domingo, 28 de fevereiro de 2010

Penta só daqui a seis anos


Será precipitado atirar a toalha ao chão? Lógico que sim. Mas como racional que vou tentando ser, não posso no meu perfeito juízo, achar que vamos recuperar 9 pontos dadas as circunstâncias em que se tem desenrolado este campeonato. E aqui incluo a falta de consistência da equipa e sobretudo as circuntâncias estranhas e adversas que rodeiam o campeonato. Será quase impossível, mas não admito que não se tente vencer todos os jogos até ao fim do campeonato.

O jogo de ontem foi penoso e foi uma sombra do que uma equipa do FCPorto deve ser. A imagem que tenho em cima é a do teste do balão. Exijo que seja feito o teste aos jogadores que ontem entraram em campo. É que houve ali lances que só a embriaguez pode explicar. Alguém acredita que Raul Meireles, Bruno Alves, Varela, Ruben e sobretudo Mariano não estavam sob o efeito de alguma substância anormal? Se não estavam, não percebo como é que aquilo aconteceu. Só Falcao e Fucile pareciam estar dispostos a lutar por alguma coisa. É que estava o campeonato em jogo! Como é possível tanta passividade! Gastámos tudo na semana passada? Há um lance em que Liedson ganha 5 ressaltos! Sorte? Sim, mas está lá o pezinho e a fome de bola que nos faltou. Ontem ficou provado porque é que Fernando é titular e a sua importância nestes jogos. Péssimo jogo de Tomás Costa que ofereceu o terceiro golo tal como Mariano e Meireles ofereceram o segundo com uma perda de bola e uma entrada à bola quase caricatas. É que nem foi preciso o João Ferreira. Já sei que o primeiro golo é precedido de fora-de-jogo, que há uma simulação inacreditável do Miguel Veloso que não deu o segundo amarelo, mas como será possível reclamar coisas destas perante tal atitude da equipa? O Sporting joga zero! Mas ontem quis ganhar e conseguiu-o ao aproveitar as nossas ofertas.

E o pior de tudo é que nos arriscamos a ir parar a uma competição estranha como a Liga Europa...

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Não nos Levam a Dignidade...

Em tempo de mostramos a nossa indignação, o vídeo da semana vai ao baú para relembrar uma histórica reacção de Jorge Nuno Pinto da Costa... A 9 de Março de 1994, o então Ministro das Finanças, Eduardo Catroga, com o argumento que FC Porto tinha dívidas à Segurança Social e ao Fisco, manda penhorar diversos bens, chegando ao ponto de especificar, a retrete da cabine do árbitro do Estádio das Antas... no vídeo relembram-se alguns excertos do feroz discurso do nosso presidente face ao centralismo existente no nosso país e à diferença de tratamento a que o nosso clube estava a ser sujeito...

Ontem foi o início da demonstração da nossa indignação, menosprezada em alguma comunicação social, que terá de crescer exponencialmente de forma a mostrarmos a todos a tamanha revolta que vai dentro de nós... Fica aqui outra ideia, lançada por um dos nossos habituais leitores (levezinho), de enchermos o Dragão na recepção aos lampiões equipados a rigor, isto é, com um colete à steward (cada um de nós deve ter uma coisa dessas no carro) e em vez de termos 22 intervenientes no jogo, passamos a ter 50 mil intervenientes num jogo de futebol, mostrando, assim, toda a nossa indignação...

Agora o vídeo para recordar...



segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Categórico


Se dúvidas havia sobre a nossa capacidade de resposta à vergonha da passada sexta-feira, aí está a ela! E respondemos no campo aos ataques feitos, como habitual, 'por outro lado'. Atropelamos a equipa que esteve em primeiro desde a primeira jornada e 'espetamos' 5 golos a uma equipa que, em 19 jornadas, tinha sofrido 8. Ficou assim claro que estamos aí para a luta. E fizemo-lo em equipa e a escolha da foto não é um acaso. Representa a união do grupo que parece ser cada fez maior. Mas não é só a entreajuda que vai crescendo. Também o nosso futebol cresce a olhos vistos e isso dá-nos confiança apesar da difícil desvantagem pontual que temos para os dois primeiros.

Quanto ao jogo de ontem, pouco há a apontar. Voltámos a ter em destaque os que mais têm contribuído para este renascer da equipa: Falcao, Varela e Alvaro Pereira. Já nem tenho palavras para a qualidade de Falcao. Haverá alguma característica de matador que ele não tenha? E o Alvaro é um foguete no apoio ao ataque e volta a estar em 2 golos. Mas para mim o MVP foi Varela. Sozinho destruiu a defesa do Braga na primeira parte. E ainda por cima, consegue durar o jogo todo. Perante esta pulhice que estão a fazer ao Hulk, que seria da equipa sem Varela? É o nosso maior desequilibrador. Mas para além destes 3 toda a equipa este bem em especial o meio-campo onde Meireles e Rúben já se começam a entender. Na protecção, Fernando também esteve muito bem e voltou às boas exibições. Em suma, todos estiveram num nível tal que só poderá dar pesadelos aos que vão à nossa frente. Com este FCPorto, 6 pontos não é uma vantagem confortável.

Para terminar, e tal como prometido queria divulgar a manifestação de adeptos do FCPorto em frente às instalações da Liga de Clubes na próxima terça-feira. Isto está a ser organizado julgo que pelo blog portista 'Guerreiros da Invicta'. Já sei que manifestação é coisa de comunas e também me faz um bocado de impressão, mas não me parece que haja neste momento outra forma de responder a estes vis ataques de secretaria. A equipa respondeu no campo, agora é a nossa vez. Quantos mais adeptos aparecerem, maior impacto terá esta demonstração da nossa indignação. Eu estarei presente!



Equipa para atropelar os Vasquinhos pela segunda vez:

Helton; Fucile, Bruno Alves, Rolando, e Alvaro; Fernando (Tommy se ele não recuperar), Meireles, Rúben e Mariano; Varela e Falcao.

PS: Foi deliciosa aquela tirada da claque com a velhinha música do Domingos: «Domingos vem aí, o Porto vai marcar!»

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Filha da Putice


Se um político o pode dizer na TV, eu também posso usar aqui. É esta a melhor forma de descrever o que o ponta-de-lança benfiquista orquestrou com esta vergonha que hoje foi anunciada. Nada de novo e nada que surpreenda dado o acórdão que já tinha sido publicado num jornal. Até a atenuação já era esperada e foi hoje dito que atenuação não veio ao mínimo que seria de 3 meses. Outra coisa nova foi a explicação da suspensão preventiva. Diz ele que a culpa é de quem aprovou o regulamento. Falta saber porque é que esse regulamento não funcionou no caso do Vandinho por exemplo. E diz ele que também não concorda com a proporção dos castigos e que é injusto mas que se limita a cumprir o regulamento. Quer dizer, ele acha desmesurado mas não deu o mínimo ao Hulk que seriam 3 meses dadas as atenuantes... Enfim uma palhaçada daquelas que dificilmente eu assistiria em directo sem lhe ir às bentas!

O que importa mesmo é saber qual a reacção do nosso Clube. Aguardo ansiosamente.

A moda dos 5-2...

1 de Julho de 1983, Seninho joga pelos Chicago Sting e celebra 34 anos de vida. Como comemora? Marca 2 golos à antiga equipa - New York Cosmos - e contribui decisivamente para a goleada por 5-2. Anos antes, foi outro 5-2 (neste caso uma derrota mas na mesma com dois golos de Seninho) que lhe abriram as portas para uma reforma dourada (ver resumo do jogo uns posts mais abaixo)... Começo a pensar que Falcao vai ser transferido depois de ter bisado neste último jogo contra o Sporting na vitória por... 5-2!

Seninho foi uma das estrelas que pertenceu à equipa que devolveu o estatuto de Campeão Nacional após 19 anos de jejum, em 1977/78. Já tinha 28 anos e esta afirmação tardia é explicada pelo serviço militar que foi obrigado a cumprir em Angola, de onde era natural, aos 20 anos de idade. Só em 1974 regressa ao Porto e apenas em 1976 se afirma em definitivo na equipa comandada por José Maria Pedroto que viria a conquistar a Taça de Portugal nessa época. Por falar em Pedroto, rezam as crónicas (de alguns blogs) que em determinado jogo o Mestre pedia a Seninho para ir à linha e cruzar, mas o jogador decide flectir para o meio e à entrada da área desferir um potente remate que só acaba no fundo das redes. Pedroto, no meio dos festejos do banco portista, encolhe os ombros e diz "Ok, também está bem!".

Para quem nunca o viu jogar ao vivo, (eu também não vi mas disseram-me) fica a saber que Seninho era um extremo direito rapidíssimo com uma técnica fantástica, para além de aliar uma veia goleadora acima da média. Esta veia goleadora ficou bem patente em Old Trafford, no jogo que viria a marcar decisivamente a sua transferência para o futebol norte-americano (falou-se em 8 mil contos para o Porto e 12 mil para o jogador pelos anos de contrato), na altura a Arábia do futebol onde já jogavam Pelé e Beckenbauer, por exemplo.


É Seninho que conta na primeira pessoa como foi parar ao futebol norte-americano apesar do interesse de várias equipas europeias: "Eles estavam interessados em mim, no Oliveira e no Duda. Além disso, havia o AC Milan, o próprio Manchester e o Atlético Madrid, todos com interesse. Optei pelo Cosmos, por diversas razões, mas também devido a um telefonema do Pelé".

A derrota por 5-2 em Manchester não trouxe consequências de maior devido aos 4-0 com que o Porto brindou os ingleses nas Antas, contudo não nos livramos de alguns sustos... Ao intervalo, os reds já venciam por 3-1 e ainda viriam a facturar o quarto com 30 minutos para jogar. Seninho colocou ponto final na discussão da eliminatória mas só aos 85 minutos de jogo quando fez o 4-2. Ele conta como foram os golos: "No primeiro, fiz uma arrancada, driblei dois ou três adversários e rematei com o pé esquerdo. Como estava a chover ligeiramente, a bola ganhou muita velocidade quando bateu na relva e o guarda-redes não teve hipóteses"; e o segundo, Seninho, como foi? "Há um lançamento do Octávio, domino, consigo deitar o guarda-redes e como tinha pouca posição, tentei enquadrar-me com a baliza, já que estavam dois adversários em cima da linha. Depois, enfiei a bola no buraco, o ambiente era de doidos. Os cânticos dos adeptos ingleses fazia estremecer o solo, mas quando peguei na bola e deitei o guarda-redes, ficou um silêncio arrepiante, até ao momento do golo. Inesquecível".

Que sirva de inspiração para os jogos que se avizinham!


Cromo (1976/77)...



Cromo (1977/78)...



Carreira...

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Forever young


Tudo serviu para desvalorizar o resultado do FCPorto de ontem. E estava longe de estar previamente garantido que íamos ganhar. Fala-se sempre dos miúdos do Arsenal. Da sua irreverência a jogar e também da sua ingenuidade própria da juventude. Ora não é preciso exagerar. A maior parte daqueles jogadores já joga frequentemente na equipa do Arsenal e na Liga mais competitiva do mundo há 3 anos no mínimo e não deveria haver um único jogador do Arsenal que tivesse menos jogos europeu que Varela, Ruben e Falcao por exemplo. De facto os jogadores do Arsenal sofrem do mesmo síndrome que os do Sporting: forever young e responsabilização zero! Quanto a isso estamos conversados. Outra coisa. Alguém ouviu ou leu algum orgão de comunicação social falar de um FCporto desfalcado na deslocação ao estádio do Mar? Faltava Hulk, Rodriguez, Meireles e Alvaro Pereira. Como ouvi falar nos últimos dias de um Arsenal desfalcado, julguei que também faltavam no mínimo 6 titulares. Afinal faltavam 3. E quanto vi Walcott e Eboué a saltar do banco percebi que afinal não estavam assim tão mal.

Com isto chego à terceira manobra de desvalorização: o golo de Falcao. Todos falam de um golo caricato sem que se dê ponta de mérito ao jogador. Digo-vos que se fosse o FCPorto a sofrer aquele golo, rasgava aqui a defesa de cima a baixo. Era óbvio que o Ruben queria fazer aquilo e só os anjinhos do Arsenal não viram e não se precaveram para o facto de o nosso jogador ter tido tempo para tentar tirar a bola das mãos do Fabiansky, não conseguir, fazer queixa ao árbitro, esperar que o árbitro tire a bola ao guarda-redes e só depois marcar a falta curto para o Falcao. Perante tudo isto que fizeram os jogadores do Arsenal? Ficaram a assistir de cadeirão. Será, mais uma vez, a inexperiência de jogadores como Campbell na jovialidade dos seus 35 anos...

Quanto ao jogo, foi muito intenso e houve alturas em que andámos só a cheirar a bola. Falo do período de meia hora a seguir ao nosso primeiro golo. No resto do tempo, dominámos e fomos uns justos vencedores. Gostei da entrada da equipa da primeira e na segunda parte. Muito pressionante e solidária e com grande ascendente sobre um adversário que não é propriamente o último classificado da Liga Alemã. Gostei das exibições do Rúben, do Fucile apesar de alguns devaneios, do Varela e do grande Falcao. Para mim foi mesmo o MVP. Grande jogo! De resto só destacaria a notória falta de ritmo de Meireles e Hulk que deveriam até ter saído mais cedo. A Hulk, sem ritmo, falta explosão que é a sua maior virtude. Mesmo assim, concordei com Jesualdo quando este lhes deu a titularidade visto que vale mais este Hulk e este Meireles que o Belluschi e o Mariano na maior parte das vezes, sobretudo os que jogaram contra o Leixões. Na segunda volta será muito complicado. É uma equipa muito forte liderada por um Sr. Jogador que é Fabregas. Dali pode sair tudo. Erros infantis como os de ontem ou grandes jogos como o do ano passado na nossa visita a Londres.

Por último, uma palavra para Wenger. Sabe bem ganhar a este fanfarrão francês. Sabe bem ver ver a sua fanfarronice "ser comida de cebolada" pela inteligência de um jogador que se estreou ontem na Champions. Mas não dá para acreditar nos seus comentários ao nosso segundo golo. Diz ele que não se pode marcar rápido porque assim fica mais fácil que um penalti. Porque é que não se pode marcar rápido? Por ser na área? Por não dar jeito a Sua Excelência? Só há uma falta que não se pode marcar rápido que é o penalti. Com estas queixas, primeiro ignora completamente a incompetência dos seus jogadores quando, pressionados, atrasam a bola ao guarda-redes e quando ficam parados a olhar para a movimentação do Rúben. E depois tem má memória porque há uns anos marcou um golo semelhante que Jesualdo referiu, e bem, e que deixo aqui em baixo para recordar. Mas há uma pequena diferença. O golo de Henry foi marcado quando todos julgavam que o árbitro tinha dado tempo para a formação de barreira. Isto sim é chico-espertismo... Vemo-nos em Londres fanfarrão.



É escusado falar da importância capital do jogo que aí vem.

Equipa para a recepção ao Braga:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Alvaro; Fernando, Meireles, Ruben e Mariano; Varela e Falcao.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Humilhação Saborosa...

Em dia de competições europeias, o vídeo da semana teria de ser, obrigatoriamente, algum momento histórico da caminhada azul e branca pelos palcos europeus e, se possível, contra alguma equipa inglesa...

Desta vez, recuamos a um ano em que nenhum dos 5 basculantes andavam neste mundo, pelo que terão a oportunidade de ver, possivelmente, pela primeira vez, um mítico encontro em Old Trafford contra o Manchester United que garantiu o acesso do FCP aos quartos de final da extinta Taça das Taças de 1977/78 e que lançou na ribalta do futebol mundial Seninho que bisou na partida... esses 2 golos valeram-lhe o interesse do Cosmos de Nova Iorque, que, ficaram totalmente encantados com o seu jogo em Manchester e ofereceram um contrato de 12 mil contos mais oito mil contos para o Porto... uma fortuna na época...

O vídeo foi obtido no fantástico site de Luís Freitas Lobo e trabalhado de forma a revermos os golos do encontro... depois de impormos uma goleada na primeira mão nas Antas por 4-0 (hattrick de Duda e mais um golo de António Oliveira), os dragões foram goleados em Inglaterra por 5-2, mas estes dois golos saborosos de Seninho garantiram a passagem à fase seguinte da competição onde caímos aos pés do Anderlecht... o jogo fica ainda marcado com o bis de outro portista... o defesa Murça que conseguiu, incrivelmente, dois auto-golos...

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Alguém Vai Ter de Pagar...

A ansiedade para o jogo de amanhã aumenta e temos de mostrar daquilo que somos feitos...

Aqui fica o slogan promocional do FC Porto (inspirado, ou não, num dos posts do nosso blogue) para a primeira mão dos oitavos de final da Champions League...


FORÇA CAMPEÕES!!!
VAMOS PARA CIMA DELES!!!

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Não parece difícil...

Mas pelos vistos é. As balizas do estádio do Leixões tinham as medidas regulamentares, a equipa do Leixões é extremamente inferior à nossa, os nossos avançados estão em boa forma, etc. Um conjunto de vantagens que nem o péssimo relvado, o péssimo árbitro ou a pouca vontade dos jogadores do Leixões para jogar futebol chegariam para impedir a vitória do FCPorto. Mas a verdade é que aconteceu. E poderíamos falar daquela besta que não viu um penalti claríssimo mesmo em frente do seu nariz. Podíamos falar do facto de na segunda parte os jogadores do Leixões terem feito um figurinha indigna que será certamente premiada com a merecida descida de divisão. Podíamos até falar daquele campo de batatas onde decorreu a partida. Mas isso apesar de não ter ajudado, não foi o principal motivo que levou à perda de mais dois pontos. E que importantes dois pontos... A verdade é que empatámos porque fomos extremamente nabos em frente à baliza. Belluschi, Varela, Mariano e Falcao, têm todos em comum o facto de terem perdido oportunidades claríssimas de golo. Era um daqueles jogos em que tudo corria mal lá na frente e era preciso aquela pontinha de sorte para resolver. Não aconteceu e neste momento estamos numa posição bastante complicada. Na próxima jornada em vez de termos a possibilidade de ficar a meros 3 pontos do Braga lutamos para ficar a 5... Isto para nem falar dos 9 pontos para os que fazem as coisas por outro lado... Começa a ser muito ponto, mas continuo a acreditar até porque não vejo ninguém a jogar melhor futebol que o FCPorto e isso também se viu sobretudo na primeira parte do jogo de sábado.

Não quero com isto desvalorizar o erro de Bruno Paixão que vem no seguimento da total falta de vergonha e de dignidade em que se transformou este campeonato. Mesmo que aconteça o que eu desejo e acredito, que é a vitória do FCPorto, este será sempre o campeonato dos mais de 12 jogos de suspensão ao Hulk, do Ricardo Costa, dos consecutivos erros de arbitragem que beneficiam sempre o mesmo. Esta pulhice toda vai ter de acabar! Começa a ser demasiado e não temos maneira de aguentar. Algo terá de ser feito. Aceitam-se ideias...

Na quarta-feira voltamos a uma competição a sério. Ali temos uma boa oportunidade de repetir o feito do ano passado. Temos equipa para este Arsenal e convém resolver já a passagem no Dragão. Deixo abaixo o video com que lançámos a Champions deste ano. Para recordar e para motivar para quarta-feira.



(Que bons que eram os tempos em que podiamos ver o Hulk a fazer maldades destas...)

Equipa para a Champions:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves, Alvaro; Fernando, Raul Meireles e Ruben; Hulk, Varela e Falcao.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Mais uma oportunidade para sovar os vermelhos


Era o mais importante de ontem. De resto já desconfiava que iria ser um jogo sofrido. Íamos poupar alguns titulares, o que fez com que jogássemos com 'craques' incompreendidos como Guarín, Valeri ou Orlando Sá. Pelo que fizeram ontem incompreendidos continuarão. Outro destaque negativo foi o Miguel Lopes. Até vinha dando boas indicações mas foi ultrapassado constantemente e todas as jogadas de perigo da Académica foram por ali. E foi um milagre não termos sofrido nenhum golo dado o buraco na direita e dado o evidente cansaço de Alvaro Pereira. Valeu Nuno André que só não foi o MVP porque não marcou o golo que desemperrou o jogo. Mesmo Maicon entrou muito bem e é uma posição ontem podemos estar descansadinhos. Com isto chego ao momento do jogo. E preparem-se porque vem aí uma expressão que nunca disse ou escrevi e que também não sei se o irei fazer no futuro: Mariano resolveu com pura classe! Já estava a ser dos melhores mas de vez em quando lá vinha a trapalhada, até que faz aquilo. Chegou a ameaçar não fazer jus à sua condição de crónico reforço de inverno mas parece que afinal está aí para ajudar ao arranque final. Muito importante nesta fase de tantas lesões e castigos encomendados.

E assim lá vamos ter de ir ao Algarve. Para o Benfica nem irá saber à mesma coisa. É diferente quando não se joga com clube satélite em casa emprestada, ou com o Lucílio a apitar (imagino que depois das figuras do ano passado não será nomeado...). E, chatice das chatices, têm pela frente o FCPorto. A sova estava marcada para o Dragão, mas afinal vamos ter dois rounds. Dada a raiva que temos acumulada que tenham o que merecem!

Ps: Não tenho pena nenhuma dos vasquinhos mas continuo deliciado com a falta de vergonha desta gente. Então o mesmo árbitro que não expulsa o Luisão quando este pontapeia um jogador do Nacional no chão, expulsa o João Pereira em Alvalade aos 5 minutos. Não que me choque o segundo caso isolado, mas parece-me estranhamente conveniente este súbito ataque de rigor.

Ps 2: Mais uma dica para toda esta gente que anda nos favorzinhos ao clube da Luz: Há lá um gajo que arranja malas da Louis Vuitton e que tem um serviço de entrega ao domicílio. Será que também faz entregas em Matosinhos? Não sei é se o Leixões está a pagar o suficiente aos seus jogadores para que eles se lancem nestes devaneios de moda...

Equipa para Leixões se não recuperar mais ninguém:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Alvaro Pereira; Fernando, Rubén, Belluschi e Mariano; Varela e Falcao.

FC Porto 3-0 GD Chaves (86-87)...

A recordação da semana é uma espécie de homenagem ao reaparecimento do GD Chaves na ribalta do futebol nacional, o qual, na semana passada, assegurou a presença, pela primeira vez, nas meias finais da Taça de Portugal...

Longos foram os anos que a equipa flaviense esteve na primeira divisão, chegando mesmo a conseguir alcançar uma presença nas competições europeus... recordamos um jogo da época 1986/87 no Estádio dos Arcos em Vila do Conde, casa emprestada do FCP enquanto se procedia ao rebaixamento do Estádio das Antas... O jogo terminou 3-0 a favor dos azuis, sendo que no resumo falta o primeiro golo da partida, destancando-se o terceiro golo da autoria de Elói, com classe e frieza na hora de finalizar...

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

GLORIOSO, GLORIOSO, NOS TÚNEIS ÉS PODEROSO*



O Diário Económico presenteou-nos ontem com um artigo simplesmente fabuloso, satirizando totalmente a vergonha dos casos que envolvem túneis e uma determinada agremiação que tem tido o azar de ser actor principal em todos esses casos.

O autor desse artigo fantástico chama-se João Marques de Almeida e, além de ser Professor Universitário, é membro da equipa do Presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso.

Reza assim o "O campeão dos túneis"*

O génio criativo do nosso país ofereceu um novo desporto à Europa e ao mundo: o “tunebol”. Explico. Quando as duas equipas de futebol se encontram nos túneis que ligam os balneários ao relvado, após provocações de figuras contratadas para o efeito, inicia-se uma cena de pancada entre os jogadores.

O vencedor será aquele que não reagir e que, portanto, mais pontapés e murros levar. Convém lembrar que o "tunebol" está limitado aos clubes que lutam pelo título nacional. Ou seja, quem chegar a Dezembro/Janeiro em condições de ser campeão, participa no "mini-torneio" de "tunebol", para se clarificarem posições para a segunda metade da época. O campeão do "tunebol" ficará numa óptima situação para ganhar a liga.

De acordo com o seu estatuto de clube com mais títulos em Portugal, este ano o campeão do "tunebol" foi o Benfica. E não julguem que foi fácil. Exigiu muito trabalho e uma fina psicologia por parte de Jorge Jesus. Foi necessário repetir vezes sem conta, desde o início da época, aos seus jogadores: "se levarem um murro, dão a outra face para levarem um estalo". Imaginam o que deverá ter custado aos seus jogadores ouvirem, "se o Sapunaru te der um pontapé, vira a outra nádega para o Hulk te dar outro"; ou "se o Mossoró te der um estalo, dás a outra face para o Vandinho te dar um murro". E resultou.

Os jogadores do Benfica tornaram-se um exemplo de boa educação, de auto-controlo e de pacifismo. São já um exemplo para toda a Europa. Houve mesmo um jornal inglês que afirmou: a "Inglaterra deu o ‘greenpeace' ao mundo; e o Benfica deu o ‘redpeace'". Contaram-me que nas paredes do balneário, há cartazes do Dalai Lama por todo o lado. O presidente do Benfica estará a pensar convidá-lo para assistir ao jogo do título, para o apresentar como a grande inspiração da "nação pacifista". Já há mesmo quem diga que a única maneira do Sá Pinto e do Bruno Alves se emendarem é através de um estágio na Luz.

Mas o "tunebol" não se fica pelos provocadores e pelos jogadores; exige igualmente membros na Liga de Futebol com "olho de falcão", como se costuma dizer no nosso país. Pensam que é fácil olhar, através de gravações, para um molho de dez jogadores e vinte braços e perceber que foi o Hulk ou o Vandinho os únicos a agredirem. Experimentem ver as imagens e vejam se é fácil. Por fim, não há datas para terminar o mini-campeonato do "tunebol". Se um dos olhos de falcão voltar às imagens daqui a três meses e perceber que afinal o Helton, ou o Hugo Viana também agrediram, far-se-á então justiça. Nunca é tarde para punir quem bate. "Glorioso, glorioso, nos túneis és poderoso"; eis o novo grito das claques benfiquistas.´

Gosto especialmente do "Glorioso, glorioso, nos túneis és poderoso"!!!!


Porque é dia de LOBO MÍOPE, porque eu admiro imenso o Wason Renteria e porque ele marcou esta noite um golaço, fica aqui o meu desejo para a nossa equipa em 2010/11.

Ver estes dois de dragão ao peito!!

Fica aqui o golo do Rentería ao Belenenses.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Ainda a crescer


Podia ter sido mais fácil mas acabou por não ser. Não terá sido uma exibição tão excitante como a de terça-feira mas é um facto que fizemos bem mais que suficiente para evitar aquele calafrio ao minuto 75 quando apareceu um adversário na cara de Helton que acabou por defender muito bem. E sobre essa jogada, convém referir algo que me preocupou. Mas porque raio é que não traçam o gajo no meio campo? Não se ganha campeonatos só a jogar bonito.

Dito isto, volto ao título do post. De facto e ao contrário dos nossos adversário directos, dá a ideia que estamos em clara e constante ascensão de forma e, mais que isso, dá a ideia temos muito por onde crescer. Por exemplo, falta ali o Hulk, o Meireles e o Rodriguez. Isto para não falar de possíveis variantes tácticas que ainda falta lançar. Aqui lembro-me logo da introdução de Meireles na posição n.º 6 nos jogos em casa. Poderão achar um desperdício mas não acham que seria um crime desfazer a dupla de criadores Ruben e Belluschi? Uma coisa é certa: nessa posição Tomás Costa tem estado bem melhor que Fernando. E isto por entre todas as limitações que aponto a Tomás Costa, sendo claramente um jogador que não aprecio. Mas se há algo em que ele não é limitado é na garra que imprime ao jogo e isso chega a fazer esquecer alguma imprecisão táctica normal num jogador que ainda se está a adaptar ao lugar. E depois temos a óbvia comparação com Fernando em termos de organização de jogo. E se Fernando lhe dá 10-0 em termos defensivos, também leva 0-10 em termos de organização de jogo. E com isto Jesualdo tem um dilema: Ou Tomás ou Fernando. Ou não. Eu resolvia com Meireles.

Individualmente, O MVP foi mesmo o Tomás Costa que está nos dois primeiros golos e que compensou muito bem e com muita presença em campo o cansaço que se notou nos seus colegas da frente. Mas mesmo com cansaço começa a agradar bastante o carrossel ofensivo do Dragão. Há ali muita versatilidade e o perigo pode vir pelo meio através da dupla criativa ou através dos os dois alas ou dos dois laterais que correm que se fartam e lá na ponta temos um incrível Falcao que constitui a referência de toda a máquina. Finalmente se nota um rumo, uma forma de jogar, uma dinâmica trabalhada. Pena ter chegado a meio do campeonato, mas julgo que ainda vai a tempo. Isto apesar de acreditar que a vergonha não vai acabar e que até deverá piorar. Continuaremos a ver episódios tristes como o golo anulado ao Setúbal, o defesa emprestado pelo Benfica que diligentemente faz penalti no último minuto num lance ridículo, e nem convém esquecer a actividade jurídica criativa do Ricardo Costa. Mas como estou convencido que foram episódios como este que acordaram o Dragão, continuo e continuarei a acreditar no Penta.

Equipa para a Taça qualquer coisa:

Beto; Miguel Lopes, Maicon, Nuno André e Addy; Fernando, Guarín, Valeri e Sérgio Oliveira; Farias (ou Mariano) e Orlando Sá.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Escaldar os pés em Alvalade...

O homem vem para o Porto de Pedroto em 1979, logo num ano em que o nosso clube tinha acabado de conquistar o bi depois de 19 anos sem quinas ao peito. Sai em 84 sem qualquer título de campeão conquistado para o rival Sporting, para voltar em 86. Escusado será dizer que neste período de dois anos que esteve para os lados de Alvalade o Porto conquistou... novo bicampeonato!

No ano que regressa ao Porto é campeão europeu e na época a seguir, finalmente, é campeão nacional de dragão ao peito. Bendita passagem por Alvalade!

Sousa tem episódios muito curiosos ao longo de toda a carreira, que começou tarde mas com uma progressão fantástica. Calçou umas chuteiras, pela primeira vez, aos 15 anos na Sanjoanense e na época seguinte, no primeiro ano de júnior, foi chamado a integrar a equipa sénior. Aos 18 anos transferiu-se para o Beira-Mar e foi colega de equipa de Eusébio. Em 1979 chega ao Porto e no Verão quente de 1980, é um dos 14 dissidentes do plantel que está contra o despedimento de Pedroto e o afastamento de Pinto da Costa por parte de Américo de Sá, referindo que «esta mudança reflecte a rendição de alguns directores ao poder que está concentrado em Lisboa.»

Sousa marca o golo inglório na final da Taça das Taças contra a Juventus de Platini e no Euro-84 o único golo ao serviço da Selecção com um chapéu de belo efeito a Arconada que apuraria Portugal para as meias-finais do torneio. Entre o Euro-84 e o Mundial de 86, Sousa esteve no Sporting e acabaria por regressar às Antas para o melhor período da carreira.

Desenganem-se quem pense que estas trocas e baldrocas de Sousa foram aceites de ânimo leve pelos portistas, alguns não queriam mesmo o regresso do craque porque dois anos antes sentiram-se apunhalados. Tal como não foi pacífica a sua saída em 89 quando Artur Jorge operou uma limpeza no balneário poucos dias depois de ter dito que contava com ele.

Sousa acabaria por regressar a Aveiro e esteve perto dos 500 jogos no principal campeonato português. O seu mais recente sucesso foi como treinador ao conquistar uma Taça de Portugal pelo Beira-Mar às custas dum golaço do filho... Ricardo Sousa.


Cromo (1983/84)...




Cromo (1986/87)...



Cromo (1987/88)...



Cromo (1988/89)...



Cromo (1988/89)...



Cromo (1988/89)...



Cromo (1988/89)...



Carreira...

Marca e Mundo Deportivo

Em Espanha, há muito tempo que se (con)vive com os jornais desportivos clubísticos. Na imagem é possível ver a capa do Mundo Deportivo a vibrar com a goleada sofrida pelo Real Madrid em Liverpool. Mil vezes melhor esta situação no país vizinho do que aquela que encontramos em Portugal onde todos os diários pregam a isenção. Qual isenção? Grande moral a do Vítor Serpa ficar admirado pelo Porto não dar cavaco aos seus jornalistas depois de todas as capas diárias vergonhosas.

Tudo isto no seguimento da disputa entre Manuel Tavares e Vítor Serpa sobre os túneis. Vamos ver como o Serpa reage a isto:

A Bola corre o risco de deixar de ser redonda
MANUEL TAVARES

O director de A Bola, Vítor Serpa, pode ficar descansado quanto ao pãozinho da equipa de O JOGO: recebemos sagradamente, uns dias antes do fim de cada mês, e já agora adianto-lhe que a empresa proprietária deste jornal fechou o ano de 2009 com lucro -- pequeno mas lucro. Nos dias que correm...

Portanto, as manchetes que publicamos não têm que ver com qualquer necessidade, apenas com factos sejam eles pintados da cor que for. Por isso insisto na manchete da edição de anteontem: as imagens que pudemos ver domingo passado na SIC negavam a capa de A Bola do passado dia 3 de Janeiro, a qual reflectia um texto em que o jornal da Travessa da Queimada garantia que nas imagens do túnel da Luz se via um pontapé de Helton "no baixo ventre do coordenador dos stewards" e que essas mesmas imagens "mostram claramente" (sic) agressões de Fucile e Rodriguez a outro dos funcionários de segurança.

Como todos nós, adeptos do futebol, pudemos ver e rever as imagens em questão, abstenho-me de outros comentários para além deste: só vê as agressões que A Bola viu quem for daltónico.

Não me vou embrenhar no discurso ditirâmbico das virgens ofendidas do tempo em que o jornalismo desportivo era A Bola e o resto paisagem. Fica aqui apenas o meu ponto de vista sobre essa questão maior da cidadania: compreendo a subserviência de quem tem fome, mas não a entendo quando ela deriva de causas humanas mas menores como o clubismo.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Alguém tinha de pagar


Face ao ataque que estamos a sofrer em todas as frentes, mas sobretudo nos túneis e na secretaria, notava-se que alguém ia pagar. Mas convinha que o castigo fosse aplicado no campo, visto que manobras de bastidores são mais para quem gosta de fazer as coisas por outro lado… O Nacional começou por ser a primeira vítima mas ontem notou-se outra vontade, outra sede de sangue e até um pouco de espírito sádico. Resultado: aí está a vitória que tanto esperávamos e que todos desejamos que seja o click para o que resta da época, que não é pouco. Se bem se lembram estamos em todas as frentes. Que grande exibição que fizemos no clássico de ontem! Que pena que compromissos profissionais não me tenham permitido estar lá para vibrar com a equipa e ver um adversário histórico humilhado. E logo com Jesualdo ao leme, que todos sabemos que é um autêntico ‘pé frio’ neste tipo de jogos. Mas que não nos iludamos. Se foi às adversidades e às injustiças que fomos buscar a motivação, não convém afrouxar. Só uma equipa que mantenha constante aquela ânsia de vencer é que vai permitir que se mantenha real um segundo Penta. E que não se esqueçam que há ainda uma equipa que vem ao Dragão lá mais para o fim do campeonato e que tem de levar igual ou pior tratamento…

Individualmente gostei de todos jogadores mas gostaria de destacar 4:
Falcao – Jardiquê? Que grande ponta-de-lança! Ao nível dos melhores que já passaram no clube.

Mariano – É a prova viva de que aquela braçadeira de capitão tem qualquer coisa…

Varela – Será que o Ricardo Costa estava a contar com ele quando se lançou nesta vergonhosa cruzada para afastar Hulk?

Belluschi – Estará a pensar que para ter jogado ao seu nível na primeira metade da temporada teria de ter estado no Nacional da Madeira. O Rúben ajuda muito…

Ontem voltou a sair mais um castigo ridículo para o FCporto com assinatura do ponta-de-lança benfiquista Ricardo Costa. Se era protagonismo que ele queria, acho que o está a conseguir em pleno. Eu pelo menos não me esqueço deste filho da puta tão cedo… (pardon my french mas já não me consigo conter…) E quanto ao castigo aos jogadores do Braga, são outros que apanharam por tabela. Está claro que dá jeito enfraquece-los agora que se estão a tornar perigosos mas haverá alguma dúvida que, com isto, e depois das fugas de informação para o jornal A Bola e dos vídeos para a SIC, se continua a preparar terreno para um castigo exemplar ao Hulk? Vejam só as semelhanças do casos Há um provocador benfiquista que não é castigado seja o Di Maria, seja o segurança da Prossegur e há do outro lado os bandidos, coincidentemente dos melhores jogadores das respectivas equipas, que resolvem responder com agressões gravíssimas que se imagina que tenham conseguido disferir por entre os 400 braços que tentavam separar e acalmar a escaramuça. No caso do Hulk cheira-me que vai ser o Arsenal a levar por tabela…

Equipa para a recepção à Naval:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Alvaro Pereira; Fernando, Raul Meireles, Ruben e Belluschi; Varela e Falcão.

B(v)oa Falcao!


É por estas e por outras que não ficamos em casa!

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Por que não fico em casa?



Mesmo com jogadores suspensos há mais de 10 jogos e outros com multas de € 2.500,00 por invasões de diabos em pleno jogo ou stewards em locais proibidos, com golpes de karate na Luz mas o forte agarrão de Fucile é que condiciona o resultado final, com jogadores que são apenas multados por simular o terceiro penalty da época quando os nossos têm que cumprir jogos, com golos mal anulados e ainda a inventarem a 'asa de Falcao', com apredejamentos a autocarros e ao carro do PdC, com jogadores à porrada, com administradores a pedir demissão, com empresários brasileiros que só vêm a Portugal negociar comissões e esquecem-se de negociar o contrato do seu atleta, com todas as roubalheiras de catedral, com todos os ugandeses a conspirarem, contra tudo e contra todos (contra o frio também), mais do que nunca, temos que estar lá!

Lenços Brancos... mas para os Adversários...

Em dia de clássico, recordamos um FC Porto - Sporting para o campeonato da época 1987/88, em que com uma vitória segura por 2-0, os adeptos portistas despediram-se dos lagartos com lenços brancos, simbolizando, assim, e ainda bem cedo, mais uma despedida ao título nacional da equipa dos "vasquinhos" nessa época... época essa em que o FCP apenas teria uma derrota e, precisamente, em Alvalade na segunda volta...



O resumo é extenso, mas como todas as recordações, tem pormenores deliciosos... a classe de Madjer; o puto Rui Correia na baliza leonina; lances polémicos; um amarelo a Oceano quando tinha sido outro jogador leonino a "varrer" um do FCP; fintas do nosso João Pinto brindadas com olés das bancadas; André adaptado a central e muitos outros momentos que vale a pena recordar...