domingo, 30 de agosto de 2009

Quando quiserem aparecer estão à vontade...


Se há coisa que tem ficado clara neste início de época e na própria pré-temporada é que tardam a aparecer os nossos jogadores mais categorizados. A única excepção era Hulk que rapidamente trataram de tirar do campo aproveitando a primeira Xistrada do campeonato. Já Bruno Alves, Fernando, Raúl Meireles e Rodriguez (este último com desculpa) tardam em apresentar o futebol a que nos habituamos e como é óbvio a equipa ainda não está ao seu melhor nível. O caso mais grave será mesmo o de Meireles visto que os serviços mínimos de Bruno Alves e Fernando têm chegado para as encomendas. O problema é que depois da saída de Lucho, exigia-se que aumentasse a influência do novo número 3 no futebol da equipa, coisa que não tem vindo a acontecer. Se repararem, nesta fase em que não tivemos Hulk, grande parte dos lances de perigo têm surgido da combinação da inspiração dos alas e laterais, sobretudo Varela, e de Falcao. Ou seja, estámos a jogar de uma forma completamente diferente quando comparado com o ano passado. Mas espero para ver como jogaremos com Hulk e quando aparecerem Meireles e Belluschi e se a subida de forma destes dois últimos nos vai trazer mais soluções além da constante lateralização do jogo. E aqui volto a introduzir a questão Belluschi. Para mim, o sub-rendimento de Meireles não seria tão notado se o argentino estivesse a fazer correctamente o seu papel. Volto a bater no ceguinho. Jesualdo está a pedir-lhe coisas que ele não sabe fazer. Em primeiro lugar tem jogado muito longe da área porque se lhe pede que tenha um raio de acção que pelos vistos ele não consegue preencher. Assim nem ataca bem, nem defende grande coisa, nem tampouco define o jogo ofensivo da equipa. Dirão que já estou a exigir demasiado do jogador, mas de facto, e com a referido sub-rendimento das nossas estrelas, das duas uma, ou eles regressam (quando quiserem estão à vontade...), ou continuamos a assentar o jogo em Hulk e nos reforços incluindo Belluschi.

E de facto é o que tem acontecido. Desta vez foi Falcao o homem do jogo e esteve muito bem secundado por Varela. De resto confesso que não gostei de mais nada além destes dois e da conquista dos três pontos. Jogo fraco onde fizemos apenas o suficiente para ganhar. Helton continua a meter água, Rolando teve um lance onde foi maior a nabice que a infelicidade, Álvaro Pereira continua a assustar muito quando tem de defender e veremos se não perde o lugar para Sapunaru nos jogos fora de casa. Vale-nos um grande Varela que ganha quase sempre os lances de um para um e que peca apenas na qualidade dos cruzamentos. Já Falcao, enche as medidas por completo. Há muito que não tínhamos um avançado com estas caracterísiticas e julgo que poderá fazer com Hulk uma dupla de avançados muito versátil e perigosa.

Mas para ver isso ainda teremos de esperar 15 dias...

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Podia ter corrido melhor...

Justificar
... mas é disto que o adepto do FCPorto gosta. Adversários complicados e grandes noite de futebol europeu. Aliás, depois de saírem os dois primeiros adversários eu estava a torcer para que saísse o Wolfsburgo para ficássemos no grupo mais excitante e equilibrado.

Acabou por nos calhar o saco de pancada que vai ser o Apoel. Já sabemos que quem perder pontos com este adversário, é muito provável que não passe.

Pontos a temer:
- ???

Pontos a explorar:
- Convem explorar o facto de estarmos a jogar com uma equipa ao nivel de um Olhanense ou de uma Naval 1º de Maio...

Quanto ao Atlético de Madrid, convém dizer que está mais forte que o ano passado. Basta perceber que não perdeu nenhum dos jogadores fundamentais e reforçou-se em áreas onde precisava como a defesa e a baliza. Ou seja, eles estão mais fortes, falta saber se nós também estaremos. (estou a fazer figas para que o Aguero saia até ao final do defeso e já agora para que o Bruno Alves fique...)

Pontos a temer:
- Dupla Aguero-Forlan
- Estabilidade do Plantel
- Bom Guarda-Redes

Pontos a explorar:
- Equipa continua a jogar muito aberta e com dificuldades na recuperação defensiva.
- Treinador sem unhas para o carro que conduz

Mais uma vez, não conseguimos evitar uma equipa inglesa. Até sabemos que é estatísticamente mais provável calhar, visto que há 4 equipas inglesas do primeiro pote. Calhou o Chelsea que não se reforçou quase nada. Estou-me a lembrar apenas do Zirkhov e nem sequer é um titular. O reforço de peso é mesmo o treinador Ancelotti que é mesmo um dos meus ódios de estimação. Nunca percebi como se manteve tanto tempo no Milan com os resultados paupérrimos dos últimos anos. Mas acredito mesmo assim que Ancelotti não vai conseguir destruir o trabalho de Hiddink tão cedo como Scolari conseguiu pelo que imagino que vamos enfrentar uma equipa fortíssima apesar de se estar a tornar um pouco envelhecida.

Pontos a temer:
- Drogba
- Meio campo incrível com Lampard, Deco, Essien, Ballack, Mikel, Malouda...
- Defesa quase impenetrável com os titulares Bosingwa, Carvalho, Terry e Cole

Pontos a explorar:
- Pouco demorará até que Ancelotti comece a inventar e a jogar com 6 médios e 15 defesas. Aproveitar isso para sacar pontos em Londres.
- Guarda-redes oscila entre o óptimo e os frangos.
- O ataque vive muito de Drogba e Lampard. Já sei que é suficiente mas sempre dá para preceber de onde vem o perigo...

Uma última referência para a reforma que Platini fez na prova. Parabéns ao chico esperto francês que continua a fazer asneirada atrás de asneirada. Com isto conseguiu que em todos os Grupos apenas haja na melhor das hipoteses 3 candidatos e uma equipa fraquíssima que apenas vai tentar evitar as goleadas. Se queria uma competição esteril como a das qualificações para os mundiais onde se enfrenta Andorras, etc., aí tem. Estará a pagar o favor aos que o elegeram para o cargo mas, ao limitar a presença da classe média do futebol europeu na Champions está a tornar a prova mais fraca...

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Reforços chegaram cedo


Finalmente voltámos a ter futebol no Dragão. Houve aquele aperitivo com o Monaco mas foi pouco e já tínhamos saudades. E tudo correu com normalidade: estreia com uma vitória caseira clara.

Mas o que mais impressionou no jogo de ontem foi o aparecimento precoce de alguns reforços. Falo do MVP de ontem Varela, falo de Falcao e falo de Álvaro Pereira (apenas na segunda parte). Não destaco Belluschi que, apesar de continuar a mostrar pormenores interessantes, parece estar a ser mal aproveitado por Jesualdo. E foram os reforços, juntamente com Fucile, quem mais fizeram por marcar no jogo de ontem. Se repararem, a pressão sobre a baliza do Nacional não foi constante e asfixiante, mas a cada 5 minutos aparecia uma oportunidade de golo, pelo que não foi surpresa nenhuma quando finalmente marcámos e sentenciámos o jogo. Portanto, no geral, gostei da equipa. Futebol mexido e lateralizado, com uso constante de combinações entre extremos e laterais. Pena foi que por vezes Falcao estivesse demasiado sozinho na área. Aliás os lances mais perigosos surgiram quando ele foi auxiliado, nomeadamente por Mariano e Varela.

Mas importante mesmo foi a influência dos reforços. Varela fez um grande jogo e está em quase todas as oportunidades de golo do jogo. Se começar a jogar melhor com o pé esquerdo se começar a centrar mais tenso e melhor, teremos ali um caso sério e inesperado... Já Falcao, começa a fazer-nos engolir as comparações com Farías. Não que Farías seja mau e já aqui falámos o suficiente sobre o assunto. A vantagem é que Falcao faz muito mais coisas. É mais raçudo nas bolas que vêm pelo ar da defesa, remata de fora da área com potência, parece não estranhar tanto quado joga distante da área, etc. A verdade é que entre Mariano, Falcao, Varela, Rodriguez e Hulk só jogam três. É certo que Jesualdo não se importará com dores de cabeça como esta. Quanto a Álvaro Pereira, é certo que está a começar ao contrário de Cissokho, ou seja, começa por atacar bem e não a defender bem. Ora isto para lateral não é muito bom apesar da importância que acabou por ter, juntamente com Fucile, no jogo de ontem. O lateral é primeiro um defesa e, para já, o que vejo deste jogador a defender não agrada nada... Quanto a Belluschi, não gostaria de bater no ceguinho mas continua a parecer muito longe da zona de decisão. O problema é que ele parece jogar melhor aí. Então para quê a insistência de Jesualdo? Estará a dotá-lo de maior capacidade defensiva para depois lhe dar o raio de acção que dava a Lucho? A verdade é que já estamos em competição e essa seria mais uma arma a usar. Quanto aos restantes jogadores, não há muito a destacar. Julgo que foi uma boa exibição global e que os piores em Paços - Mariano e Raúl Meireles - já começam a retomar pouco a pouco as exibições da pré-época. Destaque ainda para mais um teste da dupla FáFá, esquema que ainda está muito pouco oleado, e para o regresso do CR10 que em forma é titularíssimo. Há ainda o pormenor de ser ele o jogador fundamental para implementação do 4-4-2 com Hulk e Falcao na frente. Nesse esquema Varela ficará sempre de fora e por isso foi ele o substituído em vez de Mariano. A verdade é que poderá ser essa uma boa forma de abordar os jogos mais complicados, nomeadamente os da Champions. Mas ainda é cedo para começar a pensar nisso. O importante é, como é nosso apanágio, ir crescendo com base nas vitórias e não com os títulos dos jornais do regime...

Por estar de Férias e fora do Porto, não pude fazer o post que se impunha sobre a trapalhada do Xistra e da Liga e actualização das fichas de jogo no site. No entanto, tenho vindo a avisar que continua a valer tudo para que se cumpram os objectivos para que esta gente está mandatada. E não vai ser mais esta inovação da expulsão administrativa que me vai fazer ficar mais preocupado. Teremos sempre de estar a contar com isto e de jogar o suficiente para lutar contra os adversários que temos espalhados entre o campo e as instâncias do futebol em Portugal. Como sempre, não nos basta sermos melhores. Teremos sempre de ser muito melhores...

Equipa para a Figueira da Foz:

Helton, Fucile, Rolando, Bruno Alves e Álvaro Pereira; Fernando, Raúl Meireles e Belluschi; Mariano, Varela e Falcao.

domingo, 16 de agosto de 2009

Os truques do costume


Estamos de regresso à triste realidade do nosso futebol. O que vale é que já todos andávamos com tamanha fominha de bola que até isto nos entretém. Estou obviamente a falar do jogo da Mata Real. É que de facto não se jogou futebol por aquelas paragens... Até se percebe porque se há maneira de o Paços de Ferreira nos ganhar nalguma coisa não será a jogar futebol...

Mas para não dizerem que estou para aqui a desculpar a péssima exibição do FCPorto começo exactamente por aí. Pois como é óbvio para todos os que viram, não jogamos nadinha, tal como havia acontecido no jogo da Supertaça. A equipa continua a apostar demasiado no Hulk em detrimento do colectivo e de outros valores que temos. Resultado: quanto mais jogarmos assim, mais previsíveis somos. Ontem foi um exemplo claro. Hulk pouco jogou (ou pouco o deixaram jogar. Já lá vamos) e o FCPorto também não jogou. Percebo que a equipa tenha de ir crescendo assente nas suas principais figuras mas não é necessário exagerar... Outro problema que detectei: Bellushi. O homem passa muito tempo alheado do jogo o que me parece mau visto que quando aparece julgo que pode decidir. E isto aliado ao jogo mau de Meireles, ao jogo péssimo de Mariano (incrível como acabou o jogo...), às limitações de Farias, à falta de ajuda dos laterais (com excepção de Jorge na segunda parte), sobra Hulk. E nem sempre chega... Defensivamente, não gosto de Álvaro Pereira e julgo que o Fucile já se pode ir preparando para dar uma perninha à esquerda. Já Fucile, foi importante na segunda parte mas continua a parar-lhe o cérebro na defesa vezes a mais. Valeu-nos ontem um bom Helton, uma boa dupla de centrais e um Falcao que ainda não tinha visto. Foi esse mesmo o homem do jogo. Muito mexido e combativo, parece ter mais argumentos que Farías e o golo é excelente e de difícil execução. Quanto a Jesualdo, julgo que mexeu mal. Tinha tirado o Mariano ao intervalo por Falcao. Depois da expulsão de Hulk, fez o que tinha a fazer...

Agora que já casquei na equipa posso passar a criticar o verdadeiro responsável pelo facto de não se ter jogado futebol ontem à tarde: o Paços de Ferreira. O Paços jogou com os mesmos truques de sempre. Intimidação e porrada por trás nos calcanhares dos nossos avançados, jogo pelas alas para tentar ganhar cantos, fitas e simulações para sacar amarelos e expulsões e enfoque especial na aplicação destas técnicas na estrela do adversário: Hulk. E perguntarão vocês porque raio é que estou aqui com isto se é sempre assim que estas equipas jogam contra o FCPorto? É simples: desta vez resultou! Hulk não jogou nada e fez-me lembrar outro jogador que caía sempre nisto como um patinho: Ricardo Quaresma. Já todos perceberam que Hulk não pode ser parado sem ser com faltas. Mas aí há um inconveniente da acumulação de faltas e dos amarelos. Sendo assim a melhor maneira de pará-lo é a de usar o seu génio contra ele. Mas é óbvio que tudo isto só funciona com a complacência do homem do apito. E quem melhor que Xistra para alinhar na táctica do Paços de Ferreira? O primeiro amarelo ao hulk é vergonhoso porque se pôde ver na tv que ele não disse nada. Já no segundo, e perante a fita de Danielson (e depois das fitas de Anunciação) poderia evitar dar o segundo, mas aí a culpa maior é do Hulk. Depois há o critério completamente aleatório na marcação das faltas pelo ar, o penalti sobre Farías, o amarelo a Mariano, etc. Continuamos a estar atentos a estes senhores visto que todos sabemos que este ano há um clube que tem de ganhar a todo custo...

Mas o mais importante a retirar do jogo de ontem é que temos de saber dar a volta a tudo isto, até porque os truques já são conhecidos. O importante é saber contorná-los.

Equipa para a recepção ao Nacional:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Álvaro Pereira; Fernando, Raúl Meireles e Bellushi; Mariano, Falcao e Varela.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Um treinador à antiga... sem papas na língua


De malas aviadas para a Arábia Saudita para treinar o Al Shabab, Jaime Pacheco deu uma entrevista com verdadeiras pérolas futebolísticas que me atrevo aqui a postar por temas:

Convites:

“Fui convidado por Benfica e Sporting (...) Se o Boavista me dava condições para fazer óptimas épocas, se me apoiava em tudo...iam ser questões puramente monetários a levar-me a abandonar tudo isto?”


Belenenses:

“É uma grande propriedade mas loteada, isto é, com muitas quintinhas lá dentro.”

“(...) no único campo que tinha para treinar aí trabalhavam todos os dias duzentos e tal miúdos. Muitas vezes íamos começar a treinar e o homem da relva ia começar a cortar a relva que eu mandara cortar no dia anterior. E o dono da relva, que já lá está há muitos anos, dizia-me ‘eu é que sei, eu é que percebo’.”

“(...) desde o princípio de Fevereiro deixamos de receber.”


Jogadores:

“(...) gosto muito do Luisão se ele jogar à sua maneira. É alto, feio, intimida mas tem de jogar simples”

(do plantel do Porto) Gosto de quase todos mas não dava 15 milhões pelo Cissokho – foi o negócio do século”

(sobre Mariano) Ele obriga os outros a treinar e a jogar e tem grande velocidade. Entrega-se totalmente e desgasta qualquer equipa. Pode não ter a qualidade dos outros mas é um jogador de quem gosto muito.”

“Gosto de outros ainda, como o Raul Meireles, que era central nos juniores e que pus a jogar nesta posição.”

“E temos ainda o Bruno Alves, o jogador que eu designei o melhor jogador do campeonato. É melhor que o Pepe. O pai dele também assustava...”

(sobre Liedson) Trabalha muito. E tem outra coisa: qualquer adversário que lhe ponha a mão no ombro ou na cabeça é logo sacudido. Ele não quer nada com o adversário – para ele são todos inimigos. Depois do jogo até pode dormir com o adversário mas em jogo são todos inimigos.”


Sobre a formação nos clubes:

“Hoje, temos equipas a trabalharem com cinco ou seis campos relvados, com power points, com treinadores estrangeiros...mas onde está a paixão e a mística, o rigor e a disciplina?”


Relação com os jogadores:

“Não sou, claramente, um treinador facilitista, gosto de controlar o peso, o equipamento...”

“Não me revejo num atleta que usa pitons de borracha durante o Inverno. E aí sou rigoroso. O que costumo dizer aos jogadores é isto: ‘Preferem ver um adversário de piton de alumínio ou borracha?’ E eles respondem sempre que o preferem ver de borracha. Com alumínio o adversário está mais seguro e intimida. Gosto que os jogadores tenham uma aplicação e uma paixão pelo trabalho.”


(Má) Relação com o Porto:

“A culpa não é minha. Jogo nos veteranos do FC Porto e às vezes sou proibido de jogar sem saber porquê...e depois lá me levantam o castigo. Se há coisas que eu agradeço é a vida desportiva que tive no FC Porto e muito do que sou deve-se a eles. Foi uma felicidade ter passado por lá.”


Frases soltas:

“O que sei é que pessoas como Pimenta Machado e Valentim Loureiro, e o próprio João Loureiro, fazem muita falta ao futebol português.”

“Quando jogava no Aliados de Lordelo fazíamos crosses e eu ganhava sempre. Sentia-me preparado para jogar ao mais alto nível mas quando passei para o FC Porto na pré-temporada fazia parte do pelotão dos últimos. Senti algumas dificuldades e sofri muito. No final do ano já ia na frente do pelotão. E no ano seguinte, e digo isto com vaidade, ninguém me apanhava! Todas as corridas e todos os jogos eram os últimos da minha vida. Os jogadores que comigo a treinador fizeram isso, todos eles singraram. É um sofrimento que dá prazer porque no final de cada treino e de cada jogo temos resultados. Há jogadores que não vão mais longe porque nunca tiveram esses valores.“

“É uma coisa que a mim me mata: ver, no final do jogo, os jogadores a darem beijos uns aos outros. Se calhar sou antiquado mas não é essa a minha filosofia.”

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Em frente, que o primeiro já está...


Não sei se o nosso cronista de serviço chega a tempo de escrever sobre o primeiro jogo oficial do FC Porto ou, sequer, se o viu, por isso atrevo-me a 'postar' sobre aquilo que achei da partida.


Apesar de ser apenas o 1º jogo oficial da nossa equipa e o Paços já ter realizado quatro, o que nesta fase da época faz sempre alguma diferença, creio que todos acreditavam que, com maior ou menor dificuldade (como no Jamor), o caneco vinha para o nosso lado. A expectativa até recaiu mais na prestação dos novos reforços perante um teste a sério do que propriamente no resultado, desculpem lá a falta de humildade (é o vício de ganhar). Esta razão mais o horário do jogo - 20h45m num domingo - explica também a meia-casa em Aveiro.


Com um 11 sem grandes surpresas, a primeira parte ficou marcada por uma boa oposição do Paços (à semelhança da época passada parece-me uma equipa bem organizada), sem se dar muito à defesa, conseguindo trocar a bola no meio-campo portista e sempre que possível tentava ameaçar Helton que continua sem dar grande confiança à equipa. A defesa do Porto pareceu-me segura, Fucile esteve desastrado nos passes e Cristiano deu-lhe muito trabalho, mas a sua atitude lá vai remediando algumas falhas; Rolando e Bruno Alves revelaram bom entendimento e Álvaro Pereira vai criar muitos desequilíbrios (porque ataca bem e porque é louco a defender como atesta aquele carrinho à entrada da área no final da 1ª parte).


Fernando ainda não está tão bem como no ano passado, mais uma vez foi o baluarte no meio-campo mas perdeu alguns duelos que demonstram que ainda não está fisicamente a 100%; Meireles encheu o campo e apareceu muitas vezes na área de finalização mas não esteve muito bem a construir jogo, mas nisto também culpo a passividade dos 3 homens da frente quando estavam sem bola; Belluschi demonstrou ter pezinhos mas não fez a ligação meio-campo/ataque da melhor forma, parecia muito afastado da linha da frente e ficou a sensação que é preciso algo mais ou alguém diferente para ocupar aquela zona do terreno (prefiro um Hulk vagabundo e a dupla Meireles/Fernando a varrer tudo no meio-campo, mas vamos ter calma foi só o 1º jogo).


Na frente, Hulk é um desequilibrador nato e empolga os adeptos sempre que tem um metro de espaço e a bola controlada de modo a encarar o adversário, mas não gostei da forma passiva como encarava os lances sempre que não tinha a bola nos pés; Varela, é um ala puro, procura muitas vezes a linha e com isso ganhou alguns cantos, teve ainda uma boa jogada na primeira parte, e apesar de ter perdido algumas bolas fáceis vai ser uma grande opção este ano; Mariano, nota-se que Jesualdo tem muita confiança neste rapaz, começou numa das alas, passou para a posição 10 e depois voltou para a ala quando Silvestre saiu já com o resultado feito, pode ser o ano Mariano.


Última palavra para o rato de área - Ernesto Farías - marcou um golo, teve um excelente cabeceamento à ponta-de-lança e ainda lhe invalidaram um golo (não vou falar naquele remate ranhoso nos descontos) e mostra que vamos ter avançado para os jogos mais tranquilos da I Liga (quanto aos mais exigentes ainda terá que me convencer).


Para a estreia na Liga contra o mesmo adversário mas no quintal da Mata Real, embora ache que o Cássio irá ser titular, vai ser preciso mais, muito mais!

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

O 2.º Lugar na Mira de Sousa...

Era o denominado especialista em bolas paradas... António Sousa fazia com o seu pé direito verdadeiras maravilhas... no último jogo do Mundialito de Clubes de 1987, resolve o mesmo com um pontapé fulminante (à Sousa), garantindo, com aquele golo, não só a vitória, como também o segundo lugar do torneio para o FC Porto...



Os Vídeos made in Basculação regressam em Setembro... chegaram as férias...

Até lá, muito futebol, e o regresso da emoção... Na ausência do Prata, aqui fica a minha equipa para trazer o primeiro caneco da época já no Domingo em Aveiro:

Helton; Fucile, Bruno Alves, Rolando, Álvaro Pereira; Fernando, Meireles e Belluschi; Varela, Mariano e Hulk.

Se as coisas não estiverem a correr bem, encostar Hulk à lateral e colocar FALCAO em campo ao intervalo!

Até breve...

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

E que tal equipamentos alternativos?

Na altura não havia... e isso está bem patente neste jogo do Mundialito de Clubes entre a equipa portista e a equipa de blaugrana...

O que é certo é que as modernices alteraram tudo... umas simples meias brancas eram suficientes para se perceber bem quem era quem...

André empatou a partida de grande penalidade...

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

A Peace Cup de 1987...

É o que mais se pode assemelhar à Peace Cup que o FCP participou na presente pré-época... Chama-se Mundialito de Clubes, evento no qual o FCP participou no ano de 1987...

Já vimos em post anterior a vitória por 2-0 sobre o Inter de Milão, mas deduzindo que tenha despertado a vossa curiosidade, vamos aprofundar as incidências deste torneio, revendo os outros 3 jogos em que participou a equipa azul e branco...

Fomos ao arquivo do Bola na Área e verificamos que este torneio teve 3 edições, tendo sido sempre vencido por clubes italianos, e com o evento sempre a ser disputado no Estádio de San Siro em Milão...


Em 1987, além do FC Porto e do Inter, tínhamos como participantes o AC Milan, Barcelona e o Paris Saint-Germain...


A estreia do FCP foi contra o vencedor do torneio e, com efeito, as coisas não correram muito bem...



Amanhã e sexta, recordaremos os outros dois jogos em falta, tentando colmatar com vídeos, as férias basculantes de Pedro Prata...