quarta-feira, 31 de março de 2010

O Presidente falou!!!


Ufa! Finalmente ouvi o presidente. Já começava a pensar que estava a perder fôlego.(não, não estou a falar dos rumores da relação com uma miúda mais nova) Sobre a entrevista do nosso grande Presidente, Pinto da Costa, tenho a dizer o seguinte:

- Primeiro destaque: a recandidatura. Trata-se de um anúncio importante apesar de não constituir a mínima surpresa nesta altura. É óbvio que não ia abandonar o clube depois destes anos de constantes ataques subterrâneos do nosso arqui-inimigo Benfica. Pareceu até mais um truque inteligente para que a sua entrevista ultrapassasse outra simultânea em termos de impacto mediático. Mas fica a confirmação.

- Depois começou por referir que Jesualdo tem contrato até ao próximo ano. No entanto, deu a entender que no final da época haverá uma conversa tal como houve no ano passado. A diferença é que no ano passado Jesualdo estava com o contrato expirado... Também aqui não haverá novidades visto que todos estamos convencidos que a mudança de treinador é inevitável.

- Quanto aos jogadores anunciou que já está a trabalhar na próxima equipa e falou de sangue novo. Medo! Sangue do tipo Varela e Falcao ou do tipo Valeri, Prediguer? É que se for do segundo tipo cheira-me que vamos precisar de transfusão logo em Janeiro...

- Foi confirmado que houve contactos com Jorge Jesus mas que se recuou provavelmente após o brilharete da equipa e de Jesualdo em Janeiro e Fevereiro de 2009. E isto até Luís Filipe Vieira confirmou noutro canal à mesma hora. Por falar nessa entrevista. Probrezinho! Nem tanto por causa do Miguel até porque se torna difícil entrevistar alguém que não tem qualquer tipo de capacidade argumentativa lógica. Se quando se lhe pergunta se aprova o comportamento dos Stewards no caso do túnel estando provado que eles provocaram, ele insiste que isso não está provado, que mais há para perguntar? O homem ia jurar mesmo que se lhe pusessem os acordãos à frente... Gente limitada é assim. E depois vêm aquelas banalidades. O FCPorto ganhou por causa dos árbitros. «Mas quais foram os campeonatos?» Resposta: alguns, muitos! Brilhante! Como rebater tal argumento? Leva a bicicleta... Mas não deixou de se enterrar: o Miguel lançou-lhe a cilada e ele concordou que no caso das vitórias da equipa de Mourinho não havia mácula. Esqueceu-se que o seu amado processo do Apito Dourado diz respeito exactamente a essa época. Pena o Miguel não o ter recordado disso imediatamente. A única coisa que se aproveitou foi que ficámos a saber como é que ele pensa ter capital para evitar o agravar definitivo da situação do clube: Direitos televisivos. Espero que nessa altura estejamos atentos porque nisso não conta apenas as audiências aos jogos. Por exemplo, a nossa marca a nível europeu é mais valiosa em termos de negociação de direitos de transmissão para o estrangeiro. Mas neste ponto confio na nossa Gestão.

- Quanto ao Apito Dourado, nada de muito relevante. Nem a entrevistadora fez perguntas interessantes, até porque o assunto já está mais que discutido, nem as respostas foram inequívocas nomeadamente ao que respeita ao conteúdo das escutas. Ouviu-se apenas um, 'nem percebi do que é que ele estava a falar' relativamente à escuta do 'caso da fruta'. Poderia ser mais concreto e rebater, mais uma vez, e ponto por ponto. Mas de facto o trunfo das vitórias nos tribunais comuns e da derrota da Super-equipa de Maria José Morgado faz com que haja poucos argumentos por parte dos acusadores para além das questões éticas. Até eu levanto essas questões e já o disse aqui. É óbvio que não me parece bem um empresário de jogadores ser visita de casa do meu presidente e acho prejudicial para o clube em termos de posição negocial. E também acho mal que um árbitro vá lá no dia anterior a um jogo nem que seja para desparasitar um dos canídeos do presidente e esse seja esse o seu trabalho. Daí até ser crime e usar o dinheiro dos contribuintes ao máximo para chegar ao final e reunir provas circunstanciais contraditórias e que nada aproveitam a uma acusação com potencial minimamente vencedor, vai muito. E a questão poderia ter sido posta assim. E depois ainda há a questão de o apito só apitar a Norte e aí gostei daquela graçola, que até já conhecia, do maluco . De facto ele já lá esteve, já foi escutado durante 7 meses e não foi condenado. Já outros, se por lá passarem...

- Por último o ponto que gostei menos. Quanto ao apito encarnado só foi apresentada a questão dos apoios ilegítimos da Câmara Municipal de Lisboa. Só? E o Estoril-Gate? E o caso das pagamentos ao fisco com apresentação como garantia de acções sobre-avaliadas de uma SAD que na altura nem estava cotada? Tanta coisa que podia ser falada e nada. Muito pobre.

PS: quanto à entrevista do Pavão, não comentarei porque nem vi. É o estrebuchar da criatura...

terça-feira, 30 de março de 2010

Alguém sabe do que ele está a falar?

Ok, o título não é de grande originalidade, mas que querem se é de Octávio que vamos falar? O palmelão deu uma entrevista muito engraçado ao 'i'. Vamos ficar com algumas (muitas) pérolas...

Sobre António Oliveira: Quando o FC Porto foi campeão nacional em 1978, ao fim de 19 anos de seca, eu e ele jogávamos juntos. Você nem imagina o que ouvi da boca dele! No jogo do título, com o Benfica, a três jornadas do fim, eles marcaram primeiro, num autogolo de Simões, logo aos três minutos, e o Oliveira disse--me que aquilo tudo ia dar para o torto, que havia um cemitério debaixo do Estádio das Antas, que teríamos um azar eterno. Mas empatámos aos 83', por Ademir, e sagrámo-nos campeões na última jornada [4-0 ao Braga, com golos de Oliveira, Octávio e Gomes, 2]. O Oliveira sempre foi assim, um complexado, com a mania do outro mundo. E nem lhe conto o que ele fez para festejar o título. Enquanto os jogadores esforçados, batalhadores e guerreiros do FC Porto festejavam o título nacional de 1978 em suas casas e junto das suas famílias, porque na altura não havia cá autocarro de dois andares nem passagem pela câmara municipal, o Oliveira exibia-se na Avenida dos Aliados, com o seu descapotável. Ao seu lado, Fernando Gomes, o bibota, e Quinito, uma jovem promessa em quem Pedroto sempre depositou enorme esperança, sem os devidos resultados. E eles os três a curtir o título num descapotável. Eu e o Oliveira sempre tivemos filosofias de vida e desportivas completamente incompatíveis.

E quando o Oliveira era seleccionador e o Octávio treinador no Sporting? Não nos entendíamos. Mas a culpa é dele; evitava-me. Certa vez, mandou um adjunto dele chamado Joaquim Teixeira, que até é meu amigo, ao Sporting e ele lá apareceu a perguntar por mim, na 10-A [a mítica porta por onde entravam e saíam os jogadores do Sporting, antes e depois de cada treino e jogo]. E eu disse ao porteiro que devia ser engano. Se era o adjunto da selecção nacional, devia querer falar com o adjunto do Sporting e não comigo. Por isso indiquei o meu adjunto Vítor Damas para falar com ele. Então o seleccionador nacional não quer falar comigo sobre os jogadores do Sporting e manda o adjunto?

Artur Jorge e os adjuntos que devia escolher na Selecção: ele disse-me ao telefone: 'Não quero o Jesualdo, ele que vá para outro lado, para porteiro, sei lá. Aqui não. Quero o Octávio.' Mas, no meio desse convite, o Artur Jorge sugeriu-me, como sabia que havia um quid pro quo entre mim e os Oliveiras, que eu concedesse uma entrevista a dizer bem deles para facilitar a coisa. E eu nada.

Juary no dia da final de Viena: Ai o Juary. Bom rapaz mas caiu em algumas tentações. Era o nosso Joker, aquele que entrava e desbloqueava um empate. Mas ele era danado para a brincadeira. Então quando o vi a descer as escadas de manhãzinha, no dia do jogo com o Bayern Munique, percebi logo que ia haver confusão. Fui atrás dele e apanhei-o na sauna, em animada conversa com um empregado do hotel, que também era brasileiro. Dei-lhe uma daquelas broncas. Ele ficou cá com uma azia.

Era o Octávio que controlava os jogadores? Ia a casa deles e telefonava-lhes? Ainda não havia telemóveis, senão... Ah, ah, ah! A única vez que fui a casa de alguém foi à do Futre. Sabe, ele gostava muito de dormir e, uma vez, disse ao enfermeiro do FC Porto que não ia fazer o tratamento à tarde. Quando soube disso, arranquei para a casa dele, tirei-o da cama com o toque de campainha e disse-lhe muito simplesmente: "Olha Paulo, vou ali beber um cafezinho e quero ver-te nas Antas quando chegar lá, daqui a nada." Dito e feito. De resto, nunca fui um espião nem nada parecido.

E quando o Jorge Costa atirou a braçadeira para o chão? Quem? Ah, a fotocópia. Pois é, a fotocópia. Por muita qualidade que tenha, a fotocópia nunca é igual ao original. Nesse aspecto, o João Pinto [capitão do FC Porto nos anos 80 e 90] ganha ao Jorge Costa por 200 a zero. O problema do Jorge Costa não era só um. Chamavam-se Jorge Andrade e Ricardo Carvalho. E depois Ricardo Costa, e depois Bruno Alves. Mas sobretudo Ricardo Carvalho, que era emprestado aqui e ali e nunca se fixava no FC Porto. Quem o segurou lá? Ah pois é [Octávio Machado]! E diga-me lá se o FC Porto não o vendeu ao preço de um avançado? Porque 30 milhões de euros para um defesa é muito. Mas o Jorge Costa é mentiroso. Nesse dia da braçadeira, não falei com ele mas ele disse à imprensa que tinha empatado 0-0 [numa alusão ao resultado do jogo aquando da substituição]. Mentira, ganhámos 3-0. E para quê aquela coisa toda? Ele no jogo seguinte, com o Celtic, para a Liga dos Campeões, foi titular. Portanto não perdeu o lugar naquela tarde, com o V. Setúbal. Foi depois, e porque os outros dois davam-me mais garantias. Mas disse-lhe a ele, à frente de todos os jogadores, no balneário, para explicar o gesto da braçadeira. E o Jorge, nada.

Jorge Costa e as provocações: Ele era conhecido como o bicho. Eles [companheiros de equipa] lá saberão por quê! Eu não vi nada do bicho. Há para aí muitas espécies de bicho. Ele provocava-me indirectamente. Uma vez foi à selecção com o Capucho, para um jogo fora do país. Disse-lhes para dormirem em Lisboa e só voltarem ao Porto no dia seguinte. Não fizeram nada disso. Chegaram ao Porto a altas horas da madrugada, via Lisboa, e lá estavam no treino, às 8h30. Isto são pequenas provocações. Manda quem pode, obedece quem deve. Tínhamos de preservar a capacidade de recuperação dos dois e eles provocaram-me. Não desejo que ele [agora treinador do Olhanense] tenha um Jorge Costa no seu plantel. Por isso é que o Pintinho [Pinto da Costa] recuperou o João Pinto e outras antigas glórias, como o Fernando Gomes, o Vítor Baía, o Rui Barros. O Pintinho foi buscar os pesos-pesados para ver se levanta o FC Porto.

FC Porto de Pinto da Costa ou de Pedroto: De uma vez por todas, ponham isto na cabeça: o FC Porto de hoje é o FC Porto do Pedroto. Foi ele que criou os alicerces deste clube, e não o Pinto da Costa. Alimentaram, e aqui eu também faço uma autocrítica, a criação de um Deus, de um ser todo-poderoso. Todos pensávamos que ele ia resolver todos os problemas, mas não. Transformou-se e já não é aquele senhor com quem travei batalhas importantes no final dos anos 70 e início dos 80.

Transição para José Mourinho: Sim, claro, então tinha de dar entrada ao Special One [José Mourinho], que mal entrou disse que o FC Porto só tinha cinco jogadores. Então estou ilibado de qualquer acusação de maus resultados. Não ganhei, porque só tinha cinco jogadores. Mas ganhei, sim senhor. Na época anterior, o FC Porto falhou a Champions, eliminado pelo Anderlecht. Na minha época, fizemos 16 jogos na Champions e ganhámos a Supertaça portuguesa, os dois objectivos traçados na pré-época. Conseguir isso com cinco jogadores, como diz o Special One, é muita fruta.

E no Sporting, quem era a ovelha negra? A parte má daquele clube era o Norton Matos e Cª. Quando cheguei ao Sporting, os jogadores iam para os treinos como se fosse uma escala para as inaugurações das lojas, tantos eram os convites que recebiam para inaugurar isto, apresentar aquilo. Acabei com isso e sugeri aos jogadores que negociassem prémios de jogo por vitória. Eles aceitaram de olhos fechados e isto define um grupo. Na pré-época seguinte, Simões de Almeida [dirigente do Sporting] e Norton de Matos foram a Lamego negociar os tais prémios com os jogadores, à minha revelia. Na primeira jornada da Liga dos Campeões, ganhámos 3-0. Sabe a quem? Ao Mónaco! Sabe quem jogava lá? Vou recordá-lo: Barthez, Deschamps, Henry, Trezeguet. No dia seguinte, o Norton entra no balneário e pede-me para baixar os prémios de jogo na Liga dos Campeões, porque os bons administradores do Sporting ofereciam tanto dinheiro nos prémios de jogo que a própria qualificação para a fase seguinte dava prejuízo. Mas isto cabe na cabeça de alguém?

Sá Pinto e a agressão a Artur Jorge: Nós [do Sporting] íamos para Marrocos participar num torneio. Tivemos treino de manhã e havia ali um hiato para ir a casa, buscar a mala e encontrávamo-nos aeroporto. A caminho do aeroporto, ouço na rádio que o Sá tinha agredido o Artur Jorge. O Sá, ao contrário do que muita gente pensa, foi ao Jamor a convite do psicólogo da selecção para se despedir dos jogadores. Chegou lá e passou-se com aquela coluna de opinião do "Record" (um artigo a dizer que o Sá Pinto não era chamado porque se incompatibilizava com os colegas, que se irritava facilmente, que atirava bolas para a fora). Quando as coisas se proporcionam, quando as coincidências são evidentes, é de mais. E o Sá, indignado, explodiu. Apanhou um ano. Os outros andam aí, à solta. E até jogam pela selecção nacional. É uma vergonha.

domingo, 28 de março de 2010

Reforço de Primavera


Não será uma expressão muito vulgar visto que só há inscrições em Agosto e em Janeiro. Mais uma inovação administrativa introduzida este ano. A verdade é que tivemos no jogo de ontem tudo o que nos faltou nos últimos meses. Mais uma acha para a fogueira da nossa indignação. São muitos os problemas do FCPorto: treinador, contratações duvidosas, muitas lesões, etc. Mas nunca ninguém me vai convencer que estaríamos nesta altura a 11 pontos do primeiro, se não nos tivessem tirado o nosso numero 12. Chamem-me optimista, mas Hulk é de facto o melhor e mais explosivo jogador da Liga e sei que pelo menos nisto não estou sozinho. Com certeza que Ricardo Costa e os seus empregadores acham o mesmo...

O jogo de ontem não teve grande história para além da ideia geral que ficou: Hulk chegou para ganhar aquele jogo. Mas ficou outra ideia importante: aquele é o esquema ideal para o plantel que temos. E se Rodriguez estivesse ali no lugar de Guarín e Fucile no lugar de Miguel Lopes, aquele seria o nosso melhor onze. Espero que joguemos assim até ao fim do campeonato.

Por falar em campeonato, parece que estamos outra vez na luta pelo segundo lugar. Ainda por cima o Braga perdeu mais um dos seu melhores jogadores. Mossoró experimentou a famosa entrada à Katsouranis que nos tirou o Anderson por seis meses. Começam a fazer escola entradas desta naquela equipa. E qual é o problema? Nem sequer foi falta...

Para terminar gostaria de vos lembrar mais uma vez que Falcao lidera, cada vez mais destacado, a lista dos jogadores com mais golos mal anulados. Começo a achar que será uma chatice grande se Cardozo não ganha este ano o título de melhor marcador.

sexta-feira, 26 de março de 2010

'tás com um papo!



A Sofia foi uma das capas da revista J, é cheerleader do Sporting mas faz parte dos Super Dragões do núcleo da Margem Sul. À pergunta sobre qual o principal adversário do Porto (Benfica ou Braga), a nossa menina responde "Se houver algum adversário à altura do FC Porto não é nenhum desses dois, nem está na liga portuguesa, certamente".

É caso para dizer: tás com um papo!

quinta-feira, 25 de março de 2010

Síndrome de Excitação Sexual Persistente

Duas formas para ter esta disfunção: ou mantém um alto fluxo sanguíneo nos orgãos sexuais originando vários orgasmos durante o dia, ou então é como o Fernando Gomes e marca muitos golos... E se é Bi-Bota é porque marcou (teve) muitos golos (orgasmos)!

Esta conotação ficou indissociável de Fernando Gomes quando referiu que 'marcar um golo é como ter um orgasmo', mas muitas histórias e factos há para contar sobre uma das maiores figuras de sempre do FC Porto. Quem fazia ideia que Gomes no jogo de estreia pelo Porto marcou os dois golos na vitória por 2-1 sobre a CUF? Que foi por 6 vezes o melhor marcador do campeonato? Que marcou 288 golos pelo Porto e 318 no campeonato português? Que foi transferido para o Sp. Gijon por 60 milhões de pesetas e no jogo de estreia marcou 5 golos ao Oviedo? Enfim, muitas curiosidades sobre Gomes pelo que nos iremos ficar pelas mais marcantes.

No Porto foi Campeão Nacional por 5 vezes, ganhou 3 Taças de Portugal, 1 Taça dos Campeões Europeus, 1 Supertaça Europeia e 1 Taça Intercontinental. A maior tristeza terá sido, porventura, não disputar a final no Prater, em Viena, quando partiu a perna dois dias antes da final, durante um treino.

Por explicar ficaram as razões que levaram à saída do clube, embora o blog estrelas-do-fcp.blogspot.com lança uma história curiosa:

"Tomislav Ivic, assumiu numa entrevista que 'Gomes é finito!'. Sobre a possibilidade de abandonar o futebol, Gomes dizia: 'Se penso na retirada? Vivo o presente e não sou astrólogo, mas tenho um amigo astrólogo que me disse que jogaria mais quatro anos...'. As coisas entre Gomes, a direcção e a equipa técnica estavam tudo menos pacíficas e sabia-se que a única coisa que mantinha Gomes no F.C.Porto era o carinho que a massa associativa tinha pelo avançado, facto que o avançado sabia usar como ninguém. Mas em Junho tudo parecia voltar aos eixos quando Ivic saiu do clube. Gomes renovava o contrato e Quinito, o novo treinador afirmava: 'Comigo… é Gomes e mais dez'. O problema é que Quinito não se aguentou muito tempo à frente da equipa técnica e voltaram Artur Jorge e Octávio… dois velhos conhecidos. As coisas andavam outra vez bastante tensas, quando o F.C.Porto teve uma deslocação à Madeira para enfrentar o Marítimo. O avião atrasou-se e a comitiva chegou ao hotel apenas às 23 horas, ainda sem jantar. Quando por volta da meia-noite o jantar começou a ser servido inicialmente pelas mesas VIPs (Dirigentes e técnicos), como era normal, Fernando Gomes levantou-se e insurgiu-se com o facto essencialmente devido ao adiantar da hora. Octávio Machado interviu e disse que ele, Fernando Gomes, 'não mandava ali'. Gomes respondeu que 'era o capitão'... mas acabou por insultar Octávio chamando-lhe: 'Palhaço e bufo dos tempos do sr. Pedroto'. O Bi-bota acabou com um processo disciplinar e suspensão de todas as actividades".


Cromo (1974/75)...


Cromo (1975/76)...


Cromo (1987/88)...


Cromo (1988/89)...

Currículo...

quarta-feira, 24 de março de 2010

Não foi em Vigo... mas também foram 7...

... e Gomes ainda mandou um penalty para as nuvens!

A recordação da semana leva-nos ao Estádio dos Arcos e remonta à época 1987/88 com uma goleada de outros tempos...



P.S. Sim, Riskas, voltei a não gravar os golos todos... o primeiro é por mim culpa, mas o segundo já é da responsabilidade da realização...

A força do miolo


Ora foi preciso uma catadupa de lesões e castigos para que fosse ensaiado algo que muita gente tem vindo a pedir. Se bem percebi, jogámos com 4-4-2 numa espécie de losango com Guarín e Meireles a apoiar o numero 10 que foi o Rúben. Mais encostado à extrema direita esteve Bellushi e na frente Falcao. Os resultados foram animadores e no meio desta crise fizemos um jogo bem agradável. Raul e Rúben jogaram muito bem entre eles e também fizeram jogar, e até Guarín apareceu numa noite de excepção em relação às suas habituais trapalhadas. Basta ver que tal como Rúben ele está nos 3 golos. Mas voltemos ao MVP da partida - Rúben. Por mim é ali que ele deve jogar. Bem lá na frente na organização de jogo e em terrenos onde pode ser mais decisivo quer no passe de ruptura quer na finalização, o que lhe valeu finalmente a obtenção do seu primeiro golo pelo FCPorto. Com isto pretendo dizer que, dadas as características do plantel, caberá ao próximo treinador do FCPorto repensar se não ganharemos em mudar o paradigma táctico dos últimos anos. E até julgo que um dos que terá mais a ganhar com isso será o regressado Hulk.

E por falar em Hulk, que dizer da renúncia de Hermínio Loureiro? Que é que quer dizer? Que é melhor fugir antes que sobre para ele? Que não concorda com o Conselho de justiça? Que está envergonhado com liberdade que deu ao Ricardo Costa? Que não quer ser ele a passar o cheque da indemnização que se vai pagar ao FCPorto? Estranho...

Gostei das declarações finais de Jesualdo. Muito duro e objectivo como deveria ser. Na defesa do clube nestas situações ele tem sido sempre exemplar. E será lembrado por isso.

No sábado, não sei se hei de torcer pelas nossas miseras possibilidades de ir à Champions ou pelo sofrimento dos Mouros. Tendo para a segunda hipótese...

Equipa para Belém:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Alvaro Pereira; Fernando, Meireles, Belluschi e Rúben; Hulk e Falcao.

Parece que o palpite do Record furou?

In Público à tarde:

«O Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) reduziu o castigo de Hulk para três jogos e o de Sapunaru para quatro jogos, disse à Lusa fonte do FC Porto.»
«Os argumentos do Conselho de Justiça ainda não são conhecidos e este órgão limitou-se anunciar que foi “convolada a condenação”. Isto quer, dizer que o castigo de quatro meses a Hulk e seis meses a Sapunaru foi alterado. Segundo explicou ao PÚBLICO fonte da FPF, as partes (FC Porto e Comissão Disciplinar da Liga) vão agora ser notificadas e só depois será feita a divulgação pública de toda a decisão do Conselho de Justiça.»



Já no Record hoje de manhã:

«O Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) decidiu manter os castigos de quatro meses a Hulk e de seis meses a Sapunaru, impostos pela Comissão Disciplinar da Liga na sequência dos incidentes ocorridos no túnel do Estádio da Luz, no encontro entre Benfica e FC Porto, em dezembro de 2009.»

Quando se lança à sorte nem sempre se pode acertar...

terça-feira, 23 de março de 2010

Novo Rumo - Treinador


Já sei que ainda estamos em competição e que o segundo lugar e sobretudo a Taça de Portugal ainda são possíveis. No entanto e dado o estado comatoso da equipa, é tempo de começar a preparar a nova época. Por isso queria aqui abrir a discussão que já começou há algum tempo entre os Portistas. Não queria, no entanto, deixar de dizer que não concordo com uma revolução total na nossa estrutura. Isso são coisas de mouros e com os resultados há vista nos últimos anos e este será a primeira excepção. Assim vou dividir isto por dossiers que explorarei nos proximos artigos. Comecemos pelo Dossier Treinador.


É um dos assuntos mais consensuais entre os portistas. Jesualdo já não é solução. Agradecemos e até tenho pena que saia pela porta pequena, mas não dá mais. O seu estilo conservador e seguro que nos deu o Tetra e a presença constante entre as 16 melhores equipas da Europa (e também alguns dissabores em jogos com adversários directos), transformou-se num conformismo e numa transferência do seu marasmo e falta de objectivos para a equipa resultando numa época que só a Taça de Portugal poderá salvar. Será por muito tempo lembrado como o técnico do nosso segundo Tetra mas também será quase de certeza o que nos retirou do primeiro lugar no ranking de presenças na Champions, lugar que ocupamos juntamente com o Man. United.


A mudança é garantida, falta o perfil. É obvio que o cinzentismo de Jesualdo que tanto nos cansou nos últimos anos faz com que se pretenda um outro tipo de treinador. Mas vamos ver e chegamos sempre a um conjunto de características que só um Treinador no mundo tem e chama-se José Mourinho: juventude aliada a ambição, conhecimentos técnicos e tácticos, mestria na relação coma imprensa, mão firme no balneário e um currículo com provas dadas e com títulos (a Capello já lhe falta a juventude e falta saber o que vale Guardiola sem Messi...). Pois este perfil de treinador não está ao nosso alcance, portanto mais vale rever as alternativas possíveis.


Comecemos pelo suposto clone de Mourinho: André Vilas Boas. De facto é jovem e ambicioso e até parece ter conhecimentos que aprendeu com o Mestre. Faltar-lhe-á curriculo. Seis meses de treinador não chegarão para lhe dar direito de acesso a um clube como FCPorto até porque a Académica não está a fazer um campeonato ao nível do do ano passado e aqui já estou a descontar o mau arranque com um mau treinador. No entanto, todos nos lembramos daquela vez em que resolvemos apostar num treinador com um currículo limitado de seu nome Mourinho. Mas já no Leiria e mesmo no Benfica havia ali sinais que não existem em Vilas Boas. Por mim ainda é cedo.

Há de seguida Paulo Bento. Para muitos é um treinador com o perfil indicado para espicaçar a moribunda confiança que temos apresentado este ano. Isto porque há esta ideia de que grande parte dos nossos jogadores tem muita qualidade mas pouca garra e vontade de vencer. O espírito guerreiro de Paulo Bento poderia contagiar a equipa. Outra vantagem será a confiança e especial atenção que Paulo Bento deu às camadas jovens do Sporting. Ora esta é uma clara lacuna de Jesualdo e apontada por muitos portistas que preferem os Ukras Castros e Helder Barbosas aos Guarins Valeris e Marianos. Em contraponto vem a mais que provada inflexibilidade, e rigidez táctica que se transformou facilmente em teimosia. Rigidez que fez com que se perdessem jogadores como Varela para o nosso FCPorto. Outra coisa que não aprecio é o facto de ele se ter deixado contagiar por aquele espírito tão leonino que é o de lançar as culpas para arbitros e sistemas obscuros. Cá não gostamos disso e a prova é que num ano de tanta vergonha nas arbitragens e nos castigos da Liga, grande parte dos portistas está preocupado com os problemas internos. De facto estamos habituados a ganhar apesar de tudo isso... Esta é no entanto uma solução que eu não aprecio. Acho que o trabalho de Paulo Bento foi muito acentuado pelos confrontos quase sempre vitoriosos com Jesualdo aproveitando o seu pé frio nos clássicos e também pelas péssimas temporadas que o Benfica tem realizado. Dirão que ele não tinha ovos para fazer melhor omelete. Eu acho que o problema do Sporting não têm sido jogadores mas sim a falta de cultura de clube com que ele foi complacente enquanto lá esteve.

Depois temos Domingos. Das características que enumerei apenas lhe faltam os títulos e a prova de que os méritos tácticos deste SuperBraga não advém do anterior treinador. Quanto ao primeiro ponto, julgo que não pode haver milagres dadas as equipas que treinou. Nem o Braga tem ambição de lutar por títulos, muito menos o Leiria ou a Académica. Uma coisa é certa: nunca defraudou os objectivos traçados para as temporadas e nos útimos dois anos superou-os categóricamente. Quanto à questão táctica e ao fantasma de Jorge Jesus, julgo que é um falso problema. É óbvio que a questão se vai pôr sempre visto que o plantel não mudou muito. E se a táctica é a mesma, convenhamos que no Braga de Jorge Jesus nunca se exigiu à equipa que ganhasse todos os jogos em que participa. A Domingos já há dois meses que essa exigência existe e ele apenas falhou no Dragão. Não poderei esconder esta é a minha opção favorita. Até porque às características acima listadas Domingos soma uma muito importante para Nós Portistas: amor ao FCPorto.


Por falar em amor ao FCPorto surge uma última opção portuguesa: Jorge Costa. Mas será essa a única característica que entusiasma visto que lhe falta curriculo como treinador, resultados convincentes e prova de que mantém como treinador, o ascendente que tinha no balneário como jogador. E há rumores vindos de Braga que esse não será o seu forte para surpresa de todos. Para mim não é solução.


Por último deixo a solução que menos aprecio e, segundo me dizem, a que está a ser discutida: o treinador estrangeiro. É óbvio que não estou a ver nenhum treinador de topo, empregado ou não, a arriscar vir treinar um FCPorto que jogará a Liga Europa. E como tal assusta-me que se possam considerar treinadores de equipas menores como se fez no passado com o insano Adriaanse, com Fernandez e com Del Neri. É muito menos arriscado optar por uma solução interma. Além disso que soluções há disponíveis no mercado? Zico? Juande Ramos? Mark Hughes? Sven-Goran Eriksson? Roberto Donadoni? Alain Perrin? Jurgen Klinsmann? Walter Zenga? Michael Laudrup? Isto só para pôr aqui alguns dos desempregados e não me parece que daqui venha boa coisa e alguns nem devem atender o nosso telefonema. Ainda por cima todos são muito mais caros que qualquer das soluções anteriores.

E aí têm a minha opinião. Fica aberta a discussão.

Equipa para amanhã:

Beto; Miguel Lopes, Rolando, Bruno Alves e Fucile; Fernando, Meireles, Rúben, Belluschi e Alvaro Pereira e Falcao.

domingo, 21 de março de 2010

Mais uma humilhação


Pois se desde o ano passado se passou a chamar à Taça da Liga, Taça Lucílio Baptista, imagino que este ano se passará a chamar Taça Nuno Espírito Santo. Quem lê as minha crónicas habitualmente sabe que o Nuno é um jogador de que eu não gosto. E tal sucede porque ele é um jogador extremamente regular, mas nos frangos e nas más prestações. Por muito que o FCPorto não jogue nada, tenha jogado sem Varela e Hulk, e por muito que sejamos inferiores ao adversário de ontem (e o que me custa dizer isto), o que decidiu o troféu de ontem foi o facto de ontem termos jogado com o nosso terceiro melhor guarda-redes.

A equipa até entrou bem e teve os primeiros lances de perigo mas, no estado em que estamos, perante aquele primeiro golo sofrido daquela forma, era óbvio que os portistas iam passar o resto do jogo a sofrer e terminou num humilhante 3-0. Primeiro a quase certa relegação para a fraquíssima Liga Europa e agora levamos 3-0 os mouros? Os mesmos que tanto alimentam o nosso ódio e desprezo?

Individualmente começo a concordar com os que dizem que Bruno Alves anda de cabeça perdida. Só se destaca pelas picardias e cacetadas. Falcao e Rodriguez não se viram e só Fernando e Rolando jogaram ao seu nível. Fucile justificou na segunda parte quão absurdo foi o castigo que Jesualdo lhe aplicou. De resto uma pobreza assustadoramente habitual...

Mas convém que deixemos que estes condicionamentos como os frangos e os Ricardos Costas e as lesões sirvam para esquecer tudo o que esteve na origem desta época desastrosa. Não convém esquecer que foi um erro a renovação do contrato de um treinador confortavelmente sentado em cima dos títulos passados que resultou numa época em que do banco não vinha nada mais que uma resignação completa e uma incapacidade de incutir um pingo de garra na equipa. Com isto e com mais esta humilhação espero que se tomem as decisões que eram difíceis no ano passado e que agora se tornaram fáceis. Mas para tal acontecer ficaram um campeonato, uma Champions e uma Taça da Liga pelo caminho.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Plano em andamento?


Será que, após meses de uma apatia atroz do nosso Presidente e da nossa estrutura directiva perante os ataques via secretaria que temos sofrido, temos uma estratégia delineada de resposta? Parece. Para já podemos ver uma suposta saída 'a mal' de Fernando Gomes da SAD do FCPorto para depois apresentar candidatura à Presidência Liga de Clubes. Entretanto tinha saído um comunicado da SAD a dizer que não iríamos apoiar ninguém e que se iria demarcar do acto eleitoral. É claramente um fenómeno a acompanhar nos próximos tempos.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Parecias o Paulinho César...

Deve ser das frases mais usadas nos jogos entre amigos quando alguém falha um golo escandaloso. Há jogadores que para sempre ficam associados a um momento marcante, o pior é quando esses momentos são negativos. Temos o Paulinho César que falhou em cima da linha o golo do empate no Bessa, temos o Costa dos 4-0 em Manchester e agora temos o Nuno André Coelho dos 5 nos Emirates... Este ainda vai a tempo de mudar a associação de ideias!

Poucos devem lembrar-se que tinha sido ele o marcador do penalty vitorioso em Coimbra conforme vídeo publicado abaixo. O que é certo é que a passagem pelo Porto foi muito fugaz, um golo em quase 20 jogos para um ponta-de-lança não é currículo que se apresente. Interessante, isso sim, são os clubes que representou antes de se transferir para o Santos (digam lá se não parecem nomes de rádio em vez de clubes): Bandeirante; Serra Negra; Sãocarlense; Comercial; Barretos; Votuporanguense; Atlético Paranaense e Figueirense.

Outra coisa que uma pessoa descobre a pesquisar sobre estas antigas 'vedetas' são as alcunhas, e o nosso Paulinho César teve a sorte de, na sua melhor época, ao marcar 15 golos ao serviço do Santos, o Ayrton Senna conquistar o título de F1 ao serviço dum McLaren. Como um dos principais atributos de Paulinho César era a velocidade, a brilhante conjugação resultou em... Paulinho McLaren.

Cromo...


Currículo...

quarta-feira, 17 de março de 2010

Que é que se passa?

Numa semana dois comunicados a desmentir o jornal O Jogo e um anunciar um processo contra o jornal? Vejam lá isso. É que se eles continuarem assim tão mal informados, nem a penúltima página me vai fazer comprar o jornal...

Outra coisa. A notícias de A Bola responde-se com Labaredas e às de O Jogo responde-se com comunicados da SAD? Humm... Estranho

PS: Não sei se notaram mas o título de post foi copiado do título de uma antiga crónica habitual do Tavares Teles nesse mesmo jornal.

domingo, 14 de março de 2010

Dormente


Assim se apresentou o FCPorto em Coimbra. Notava-se que a equipa queria limpar a imagem deixada em Londres, mas não parecia que tínhamos a gasolina emocional para fazê-lo (gasolina emocional!?). Valeu aquele esforço final de Rodriguez numa altura em que já estava a fazer contas ao empate. De facto o que aconteceu em Londres dá cabo de qualquer equipa e uma vitória, por magra que seja, será sempre uma óptima cura para a ressaca.

Quem também tentou limpar a imagem foi Jesualdo. Pôs a jogar a equipa que a grande generalidade dos adeptos queria em Londres. É óbvio que faltava Fucile e o lesionado (??) Helton. Quanto à questão do Fucile, digo-vos já que não concordo. Continuo a achar que por muita asneira que o jogador tenha feito, tal resultou da confusão que Jesualdo lançou na equipa com a sua habitual invenção. E isso faz com que o castigo seja injusto tal como é injusto Jesualdo ainda continuar à frente de uma equipa como o FCPorto. Mas julgo que isso já se está a resolver...

Os resultados da mudança para o triângulo Meireles, Rúben e Belluschi não foram brilhantes mas também nada foi brilhante naquele jogo. Comecemos pela realização. Alguém consegue pronunciar-se sobre o lance que dá o 1-0 à Académica? Só há uma imagem de longe. Quer dizer, pela quantidade de repetições do lance do penalti sobre Falcao, as câmaras estavam lá. Será que não interessava mostrar? Será que o cameraman era daqueles tarados que filmam o Estoril Open e estava à procura de um bom par na bancada? Não sabemos e assim torna-se difícil criticar em condições o árbitro. E ele até merecia visto que eu vi mais dois penaltis na outra área.

Individualmente, gostei do Varela, do Belluschi e claro, do Rodriguez. Miguel Lopes desta vez e depois da péssima exibição no Dragão, esteve bem dando a entender que é uma boa opção para o plantel. Por falar em opções, perdemos mais uma lá na frente: Mariano. Mais um episódio numa época estranhamente azarada neste campo. Falcao voltou a por todo o seu empenho em campo mas o jogo não lhe correu bem. Quem parece estar a perder gás é o Ruben. Alguns passes falhados o que não é normal nele. Também não gostei nada do Rolando. Jogo desastrado. Parece ter dificuldades com estes matacões toscos tipo o Éder e o Pouga do Leixões.

Para a final da Taça da Liga, gostaria de apresentar uma equipa de segunda mas, pensando bem, uma vitória nesta competição, associada à provável eliminação pelo Marselha da Liga Europa, poderia pôr o Benfica em dificuldades para o campeonato. Como tal, julgo que devemos apresentar a melhor equipa.

Equipa para a final da Taça da Liga:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Alvaro; Meireles, Ruben, Belluschi e Rodriguez; Varela e Falcao.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Na sombra do calcanhar...

A nossa ‘arma secreta mais conhecida’ teve um percurso curioso antes de chegar ao Porto com 26 anos. O Santos foi pescá-lo ao Pavunense onde fez a formação e em 1978, com 19 anos, foi campeão estadual. A partir daqui, um autêntico globetrotter: América do México, Avellino, Inter, Ascoli, Cremonese e, finalmente, FC Porto para as maiores glórias da carreira: Campeão Europeu e vencedor da Taça Intercontinental e da Supertaça Europeia (nem faço referência a campeonatos e taças).

Pelo meio, factos e jogos memoráveis. A começar pelo jogo de estreia, carimbada com um golo na vitória por 2-0 sobre o Benfica. Outro, contra o Barcelona: depois da desvantagem de 2-0 trazida da Catalunha, Juary faz hattrick nas Antas num jogo que nem sequer foi titular e o Porto vence... 3-1.

Mas o golo mais importante da carreira dele foi marcado no Prater, em Viena. No jogo que para sempre irá ficar marcado pelo calcanhar de Madjer, foi Juary quem marcou o golo da vitória e meteu a Taça nas mãos de João Pinto.

Tenho pena de não me lembrar muito bem de Juary, só mesmo contra o Bayern... mas ainda tenho mais pena de actualmente não termos armas secretas!


Cromo (1985/86)...



Cromo (1987/88)...



Carreira...


Até na EDP...


Quando a ressaca já estava quase a passar, eis que durante o almoço me deparo com o Rolando para me (re)lembrar dos últimos acontecimentos...

O homem foi à EDP e constou-se que mesmo aí foi ultrapassado por três pessoas!!!

NOTA: A sorte dele foi o Toni Silva não estar presente no almoço :-)

quarta-feira, 10 de março de 2010

Meter gelo para passar a dor...

Nestas alturas, felizmente poucas, temos que nos contentar com tudo o que nos aparece, é o nosso gelo para a dor de cabeça ou o Rennie para a azia...

É o Milan que também é humilhado em Inglaterra depois de já ter perdido em casa na primeira mão... é uma equipa que investe € 250.000.000,00 de euros (fiz questão de meter os zeros) perante a equipa de Cissokho e Lisandro... Esses que também lidem com a azia, principalmente os 'madridistas' quando o Barcelona se apurar para a final no Bernabéu...

O Porto lá venceu o Benfica no hóquei, mais uma pedrinha de gelo para a dor de cabeça que já dura desde ontem...

AFINAL, SOMOS NÓS OS ESTÚPIDOS!?!?!? - PARTE II

CLICAR NA IMAGEM PARA VISUALIZAR EM TAMANHO LEGÍVEL

Eu percebo que o site oficial "puxe a brasa à sua sardinha" mas não é isso o que o site oficial faz.

O que o site oficial faz é escamotear uma exibição podre, uma prestação miserável!

O que o site oficial faz é ofender todos os portistas e, sobretudo, aqueles que "deitaram dinheiro ao lixo" para acompanhar a equipa que amam e viram as vedetas que são pagas a peso de ouro e idolatradas por todos nós desrespeitarem esse amor e esse esforço!

O que o site oficial faz é ignorar que o Bruno Alves e o Raúl Meireles, capitães da equipa, foram os primeiros a abandonar o relvado e nem sequer um aceno para os adeptos fizeram!

Com este tipo de postura e defesa do indefensável começo eu a pugnar por uma limpeza como o Toni Silva (Baresi) pediu nos comentários ao post anterior!

Haja respeito!

NÓS É QUE SOMOS PORTO!

terça-feira, 9 de março de 2010

Filme de Terror


Já não chegava tudo o que temos sofrido e ainda nos prepararam aquele filme de ontem...

Sai um Porto Ferreira? Não! É mais um: sai do Porto ó Ferreira... Agradecemos os valiosos préstimos à nação portista, e não foram poucos, mas é chegada a hora da separação. Ontem e mesmo antes de começar o jogo já tinha a certeza nesta ideia que já ando a ensaiar há alguns jogos: Quero o divórcio! E a razão do divórcio até é das mais vulgares: depois da felicidade veio o cansaço. E temo que Jesualdo não faça mesmo nada para apimentar a relação. Pelo contrário, a entrada de ontem com Nuno André Coelho a trinco só não é de chorar a rir dada a gravidade do erro. É mais um daqueles pequenos hábitos que com o passar do tempo se vão tornando mais irritantes. Então não passou pela cabeça de Jesualdo que ia partir a equipa e que ia deixar os defesas a jogar ao meiinho com os habilidosos jogadores do Arsenal? Rúben e Raul bem corriam que nem tolos a tentar conciliar o inconciliável. Não havia maneira de a equipa ser coesa nem a defender nem a atacar. Isto para nem falar da estranheza e dos problemas de adaptação que invenções destas causam. Não notaram que naqueles primeiros minutos todos os jogadores gesticulavam uns para os outros e e davam indicações de posicionamento? Era óbvio que estava toda a gente perdida e por isso a correcção ao intervalo melhorou o nosso futebol. Mas todos aqueles sintomas de melhoras iriam por água abaixo assim que o Arsenal marcasse. E marcou mais três vezes consumando a nossa saída de joelhos da Champions deste ano. É uma vergonha que um treinador com tamanha experiência ainda se dê a estas espertezas saloias. Jesualdo mereceu a goleada. Nós não! A maior parte dos jogadores também não.

E depois ainda há o facto de o Fucile, completamente descontrolado, ter feito duas assistências para golo. Isto para além da paragem de cérebro que deu no segundo golo a que se somou a que deu o quinto. Ou seja, está em 4 dos golos do Arsenal. E ainda diziam que o Fabianski era amigo... Individualmente não julgo que alguém se tenha destacado por alguma coisa além do empenho.

Enfim, para o ano há mais... Ou não... O que vale é que temos o maior orçamento de sempre. A Liga Europa agradece.

A Arma Secreta...

Ainda no sábado (já na segunda parte, após Varela ter entrado), olhava para o banco de suplentes e a confiança era muito próximo de zero em algum daqueles jogadores ,que estavam a aquecer, pudesse trazer algo de novo àquele jogo (afinal enganei-me, foi mesmo Guarin que fez o golo da igualdade no último lance de jogo e com uma “estranha” calma na hora de finalizar)… No ano em que nos sagramos campeões pela primeira vez campeões europeus, essa “estrelinha” que saía do banco várias vezes nos deu alegrias… o seu nome era Juary, e aqui fica mais um vídeo em que esta verdadeira “arma secreta” que o Mister Artur Jorge lançava tantas vezes no jogo, entrava, mais uma vez, para resolver… neste jogo, no frio dinamarquês, garantiu-nos a passagem às meias finais da competição mais importante de clubes, batendo o então desconhecido Peter Schmeichel… estamos na época 1986/87….



Logo, que essa “estrelinha” esteja connosco… sem ela não há campeões… e a minha aposta vai para o “mal-amadoMariano Gonzalez, tal como aconteceu no ano passado no “Teatro dos Sonhos”…

O LOBO MÍOPE... CONTINUA A LESTE!


Olho para esta época e lembro-me de 2004/05, a última época dos efeitos secundários causados pelo enorme sucesso alcançado em 2003 e em 2004. Tem sido uma época de muita irregularidade e instabilidade. Se naquela época os treinadores foram "mais do que as mães", os resultados foram muito similares, sobretudo, a enormidade de pontos perdidos em casa com equipas de valor imensamente inferior.

No fim dessa época, Pinto da Costa "reassumiu" o leme, contratou o "lou"Co e... LISANDRO "LICHA" LOPEZ e LUÍS "LUCHO" GONZALEZ que foram os líderes de uma equipa que alcançou o TETRA nos 4 anos que cá estiveram!!!!

Ora, esta época foi a primeira sem estes dois grandes artistas que, apesar de haver mais artistas cá no burgo, eram os grandes patrões e impulsionadores desta equipa. Sem eles, ficamos órfãos de um "Comandante" e de um "Carrasco", embora Radamel Falcao seja um excelente matador... mas falta-lhe um verdadeiro parceiro.

Não quero falar de saídas nem em limpezas de plantel, até porque acho que, grosso modo, o plantel para 2010/11 está formado. Não me surpreenderá a saída do Bruno Alves e do Meireles, bem como, o regresso do Castro e do Ukra que fizeram uma boa exibição na verdadeira casa deles, no passado sábado.

Parece-me claro, todavia, que, para as nossas aspirações anuais, o plantel foi curto demais em termos de avançados e médios defensivos (Bolatti, Pelé e Prediguer?!?!?). Quanto aos avançados, desde Janeiro, exceptuando 3 ou 4 jogos, só tivemos Falcao, já que Farias contraiu uma lesão que me faz lembrar as lesões do Madrid em Braga enquanto o Orlando Sá já tinha chegado desmontado!

Nesse propósito, ignorando os eventuais retoques, dispensas, vendas, contentores da América do Sul, virei a bússola para Leste em busca de dois craques - um para o meio-campo e outro para o ataque, e atraquei em Zagreb, mais precisamente, nos domínios do Dínamo local.

Sou um grande apreciador do futebol jugoslavo, grande produtor de médios e avançados de classe. Não precisasse o futebol de bons defesas e guarda redes e as ex-repúblicas jugoslavas eram as melhores selecções do Mundo...

Os dois alvos juntos (100% dos passes) valem perto de 25 milhões de euros, o que é perfeitamente alcançável face ao que expus quando falei de Alan Dzagoev.

Os artistas são: Milan Badelj (€10K) e Mario Mandžukić (€15K)

Milan Badelj é um médio de grande classe, um excelente "playmaker", com uma bela estampa física, a quem se reconhecem similaridades com o fabuloso Boban. Tem apenas 21 anos e foi o substituto natural de Luka Modric, transferido para os Spurs em 2008. Joga, preferencialmente com o pé direito e colecciona várias internacionalizações nas camadas jovens, formando um trio de respeito, na selecção Sub-21, com Ivan Rakitic e Nicola Kalinic (chegou a ser especulado o interesse do FCPorto neste jogador, no Verão passado). Já foi ligado a vários tubarões, nomeadamente, ao Bayern München, Internazionale, AC Milan e, mais recentemente, ao Manchester United. A concorrência é feroz!



Mario Mandžukić também é desejado por meia Europa, principalmente, por clubes alemães e russos. É um excelente marcador de golos e titular da selecção principal croata. É um dos capitães do Dínamo, onde joga desde 2007, ano em que substituiu o Eduardo da Silva, e já marcou cerca de 40 golos em 70 jogos. Seria um belo complemento para o nosso fantástico Falcao.




P.S. Depois de mais uma miserável exibição no último fim de semana, aumentou a especulação em torno da permanência do Jesualdo e dos seus eventuais substitutos. Já todos sabem a minha opinião acerca do Jesualdo e não me vou repetir (para alegria de muitos). Relativamente aos eventuais substitutos que se tem aventado só digo que não quero Jorge Costa (irónica a fragilidade defensiva da Olhanense, tendo ele sido um enorme defesa central), não quero o Domingos (parece-me pouco flexível em termos tácticos), gosto do André Villas Boas (estará a caminho dos lagartinhos?) mas o meu preferido é Paulo Sérgio do "Derrota" de Guimarães. Todavia, sonhei que o Presidente faria uma aposta "à la Barça" com a promoção directa de Pedro Emanuel, ele que era a extensão do Mourinho dentro de campo...

P.S.2 "Sonhei" também que o nosso carrasco na Champions, esta época, seria novamente o Cristiano Ronaldo... :)

FORÇA PORTO!

segunda-feira, 8 de março de 2010

Para que não sobrem dúvidas

Julgava que tinha ficado claro em Alvalade mas a equipa fez questão de nos lembrar mais uma vez. Não vamos ser pentacampeões e também só vamos jogar na próxima Champions se ganharmos a competição este ano... Que não haja mais ilusões e que se comece a pensar no que será o FCPorto na próxima época. Sim, estou a falar em Treinador mas também em retoques no plantel e eliminação de algumas ervas daninhas. Por exemplo, ficou claro para mim que não há alternativa a Fernando no plantel a não ser a adaptação de Meireles. Ficou claro que o sistema 4-3-3 de Jesualdo está gasto, é desequilibrado e muito dependente das oscilações de forma dos seus interpretes apesar do esforço de jogadores como Varela, Falcao e Ruben. Chega de lamentarmos as bolas no poste e as arbitragens. Este é um campeonato condicionado mas também temos que reconhecer que há mais problemas e internos.

Como hoje o post tem de ser telegráfico deixo os os mais e os menos do jogo.
Menos: Mexidas de Jesualdo, Helton, Miguel Lopes, Maicon, Bruno Alves, Alvaro (que está exausto) e o pior Tomás Costa.
Mais: Rodriguez; Falcao, Belluschi, Ruben e Varela.

Equipa para Londres:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Alvaro; Meireles, Bellushi , Ruben e Rodriguez; Falcao e Varela.

sexta-feira, 5 de março de 2010

Poupança forçada?



Pergunta inocente: será que Jesualdo teria de poupar Rolando e Meireles para o fim-de-semana se estes não tivessem sido juntamente com Hugo Almeida e Paulo Ferreira os únicos que cumpriram 90 minutos contra a China?

quarta-feira, 3 de março de 2010

Não se Pode Ganhar Sempre...

... mas em 1987/88, esta foi a única derrota averbada pelos azuis e brancos... precisamente em Alvalade...

Um resumo tripartido por razões de upload para o youtube em que podemos rever um clássico bem disputado, com lances polémicos e com desfecho incerto até aos instantes finais da partida...

Sporting 2-1 FC Porto (87-88) (1ª Parte)...
Mais domínio leonino...



Sporting 2-1 FC Porto (87-88) (2ª Parte)...
Golos, Penalties não assinalados e emoção até ao último minuto... destaco o sprint de Rui Barros em direcção ao árbitro quando reparou que este não assinalou a falta clara sobre ele dentro da grande área leonina...



Sporting 2-1 FC Porto (87-88) (Flash Interview)...
Se colocassem legendas...

terça-feira, 2 de março de 2010

AFINAL, SOMOS NÓS OS ESTÚPIDOS!?!?!?

CLICAR NA IMAGEM PARA VISUALIZAR EM TAMANHO LEGÍVEL


Porque é que insistimos em atirar poeira para os olhos dos adeptos???

Porque é que simplesmente não assumimos que fomos piores e que enquanto os lagartos entraram em campo para ganhar o jogo nós entramos a pensar que o íamos ganhar???

Fomos fracos e não há como escamotear esse facto!

Força Porto! Somos Porto!