quarta-feira, 30 de abril de 2008

Arrepiante...

Palavras são poucas para descrever todo o simbolismo que este jogo tem para mim… É o primeiro que a minha memória se lembra de ter ido ao Estádio das Antas… Completamente a abarrotar… Tive lá 2 horas antes do jogo começar e poucos eram os lugares vazios lá dentro… Lembro-me de jogar à moedinha encostado à rede da Superior Norte para ajudar o tempo a passar…

Para situar os mais novos, o FCP jogava em casa, na última jornada do campeonato, contra os últimos para se sagrar campeão nacional, dependendo só de si… Contudo a 30 minutos do fim perdíamos escandalosamente, em casa, contra o Sporting da Covilhã que já estava matematicamente na segunda divisão… a partir daí é deliciarmo-nos com o meu primeiro ídolo, de seu nome Fernando Gomes, um símbolo do nosso FCP, do tempo em que se jogava por amor a camisola…

Agora desfrutem…



Outras Notas do Vídeo…

- A classe de Rabath Madjer…
- A velocidade de Futre…
- André, o pulmão da equipa, com uma jogada divinal no terceiro golo…
- Elói, um pés esquerdo fantástico, como se pode ver naquele livre…
- O aspecto do Estádio das Antas… estupidamente cheio…
- E claro… Gomes… se não tiverem tempo coloquem o vídeo nos 3m26s… e aí as imagens falam por si… pode não ter sido o golo mais bonito que vi nas Antas, mas foi, o primeiro que me marcou de forma especial…
- Última nota para os festejos do 9… o sentimento que lhe vai na alma é bem visível…

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Apesar de alguns não merecerem…


É uma discussão antiga aqui no blog: Quaresma. Eu já tinha aqui avisado que Quaresma vinha crescendo de forma depois de um período menos brilhante, em que chegou até a ser assobiado no Dragão. Mas reparem que usei a expressão ‘menos brilhante’. Não foi por acaso. É que num período de ‘abaixamento’ de forma, Quaresma é sempre muito superior à grande maioria dos jogadores e por isso, na minha opinião, Quaresma nunca roça a mediania. Basta uma trivela, um cruzamento ‘de letra’, um toque de calcanhar, nem que seja num jogo que até não esteja a sair como de costume, para se perceber que está ali alguém que pode mudar o rumo do jogo a qualquer altura. E isso atemoriza qualquer adversário. Os nossos adversários sabem que pode sair dali algo impossível de marcar ou mesmo de travar em falta, e os nossos jogadores também o sabem. É por isso que todos procuram Quaresma na altura em que a nossa habitual vantagem sobre as outras equipas - o colectivo - não funciona. Mas então qual é o problema de alguns Portistas com o Quaresma? Por que é que dizem que o nosso sistema está refém do Quaresma? Por que é que quando se pergunta qual das nossas estrelas podemos dispensar, se responde sempre Quaresma? Dizem que é o seu feitio e a sua aparente displicência nalguns lances. É caso para dizer que em relação a Quaresma, os adeptos do FCPorto são insaciáveis. Quanto mais ele faz, mais se lhe exige. Quanto mais ele se aproxima da perfeição, como no jogo de ontem, mais se lhe exige que ele seja mesmo perfeito. O jogador que não perde uma bola. O jogador que tenha o perfeito equilíbrio entre o talento e a táctica. Um jogador menos impulsivo. Pois eu gosto do Quaresma como ele é. Quaresma é sem dúvida um dos dois jogadores com mais recursos técnicos que eu vi no nosso FCPorto (Deco estará ao mesmo nível). Gosto de exigir sempre mais, mas o que fazem com Quaresma é um exagero. E ele, em campo, até parece não se importar muito com isso. Porém ontem, na entrevista que deu no final do jogo, Quaresma demonstrou mais uma vez que é bem melhor a expressar-se no campo do que cá fora. Não concordo com este tipo de intervenção e confronto com os adeptos, mas reconheço-lhe alguma razão. Porque dizem que nunca irá dar um talento de nível mundial? Já não é? Porque não? Porque ainda joga no FCPorto… Mas não vejo muitos clubes onde Quaresma não faça falta… Arsenal, Liverpool, Real Madrid, Inter, Milão, Juventus… Para mim, ele era titular ‘de caras’ nestas equipas. Dizem que não o vêm buscar por causa do seu feitio especial. Pois se eu fosse presidente de algum clube (cenário muito provável…) e se algum director desportivo ou treinador me dissessem que não queriam um jogador por causa do seu feitio, imediatamente tomava a decisão de os demitir.

Vem aí um dia em que os portistas vão acordar e não vão ter este génio no clube. Se calhar vai ser preciso que esse dia chegue para que muitos percebam o luxo que foi ter um predestinado como Quaresma durante tanto tempo no nosso FCPorto.

Quanto ao ‘massacre de Guimarães’, para além da sublime exibição de Quaresma, gostava de destacar Helton que parece estar de volta à forma que relegou o grande Vítor Baía para o banco, e para Mariano Gonzalez, que apesar de estar a jogar para o contrato, já demonstrou ter qualidade mais que suficiente para pertencer ao plantel. Um último destaque para o falhanço no entendimento entre Bolatti e Assunção. Para mim está claro que, ou joga um, ou joga outro. Mas esta equipa é mesmo insaciável...
Equipa para a despedida no Dragão:

Helton(c/ Ventura a entrar para os minutos finais); Zé, Emanuel, Bruno e Fucile; Assunção, Raul e Lucho; Quaresma, Tarik e Lisandro.

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Emil Kostadinov...

Em semana de clássico, a recordação da semana estaria inevitavelmente relacionada com um FCP – SLB, mas neste caso na Luz (Época 1990/1991)… No passado Domingo, todo o destaque foi para um homem, de nome Lisandro Lopez… No jogo que hoje vamos recordar esse destaque foi para Emil Kostadinov, num célebre empate a duas bolas no antigo Estádio da Luz, tendo intervenção directa nos dois golos da nossa equipa, primeiro andando às voltas com o Fernando Mendes (então lateral esquerdo dos encarnados) e depois, no segundo golo, finalizando da melhor forma um rápido lance de ataque…



Outras Notas do Vídeo…

- Donde veio aquele 16 do FC Porto??? Baltazar??? Quem é que se lembrou de o ir buscar???
- Baía, até a sofrer tem estilo…
- O golo de Rui Águas, muito bom, à ponta de lança…
- Os festejos (a gana) de Kostadinov no segundo golo…- Lembro de ouvir este jogo na rádio e de muita emoção vivida entre os 15 minutos que fizeram que o resultado passasse de 1-0 para 2-2… Domingos empatou aos 57m, Rui Águas passou o Benfica à vantagem aos 68m, mas aos 72m Kostadinov voltava a restabelecer a igualdade… outros tempos…

segunda-feira, 21 de abril de 2008

O homem do ano




Mais ou menos a meio da segunda parte Lisandro demonstrou a todo o país e especialmente aos benfiquistas porque é que somos campeões. Penso que foi Raul Meireles que, ou centrou demasiado curto ou falhou um passe, Lisandro que era dos que estavam na área, ao ver que a equipa estava desequilibrada saiu a fumegar tentando alcançar Rodriguez com um atraso de 15 metros em relação à bola. O resultado foi o que todos adivinhavam. Lisandro não desiste de uma bola e nem o melhor jogador da outra equipa poderia fugir à inevitabilidade de ser desarmado. Isto é a fibra do FCPorto Campeão! Lisandro é neste momento a nossa maior bandeira. Se calhar, dificilmente nos lembramos de uma equipa do FCPorto com melhores argumentos técnicos. Quaresma e sobretudo Lucho, elevam com a sua habilidade, o futebol da equipa para patamares inatingíveis a nível nacional. Mas o nosso FCPorto sempre foi mais coração que técnica! Tivemos sempre grandes jogadores mas sobressai sempre o colectivo! E neste momento e neste plantel quem personifica melhor a fúria portista é Lisandro. Por isso, e por muito que tenha marcado dois extraordinários golos, o ponto alto da nossa exibição de ontem foi uma recuperação de bola. À minha volta muitos fomos os que nos levantamos eufóricos como se de um golo se tratasse. É por isso que depois de ter aqui destacado os três jogadores mais influentes do conjunto dos três campeonatos conquistados, tenho de destacar o melhor jogador do campeonato 2007/2008: Lisandro Lopez.

Quanto ao jogo, poderão dizer que marcamos na nossa primeira (meia) oportunidade, ou que não jogamos o habitual na primeira parte, mas o resultado foi de uma inevitabilidade que só uma grande equipa pode transmitir. Tratava-se de um clássico. Os tais jogos de tripla, de resultado impossível de prever em teoria. Mas será que passou pela cabeça de alguém que o resultado iria ser outro que não a vitória do FCPorto? Muitos (até eu me deixei ir na onda) exigiam uma goleada mas tal não se pode pedir ou planear. O próprio treinador (?!) do adversário disse no final que vinha com intenção de pontuar e isso diz tudo. Não encontro nenhum outro jogador para destacar porque, tal como na quarta-feira em Setúbal, todos estiveram muito bem. Apenas queria destacar a entrada de Mariano Gonzalez que constituiu a estocada final. Mérito para Jesualdo pelo timing da substituição. Por último, e em género de 'last but not least', que grande ambiente vivemos ontem no Dragão! Simplesmente arrepiante!

Há tempos postamos aqui um vídeo do FCPorto campeão com Ivic. O vídeo vinha acompanhado da seguinte observação: «Demasiado cedo o FCP garantiu o título de Campeão Nacional, acabando a época com 15 pontos de avanço sobre o segundo classificado, numa época em que a vitória apenas valia 2 pontos...» Ou seja, podia até parecer que era uma vantagem inatingível nos dias de hoje, mas como podem ver pelo o quadro abaixo não estamos assim tão longe, e relembro que este campeonato tem menos jogos…



Com isto pretendo dizer que ainda há objectivos e entre eles está o de conseguir a maior vantagem de sempre. Ontem dei-me ao trabalho de pesquisar:


(Não fui mais para trás porque aí os campeonatos tinham menos equipas e as vantagens foram sempre diminutas)

Como podemos ver essa foi mesmo a maior vantagem que alguma vez conseguimos e está neste momento ao nosso alcance. Não faltam objectivos até ao fim da época…

Equipa para ganhar em Guimarães:

Helton; Zé, Stepanov, Bruno Alves e Fucile; Bolatti, Lucho e Raul; Mariano, Lisandro e Farias.

Ps: Não esqueçam de votar os melhores da liga aqui

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Um Senhor Chamado Mly…

Mais precisamente Joseph Mlynarzick

O vídeo desta semana no nosso blog recua novamente 20 anos para recordarmos os quartos de finais (rectificação by Lucho nos comments) da Taça de Portugal de então... Depois do empate caseiro a 2-2 nas Antas, houve necessidade de se realizar um segundo jogo, para decidir quem chegaria à final do Jamor, no Estádio do Bessa… Lembro-me te ter siso um jogo a meio da semana e de tarde, apresentando, mesmo assim, uma moldura humana extraordinária, como se pode ver nas imagens (outros tempos)… o resumo é curto… pouco ou nada se vê… mas não deixa de ser sublime na parte final…



Destaques:

- O bilhete de Mly na execução do penalty…
- A classe de Mly nos festejos… simplesmente, um Senhor…

________________________________________________

Adenda sobre o o jogo de ontem:(by prata)

Não querendo deixar de comentar o jogo de ontem, não poderia tirar do topo do nosso blog mais um video/preciosidade do Lamas. Por isso ficam 3 pontos muito breves:
1- Deviam-se exigir fortunas só para se ver o Lucho jogar. Aliás não me estou a lembrar de nenhuma exibição abaixo de 'Bom' na equipa de ontem do FCPorto. Destaco naturalmente Bosingwa que também fez um grande jogo, Raul Meireles e Lisandro que mesmo quando os outros já se limitavam a segurar a bola, insistia que queria marcar um golo. Que grande atitude! Jogador à FCPorto!
2- Já todos conhecíamos o olho de lince dos comentadores da TVI, mas os da Sic não lhes ficam atrás. Para além de transformarem insistentemente o recital técnica que demos ontem num simples 'demérito do Vitória', conseguiram encontrar 1 penalty e duas explusões contra os nosso jogadores... Cada vez mais me convenço que o cérebro deste Jorge Batista tem mesmo ligação directa ao intestino grosso. Quem não se lembra daquela sua frase «Vitor Baía é o maior flop da história do futebol português»?
3- Todos esperamos no Domingo uma das vitórias mais claras de sempre sobre este adversário. Para tal basta que joguemos com a nossa equipa habitual.

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Está perto a queda do mito


Hoje apetece-me falar dos nossos crónicos inimigos os cor-de-rosinhas. Poderão dizer que a nossa superioridade tem sido tão grande que já nem vale a pena perdermos tempo com a ‘instituição’. Dirão que eles até nem os favorecimentos claros de que dispõe aproveitam… Mas não podemos deixar que as nossas vitórias nos deixem distraídos perante o que está a acontecer. O actual presidente da ‘instituição’ faz-me lembrar, em tudo, outra personagem que por lá esteve. Tal personagem gozou durante anos de uma total impunidade até ao dia em que os adeptos, por causa dos resultados desportivos decepcionantes, o deixaram cair. E logo que isso aconteceu começaram a cair-lhe em cima processos e mais processos que culminaram na sua prisão. As semelhanças são claras. Ambos chegaram ao poder com a mesma táctica: uma ofensiva feroz ao nosso Presidente Pinto da Costa. Basta isso para, naquelas paragens, se criar um mito de um presidente. Essa táctica consegue cegar de tal forma os adeptos, que não percebem as semelhanças entre estas duas figuras. Então esta negociata de terrenos com uma empresa municipal de Lisboa não tem semelhanças com o caso Euroárea que levou Vale e Azevedo a uma pena de cadeia? Então o caso Mantorras não é semelhante ao caso Ovchinicov? Não haverá apropriação duvidosa de fundos dos clubes nos quatro casos? Quem não se lembra do uso constante da força e da intimidação sobre a oposição interna e sobre jornalistas no tempo do referido líder benfiquista? Não é parecido com o que se passa actualmente? Basta lembrar o caso (convenientemente abafado) da semana passada em que houve agressões a jornalistas quando tentavam captar um encontro (supostamente acidental) entre Hermínio Loureiro e o presidente da instituição. E os relatos disto, onde estão? E o Estoril-gate? Se a CMVM consegue ter matéria suficiente para multar José Veiga por falsas declarações, ou seja, ele tinha mesmo o controlo de grande parte das acções da SAD do Estoril enquanto exerceu funções no benfica, porque não se ouve falar de nenhuma investigação? Resposta: impunidade conferida a presidentes do clube com mais adeptos (até quando?) de Portugal.

Há total impunidade deste senhor e neste país só há uma maneira de isso acabar: os nossos resultados no campo. A nossa equipa está a cilindrar o melhor plantel do século do nosso adversário e isso preocupa os seus adeptos. Ainda por cima os nossos jogadores emprestados continuam a ajudar noutros campos. Alan ajudou a elevar o Vitória de Guimarães a uma possível Champions League. Pitbull trouxe o Vitória de Setúbal a patamares tais, que ainda põe em pânico os clubes da segunda circular. Luís Aguiar destruiu a defesa benfiquista com a sua exibição de sexta-feira. É em campo que nós lutamos, por muito que tentem convencer todos do contrário. Na sexta, quando vi lenços brancos, constatei que poderá estar a acabar a era deste sósia de Vale e Azevedo. Com certeza que os lenços não eram para Chalana, que nem consegue articular uma frase que seja… Queriam-nos convencer que este treinador finalmente tinha posto a equipa a jogar futebol. Ou não seria antes uma tentativa de esconder o facto de que nenhum treinador em condições querer vir treinar o benfica sem que esteja garantida a champions… Era óbvio que os problemas continuavam lá e nada como uma humilhação em casa para por a nu uma realidade: os adeptos perderam a paciência com o seu presidente. Aguardo pacientemente a queda deste mito e com isso, espero que seja devidamente responsabilizado judicialmente por todas estas impunidades.

Por falar em mitos, no sábado assistimos à criação de uma coisa parecida. «O segundo golo do FCPorto é irregular.» Parece que toda a gente concorda menos os Portistas. E já falei com alguns que acham que é mesmo verdade. Não sei se a minha cegueira clubista me impede de ter um julgamento correcto, mas acho claramente que um jogador que fecha os olhos, vira a cara e tem o braço junto ao corpo não tem a intenção de dominar uma bola rematada a 30 centímetros. É a minha visão do lance… Quanto aos 45 minutos que durou o nosso jogo, gostei. Os suplentes responderam bem à chamada, com excepção de Nuno. Acho que nunca o tinha visto jogar tão mal e espero que acorde para a próxima terça-feira. Até no lance do golo pareceu que podia ter feito mais. Aliás toda a equipa parou. Eu sei que o facto ‘Hugo marcar um golo de fora da área’ é tão improvável como um Portista sair satisfeito depois de uma sessão de cinema com um filme realizado por João Botelho e escrito pelo seu marido Leonor Pinhão, mas como é óbvio, o FCPorto de há duas semanas a trás não o deixava rematar com aquele à vontade… Também não se deixava apagar daquela forma na segunda parte em que claramente não jogamos. Stepanov continua a parecer um grande jogador, mas continua a ter uma média de duas paragens de cérebro por jogo. Bolatti jogou bastante bem na primeira parte. Lino não comprometeu na defesa como de costume e só perdeu lances quando estava 1 para 2. Kaz apareceu bem no ataque mas dá muito espaço na defesa. Mariano continua a provar que merece que seja exercida a opção sobre o seu passe. João Paulo esteve sóbrio como de costume e aqui gostaria de deixar uma preocupação minha. Para que é que precisamos do Rolando? Será que não dá para perceber que qualquer central do plantel é melhor? Mesmo no mercado nacional há tantos melhores: Geromel, Robson, Geromel, Rodriguez, Geromel, Diego Ângelo, Geromel… Uma última palavra para o Ricardo Quaresma que está crescer de forma de uma maneira que só pode entusiasmar os Portistas e os adeptos da Selecção Nacional.

Equipa para o segundo ‘round’ do Sado: (tem mesmo de ser a melhor equipa)

Nuno; Zé, P. Emanuel, Bruno e Fucile; Paulo, Raul e Lucho; Quaresma, Tarik e Lisandro.

PS: O Leixões está mesmo na iminência descer. Espera-se que a cidade em peso saia em apoio ao clube como aconteceu no ano passado, senão…

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Recuar 20 anos...

Há 20 anos atrás tivemos um campeonato muito similar ao que estamos a presenciar este ano... Demasiado cedo o FCP garantiu o título de Campeão Nacional, acabando a época com 15 pontos de avanço sobre o segundo classificado, numa época em que a vitória apenas valia 2 pontos... Lembro-me de ter ido ver o jogo que abaixo pode ser visionado, mas pouca foi a festa... Pouco tempo antes tinhamos sido Campeões Europeus, vencido a Supertaça Europeia e culminamos com o Título de Campeão do Mundo do Clubes... penso que foi um campeonato ganho e encarado com normalidade... A grande festa iria-se fazer na última jornada do campeonato, recebendo em casa o eterno rival (finalista da Taça dos Campeões Europeus desse ano) e despachando-os com uns claros 3-0 (grande exibição de Jaime Pacheco) e concretizando os incríveis 15 pontos de vantagem...



Destaques do Vídeo...

- Os livres do Celso...
- O número 7 do Rio Ave... de seu nome Isaías...
- O quinto golo do FCP na típica jogada João Pinto/Jaime Magalhães/Gomes...
- O golo à meia volta do Gomes... Execução perfeita, apesar de anulado...
- Uma última nota para as condições (aparentemente rafeiras) do ginásio do FCP da altura...

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Três heróis do TRI


São muitos os obreiros do segundo TRIcampeonato da nossa história, mas eu gostaria de destacar três jogadores. Poderíamos falar dos dois treinadores (sobretudo Jesualdo), do nosso presidente, e de grandes jogadores que nos deixaram entretanto. Mas, na minha opinião de adepto, foram três os jogadores que seguraram a equipa em patamares de qualidade muito superiores à concorrência interna. Quaresma, Lucho e Paulo Assunção foram mesmo as traves mestras do TRI. Foram eles que seguraram a equipa perante as saídas de Anderson, Pepe e Mcarthy. Foram eles que seguraram a equipa perante as oscilações de forma de Adriano, Helton, Postiga, etc. A magia de Lucho, o pulmão de Paulo Assunção e o talento puro de Quaresma chegam a dar a ideia de que só estes três chegariam para ganhar o campeonato nacional... Numa segunda linha queria destacar Zé Bosingwa, Raúl Meireles, Bruno Alves e Lisandro. E com isto, gostaria de dizer que este ano, e com este conjunto fantástico de jogadores, perdemos uma boa oportunidade de pregar uma partida na Europa. Por isso, passa pela cabeça dos Portistas que, mais que pensar em contratações, há que pensar em manter esta equipa porque só assim poderemos transpor o nosso inequívoco domínio nacional lá para fora.
Relativamente à festa, não podíamos pedir mais ou melhor. Seis (!?) golos, exibição de gala, estádio cheio para ovacionar aqueles simplesmente trucidaram a concorrência de tal forma que somos a primeira equipa campeã em toda europa do futebol. Temos nesta altura 18 pontos de vantagem sobre o segundo classificado e não faltam, por isso razões para continuarmos a nossa caminhada de vitórias, mas eu destaco uma: conseguir uma vantagem histórica sobre o segundo classificado. Se com 18 pontos já temos gente a pedir que seja a polícia judiciária a intervir (com certeza pretende que sejam eles a apitar os jogos…), imaginem uma vantagem final superior a 20 pontos. Não é difícil de imaginar pois não?
Por último, queria só dizer que senti menos entusiasmo nos festejos deste ano. Poderá ser só impressão minha mas não deixemos que, por acontecer constantemene, um campeonato se deixe de festejar à nossa maneira: Em apoteose e nos Aliados!
Equipa para Setúbal:
Nuno; Zé, Stepanov, Bruno e Fucile; Paulo, Kaz e Lucho; Tarik, Quaresma e Lisandro.
(Apesar de ser preciso dar minutos a alguns jogadores, é para ganhar e por isso não faço muitas alterações tirando o Nuno, para ganhar confiança para a taça, e os castigados)

terça-feira, 1 de abril de 2008

Dia de Alegria

Hoje é um dia diferente. Vejo mais caras alegres. É obvio que a notícia de ontem não afectou o minimamente ânimo dos Portistas. Estou a falar dos outros. E aqui estou a falar de dois tipos de adeptos de futebol. Há os que quando se trata de futebol conseguem fazer a ligação ao cérebro e, como tal, têm perfeita noção que isto não vai dar em nada e estão apenas contentes por nos verem metidos nesta embrulhada. Há os outros que, incapazes de filtrar minimamente os factos em causa, estão convencidos de alarvidades baseadas nos seus desejos mais profundos, como a irradiação de Pinto da Costa ou a descida de divisão do FCPorto. Outros mais comedidos, mas num raciocínio igualmente desfasado da realidade, falam em perda de 6 pontos a contar no início do próximo campeonato. Nada disto é sequer possível e maior parte dos jornais dá conta disso exceptuando o já habitual Correio da Manhã que na capa tem"Apito dourado tira 6 pontos ao dragão". Claramente um facto consumado... Depois há um panfleto que se distribui nos semáforos, o Destak, que diz que o FCPorto pode mesmo descer de divisão...

Uma coisa é certa: Vamos festejar já no próximo sábado o TRIcampeonato. E da maneira como os nossos adversários se agarram a estas futilidades deixo uma lista que vai nos vai dar jeitonos próximos anos: bi, tri, tetra, penta, hexa, hepta, octo, enea, deca…