado e extemporâneo, por exemplo, do Álvaro Pereira. Poderá ser intranquilidade da equipa pelo facto de sentirem que ainda não estão no topo da suas capacidades. O que vejo é que, do que nos dizem que é a nossa maneira de jogar, apenas consigo apanhar a pressão alta que vimos pela primeira vez na primeira parte com o Barcelona. Temos visto isso em quase todos os jogos do FCPorto, mas parece que a equipa rebenta fisicamente nas segundas partes e um dos motivos pode ser esse.  Mais um problema, e este não pode ser totalmente imputado a Vítor Pereira. A nossa pre-epoca foi ridícula e muitos dos nossos jogadores nem a fizeram. Mas e os que fizeram a pre-epoca não chegam? Haverá motivos reais para que haja intranquilidade e se perca vantagens como a de Moscovo e a do Dragão frentes às papoilas saltitantes? Isto é trabalho de treinador e temo que, perante uma equipa que ganhou tudo, os jogadores ainda não tenham plena confiança em Vitor Pereira. Pior que isso, o mister não sente que a massa associativa esteja com ele a 100%. É óbvio que as substituições pouco ortodoxas não têm ajudado. Dá a ideia que são alterações programadas e que ele terá sempre planos B, C e D delineados quando, muitas vezes, o que se exige é que se 'toque de ouvido'. Depois, algumas opções deixaram a desejar. Lembro-me que o Ruben foi sempre titular antes de ir embora, quando havia Belluschi disponível. Há ainda a insistência em Cristian Rodriguez e a tentativa de fazer de Souza aquilo que ele não é e dificilmente será. O que temos de perceber é que Vitor Pereira chegou de forma inesperada  a esta posição e está acometer erros que eu até considero normais. Falta saber se está a aprender com eles e se ele próprio os identifica. Se nos diz que há coisas na nossa maneira de jogar que têm de ser corrigidas, isso é para mim um bom sinal. Veremos o nos trazem estes próximos jogos em casa.

Falei também na questão da substituição de Falcao, mas aqui a questão é diferente e nada tem a ver com o treinador. Não acredito que não tenha pedido um terceiro ponta-de-lança e não acredito que não se tenha tentado trazer um jogador para ser imediatamente titular nesta posição. Falhou-se e ficamos com o Kleber que, tal como Vitor Pereira, chegou precocemente à titularidade. Para mim está a evoluir muito bem e tenho grande esperança neste jogador. Mas não significa que a equipa não tenha ficado coxa nessa posição e que isso não esteja a ter influência no nosso jogo.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Pedroto


Não tenho Sport tv e não vi este programa sobre o segundo grande obreiro do grande FCPorto que temos hoje em dia: José Maria Pedroto. Ainda bem que o blog http://souportistacomorgulho.blogspot.com/ disponibilizou video para download:


password: dfernandes

Absolutamente obrigatório para todos os portistas, em especial aqueles que, como eu (que tinha 5 anos quando morreu), não puderam acompanhar a caminhada desta lenda.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Extremidades


O FCPorto está muito bem servido de extremos. Mas mesmo muito! Temos Hulk, James e Varela. E isso só bastaria. Por exemplo, nesta altura, Varela está a jogar pouco e conseguimos compensar este fraco momento de forma, com os outros dois artistas que até têm mais recursos que Varela que, já agora, nem é nada de se deitar fora. Quem dera muitos ter um suplente destes... Numa segunda vaga temos Cristian Rodriguez e Djalma. Ora estes dois não me satisfazem tanto. Não que não sejam jogadores acima da média. O problema é que o fosso entre eles e os outros três é gigantesco. Além disso, não esqueçamos que estão a tirar o lugar a jovens jogadores que muito prometem. Por exemplo, Iturbe que ainda não se estreou sequer nos convocados. Eu que já o vi jogar várias vezes, tenho a impressão que já tem qualidade mais que suficiente para aproveitar estes minutos que têm sido dados a Djalma e ao CR10. Não faria mais sentido que esta vaga de quarto extremo fosse dada a um jogador jovem em quem apostamos muito do futuro da equipa? 

Ainda por cima,  não é só o Iturbe que está tapado. Temos também duas pérolas que na passada sexta-feira vi jogar pelo Rio Ave. Começo por dizer que o Carlos Brito tem muita coragem em lançar os dois em simultâneo. Mas está a tirar frutos disso em termos futebolísticos. E digo isto porque, em termos de pontos tem sido um desastre. Está em último... Mas quem vê aquele jogo entre Setúbal e Rio Ave não pode deixar de ficar revoltado. Que crime lesa futebol!  O Rio Ave jogou um grande futebol com um azar tremendo na hora de finalizar e com um guarda-redes do Setúbal que se conseguia pôr à frente de qualquer remate, até mesmo se estivesse de costas. Uma coisa irrepetível... Ora nesta equipa pontificam dois extremos emprestados pelo FCPorto e era aqui que eu queria chegar. Recomendo que vejam jogos deles nos próximos tempos. Cristian Atsu já conhecia dos juniores, onde era o grande destaque da equipa campeã nacional na época passada. No entanto, em poucos jogos, demonstra já, além da rapidez que lhe conhecíamos uma maturidade invulgar. Muito objectivo, sem qualquer medo de assumir o jogo e sem grandes loucuras e individualismos. Depois há Kelvin. Surpresa total para mim. Tem uma técnica individual absolutamente primorosa. Qualquer bola cola naqueles pés. É certo que é um pouco mais indisciplinado mas tem 18 anos...

Cá fica mais uma crítica à construção do plantel. Atsu e Kelvin têm a sorte e o talento para mostrarem o que valem no Rio Ave. E Iturbe? Vale a pena ter o seu lugar tapado por jogadores que ainda nada fizeram? Tanto extremo para tão pouco ponta-de-lança...

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Para dissipar dúvidas


Óbvio que nem todas ficaram dissipadas. Apesar de tudo foram 3 resultados negativos seguidos. E isso notou-se bem nos primeiros minutos. Entrada em jogo a medo mas sem permitir grandes veleidades ao adversário. Fazia lebrar o jogo em Aveiro com o Feirense. No entanto, desta vez apareceu o golo de Walter e tudo mudou. A partir daí a equipa foi segura e chegou naturalmente a uma vantagem de 3 golos. É certo que depois se descansou um pouco, mas sem perder o controlo da situação. Assim fossem todas as deslocações. É de elogiar que uma exibição segura como esta venha no seguimento de 3 resultados negativos. Isso dá-lhe mais valor. Demonstra maturidade e confiança nas nossas capacidades. Poderíamos jogar como loucos em busca de golos deixando a nossa baliza à mercê. Mas isso é para quem tem algo a provar. Para já prefiro assim.

Havia quem tentasse fazer passar a ideia de que este jogo definiria o futuro de Vítor Pereira. Dava jeito, não dava? Ouvimos até o presidente das papoilas saltitantes a elogiar ironicamente o nosso treinador. Temos memória e sabemos quanto lhe custou ouvir o nosso Presidente a elogiar o JJ quando este estava em apuros no ano passado. Nota-se mesmo que tem uma obsessão por Pinto da Costa. Imita tudo o que pode. Qualquer dia arranja uma miúda brasileira... Óbvio que o futuro de Vítor Pereira estava em questão. Mas está em todos os jogos! É assim a exigência de representar este clube e o nosso mister sabe-o perfeitamente. E enfrentou este jogo com coragem. Escolheu Walter em quem parecia não confiar e escolheu Fucile que, depois dos últimos jogos, não era propriamente confiável... Fucile esteve bem e até participou no primeiro golo apontado por Walter na sua zona predilecta. Duas apostas ganhas e dois jogadores recuperados.  Aliás tal como aconteceu com Fernando que passou pelo banco enquanto não jogou o suficiente. Têm havido erros a apontar, e nós aqui, não nos ensaiamos muito em fazê-lo. No jogo de ontem, o mister esteve ao nível que se deseja e assim deverá continuar tendo sempre a consciência que tem muito que provar este ano.

Quanto ao jogo, pouco falta acrescentar. Walter abriu o caminho e a partir daí, soltaram-se os artistas James e Hulk, bem apoiados por Guarín e Moutinho. Esta gente consegue produzir muito futebol e de grande qualidade. Pena que no início do jogo estivéssemos entregues às bolas longas lançadas pelos defesas. Quem tem Hulk e James não pode jogar assim. Temos de arranjar maneira e eles participarem no jogo sempre. Assim seremos muito difíceis de parar. Individualmente não gostei muito de Otamendi. Vários passes errados e várias nabices. Álvaro continua a parecer-me cansado e tem muita dificuldade a defender avançados mais rápidos.

Não terá muito tempo para recuperar porque há jogos das selecções... Serão 20 dias sem campeonato. Incompreensível...

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Gomes a Bisar e Muitos Penalties para Comentar...

Vídeos made in Basculação... Académica 1-3 F.C. Porto (86-87)...


Notas:
- Jogos à tarde... estádios arrebentar pelas costuras...
- Gomes, à ponta de lança, a bisar...
- André aparecer em zonas muito avançadas... quase como 10, ou pelo menos um 8 muito ofensivo...
- Quem é o Paulo Ricardo?
- O último lance de penalty sobre o João Pinto é caricato... o que era preciso mais para ser marcado?

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Tentem não 'panicar'


É mau mas não estou certo que seja caso para isso. O resultado no outro jogo ajudou e duas vitórias sobre o Apoel deverão tornar mais fácil a passagem à fase seguinte. Adicionalmente, a equipa foi altamente condicionada por um erro individual, daqueles para os quais nenhum treinador tem o antídoto. Irão sempre acontecer e são erros capazes de virar um jogo por muito bem que esteja a correr.

Convenhamos que não era o caso. Chega de paninhos quentes. O jogo não estava propriamente com ascendente nosso, ao contrário do que a nossa entrada em jogo nos fez acreditar. Não gerimos muito bem o golo marcado e demos algum espaço para que o adversário fosse crescendo. Depois disso tentámos controlar apesar de não termos criado grande perigo. Depois vieram as contrariedades. Primeiro a lesão de Kleber, e mais tarde veio a expulsão. Paragem de cérebro óbvia que deverá ser premiada de forma semelhante à do ano passado, ou seja, uns joguinhos no banco e só regressa se Sapunaru estiver mal, o que é raro... Mas o facto de não termos Kleber na altura da expulsão acabou por ser ainda pior. Isto porque Vitor Pereira não teve coragem para tirar Varela depois de 10 minutos em campo. Era o que eu faria, visto que James era muito mais útil e é claramente melhor jogador, mas compreendo a opção. Poderia perder-se o Varela e a época não terminava ontem. Ao intervalo estava com receio. Não confiava que abordássemos o jogo como o da Turquia no ano passado em que ficámos com 10 muito cedo e ainda aumentámos a vantagem. E de facto aconteceu. Ficámos sem poder de fogo, com Hulk entregue a acções individuais, com um desastre de Varela, com médios perdidos e sem pedalada e com uma defesa entregue a si própria. Em suma, uma equipa rendida à inevitabilidade da derrota. E dirão que foram poucos os golos sofridos e é verdade. Mas não é esse o problema. É normal ser dominado quando se está em inferioridade numérica. O que não é normal é a apatia que a equipa demonstrou e que tem demonstrado, nomeadamente na segunda parte do clássico do Dragão. Agora sim, estou preocupado! Não me importa o resultado, já tínhamos 3 pontos e este adversário tinha zero e ainda vai ao Dragão e à Ucrânia. O que me importava mesmo naquela segunda parte era ver como a equipa reagia à adversidade. Dou-lhe nota zero! Muito trabalho a fazer com esta equipa neste campo. Nem tudo se vai resolver com tácticas e com o talento dos jogadores. Futebol é mais que isso.

Individualmente, nota mínima para Fucile. O resto da defesa esteve demasiado nervosa e Alvaro não consegue aguentar os jogos inteiros. Tem de descansar. No meio campo, Souza não dá a mesma segurança que Fernando e isso notou-se na segunda parte. Ainda por cima Moutinho estava estranhamente complicativo. Hulk então... No fundo não há destaques positivos. Talvez James e Kleber que jogaram antes da desgraça acontecer.

Só quero é que venha rápido o próximo jogo para que esta desconfiança desapareça. Pedro Emanuel deverá pagar as favas...

A parte boa (desta vez) está dentro da revista...

O que mais chama a atenção nesta revista costuma ser a capa...


Mas desta vez há uma referência muito positiva ao basculação que ofusca qualquer capa da revista J...


Da Rússia com Vitórias...

Vídeos made in Basculação... Jogos na Rússia...

CSKA Moskva 0-1 FC Porto (04/05) e CSKA Moskva 0-2 FC Porto (06/07)
(Liga dos Campeões)



CSKA Moskva 0-1 FC Porto (10/11)
(Liga Europa)


Spartak Moskva 2-5 FC Porto (10/11)
(Liga Europa)


Notas:
- Até agora só vitórias... e a última com goleada... esperemos que logo à tarde o desfecho se repita com a quinta vitória em todos jogos até agora disputados pelo nosso clube na Rússia... seria uma excelente prenda de aniversário para comemorar os 118 anos de vida...

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

A minha 'Ileção'

Depois de assistirmos ao episódio de pura classe em que o mestre da táctica recomenda a Álvaro Pereira uma visita às partes baixas da sua própria mãe (poderão confirmar aqui), tivemos hoje mais uma amostra da eloquência do 'Senhor'. Não contente com a, provavelmente irrepetível, felicidade que bafejou a sua equipa no jogo do Dragão (a que muito ajudou a nossa apatia), ainda se dispõe a explorar a ousadia da sua táctica e a insanidade dos riscos ofensivos que correu na segunda parte. É óbvio que não estou disponível para discutir lógica com tamanha sapiência. Não arrisco. Pode correr mal. Somos de correntes filosóficas completamente diferentes. Vou, jogar pelo seguro e pegar talvez no seu calcanhar de Aquiles: falar português! Vamos a isso. Eu até nem tenho dificuldade e tenho praticado, creio que, nos últimos 30 anos da minha vida. Tal permitir-me-á a ousadia de lançar um passatempo: Quantas cacetadas deu JJ na língua celebrizada por Eça, Pessoa e Camões? Para não dizerem que invento erros, deixo primeiro o vídeo e depois a transcrição com os erros sublinhados.

 
Solução: 8 em 30 segundos! 
«O Benfica do jogo das Antas, acabou o jogo com Cardozo, Saviola, Nico e Bruno e Axel, praticamente com cinco jogadores de características ofensivas. E quando se tira um ponta-de-lança e substitui-se pel'um médio, procuro quem é que mexeu na equipa para defender pontos? Vocês agora façem a vossa ileção»

Cá vai a minha ileção: Em primeiro lugar eu gostaria que toda e qualquer intervenção oral ou escrita deste senhor passasse a ser obrigatoriamente acompanhada de intérprete e/ou legendas. Adicionalmente, quer me parecer, e digo apenas que me parece dada a quantidade de estrangeirismos ou neologismos utilizados, que foi argumentado que as substituições de Vítor Pereira foram mais defensivas. Permitam-me a ousadia de responder à pergunta: o único treinador que substituiu um ponta-de-lança por um médio foi o JJ? Trocou Cardozo, o tal que terminou o jogo, por Matic. A outra alteração referida foi a de um ponta-de-lança por um extremo. Um extremo não é exactamente um médio. Por isso é que se fala no 4-3-3 em vez do 4-5-1... Arrisco dizer que este Senhor tem sorte porque os seus adeptos 'comem' tudo. E assim vão inchando...

domingo, 25 de setembro de 2011

Nova soneca, novo empate


A primeira soneca foi na primeira parte em Aveiro. Desta vez foi após o golo de Otamendi. Consigo até encontrar outros paralelos entre este jogo no Dragão e o jogo com o Feirense. Em ambos apanhamos um adversário medroso e em busca do nosso erro. Nada que não se estivesse à espera. O que não esperava é que Vitor Pereira voltasse a mexer mal a partir do banco. Mas já lá vamos.

O ambiente estava fantástico no Dragão. Não houve, com certeza, dificuldade em motivar as tropas para o jogo. E o jogo começou com o FCPorto a fazer o que lhe competia:  a carregar pacientemente sobre o adversário. Não tivemos muitas oportunidades, mas o suficiente para chegar ao intervalo com uma vantagem justa. Nessa fase destacaram-se sobretudo Hulk e Guarin. Bom golo de Kleber após um falhanço de bradar aos céus. Na segunda parte entramos um pouco mais moles. Hulk demorou a tirar uma bola da zona defensiva e procurou driblar quando se exigia um chuto para a bancada, e Nolito lá inventou  uma rosca que isolou um colega de equipa. Golo sofrido logo ao primeiro erro. Não foi difícil regressar à vantagem. O mestre da táctica não se preparou convenientemente para uma bola parada estudada pelo 'ex-colaborador' de Villas-Boas (palavras de sua iminência o JJ...) e golo. Talvez por ter sido tão fácil retornar à vantagem, deu-se um apagão. E é isso, mais que a desastrada substituição de Guarín, que é preocupante. No ano passado chegámos aos 5-0 porque nos recusámos a dormir sobre o resultado. Porque havia contas a ajustar. Julgarão que depois de um ano a dar sovas atrás de sovas às papoilas, que já não temos nada a provar? Que somos superiores só por aparecer? Pois enganam-se. Haverão sempre contas a ajustar e o estatuto que ganhámos sobretudo nos últimos 30 anos não se ganhou a descansar sobre a glória passada. Um resultado de 2-1 com este adversário significa que lhes permitimos festejar um golo no nosso estádio. É motivo mais que suficiente para continuar a carregar até que a vitória seja inequívoca! Se têm dificuldade em perceber isto vamos ter problemas este ano... Pelo menos que o segundo golo sirva de lição, já que não se aprendeu nada na semana passada. Foi Fucile que foi apanhado a dormir mas toda a equipa andava sonolenta nessa altura. A isso também ajudou o facto de se ter substituído o jogador que mais tentava espevitar a equipa. O que terá passado pela cabeça de Vitor Pereira? Estaria a ver um jogo diferente? É já a segunda vez que é apanhado em trapalhadas destas e não me parece que seja descabida a preocupação que temos vindo a sentir perante estes episódios. É que até no jogo da Supertaça Europeia, que terá sido uma noite de afirmação do nosso treinador, houve más decisões na altura de mexer na equipa. Esperemos que também ele aprenda com os erros. 

Individualmente, gostei de Guarín que voltou a ser o melhor e da primeira parte de Hulk. Fernando foi talhado para estes jogos e Moutinho não sabe/consegue jogar mal. Otamendi também esteve bem e até foi dos que mais tentou puxar pela equipa na segunda parte. Pela negativa, os laterais. Parecem cansados. Sei que Alvaro vinha de lesão, mas Fucile teve muitas dificuldade na segunda parte o que poderá denotar algum abaixamento de forma. Quem também não agradou foi o Hulk da segunda parte. Preocupante este comportamento bipolar do Incrível. Precisámos dele nestes jogos.

Quarta-feira volta a Champions. Começo desde já a pensar que tenho de arranjar maneira de conseguir assistir a um jogo às 17 horas em dia de trabalho...