segunda-feira, 31 de março de 2008

Génios à solta a uma semana do TRI



Hoje de manhã na TSF ouvi os títulos de jornal, nomeadamente os desportivos: «Génios à solta» na Bola e «É só rir» no Record. Os menos atentos ao fenómeno jornalístico português, por exemplo um jornalista a sério estrangeiro, sem olhar para as capas, julgaria que estavam a falar da equipa com os melhores jogadores, da equipa que com a difícil vitória de ontem está apenas a 3 pontos do título a 6 jornadas do final, da equipa que ontem ganhou num estádio onde os seu adversários directos(?!) não só perderam, como o foram derrotados de uma forma inequívoca, da equipa com mais golos marcados, da equipa com menos golos sofridos, da equipa com o melhor assistente da prova, da equipa com o melhor marcador da prova, da equipa que venceu o seu grupo na Champions League, etc. Pois estamos a falar a imprensa desportiva portuguesa e não há milagres. Os génios com vontade de rir são o Liedson na sua pior época de sempre em Portugal e Rui Costa que é jogador / treinador-adjunto / treinador / secretário-técnico / director desportivo / futuro presidente da instituição (Eu se fosse aquele senhor que passeia o milhafre Vitória temia pelo meu posto de trabalho). Pequenas vitórias para animar adeptos de equipas medíocres. Razão tem Jesualdo. FCPorto campeão não vende jornais. Para além do habitual critério jornalístico reinante, temos de reconhecer que é já banal a forma como passeamos a nossa superioridade. É assim o nosso FCPorto. O mais difícil para um jogador ou treinador do FCPorto é conseguir não vencer títulos. Foram poucos os que conseguiram a ‘proeza’, de há trinta anos para cá.

A verdade é que ontem fizemos a segunda ‘virada’ seguida. Foi um jogo, tal como se adivinhava, difícil. Ainda por cima começamos a segunda parte a perder. Dominamos o jogo mas não com a segurança habitual. Foram várias as vezes em que os avançados e médios do Belenenses apareceram embalados no ataque à nossa área. E aqui queria destacar duas excelentes exibições de Pedro Emanuel, que parece eterno e de Helton, que tirando a habitual saída em falso controlou muito bem a sua área de baliza e os seus habituais ímpetos heroico-suicídas. Gostava também de referir que a certa altura da segunda parte passou uma estatística sobre o nº de faltas que é no mínimo sintomática e ajuda a explicar porque é que tivemos que virar resultados em dois jogos consecutivos. Aos sessenta e tal minutos belenenses tinha, se não me engano, 16 faltas e o FCPorto tinha 4… O que me faz lembrar que se calhar aquelas correrias que resultaram no remate de Ze Pedro e no Golo do Weldon poderiam ter sido paradas no meio campo com faltas. Sim, também fazem parte do jogo…Parece que só Assunção, Pedro Emanuel e Bruno Alves têm carta branca para impedir os adversários de qualquer forma. De resto gostei da segunda parte de Quaresma que parece estar a regressar ao seu melhor. Já sei que perdeu muitas bolas mas foi fundamental naquele pressing no início da segunda parte e no assalto final. Não gostei mais uma vez de Farias que esteve demasiado trapalhão e não gostei do Paulo Assunção que, apesar de ter jogado bem durante quase todo o tempo, estava a dormir no lance do golo e deu a bola ao adversário no lance em que o Pedro Emanuel viu o amarelo.

A equipa para o jogo do título terá de ter aqueles que foram os nossos melhores jogadores ao longo da temporada:

Helton; Ze, Pedro Emanuel, Bruno, Fucile; Paulo, Raul e Lucho; Quaresma, Lisandro e Tarik.

Ps: O fantasma Mourinho não nos afecta só a nós, basta ver os resultados recentes de Inter, Milão, Barcelona e Real Madrid.

Ps2: Pergunta-se muito hoje em dia: Ainda há palavras para Ronaldo? A minha resposta: Há. Respeito! A nossa selecção nacional merece mais respeito! Viu-se como o coitadinho jogou lesionado neste fim-de-semana… Critica extensível aos responsáveis da Selecção nacional.

Ps3: Meio-campo cómico de Scolari: Meira, Veloso e Carlos Martins. Resultado: optei por nem ver o jogo. Já sei que foi penoso para quem assistiu, mas uma coisa é certa: não foi surpresa para ninguém…

sexta-feira, 28 de março de 2008

Diego Ribas da Cunha...

Em semana de jogo contra o Belenenses, fomos ao arquivo procurar pérolas destes jogos...
Foi há 3 anos... numa época desastrosa do FCP depois de vencermos a Champions, mas ficaram alguns jogos... e este foi um deles... um dos melhores jogos de Diego (a par dos jogos contra o Chelsea e Sporting no Dragão)... esteve nos 3 golos e o último lance é sublime...



Outras Notas...

- Reparem no primeiro golo... nem parece o Quaresma... recepciona a bola e cruza... tão simples... tão fácil...

- Pepe com o número 7...

- Festejos do segundo golo... reparem na alegria demonstrada por Quaresma, sentado no banco, aquando do segundo golo que trouxe a tranquilidade desejada ao FCP...

- Benny... demasiado eficiente... grandes finalizações... a última, à Benny...

- Diego... aquele passe... Prata, só mesmo para te dizer que foi à nossa frente... :-)

terça-feira, 25 de março de 2008

Os gajos caçados...

Fiz um esforço para colocar este post antes dos jogos das Selecções de amanhã para (caso ocorra algum incidente) não pensarem que basta correr uma coisa mal para criticarem logo tudo e todos. Aliás, vou dar descanso à Selecção A porque o jogo é a brincar e vou aproveitar para rasgar quem manda nos sub-21.

E refiro-me, basicamente, às convocatórias VERGONHOSAS que constantemente assistimos e que estão ao nível das realizadas pelo Scolari, porque não compreendo como gajos que não fazem nada durante uma época inteira, conseguem ser sempre chamados à selecção.

Vou falar daquilo que sei e nem vou referir o Vítor Vinha que dos jogos q tenho visto tem sido uma nódoa. Vou falar do João Moreira (Valência, Rayo, Valência B, Nacional, Leixões, para o ano tá no Leça...) e, por exemplo, do Vieirinha: estes meninos até podem vir a ser os maiores jogadores do Mundo daqui a um, dois ou dez anos, neste momento são ZERO, fizeram ZERO e, no caso do espanhol Vieirinha, arrisco-me a dizer que mina o balneário todo (ou seja, é menos do que ZERO).

Não fazem nada nos clubes e são recompensados com internacionalizações? Quem é o padrinho deles? Não descobriram na Holanda o Tozé Marreco? Não conseguem arranjar ninguém que tenha feito mais qualquer coisinha esta época, na II Liga ou II Divisão?

O que mais me enoja é ver jogadores que são pagos pelos clubes para defender os interesses da camisola que vestem e quando entram em campo estão com azia e prontos a fazer a cama ao treinador, mas na selecção até se trincam todos.

É o caso do Ricardo, por exemplo, que esteve magoado para jogar pelo Bétis, mas está até à última para ver se pode defender no importantíssimo confronto com a Grécia, como se a titularidade no Europeu já não lhe tivesse destinada e como se não houvessem outros guarda-redes portugueses para serem convocados. É como o outro diz: Ricardo adora o Scolari e o Scolari adora ser adorado.

PS – Portugal ganha com golo de Vieirinha (João Moreira já está a pensar no novo clube, possivelmente o Olivais e Moscavide...)

segunda-feira, 24 de março de 2008

O canídeo à lupa


Vamos lá ao jogador de quem mais se fala nos últimos tempos - Pitbull. Tarik abriu um grande precedente no ano passado. Eu não me lembro de um jogador do FCPorto que tenha chegado sem convencer e, depois de ter sido emprestado, volte para ganhar um lugar na equipa. Poderá apenas ter acontecido com jogadores mais jovens que até já vêm com o intuito de rodarem antes de serem integrados no plantel. Há até o caso de Paulo Assunção, que dispensamos e tivemos que comprar novamente mais tarde, mas era um jovem quando chegou pela primeira vez ao Porto. É por isso que digo que Tarik deu um novo alento quer aos jogadores emprestados, quer aos adeptos. De tal forma que já se ouve falar de retornos ao plantel nesta altura. Fala-se de jovens como Paulo Machado e Bruno Gama, fala-se de Ibson cuja saída nunca caiu bem à maioria dos portistas, fala-se de Alan que está a fazer uma grande época no Guimarães europeu, mas sobretudo fala-se de Cláudio Pitbull. É de facto o ‘emprestado’ que mais se tem destacado.

Pontos Fortes

Bolas paradas – O grande problema do FCPorto. Há anos que conseguimos esse feito notável, para uma equipa que joga em futebol de ataque continuado, que é o de ter um índice de aproveitamento de bolas paradas a roçar o zero. Pitbull marca e bem todas as bolas paradas do Vitória. Claramente um ponto a favor.

Passe e Cruzamentos – Provavelmente o que me impressionou mais este ano. Uma jogada que o Setúbal utiliza muitas vezes é, em contra ataque, descobrir Pitbull que rapidamente coloca a bola longa e precisa nos pés de avançados rápidos como Matheus, Edinho e Bruno Gama. Isso e os cruzamentos têm feito dele um dos melhores assistentes da Liga - 7 (Só Lucho tem mais assistências - 10).

Golos – Pode jogar a extremo e a avançado, tendo sempre um bom sentido de baliza, sendo um jogador que vale golos.

Entrega – Terá sido talvez a única marca que deixou no Dragão da primeira vez que lá passou. Naquele ano de balbúrdia total, havia quem achasse que ele devia ter mais oportunidades por ser dos únicos que apesar de tudo mostrava alguma vontade. No Vitória continua a mostrar garra e luta por todas a bolas.

Pontos Fracos

Adaptabilidade – Foi emprestado a cinco clubes e só no quinto vingou. Poderá ter sido mal aproveitado por onde passou. O que me parece é que finalmente encontrou um sistema de jogo que o favorece. Ora o FCPorto não joga assim. Terá dificuldades em adaptar-se?

Velocidade – Não é nem nunca foi um jogador rápido com e sem bola. Atributo fundamental neste FCPorto de Jesualdo. Basta ver as dificuldades que Ibson teve para se afirmar. Parece bem melhor tecnicamente que muitos colegas como o Meireles, por exemplo, mas o nosso jogo exige mais velocidade e movimentação constante. Veremos se os outros atributos irão ofuscar a falta de velocidade.

Idade – Tem 26 ou 27 anos. Não é muito velho mas é uma aposta de imediato e com tantos jovens a aparecer poderá ser preterido se alguns deles explodir como Hélder Barbosa e Bruno Gama.

Concluindo, parece um jogador interessante e merece claramente uma oportunidade. No entanto, terá de demonstrar a garra e a vontade que Tarik de monstrou este ano porque antevejo que será difícil a adaptação ao nível de exigência do Dragão.

Equipa para Belém

Helton; Zé(Cech), Bruno, Emanuel e Fucile; Paulinho, Raul e Lucho; Lisandro, Quaresma e Tarik.

Nota: Meto o Tarik porque acho que o ‘catenattio’ de Jesus é mais vulnerável pelas laterais.

quinta-feira, 20 de março de 2008

Conversas de Café...

Hoje de manhã, como sempre, fui tomar o cafezinho matinal para despertar… No café, entre outras coisas que se ouvia, o futebol tinha de lá estar… contudo, estamos em Braga e, parece que não, embora saibamos que o Mundo é uma aldeia, aqui as coisas parecem estarem mais próximas… assim sendo, as conversas de café que assistimos contavam com intervenientes da nossa praça do futebol, bem conhecidos da generalidade das pessoas, principalmente dos membros deste blog que foram, durante anos, seus vizinhos… Do que ouvi, e que vai para este blog é o que diz respeito ao nosso FCP e da possível vinda para o Dragão de Matheus e Eduardo…

Isto poderá ser pura especulação, porque o que eu ouvi foi apenas um “feeling” da pessoa que falou, mas “feeling” mais credível que o das outras pessoas normais… Mas já que veio à berlinda, dou a minha opinião…
Matheus vem de encontro à necessidade de extremos que o FCP tanto precisa… é extremamente rápido e marca bem as bolas paradas, nomeadamente aqueles livres das laterais com a bola tensa para o desvio… contudo acho o ainda imaturo e um bocado individualista… é esquerdino, algo que não temos para a frente, tem técnica e um bom remate… aprovo…

Eduardo… vi-o pela primeira vez em Aveiro, ao vivo, curiosamente, quando no ano passado o FCP foi lá brindar o Beira-Mar com uma goleada… gosto… é português, está a fazer uma boa época no Setúbal e, a par de Beto, seria a minha terceira escolha para a selecção neste Europeu (merece)... Agora com o Nuno e o Helton, aprovo no sentido de o emprestarem novamente para rodar… mas sinceramente gosto do estilo…

segunda-feira, 17 de março de 2008

Reviravolta

Post curto.
Muito importante a reviravolta com que vencemos o Leixões. A equipa mostrou carácter, tendo enfrentado diversas adversidades: dois péssimos fiscais de linha, um bom guarda-redes, que até estava nos seus dias, e um golo mais que fortuito do adversário já na segunda parte. Mas a equipa reagiu em força e, ao contrário do jogo do Schalke, com organização. Gostei dos dois laterais que enfrentaram um belo artista – Jorge Gonçalves. É o tipo de extremo aguerrido, mas que no sábado resolveu passar o jogo ou no chão ou a reclamar faltas inexistentes (já sei que o Bruno merecia ser expulso por um entrada sobre ele mas foi caso único no jogo). Helton esteve bem, Lucho, Lisandro e Quaresma estiveram razoáveis e Tarik voltou a decidir quando já começava a não entusiasmar muito. Gostei da opção de Jesualdo por João Paulo e continuo a não perceber a insistência de Jesualdo em encostar Meireles a lateral esquerdo. Não era melhor tirá-lo? Não gostei da atitude do Bruno Alves que poderia ter-nos custado a vitória e não gostei de, mais uma vez, e a seguir a um golo sofrido, seguem-se sempre 5 minutos de desnorte. Uma última referência para a entrada de Adriano que finalmente fez um jogo em condições este ano.
Resultado, dá toda a ideia que frente ao Schalke perdemos a Champions, mas, com a atitude de Matosinhos, parece que ganhamos uma equipa. Veremos…

segunda-feira, 10 de março de 2008

Ressaca

Na ressaca do pesadelo da passada quarta-feira, duas evidências: a renovação de Jesualdo Ferreira e degradação do futebol que praticamos. Se a quebra anímica demonstrada contra a Académica é temporária, Jesualdo está para ficar. Se é para ficar vamos a objectivos:
Objectivos imediatos (parecem-me óbvios):

- Manter ou aumentar a vantagem no campeonato;

- Vencer a Taça de Portugal;

- Exigir a renovação de Paulo Assunção;

- Manter os níveis de motivação da equipa.

Objectivos a médio prazo:

Aqui é que está o que me preocupa. Se renovamos com Jesualdo assumimos que o projecto continua e como tal a exigência aumenta. Ou seja, o plantel é para manter, estimando no máximo duas saídas que servirão para abater ao passivo e compensar os resultados da actividade normal do clube, que sem as receitas de vendas de jogadores é claramente deficitária. É uma aposta à partida conservadora, mas julgo que deixará de o ser a partir do momento em que se estabelecerem objectivos claros. Um deles passará pelos resultados europeus. Chegar consecutivamente aos oitavos de final não é mau e quem dera a muitos. O problema que vejo é a incapacidade recente para defrontar grandes equipas, sobretudo no nosso estádio. Liverpool, Inter, Chelsea todos passaram com mais ou menos dificuldade por nós. É uma evidência. A nossa equipa tem já três anos e há que exigir mais. Mais do que pedir a Jesualdo que chegue aos quartos de final da Champions, tem de se pedir que finalmente comece a enfrentar “olhos nos olhos” os grandes da Europa. Basta de vitórias morais como a de este ano e a de Stanford Bridge! A garra dos jogadores na quarta-feira ajudou a esconder a incapacidade que temos para resolver nos momentos em que isso nos é exigido. Fizemos uma exibição muito mais de coração do que de cabeça. Onde está o dedo do treinador? Há 3 anos que temos um problema com as bolas paradas (tão importantes nestes jogos), onde está o trabalho de laboratório neste ponto fulcral no futebol moderno. Isto é só um exemplo e é isso que me preocupa. Sinceramente e apesar do bom trabalho interno, Jesualdo não me parece talhado para voos mais altos, mas há alternativas? Só se for no estrangeiro, mas todos sabemos, pelas más experiências recentes, que isso é um risco. Conclusão, a renovação de Jesualdo parece conservadora pelo perfil do treinador e respectiva integração num projecto que já dura três anos, mas é arriscado devido às dificuldades claras que ele tem demonstrado nos grandes campos. Onde está o sistema alternativo ao 4-3-3? Sempre que foi utilizado foi um desastre dando toda a ideia de que nem sequer foi trabalhado. Assim, apresento de forma mais sucinta a minha opinião: Aceito a renovação mas com as reservas do costume.
Equipa para Matosinhos:

Helton; Fucile, Bruno, P.Emanuel e Cech; Paulo, Raul e Lucho; Lisandro, Quaresma e Tecla.
PS: Em entrevista concedida ao jornal argentino Clarín, Lucho Gonzalez confessou sentir-se «muito bem em Portugal e no FC Porto». A satisfação do craque é sincera, ao ponto de ver uma chamada à formação das pampas como uma das poucas razões para justificar a sua saída da Invicta: «Alfio Basile, o seleccionador, gostaria de me ver em Espanha ou Inglaterra, mas, nesse caso, só iria pela selecção».

quinta-feira, 6 de março de 2008

Por falar em astrologia…



Ainda ontem falávamos aqui que para repetir a nossa caminhada na Europa de há uns anos atrás, não basta ter alguns dos melhores jogadores que alguma vez passaram pelo clube. Eu não tenho dúvida que Lisandro, Quaresma, Lucho ou Paulo Assunção são do melhor que alguma vez passou pelo clube. E nem estou a falar do treinador. Às vezes é preciso que as coisas saiam da forma certa e na altura certa. É a tal circunstância de alinhamento entre a Lua, Marte e Júpiter…

Ontem isso não estava a acontecer. Era um daqueles dias. Mas o que mais me impressionou é que ninguém se rendeu a essa evidência. Mesmo quando passamos a jogar com 10 empurramos furiosamente o adversário para a sua área. Que tremenda injustiça aconteceu ontem! Hoje acordei de forma diferente. Não liguei a TV com o volume nas alturas para acordar como é meu costume. Nem liguei o rádio no caminho para o escritório. Não quero ouvir falar sobre o que se passou ontem. Só tenho uma palavra para os jogadores que ontem defenderam as nossas cores: Heróis! Mais que em qualquer outro dia tenho a sensação que somos diferentes e não é só em Portugal. Mais que nunca é um orgulho ser Portista. Foi por isso que não saí do meu lugar enquanto o último jogador do FCPorto não saiu do campo. Queria aplaudi-los a todos sem excepção.


Ps: O árbitro mais uma vez não esteve à altura do jogo com um erro grave a nosso favor e uma mão cheia em nosso desfavor.

Ps2: Lamentável a debandada geral que houve no estádio quando Lisandro falhou o seu penalti. Será que a equipa merecia? Valeu a pena chegar 10 minutos mais cedo a casa?

Ps3: O post abaixo é muito injusto…

HARAKIRI(SMA)


...

terça-feira, 4 de março de 2008

E depois do amanhã???????


Há algum tempo que prometi fazer este post.

Porque amanhã se joga o jogo mais importante deste biénio e não pretendo associar estas minhas ideias a qualquer um dos possiveis desfechos desse jogo, tenho de o publicar agora.

Creio que o nosso F. C. Porto chegou a um momento onde se pede a maior astúcia àqueles que definem o destino do nosso clube. Esta equipa tem 3 anos. Somos um clube que, devido ao poderio económico dos clubes de outros campeonatos mas, sobretudo, devido ao fraquissimo nivel competitivo do nosso campeonato é obrigado a "reciclar-se" ao fim de 2 ou 3 anos.

Posto isto, digo-vos que é minha convicção que a renovação do Jesualdo está dependente do apuramento para os 1/4 da Champions League. Isto é, foi criado um grupo que está muito à frente dos adversários internos e tem uma grande vontade de se afirmar internacionalmente. Ou seja, na Champions League. Há jogadores do F. C. Porto que acreditam ser possível ganhar a Champions League esta época. Eu também, mas...

Tenho portanto dois temas: Jesualdo; plantel.

Começando pelo Jesualdo, insisto que não é treinador para o nosso clube - não o chateio mais se ganhar a Champions League :). Acho que, tal como o Mourinho fez, deviamos ter à-vontade e segurança com dois sistemas de jogo: 4x3x3 e 4x4x2. O primeiro é básico para o campeonato, enquanto o segundo seria importante para a Champions League. Sou contra as adaptações ao adversário, por sistema, mas temos de estar preparados para isso. Até para casos em que ficamos com 10 e passamos a jogar em 4x3x2, como o Mourinho precavia.

Não vou bater mais no Professor e passo para os jogadores. Se amanhã terminar a nossa campanha europeia desta época, o nosso balneário vai ser destruído. A motivação acaba e os jogadores vão passar a pensar no Euro e na próxima época. Sobretudo, onde vão jogar na próxima época!! Será um ciclo que se fecha! Zé Bosingwa e Quaresma seriam os primeiros que eu venderia. Acredito que não é dificil convencer o Licha a continuar por cá. Lucho é uma incógnita. Não consigo ter discernimento para falar do Lucho. É o meu jogador preferido. Há ainda o Bruno Alves. Vendia-o a partir dos €15M. Confio no Stepanov. Quanto ao Paulo Assunção, temo que vá para Lx... do mesmo modo que acredito que o Léo e, embora muito menos provável, o Rodriguez vestirão de dragão ao peito.

Relativamente a outras entradas, dava uma oportunidade a sério ao Pitbull e ia buscar o Geromel. Contratava o Mariano Gonzalez. A partir daqui os nossos dirigentes tinham de decidir se 2008/2009 é uma época de renovação total ou se faziam a aposta a sério na Champions League. Isto é, ou se atacavam jogadores-chave em equipas médias-altas ou contratavam-se jogadores jovens para tentar mais uma boa época na Champions daqui a 2 ou 3 anos.

Para deitar um pouco de lenha na fogueira, eu tentava raptar o LIEDSON! Não faço a minima ideia se isto é, minimamente, possível. Gosto muito do RIERA do Espanyol. E outros haverá de quem não me lembro agora.

Supondo que o Jesualdo não continua, o "meu" treinador é o Queiroz.

Bem, acho que o texto já está bastante confuso...

FORÇA PORTO!!!!!!!!!!!!!!!!!!

A CHAMPIONS É NOSSA!!!!!!!!!!!!!!

segunda-feira, 3 de março de 2008

Os suplentes

Mais uma vez fomos extremamente infelizes na finalização. Já tinha acontecido em Alvalade, mas ao menos desta vez não perdemos… No entanto, e dada a equipa titular apresentada e se juntarmos o jogo para a Taça com o Gil Vicente (fui um dos que foi ver o jogo) podemos fazer uma avaliação às opções que Jesualdo tem no banco.
Os que entusiasmaram
João Paulo - Jogou muito bem nos dois jogos. Seguro, rápido e extremamente empenhado em ganhar um lugar.
Mariano Gonzalez – foi o melhor em campo contra o Gil Vicente e arrancou muito bem no Bessa tendo caído a partir dos 30 minutos. Não deixa de ser uma surpresa mas parece que funciona assim com os nossos argentinos: basta um golo para que passem a jogar alguma coisa. Contra ao Gil fez de tudo: cruzamentos, dribles, passes para as costas dos defesas, recuperações, etc. Contra o Boavista, faltou-lhe maior acerto no passe final e perdeu muitos lances no um-para-um. Mesmo assim esteve bem mais activo que Tarik, Farias e Adriano. Será que é para continuar?
- Nuno – Uma grande defesa e uma exibição sólida contra o Gil deixam-nos confiantes, sobretudo se continuar a tremideira de Helton nos jogos importantes. Temos ali uma alternativa a ter em conta.
Os que não desiludiram nem entusiasmaram
- Stepanov – Apesar de ter jogado bem durante os dois jogos, teve uma série de 3 passes errados no jogo para a Taça, que resultaram em contra ataques perigosos. Ou seja, mais uma vez tem aquelas paragens de cérebro, mas ao menos não resultaram em golo. Gostei mais do João Paulo.
- Lino – Apesar de apoiar bem o ataque e ser bem melhor que Quaresma nas bolas paradas, defende pessimamente. Todo o ataque do Gil Vicente veio do seu lado e na maior parte das vezes ele nem está lá. Muito tenrinho para um jogador já com 29 anos.
- Farias – Jogou razoavelmente nos dois jogos mas falhou um golo incrível contra o Gil.
- Tarik – Foi dos melhores contra o Gil mas simplesmente não apareceu no Bessa tal como em Gelsenkirshen. Sinceramente, prefiro o Farias para o próximo jogo mas a escolha entre os dois terá de ser de acordo com as características dos adversários, nomeadamente a fragilidade dos laterais poderá favorecer Tarik, por exemplo contra o Benfica.
Os que desiludiram
- Kaz – Parece desmotivado e, sobretudo, preso de movimentos. Só parece querer mostrar serviço ao nível do remate quando, provavelmente, teria de mostrar mais em termos de empenho.
- Hélder Barbosa – Muito nervoso e trapalhão. Esperava muito mais deste miúdo. Necessita de trabalho do treinador.
Destaques entre os titulares para Lucho, que tem estado cada vez mais a percorrer todo o campo e para a excelente segunda parte de Quaresma no Bessa e numa posição que não o favorece nada. Todas as esperanças dos portistas concentram-se nestes dois, mais Lisandro. Estou como muito medo de quarta-feira. Basta ver a sorte que tiveram os mouros na Alemanha…
Equipa para o Shalke:
Helton; Zé, Pedro Emanuel, Bruno e Fucile; Paulinho, Lucho e Raul; Lisandro Tecla e Quaresma