terça-feira, 29 de novembro de 2011

Por falar em queimar coisas


Estou agora a recordar-me de um jogador que, pela exposição a que o treinador o submete com uma opção estapafúrdia, não tardará a ser queimado de vez. Falo de Maicon... É um acidente à espera de voltar a acontecer. E quando acontecer, veremos se ele volta a jogar na sua posição natural...

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

O campeão voltou?


Sinceramente não sei. Pelo menos o Hulk voltou. É essa a grande evolução desde Coimbra. Poderão dizer-nos que há mais vontade e até nos poderão dizer que estamos a jogar melhor. Comigo não cola. Em primeiro lugar porque já tomei este treinador 'de ponta'. Será muito difícil que ele me reconquiste. E digo-vos que gostaria muito que isso acontecesse. Não me importaria nada de estar errado em relação às capacidades de Vitor Pereira. Julgo que não estou. O que vejo em campo é o exacto oposto do FCPorto que tínhamos no ano passado. No ano passado chegou a comparar-se o nosso futebol de posse com o do Barça. Que longe que estamos hoje... Repararam com certeza nos lançamentos longos constantes com a bola directa nos avançados, sobrevoando os médios. Os lances mais perigosos são sempre as transições rápidas. Em futebol apoiado não sai nada. Não que me choque esta forma de jogar. Simplesmente, não foi isto que me foi vendido por Vitor Pereira. Se bem me lembro era para se seguir o rumo do ano passado. Dificilmente poderíamos estar mais longe...

Vamos ao jogo. Complicado mas resolvido pelo Hulk sempre que a coisa começava a apertar. Uma frase basta. Hulk que até nem estava a fazer uma grande exibição. Algo trapalhão no inicio. Recuperou a tempo e ainda bem. Individualmente, gostei também do Fernando. Tem sido o jogador mais consistente da equipa. Ele e Hulk. Quem diria... Depois gostei do Moutinho Belga. Injusta a sua substituição e, mais uma vez, notou-se alguma quebra de produção depois das mexidas de Vitor Pereira. Não acerta uma... Voltei a não gostar do James. Com este rendimento e com a sua reacção à substituição, não me choca que passe pelo banco. Por outro lado seria injusto visto que Hulk fez o mesmo.

Pena aquela quebra no final. Os 3-0 seriam mais motivadores. Gostei do Dragão. Muita gente até do Braga. Último destaque para o árbitro. Esteve bastante mal. Ainda bem que não teve influencia.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

FC Porto 3-0 SC Braga (Campeonato Nacional 1989/90)...

É o número 10...

O clube que mais amei foi o Porto. Sempre sonhei jogar no Barcelona, e acabei por conseguir, mas a minha paixão é pelo Porto. Não sonhava jogar lá, mas a vida levou-me para lá e eu apaixonei-me.

Melhor que um jogador do Porto dizer que ama o clube (porque parece sempre um puxa-saco) é ouvir isto dum antigo jogador do Porto... e logo o Mágico!


quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Vamos Porto!!!


 Grande vitória! Hulk é enorme! Helton fez o impossível! A Champions volta a fazer parte dos objectivos. Até podemos ficar em primeiro lugar. Será assim tão absurdo que o Apoel perca em casa com os ucranianos? Bem... Relendo estas primeiras frases consigo perceber algum entusiasmo a mais... Vou seguir a minha regra numero 1 das postagens, que é a de não escrever em cima do jogo. Volto daqui a umas horas.

...

Pensando bem, a coisa não mudou assim tanto. Foi um jogo descontrolado em que a vitória poderia ter ido para qualquer dos lados. Óbvio que quem tem Hulk, está mais perto de ganhar um jogo destes. Além disso, a atitude da segunda parte já se coaduna com os pergaminhos da nossa casa. Quando assim é, a coisa tem de correr melhor. Mas não convém esquecer que o factor aleatório do jogo só acontece porque ainda temos uma equipa incapaz de controlar o jogo. É certo que não esperava que o fizesse depois dos últimos resultados. Pelo menos que o fizesse a espaços... Isso não aconteceu. Parabéns à equipa, boa viagem de regresso, o Vitor está seguro para já, mas não convem esquecer que isto está longe de ser o FCPorto que se exigia nesta altura da época.

Vamos à equipa. Vitor Pereira fez o que grande parte dos treinadores faz quando se vê encostado à parede: inventou. Não que as invenções tenham corrido mal. Hulk a ponta-de-lança foi o melhor em campo. Grande exibição! Defour também jogou muito bem apesar de a sua entrada resultar num deficit de criatividade no meio-campo. Djalma também não desiludiu. Também não me entusiasmou... Até a repetição da invenção de Maicon como lateral direito correu melhor, sobretudo porque o Shaktar encosta na esquerda um médio de organização que tende sempre a vir para o meio... Não quero com isto dizer que acho a mínima piada ao onze escalonado. Acho um síndrome de pequenez que não gosto de ver no meu FCPorto. Correu bem... Adiante. Juntamente com Hulk gostei da exibição de dois brasileiros: Helton que nos segurou no jogo e Fernando que parece talhado para estes 'thrillers'... Num segundo plano gostei de Defour, Moutinho e Alvaro Pereira. Menos inspirado esteve James que, no entanto, tinha uma missão ingrata de segurar jogo longe da baliza para fazer o último passe para Djalma e Hulk. Não conseguiu.

Em suma, esperemos que esta vitória pelo menos reacenda a chama. Pode ser que a coisa evolua a partir daí. Domingo os jogadores já não estão na 'montra' da Champions... Mas há que atacar com a mesma atitude o primeiro lugar isolado, depois de assistirmos de cadeirão ao clássico da TV a preto e branco...

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Não Vou à Tropa...

Vídeos made in Basculação... Dínamo de Kiev 1-2 F.C. Porto (86-87)...



Notas:
- O título do post é a frase mais gritada por Paulo Futre no final deste jogo, episódio que recentemente contou no seu livro:

"Tinha de ir para a tropa em Maio, mas o Pinto da Costa fala com o Ministro da Defesa e chega a acordo que se o FC Porto fosse à final da Taça dos Campeões Europeus eu só ia no próximo turno. Quando joguei a meia-final queria lá saber da final, queria era livrar-me da tropa, tinha o cabelo por aqui [aponta para os ombros]. Os meus colegas a festejar ‘vamos à final!’ e eu a gritar ‘não vou à tropa’. Se perdêssemos em Kiev, oito dias depois tinha de estar em Castelo Branco. Depois surgiu o Atlético de Madrid, era a segunda operação mais cara de sempre no futebol, eu e o Pinto da Costa sabíamos que tinha de ir para a tropa 16 meses e eu ali caladinho a rezar que ninguém falasse nisso, senão já não havia contrato."

- O resumo mostra bem a vontade de Futre... duas arrancadas nos primeiros minutos... a segunda a dar uma falta que origina o primeiro golo da partida...
- A estrelinha da sorte no livre de Celso...
- Gomes, oportunista, a colocar o FCP praticamente na final... depois daquele golo o D. Kiev precisava de 4 golos para chegar á final...

O homem tem cláusula


Muitos falam em despedimento, mas não é de descartar a saída pela cláusula de rescisão. São só 18 milhões de euros! Se há quem dê mais de 8 milhões pelo Roberto...

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Mancha Negra...



Só porque o Prata pediu seguem uns bitaites do jogo da Taça...

Haverá melhor equipa para nos espetar 3 do que a Académica? Uma equipa que veste de preto e nós há tanto tempo para andar de luto... Eles tem a Mancha Negra e nós é que somos uma nódoa... Eles levaram um treinador e nós ficamos com o Vítor Pereira e um gajo de bigode no banco... Enfim, tentemos ver as coisas pelo lado positivo, com tanta crise são umas dezenas de euros que poupamos lá para Maio e já há 3 anos que íamos para a mata do Jamor...

Quanto ao jogo, que pena não termos jogado com a 3ª linha e assim termos desculpa para o descalabro, não, só trocamos o guarda-redes. Pela enésima vez esta época tornamos a entrar mal na partida, tornamos a dar 45 minutos de vantagem ao adversário, tornamos a fazer tudo o que de mal temos vindo a fazer esta época.

Eu até aceito que o Maicon jogue a defesa-direito, agora não posso admitir é que um treinador obrigue um central de raíz adaptado a defesa-direito faça o mesmo papel dum Álvaro Pereira, Fucile ou Sapunaru... Ir à linha cruzar??? Pedir a um central que faça isso??? Que faça parte das jogadas ofensivas no último quarto do terreno de jogo??? A um central adaptado a defesa-direito?!?! Parece que estou a ver o Picanha a gritar 'Cruza Maicon, cruza!' e o Maicon com aqueles pés 'Cruzar? Só se for os braços...'.

A isto, meus amigos, chama-se queimar um jogador. Ao Maicon, o que se podia pedir era: "Chegas à linha do meio-campo e STOP, não avanças mais, fecha o meio que o Otamendi descai mais um bocado para a esquerda e o Álvaro pode avançar o que quiser já que este ano ele também não quer defender muito".

Portanto, o Maicon é queimado pelo treinador e como se não bastasse queima-se a ele próprio com erros infantis naquilo que ele devia saber fazer melhor, ou seja, defender.

Isto, claro, não explica o tédio daquela primeira parte. Eu mandei sms a dizer que era uma tortura ver o Porto, talvez masoquismo fosse melhor. Lentos, sem princípios de jogo, a quererem resolver tudo sozinhos porque ninguém dá uma linha de passe, o Walter não segura uma bola de costas para a baliza, o Hulk deixa-se antecipar, ninguém vai apoiar o Hulk, Belluschi e Moutinho sem ponta de entendimento e, principalmente, uma equipa sem vontade e sem querer. Assim, não dá...

Na segunda parte entramos melhor e o guarda-redes suplente da Académica faz uma defesa estupenda a remate de Fernando. Pouco depois o James entra e ainda por cima para a frente do meio-campo e pensei mesmo que a equipa iria dar outra imagem, até já só estava com medo de não conseguirmos evitar a lotaria das grandes penalidades... Que optimista que sou...

Académica faz o 1-0. 'Rápido, faz duas substituições, tira o Maicon ou o Otamendi ou o Rolando, sobe a equipa para uma pressão alta com mais 1 ou 2 jogadores lá na frente e não deixes a Académica sair a jogar para o contra-ataque, obriga-os ao chutão para a frente para perderem rápido a bola e começarmos a construir jogo!'

Ou então tira o Varela e o Moutinho, perde o meio-campo e deixa-os jogar à vontade e encarar a nossa defesa fortíssima no 1x1 em velocidade...

Época muito parecida a 2004/05 só que desta vez não vendemos metade dum plantel sobreavaliado e nem sequer andamos com trocas de treinadores durante a pré-época...

domingo, 20 de novembro de 2011

E começou...


Não poderei fazer uma crónica do jogo porque não o vi. Poderei apenas escrever sobre o que vi num resumo e o que li nas muitas sms's que recebi a partir do momento em que a Académica marcou o primeiro golo. Não posso deixar de concluir que nada do que se viu neste jogo surpreende. Isto porque se trata de uma evolução natural perante as evidências de que temos vindo a falar aqui no blog. Passo então a listar:
- A ausência de ideia de jogo é tal que era apenas uma questão de dias até que se perdesse o primeiro jogo entre portas. Para estas equipas a estratégia é do mais simples possível: jogar para o 0-0 até aos 60 minutos e depois esperar o erro para ganhar. Em Olhão o erro não surgiu. Em Coimbra, os erros não faltaram...
- Já aqui tínhamos avisado que Maicon era a pior solução possível para defesa direito. Confirmou-se e, mais uma vez, era uma questão de tempo.
- Os jogadores não estão com o treinador. Dirão que a culpa não é dele e que os gajos são uns mercenários que só querem dinheiro. Errado! Com um bom líder não há grupos amotinados.
- Era uma questão de tempo até que começássemos a perder títulos. O primeiro já foi. Este ano não vai haver pic-nic na mata do Jamor. Será que quarta-feira vai a Champions? Será que vai a Liga Europa? E no fim de semana, vai o campeonato? Bem, isso não deve ser para já. Mas tal como na Taça, será uma questão de tempo. Isto se continuarmos à espera...

Custa admitir uma aposta errada. Sobretudo para quem acerta 90% das vezes. Mas a evidência é tanta que começa a parecer casmurrice...

PS: Pis, tu que viste o jogo, já escrevias aqui qualquer coisinha... Eu sei que custa relembrar, mas vê lá isso.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Voltamos dentro de instantes




O interregno para as selecções e a gritante falta de tempo de que tenho padecido têm-me afastado aqui do nosso tasco cibernético. Não tendo grande assunto, apraz-me registar o bom desempenho da nossa malta ao serviço das suas selecções. Guarin marcou um dos seus golaços, James foi o melhor em campo, Moutinho fez dois bons jogos, Hulk começa a convencer a terra do samba e até Alex Sandro jogou a titular pelo Brasil. Espero que a equipa ganhe com o 'boost' de moral que estes desempenhos trazem. Vitor, aproveita e já sabes que apesar de nós aqui não estarmos contigo, te desejamos a melhor sorte. É que a tua sorte está intimamente ligada com a do nosso FCPorto...


Para terminar esta curta posta e no seguimento do post do Pis, apraz-me registar que as papoilas continuam a alienar uma considerável franja de adeptos que tinham em Braga. Até o Eusébio entra numa festa onde a inteligência já transbordava... Com certeza que preferem expandir-se por territórios ultramarinos. É mais fácil agradar a gente que os vê jogar uma ou duas vezes por ano...

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

“Preto de merda”

Há coincidências brutais. Na semana em que Javi passa dos cotovelos e agressões a atitudes racistas, a Confederação do Desporto em Portugal decide atribuir o mais alto galardão – Prémio Alto Prestígio – ao Sporting e ao Benfica pelos «particulares laços desportivos com os países que têm o Português como língua oficial».

É claro que esta justificação da Confederação do Desporto em Portugal só veio depois do Porto demonstrar alguma surpresa através do seguinte comunicado:

A Confederação do Desporto de Portugal realizou a sua gala anual esta semana no Casino Estoril. Para além de uma série de desportistas premiados pelos seus desempenhos no último ano desportivo, entenderam os responsáveis atribuírem o prémio Alto Prestígio ao Benfica e ao Sporting.

Estas distinções valem sempre o que valem, mas não deixa de ser surpreendente e estranho que os responsáveis pela Confederação tenham distinguido dois grandes clubes de Lisboa e tenham esquecido, por exemplo, os finalistas da última Liga Europa, FC Porto e Braga, os dois clubes que nos últimos anos mais têm feito pela imagem internacional de Portugal.

Pela primeira vez dois clubes portugueses disputaram uma final europeia, pela quarta vez nos últimos oito anos uma equipa portuguesa venceu um troféu internacional – e só para recordar o quão difícil é vencer competições internacionais basta recordar que os agora distinguidos venceram troféus internacionais há 47 anos (Sporting) e 49 anos (Benfica) – mas os senhores da Confederação do Desporto de Portugal decidiram homenagear esses emblemas com o prémio Alto Prestígio.

Desconhecem-se os critérios de tais escolhas, necessariamente muito criativos, mas para os mais desatentos convirá também recordar que caso queiram retirar o futebol e concentrar a argumentação nas chamadas modalidades, o FC Porto venceu todas e até tem uma equipa (hóquei em patins) que há dez anos consecutivos conquista o campeonato nacional, mas isso ainda deve estar no “quase prestígio”, longe de atingir o épico “alto prestígio”...

É este funcionamento em circuito fechado, alheado da realidade, que o FC Porto continuará sempre a denunciar e a combater. Para ao menos no Desporto o país ser realmente do Minho ao Algarve, sem esquecer as regiões autónomas.

domingo, 6 de novembro de 2011

Tem a palavra o Presidente


Continuamos a jogar à FCPorto. Pelo menos temos jogado com o equipamento principal... Tudo o resto é exactamente o oposto do que é jogar à FCPorto. Que mais há a dizer? Presidente, resta a conversa de fim de relação: Vitor... Desculpa lá. Esta conversa é desconfortável. Eu sei que és portista e tal... Que andas a trabalhar duro e como nunca trabalhaste na vida. Não és tu que estás mal, é o FCPorto... Sabes que nos últimos tempos desenvolvemos um certo estado de exigência à qual tu nunca poderás chegar por muito que tentes. Mais uma vez, não és tu... Vamos ser apenas bons amigos...

Falemos do jogo. Mau. Péssimo. Pouquíssimas oportunidades de golo, muito pouco futebol, jogadores que oscilam boas exibições, com más, depois razoáveis e depois péssimas. Só Fernando parece estar em forma. Hulk não está mas tenta como ninguém e até começa a parecer injusta aquela substituição no Dragão. É dos menos culpados. Desta vez Mangala não agradou. Moutinho é uma sombra do que pode ser e, pela flash interview, até parece que desaprendeu o que é futebol. E o Vitor continua a destruir a partir do banco. A opção por Maicon é risível dado que todos sabemos que Otamendi tem rotinas na posição. Enfim, nem fizemos por merecer os muitos erros de arbitragem que nos prejudicaram. Conto uma expulsão perdoada e dois penaltis não marcados.

Espero que o facto de nos mantermos à frente não tolde o julgamento dos dirigentes quanto ao futuro da equipa. Todos sabemos que estamos em primeiro e que até na Champions temos hipóteses de passar se ganharmos os próximos 2 jogos. O problema é que não jogamos nada. E isso é preocupante quando olhamos para o plantel e, tirando Falcao, estamos muito melhor servidos que no ano passado. Não se admite chegarmos a esta altura e não conseguirmos distinguir uma ideia de jogo. Ou percebemos que isto não funciona e corrigimos a tempo, ou adiamos a decisão e vamos passar esta época a sofrer lentamente até ao adeus final aos títulos mais importantes. Haja coragem!

sábado, 5 de novembro de 2011

Lição de futebolês

Chicotada psicológica - Despedimento de treinador de forma a que a equipa inverta um curso de maus resultados e más exibições.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

O Guarin não percebe

O homem queixa-se que «não entende Vitor Pereira»... Já vimos coisas destas no twiter, no facebook, em entrevistas do paizinho ou, mais vulgarmente, em entrevistas de empresários. Não querendo defender a opção do treinador, nesse campo julgo que o meu post anterior foi claro, deixo aqui um vídeo em que o próprio Vitor Pereira poderia deixar de perceber porque insiste em dar minutos a um jogador que não corre por ele e pela equipa.


Reparem logo no inicio que Guarín era o jogador mais próximo de Alvaro Pereira quando este perde a bola. De seguida e ainda a trote, olha para o jogador que se desmarca na esquerda e apenas acelera o passo quando a bola já lá está.

Será que o Guarín irá perceber que são atitudes destas que faziam com que ele, há um ano, fosse apenas um jogador 'exótico'? Não percebes Guarín?

Longe de mim tentar pôr as culpas da derrota num jogador, mas tinha de ser logo ele a reclamar? Não resisti...

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Treinador de transição engolido por treinador de transições


E não foi a primeira vez. Estou farto de pôr paninhos quentes neste FCPorto de Vítor Pereira. É triste constatar isto mas não temos outra hipótese. Não jogamos nada e fizemos 3 bons jogos esta época. Mesmo quando ganhamos, há sempre algum senão, alguma trapalhada. Pior que isto tudo é o facto de a equipa não ter confiança nela própria. O FCPorto de hoje em dia é de uma banalidade que se resume numa multiplicação lenta e pachorrenta de passes laterais até que se solte Hulk ou Alvaro Pereira, para que estes tirem algo da cartola. Nada mais. E este Apoel é uma equipa fraquíssima e de um nível médio/baixo no nosso campeonato nacional. E só não nos ganhou duas vezes seguidas, porque não calhou. Sei que dificilmente este treinador não terminará a época. Não é muito habitual despedirmos treinadores e acredito que com estes jogadores é difícil fazer muito pior. Por isso, devemos continuar a ganhar no campeonato e devemos manter uma distância relativamente curta para os da frente e até é provável que lutemos pelo título nacional. Também, mau era... É até possível que a equipa se empolgue com os resultados na Liga Europa, se é que ainda vamos lá parar. Uma coisa ficou hoje clara para mim: esta é uma época de fim de ciclo e este é um treinador de transição. Como tal, convém começarmos a preparar a próxima época.

Quanto ao jogo, nem me quero alongar. Do pior que tenho visto contra uma das equipas mais limitadas que defrontamos na Champions nestes últimos anos. Pequeno problema: os gajos correm muito mais. Querem ganhar. Nós... Bem. Nós, nem por isso... Só Fernando escapa à razia.

Basta Um Assim...

Vídeos made in Basculação... Apoel Nicosia 0-1 FC Porto (2009-10)...


Notas:
- Vitória sofrida... já perto do fim que valeu 3 pontos... mais do que tudo, é o que precisamos para logo... os 3 pontos...
- Grande Golo de Falcao... excelente movimento e finalização...
- Gosto de ver o FCP com calções brancos... "paneleirices" da minha parte... :)