quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Fucilados!


Já sei! Começo a habituar as pessoas a estes trocadilhos fraquinhos... Mas foi mesmo o Fucile o grande destaque da equipa. Que grande jogo! Para além da garra que tem para dar e vender, secou completamente o Simulão e o Aguero tendo ainda tempo para ajudar Hulk no desíquilíbrio final do Atlético.

E o jogo esteve complicado. Nada que não se estivesse à espera. O Atlético de Madrid vale muito mais que os resultados que tem tido este ano. Aliás o único resultado que se aproveita foi a vitória no jogo de apresentação do auto-intitulado 'melhor clube do universo'... Mas é óbvio que o treinador também não ajuda. Imaginem um FCPorto com a dupla de centrais habitual e com Nuno André a lateral direito e com Maicon a lateral esquerdo. Parece ridículo, não parece? E depois há aquela história de jogar com 4 jogadores capazes de jogar na frente mas sem ninguém a rondar a área. Com isto tudo tivemos de aturar um futebol recuado, rendilhado e que só deixa de ser inofensivo quando o talento individual de Aguero e Forlan aparece. A verdade é que com isto eles conseguiram equilibrar o jogo e nosso, não muito famoso, actual momento de forma também não ajuda. Nem as boas exibições de Fucile, Bellushi, Mariano e Hulk serviam para desiquilibrar a coisa. A mudança acabou por vir do banco. Entra Guarin, recua Meireles e finalmente começamos a abrir o jogo e a criar perigo. Depois foi só pressionar até chegar ao golo. E que golo! Esta é mesmo a jornada dos golos de calcanhar. O de Falcao foi melhor que o de Arshavin mas não foi melhor do que o golo que gelou San Siro e que vimos ao intervalo no ecrã do Dragão. Com isto damos razão aos que defendiam o recuo de Meireles para a posição 6 em vez do Tomás Costa. (também damos razão a quem acha que não deveríamos ter gasto 4 milhões no Prediguer...) A verdade é que esteve bem Jesualdo pela alteração efectuada. E os calimeros de Espanha lá tiveram que sair resignados.(não sei se repararam mas resisti à tentação de meter aqui outro trocadilho fraquinho, desta vez com o nome do treinador espanhol...)

Uma última referência para os adeptos. Como é que um jogo destes não esgota o Dragão? Juro que não percebo...

Equipa para defrontar a Equipa B:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Álvaro Pereira; Fernando, Raúl Meireles, Belluschi e Rodrigues(Mariano); Falcao e Hulk.

Confrontos Ibéricos...

A recordação da semana é um confronto com mais um histórico clube espanhol que se atravessou no nosso caminho antes da senda vitoriosa da época 2004... Contudo, ao contrário do jogo de hoje, esta foi mais uma partida "a brincar"... trata-se do jogo de apresentação da época 1995/96 no Estádio das Antas contra o Deportivo da Corunha, em que se realça o hattrick de Domingos e a estreia auspiciosa de Grzegorz Mielcarski...

Hoje é, possivelmente, o encontro mais importante da fase de grupos da Champions League... Não precisamos marcar tantos (mas gostávamos)... apenas queremos a vitória....

domingo, 27 de setembro de 2009

Andávamos a precisar de mais Hulk


Voltei a não poder ver o jogo. Como tal, em vez de uma crónica do jogo, vai ser uma crónica do resumo e um apanhado das opiniões portistas que fui recolhendo.

Todos me disseram que entramos muito fortes no jogo, o que me agrada bastante., visto que vínhamos de um jogo péssimo. Também me parece que o Hulk pintou a manta o que é uma óptima notícia para a recepção ao Atlético de Madrid. Belluschi parece que reagiu muito bem à perda da titularidade e Falcao continua a não enganar. Também me foram dizendo que não conseguimos controlar convenientemente o jogo quando passámos a jogar contra 10. Dizem-me que Meireles e Mariano foram os destaques pela negativa e aqui espero bem que Rodriguez recupere para quarta-feira.

No resumo que vi deu para comprovar estas ideias, mas adicionalmente, vi também uma boa exibição de Helton e algumas distracções defensivas graves. Vi também uma grande exibição de Rui Patrício o que para mim é surpreendente, visto que o acho muito fraco.

Mas o que sobra mesmo é o regresso de Hulk aos grandes jogos e logo num clássico. E todos nos queixámos no ano passado de algum apagamento de Hulk nos grandes jogos, se exceptuarmos o jogo em Madrid. Sobrou também a Calimerice pegada no final do jogo. Não vi nada que pudesse dar razões de queixa e mesmo assim, com todo aquele berreiro, retiraram mais uma vez o enfoque da nossa exibição com as queixinhas do costume. Ainda há de chegar o dia em que o Sporting irá aceitar uma derrota, como ainda há de chegar o dia em que o Benfica vence sem um penalti a seu favor, etc. Entretanto vamos gozando como a máxima de Paulo Bento: Betencourt e companhia: Calimerice forever!

Para o jogo com o Atlético recomenda-se a mesma equipa com Rodriguez, se possível, e com Tomás Costa no lugar do castigado Fernando.

Equipa para o regresso da Champions:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Álvaro Pereira; Tomás Costa, Raúl Meireles, Belluschi e Rodrigez; Hulk e Falcao

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

A Identidade de Ivic...

O FCP dos últimos 30 anos já teve muito caras e esta foi mais uma delas... Tomislav Ivic e o seu catennacio puro, asseguraram uma importante vitória contra o Sporting numa época em que já começava a tremer a sua continuidade do Porto que mais tarde se veio a confirmar...

O jogo é em Alvalade... Ivic deixa de fora da convocatória Kostadinov que chegara tarde dos confrontos internacionais da selecção búlgara e apresenta os seus habituais 3 centrais e ainda Paulinho Santos à frente deles... A imagem do golo do Porto é bem elucidativa do nosso posicionamento... Aparece Couto e Zé Carlos na zona mais recuada e Aloísio à frente deles, sendo este último, num chutão para a frente, que isola Domingos, o qual marca logo nos primeiros minutos o único golo do encontro...

Sábado, mais do que tudo, a Vitória é muito importante...



Outras Notas...

- As entrevistas de Pinto da Costa e Tomislav Ivic...
- Aquele moço alto, com pouco estilo de jogador da bola, que aparece ao lado de Domingos após o golo de seu nome Vinha que viria a ser decisivo na conquista da Taça de Portugal dessa época já com Bobby Robson no comando da equipa...

terça-feira, 22 de setembro de 2009

IDENTIDADE: CAMPEÃO!



A última vez que fiz uma "riskaralhada" foi após a primeira mão, em Madrid, nos oitavos de final da última edição da Champions League.
Não é segredo para ninguém que eu faço parte daquele grupo de adeptos que não gostam nada do Jesualdo. Se calhar somos os únicos que não percebemos nada de futebol mas não é isso que está em causa. O que está em causa é que eu, tal como os que percebem, gosto de ver futebol e, do meu ponto de vista, o problema do nosso clube esse e é recorrente. Já vai no 4º ano que não jogamos futebol, salvo algumas excepções, quando devia ser ao contrário!

Obviamente, o Jesualdo não é tão mau como eu o pinto. Aliás, no final da última época reconheci-lhe mérito na forma segura como o Porto ganhou o campeonato depois de um Novembro tão negro. Não menos óbvio é o facto de a solução, ou parte dela, ser nada mais, nada menos, do que aquilo que muitos já vinham defendendo desde Setembro.

Ora, no início desta época, muito me surpreendi ao ver que o Jesualdo tinha integrado no onze titular 4 jogadores novos, ou seja, quase metade da equipa era nova. Resultado: 1 supertaça e, à excepção da primeira jornada, resultados volumosos e exibições parcialmente muito agradáveis, apesar de a qualidade do jogo ser intermitente. O facto de haver 4 jogadores novos não seria alheio a essa intermitência.

Eis senão quando, chegados ao primeiro jogo "a sério", em Stamford Bridge, e o homem volta à estaca zero!!! Quando chegamos ao único jogo da Champions em que podemos, de forma objectiva, testar a equipa, o mister inventa, altera a equipa, e joga para o pontinho, tal e qual como fez na maior parte dos jogos da sua longa carreira. Ou seja, na ânsia de obter um pontinho no único campo onde lhe era permitido perder, não só perdeu o jogo, como perdeu um onze, como terá retirado níveis de confiança a Varela e, sobretudo, a Falcao e Belluschi... os mais prováveis substitutos de Licha e Lucho.

Lançou Guarín e correu-lhe bem porque o rapaz fechou os olhos, deu um berro e foi com tudo para o campo. Escusava era de ter corrido um risco absurdo de perder definitivamente um jogador internacional. Bem, ele lá sabe o que se passa durante a semana nos treinos e, por isso, tenho que lhe dar o devido beneficio da dúvida mas... lançar um jogador num jogo da Champions que ainda não tinha um único minuto em jogos oficiais pelo clube esta época não me pareceu muito sensato.

Quatro dias depois, a visita ao líder do campeonato. Como o espaço mais visitado na rede dedicado ao Braguinha se chama "SuperBraga", Jesualdo não quis correr riscos e, de modo a poder equilibrar as forças no meio-campo ultra-musculado do Braga com Vandinho, Viana e Mossoró - tudo jogadores com mais de 1,85 e 85 Kg - apresentou um onze onde pontificavam 3 médios defensivos - Fernando, Meireles e Guarín.... Ora, saia um valente foda-se para a minha ironia!

Posto isto, chego ao ponto que me interessa debater: IDENTIDADE!

Na semana anterior ao embate com o "xélci" falou-se muito em "identidade" e que o Porto iria manter a sua identidade.

Eu só tenho 28 anos e sou um privilegiado porque me habituei a ver o Porto a ganhar e a JOGAR PARA GANHAR em qualquer campo deste Mundo. Às vezes, penso que se tivesse na casa dos cinquentas e tivesse estado 19 anos sem ver o meu clube ser campeão não seria tão exigente e/ou impaciente.

A verdadeira identidade do Porto é aquela que faz os onze estarolas que envergam o nosso emblema jogarem, em qualquer campo, sempre sem medo e com coragem. Respeitar o adversário não é temê-lo! Para quê tentar o "jeroajero" e depois acabar os jogos com 5 avançados??? Só se for para dizer que se tentou tudo para, pelo menos, empatar! Nada mais falacioso!

O Porto que eu amo vai ao Chelsea, ao Barcelona, ao Real ou ao Milan e joga o jogo pelo jogo. Na maior parte das vezes perde, algumas vezes até por 2 ou 3 golos de diferença mas vai ganhar pelo menos uma vez!, o que já é mais do que as vezes que o Jesualdo ganhou nesses campos! E o Jesualdo levou 4 do Arsenal e do Liverpool, por exemplo!

Neste ponto, gostava que o Icas me desse uma ajuda. Tem tudo a ver com as hipóteses e com o longo prazo. Ao jogar sempre para ganhar, no longo prazo, ganhará mais vezes do que se jogar para o empate e o Porto tem de pensar no longo prazo, já que o longo prazo do Porto é o presente pois estamos consecutivamente a defrontar os colossos do futebol mundial!

Nos 3 campeonatos que o Jesualdo ganhou, sem dúvida que o segundo foi imaculado mas, e os outros?

Será que o trabalho do Jesualdo foi assim tão positivo???? Eu não gosto do Paulo Bento e não quero, de forma alguma, dizer que o Jesualdo é inferior ou até do nível do Paulo Bento mas, se formos objectivos e compararmos os recursos dos vasquinhos com os nossos, não terá o Jesualdo deixado um pouco a desejar...

Eu não me esqueço que, por exemplo, na época passada, atingimos os 1/4s de final da Champions mas também não me esqueço que não marcamos nenhum golo nos jogos em casa, quer dos 1/8s quer dos 1/4s, nem que fizemos um campeonato bem melhor fora de casa do que no Dragão! Lá está!, o "meu" Porto ganha os 15 jogos do campeonato em casa!

E vou insistir neste ponto: Jogar para Ganhar! É isto que me custa não ver o Porto fazer. Preferia ter levado 3 em Londres mas ter assumido o jogo desde inicio e não esperar que o Hélton fosse o melhor jogador em campo, preferia ter massacrado o Braga e a bola não entrar de jeito nenhum, como por vezes acontece, e perder o jogo num lance fortuito ou num penalti bacoco como aquele que o Álvaro Pereira fez. Dói-me perder e pensar que não podia haver outro resultado porque não nos impusemos, porque não fomos humildes e trabalhadores!

Caralho!, qualquer jogador do Porto ganha mais num dia (considerando 30 dias de trabalho num mês) do que a maior parte dos adeptos ganham em 2 meses!! Vamos, nós adeptos, ter de ter paciência e compreensão com os macaquinhos que os jogadores têm no sótão??? Vamos, nós adeptos, ter de puxar pela equipa até à exaustão mesmo quando os jogadores ou não se aplicam ou não têm forças para se aplicar?!?!? Já há muito tempo que bato nesta tecla. A equipa é que tem de puxar pelos adeptos! A equipa tem de mostrar que merece os sacrifícios dos adeptos! Logo, logo, os adeptos deixam de ser tão exigentes e tudo entra numa espiral positiva.

ATENÇÃO QUE NÃO ESTOU A DEFENDER QUALQUER MASSA ASSOBIATIVA! APENAS E SÓ OS PASSIVOS!

Já agora... O Kaká teria lugar no onze do Jesualdo? E o Aimar? E um outro 10 qualquer? Vamos jogar sempre em contra-ataque? Vamos fazer do Hulk um novo Quaresma? Vamos dar oportunidade aos novos? Vamos poder ver jogadores como o Rabiola, o Ukra e o Castro no nosso plantel?

O posicionamento do Hulk, a falta que o Rentería ou outro ponta de lança possante faz, sobretudo para poder segurar a bola e distribuir nas alas, e outros devaneios tácticos deixo-o para o Prata.

Eu só queria mesmo falar daquilo que me dói actualmente: o meu Porto tem uma crise de identidade...

P.S. O Penta será nosso... e com Jesualdo!

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Mau!

Ora aí está uma exibição preocupante e o mínimo que podemos dizer do jogo do FCPorto no sábado é que foi mau! É que escolhemos fazer a pior exibição da época logo frente a um adversário directo (pelo menos para já) na luta pelo título. E para piorar perdemos pontos para a melhor equipa do universo graças ao 15º penalti de que beneficiaram e ainda vamos na 5ª jornada… (o de ontem é no mínimo ridículo…) Mas não serão os 5 pontos de distância para o Braga nem a super sabedoria de Jorge Jesus que me preocupam. O que preocupa é esta recaída da equipa para o nível exibicional demonstrado em Paços de Ferreira. Isto depois de todas as melhorias notadas na equipa nos últimos jogos da Liga e até no jogo de Londres.


Muitos portistas tendem nestas situações a dizer que a derrota até foi boa que é para ver se a equipa acorda. A verdade é que me custa um bocado perder cada vez que se joga mal, sobretudo quando alguns dos nossos adversários não demonstraram sempre um futebol minimamente aceitável. Temos o exemplo do Sporting nos últimos dois jogos e do Benfica ontem e em Guimarães. E depois também me posso interrogar sobre o que é que o Braga que até jogava em casa fez para ganhar o jogo. Fez pouco e acabou por marcar com uma felicidade só comparável à nossa quando o árbitro resolveu não marcar penalti naquele lance insano do Álvaro Pereira. Por isso é para mim óbvio que o resultado mais justo era o empate, mas ao contrário do que aconteceu na quarta-feira, ficámos com a sensação que pouco fizemos para que o resultado fosse diferente e aqui temos um problema.


Vamos aos restantes problemas detectados. Jesualdo abusou demasiado da sorte. Fê-lo ao apostar novamente em Guarín e perdeu. Fê-lo ao trocar Falcão por Farias demasiado cedo e acabou por ter de avançar um central nos últimos minutos. Fê-lo ao jogar com Hulk, Varela e Falcão e perdeu o meio-campo. Eu próprio tinha aqui sugerido a inclusão simultânea desses três mas já percebi que não é possível ter uma equipa equilibrada com esta solução. Individualmente voltei a gostar de Fucile e Varela e pouco mais. Pelo contrário, não gostei novamente de Hulk e continuo com pesadelos com as capacidades defensivas de Álvaro Pereira. Mas quanto a Hulk, há que dizer que continua a ser bastante mal tratado pela arbitragem. Aquele amarelo é inacreditável. E depois acho que deveria ter sido Guarin a sair em vez do Meireles. Por último gostei da entrada de Rodriguez e do seu desempenho na função de interior esquerdo. Parece que esta poderá ser a melhor maneira de aproveitar o futebol de Belluschi que assim poderia jogar mais adiantado. Por mim jogava assim já com o Sporting na próxima jornada. Perante as dúvidas criadas em Braga não se esperará menos do que uma resposta cabal na próxima semana frente ao Sporting.


Equipa para a recepção aos calimeros:


Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Álvaro Pereira; Fernando, Raul Meireles, Belluschi e Rodriguez; Falcão e Hulk.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

45 minutos chegaram...

Tal como no passado sábado, o vídeo da semana recorda um jogo do campeonato nacional da época 1995/96 em que a primeira parte foi suficiente para decidir o jogo e também com uma goleada... É o resumo de um jogo contra o quase extinto Campomaiorense, agora pelos distritais de Portalegre, em que conseguimos argumentar em três vertentes para justificar o vídeo da semana...

Em primeiro lugar, e como já referido, é um jogo parecido com o do Leixões, pela goleada imposta e pelo jogo ter ficado resolvido na primeira parte... em segundo lugar, porque na equipa de verde está a jogar um jogador que, incrivelmente, anos mais tardes se catapultou para o futebol inglês, tendo tido a sua maior expressão, precisamente, no Chelsea... e por último, para recordar mais 2 golos do nosso Domingos, com o qual nos vamos reencontrar já amanhã no Estádio Municipal de Braga...

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

A verdade é que perdemos


Poderão dizer tudo o que quiserem e são muitas as atenuantes que vêm à cabeça:
- Nunca lá ganhámos;
- A maldição dos jogos em Inglaterra existe mesmo;
- O golo da vitória é muito feliz;
- Das últimas vezes que lá fomos, se exceptuarmos a última vez em Manchester, poderemos pensar que o facto de não termos sido goleados até é bom;
- Jogámos melhor que o Chelsea em várias alturas do jogo nomeadamente a partir dos 50 minutos na segunda parte;
- Chegámos a encosta-los às cordas;
- Enfrentámos um plantel de outra galáxia;
- Cech esteve inspirado e roubou-nos o golo várias vezes;
- Etc., Blá blá blá e todas as outras razões e desculpas de calimeros.

A verdade é que perdemos, e que as desculpas pouco interessam! E se deu para perceber que esta equipa está bem melhor que a equipa que no ano passado foi a Londres jogar com o Arsenal, também percebemos que há ali coisas que não correm bem ou que poderiam correr melhor. Primeiro e para mim o pior de todas: Guarín foi o nosso melhor jogador de campo e só a grande exibição Helton superou o colombiano. Mas já não estava na altura de parar com estas brincadeiras de chegarmos aos grandes jogos e lançar os Marek Cech's, os Guarín's e os Valeri's? Jesualdo insiste em deixar-nos a pensar no que aconteceria se tivéssemos jogado com o nosso melhor onze, se tivessemos jogado com o Falcao ou o Varela, se o Hulk não tivesse que jogar de costa para a baliza, etc. É óbvio que Guarín correspondeu de uma forma nunca vista e que Jesualdo vai dizer que sempre acreditou nele, que o vê treinar todos os dias e que sabe o que ele vale. Bullshit! Na verdade Jesualdo vive para este seu pequeno prazer de arriscar e tentar surpreender o treinador adversário. Mas quantas vezes resultou? Deixo o repto a Jesualdo: PÁRA COM ISSO! Segundo sintoma que não gostei foram as substituições. Percebo, embora com muito esforço, que Mariano tenha jogado mas não percebo que nao tenha saído aos 30 minutos de jogo. Outra coisa preocupante é a forma física de Rodriguez. O homem parece pesadíssimo e deveria ter saído logo na altura em que saiu o Mariano que até já saiu tarde. Percebo que Jesualdo não tenha arriscado meter uma frente com Hulk, Varela e Falcao de início, mas não percebo que se tenha demorado tanto a perceber o subrendimento de Rodriguez e Mariano. Ou até o subrendimento crónico do Raúl Meireles. Seria uma candidato perfeito para a entrada de Farías no assalto final à baliza do Chelsea. Relembro que nem fizémos a terceira substituição. Pelo menos eu não me lembro. De resto, não gostei da exibição descontrolada de Fernando que além de ajudar a isolar Anelka no golo, terminou em beleza. Para mim o pior em campo a seguir a Mariano. Dos destaques positivos, tivemos um excelente Helton e um Guarín bom, um Fucile em bom nível e boas entradas de Falcao e Varela. Hulk esteve bem até perto do final onde insiste em fazer tudo sozinho e já não é a primeira vez que faz isto...

Mas foi apenas o primeiro jogo e houve em Madrid um resultado que nos deixa em óptima posição para resolver a passagem cedo. Isto porque na eventualidade nada improvável de ganharmos o próximo jogo em casa ao Atlético de Madrid, poderemos atingir os 9 pontos nos dois jogos com o APOEL. Não me parece nada de transcendente.

No sábado acaba o estado de graça do Braga do Domingos:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Álvaro Pereira; Fernando, Raúl Meireles e Belluschi; Varela, Falcao e Hulk.

domingo, 13 de setembro de 2009

Vamos ao que interessa

Infelizmente não pude ver o jogo e pelo resumo pouco se pode comentar. Apenas notei que foi uma primeira parte forte demais com Alvaro Pereira e Hulk em destaque e uma segunda parte em descompressão onde sofremos novo golo de bola parada. Mas o que importa é o que vem aí. É na Champions League que se joga futebol a sério e vamo-nos estrear logo em Londres com o Chelsea. Julgo que Jesualdo deverá regressar ao 4-4-2 com Rodriguez a fazer o quarto elemento meio campo, o que me parece bem. Temo no entanto que Jesualdo meta na frente Hulk e Varela em vez de Falcao. Julgo que valeria a pena tentar aproveitar o facto de Bosingwa não jogar e tentar aproveitar aquele lado através de Hulk ou mesmo de Álvaro Pereira. Mas para isso funcionar, julgo que funcionaria melhor com Falcão.

Equipa para Londres:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Álvaro Pereira; Fernando, Raúl Meireles, Belluschi e Rodrigez; Hulk e Falcao.


Antecipando que não poderia fazer a crónica habitual, preparei algo de diferente. Fica aí a minha primeira experiência na edição de video numa homenagem ao FCPorto naquele que é o maior palco de futebol do mundo, a Champions League.


sexta-feira, 11 de setembro de 2009

A Liga Fantástica Está de Volta...

Nós estamos lá... na verdadeira... mas nesta qualquer um pode participar...
Este ano o nosso blogue também tem uma mini-liga no conhecido jogo da Uefa Fantasy League, participa e junta-te a nós...

Regista-te aqui...
Código de acesso à Basculação League: 24954-6734

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Super- Polícia do Meio-Campo...

Em dia da deslocação à Hungria da Selecção Nacional, fomos ao arquivo relembrar a apresentação do primeiro jogador húngaro que tenho memória no plantel portista... o seu nome é Péter Lipcsei e ainda joga com 37 anos no Ferencváros, clube húngaro onde o FCP foi o contratar...

A peça é fantástica porque faz-nos recordar momentos únicos... o FCP apresentava-se para época 1995/96... a nossa equipa tinha perdido duas peças que tinham sido importantíssimas na época anterior, mais concretamente Kulkov e Yuran... para os seus lugares apareciam os desconhecidos Lipscei e Mielcarski...

O momento mais hilariante para mim nesta reportagem da TVI é o batalhão de repórteres junto de Bobby Robson (mais uma bela recordação) e o gajo da TVI que deve ter pensado para ele: "vou ficar aqui com este gajo e falo com ele sobre as contratações..."... resultado vê-se ele a falar "sozinho" com o "special" tradutor e ao fundo todos os outros repórters ao redor do Mister Robson... Mourinho a falar já era fantástico...



NOTA: Se tiveres vídeos que queiras recordar fala connosco para basculacao@gmail.com e pode ser que numa das próximas quartas aparece esse vídeo caso exista no nosso arquivo... se quiseres ser avisado sempre que o nosso blogue é actualizado, envia-nos também um e-mail e nós adicionamos-te à nossa mailing list...

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Notas soltas

Depois das férias, mais 15 dias sem futebol. Por muito que eu goste da selecção, nunca é a mesma coisa e nem consegui ficar muito incomodado com o empate injusto (até só vi os últimos 10 minutos), até porque custa queixar-me de infelicidade depois daquele milagre que foi a vitória na Albânia. Mas não deixa de ser uma vergonha a mais que provável ausência de Portugal do próximo campeonato do mundo. Pior de tudo: em 7 jogos temos 10(?!) pontos... Não há milagres. Mas também não posso deixar de reparar que a Dinamarca não é a única surpresa deste apuramento e que nós também não somos a única desilusão. Se repararem temos perto do apuramento a Eslováquia, a Suíça, e a Sérvia em grupos onde desiludem a Républica Checa, que até já está afastada, a Grécia e a França que ainda têm hipótese através do playoff. Mas nada disto ameniza o facto que a nossa Selecção jogar muito pouco dada a composição do onze com alguns dos melhores jogadores da Europa nas suas posições e não é por termos jogado bem num jogo que acabámos por empatar injustamente que essa imagem de mediocridade vai desaparecer. Por muito que me custe, cheira-me que quarta-feira dizemos adeus definitivo ao Mundial.

Quanto ao nosso FCPorto, mais quinze dias com treinos em que apenas temos 11 ou 12 elementos. Pior de tudo, e pelo que vejo na classificação actual, arriscamo-nos a não ter nenhum jogador no mundial o que vai fazer com que de certeza passemos a ter jogadores nas selecções mas para gozar férias em jogos a feijões, ou seja, voltaremos a treinar com 11 ou 12 mas meramente para que as Federações continuem a ir facturando uns cobres, cobres que não facturaremos com valorizações de jogadores nas suas selecções... O que vale é que não costumamos precisar disso para vender bem.

Por falar em vender bem, que dizer do Colón? Conseguir a melhor venda de sempre vendendo um jogador a um clube que pelos vistos não precisa dele e que nem o inscreve na champions? Ainda por cima venderam um trinco a um clube que detém o passe do melhor trinco a jogar na Argentina? Ainda por cima por 4 milhões e tal... Mas nem é isso que me incomoda visto que, há um ano, achei que 5 milhões de euros por 50% do passe do desconhecido Hulk era caro... Esperemos para ver o tipo jogar mas, para já, a sua não inclusão na lista da Champions é uma pista... E depois, já todos conhecemos Bolatti e duvido que ele hoje em dia seja um jogador que tenho evoluído do Quintana argentino para o jogador estilo Fernando Redondo de que se fala... Mas se o Bolatti é o melhor, como será o segundo melhor ou o terceiro melhor? Medo!

Outra questão que isto levanta é a da composição do plantel. Se repararam apenas inscrevemos 22 jogadores na Champions. Segundo notícia d'O Jogo com sublinhados meus:«Cada clube pode apresentar duas listas, a A e a B, sendo que na primeira, para além de 17 jogadores sem qualquer tipo de restrições, os lugares do 18 ao 25 estão reservados para jogadores formados localmente: quatro lugares obrigatoriamente ocupados por jogadores formados no clube - que entre os 15 e os 21 anos tenham passado três épocas inteiras ou um período de 36 meses no clube - e quatro lugares para jogadores formados em Portugal - elementos nas mesmas condições dos anteriores que tenham estado registados em clubes portugueses durante o mesmo período. Ora, no plantel do FC Porto, apenas Bruno Alves cumpre os requisitos para ser inscrito como formado no clube, o que implica a perda das restantes três vagas para jogadores nessas condições. Sendo assim, o FC Porto só tem 22 vagas na lista A.» Aqui duas questões. Para quê contratar um jogador caro que sabemos que não poderemos incluir na competição mais exigente em que participámos? A outra questão é que continuamos a ver muito pouco do tal Projecto Visão 611. Já sei que cada vez que se fala disto me vêm com o argumento do costume:«Preferes que tenhamos uma política de calimeros jovens como a do Sporting?» Resposta: lógico que não! Mas estámos a comparar o 8 com o 80 e neste caso julgo que se não conseguimos chegar ao 44 (meio termo), ao menos que consigamos 4 ou 5 jogadores que sirvam ao plantel principal e não apenas aos clubes do meio da tabela da Liga Sagres e à Liga Intercalar. Realço que do período em causa de 2006 a 2011, já estamos bem perto do final... Já devia haver resultados.

Outras notas:

- Continuo a rir à gargalhada com as capas do jornal do regime benfiquista. A melhor é a história do exterminador que tão implacável que espera sofrer apenas mais 5 golo até ao final da época... Que delícia!

- Adorei a resposta de Deco a Madaíl em relação aos prémios da Selecção.

- Gostei também da entrevista de Sérgio Conceição. Pena que o Sérgio padeça do síndroma Marinho Pinto e como tal, pela forma como diz as coisas, não dão a devida atenção ao que disse e que foi grave, nomeadamente no que toca à relação das grandes marcas na gestão das equipas. E todos nós nos lembramos da marca desportiva que obrigou o Ronaldo a jogar a final do Campeonato do Mundo após uma noite em que não dormiu e que passou abraçado à sanita à 'virar o barco'. Não é ficção. Isto existe mesmo.

- Liedson lá se estreou pela selecção e parece que isso despertou uma onda de naúsea patriotista que considero estranha. Então dois é bom mas três é demais? Está bem que se está a chamar um gajo aos 31 anos, mas alguém tem dúvidas que ele é um dos dois melhores pontas-de-lança com nacionalidade portuguesa? Só tenho pena é de ele ser chamado numa altura em que está longe da melhor forma.

- Continuo a sofrer com os golos de Luís Fabiano. Já sei que entretanto tivemos Lisandro, Lucho, Hulk, etc. mas custa-me nunca termos aproveitado um talento daqueles... Relativamente a Diego não me custa tanto...

- Também continua a doer o tratamento dado a Anderson pelo Alex Ferguson. Será que estou assim tão enganado ao achar que o gajo tem futebol mais que suficiente para a esta altura já ser um dos melhores médios ofensivos do mundo? Ainda por cima quando joga, joga a trinco ou extremamente recuado...

- Ao contrário das minha previsões Chelsea não só não está piorar com Ancelotti, como está a melhorar a olhos vistos. O que vale é que parece que Bosingwa e Drogba não jogam na primeira mão... Ainda assim acredito que Ancelotti ainda vai conseguir estragar aquilo.

Equipa para a recepção ao Leixões (custa tirar Varela da equipa):

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Álvaro Pereira; Fernando, Raúl Meireles e Belluschi; Rodriguez, Falcao e Hulk.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Contos e Pontos...

O recente sorteio da Champions League fez-nos ir ao baú ver jogos históricos desta competição desde que começou a ter este formato... Na sua segunda edição e já na fase de grupos (apenas eram 2 grupos de 4 equipas), o Campeão Português recebe e vence o Campeão Alemão... um resultado aparentemente renhido, mas que até 4 minutos do fim se cifrava em 3-0 para os dragões...

Noite memorável em que fica na retina um grande golo de Rui Jorge e o facto de, momentaneamente, o Estádio das Antas ficar às escuras em plena noite da liga milionária... o relato é de Gabriel Alves e, só isso, já é um grande motivo para rever esta peça...

Uma última nota para o último golo do Werder Bremen... muita classe... o estranho mesmo é ter sido um neozelandês a fazer aquilo... pensei que eles nem sabiam que futebol existia...

Agora desfrutem...