quarta-feira, 27 de maio de 2009

O LOBO MÍOPE REGRESSA... MAIS MÍOPE!


A pedido de muitas familias mas, também, para lamento de muitas outras, o Lobo Míope está de volta!

Afazeres pessoais e profissionais impediram-me de dar o contributo que a excelência que este blog exige. Afinal de contas, este é "O" Blog.

Ora bem, a época está a acabar e o mercado de transferências vai, paulatinamente, ganhando vida.

Acabei de ver a final da Champions e, apesar de, estranhamente, ter torcido pelo United (não entendo mas é verdade) fiquei contente com a vitória da equipa que praticou o mais belo futebol dos últimos anos. Eficácia, eficiência e beleza em conjunto! Muito próximos da perfeição. Já agora, não quero deixar de fazer uma referência ao Wolfsburg que fez uma época espantosa e conta com um ataque fabuloso!

Voltando aos culés (o Pis já explicou a origem do termo), quero destacar Andrés Iniesta. Tenho a certeza que se este jogador estivesse envolvido numa transferência a rondar os 30 Milhões de euros (e bem que os vale) passaria a ser indicado como um dos melhores jogadores do Mundo. Assim , é "só" um dos miúdos da cantera culé que joga muito bem. Para mim, é o jogador da época. Uma mistura de Deco e Messi... Ok, um pouco menos... :)

Falei do Barça porque hoje fez um jogo soberbo. O Barcelona mostrou hoje como uma equipa deve (ou devia, caso pudesse) defender. Tendo a posse da bola! É obviamente a melhor maneira e a forma mais eficaz de se defender. Ter a bola, circulá-la com qualidade e fazer os nabos da SportTv ficarem espantados com a passividade do United, cujos jogadores se limitavam a ver o Barcelona jogar... A PASSO!!! Como já estou habituado às pérolas que as aves raras da nossa TV costumam proferir não fiquei espantado. No futebol do Barcelona é a bola que corre. Os jogadores movem-se de um modo perfeitamente harmonioso na criação de linhas de passe, o que faz com que até o Puyol pareça jogador de futebol!!!! É claro que isto exige um pequeno pormenor: ter "11" jogadores que saibam jogar à bola.

E quem é que também "11" jogadores que sabem jogar à bola? O Futebol Clube do Porto, carago!

Indo de encontro ao que motiva este texto, creio que é possível e, relativamente, fácil antecipar o plantel para a época 2009/10.

Quanto à equipa técnica, sinto-me perfeitamente à-vontade. Jesualdo Ferreira. Não sou nem nunca fui admirador do Prof. Jesualdo Ferreira. De qualquer modo, o Jesualdo mudou muito depois do inferno de Outubro e Novembro de 2008. Abdicou de dogmas que o guiavam e o caminho da vitória e do título foi naturalmente atingido. Acho, contudo, que continua a pecar nos jogos em que tem que assumir claramente as despesas do jogo. O jogo contra os vasquinhos no Dragão foi um exemplo claro disso. Jogar em casa contra um rival de sempre, 2 ou 3 semanas depois de termos levado 4 no Mictório XXI, e não conseguir montar a equipa de modo a fazer pelo menos um verdadeiro remate à baliza é muito mau... Por outro lado, conseguiu estruturar a equipa de forma quase perfeita para quando podia abordar o jogo em contra-ataque. Madrid e Manchester são os exemplos mais óbvios.

Há quem opine que tal se deve à falta de médios que possam assumir a condução do jogo. Lucho não é o melhor espécime neste tipo de jogo, mas é fantástico no passe ao primeiro toque. No fundo, actualmente, só Hulk e Rodriguez e, eventualmente, o Licha podem causar desequilibrios em acções individuais. A ver vamos se algum retoque é dado relativamente a este assunto...

Se a questão do treinador está resolvida, na baliza é preciso assumir se Ventura terá a sua oportunidade ou não. Se a resposta for negativa e optar-se pelo seu empréstimo, entendo que devemos contratar um guarda-redes. Hélton não oferece a segurança que ofereceu quando o Baía estava no banco e o Nuno... bem, quem me conhece sabe o que penso... Assim, e contrariamente ao que entendi ao longo de grande parte da época, o Eduardo não é solução. Além de falhar nos momentos chave, é mais um que padece do vírus da Selecção. Depois do Baía, qualquer guarda-redes que vá à selecção "estraga-se"... ou revela-se! Para mim, o melhor guarda-redes do campeonato foi Rafael Bracalli do Nacional da Madeira. Terá capacidades para assumir a nossa baliza?

Na defesa, prevêm-se algumas alterações.

A permanência do Benitez é duvidosa e mesmo indesejável. No centro, Pedro Emanuel deverá pendurar as botas e Bruno Alves está de saída e acaba por revelar-se uma excelente mais valia quando, há 3 ou 4 anos, eu era gajo para pagar para vê-lo longe do Dragão! - isto não abona muito a meu favor... - Confio no Stepanov e tenho muita fé no Nuno André Coelho. Faz-me lembrar o Ricardo Carvalho, é veloz e também marca livres!!! Com a contratação do Miguel Lopes (grandes expectativas!) ou Fucile será aposta definitiva na esquerda ou, então, Fucile ou Sapu serão transferidos. Se isto acontecer, um defesa esquerdo terá de ser contratado e, em Portugal, só Evaldo me parece uma aposta credível. O Duda seria uma solução interessante. Tripeiro, portista e, com certeza, não se importaria muito de ser a sombra do "Só-ao-soco".

No meio campo, Fernando e Madrid são mais do que suficientes. O Fernando teve um crescimento espectacular e o seu potencial é imenso! Madrid sabe jogar à bola e não defraudará se tiver de assumir a posição. Não falo do Pelé porque não me parece que caiba no plantel do Jesualdo. El Capitán e Meireles são inquestionáveis e acredito que seremos o último clube de Lucho Gonzalez! Guarín foi uma desilusão e Tomás Costa é uma boa alternativa. Confio nele. Sobra uma vaga e todos sonhamos com DECO! Não é preciso descrevê-lo, pois não??? Do Deco até um míope fala bem!

Lá na frente, Mariano, Farías, Hulk e CR10 estão certos. Licha fará o contrato da vida dele. Adorava vê-lo em Itália ou Inglaterra. Varela pode ser uma boa alternativa e Rabiola e Orlando Sá serão segundas linhas.

Espero que o Rentería seja reintegrado. Rentería é um jogador quase perfeito em tudo o que envolve o jogo menos na finalização, onde está bem longe da perfeição... Ironicamente, é capaz de marcar grandes golos. Acredito, inclusivé, que será uma óptima solução para os jogos em casa. Rentería e Farias no meio podem fazer miséria. Rentería é óptimo a criar oportunidades de golo e Farías tem aquilo que falta a Rentería! É, pois, um caso em que o conjunto é bem melhor do que a soma do valor individual das partes.

Já escrevi muito e pouco ou nada disse que motivasse este post. Nesse sentido, volto a insistir naquela que eu entendo que é a grande pecha do plantel. Um ponta de lança forte e que não seja o Rentería. Neste momento, e mesmo tendo excelentes espectativas em relação ao Rabiola - não espero grande coisa do Orlando - gostava que contratássemos um "nome".

O Nenê do Nacional já é sobejamente conhecido e parece-me que seria uma excelente aposta, dependendo do dinheiro que o imitador rasca do Pinto da Costa pedisse.

No estrangeiro, Gignac (já foi aqui apresentado) está a caminho do futebol inglês, Dzeko já está avaliado acima dos 20 Milhões de Euros e, portanto, sobram 2 alternativas: Marc Janko e Gomis.

Marc Janko fez uma época espantosa e marcou golos para todos os gostos e feitios. Acho que se enquadrava de forma perfeita na nossa equipa. Deduzo que o seu passe esteja avaliado em cerca de 10 Milhões de Euros e podíamos tentar, numa primeira fase, adquirir 50% do passe. O FCPorto é um dos clubes mais apeteciveis do Mundo para os craques da 2ª linha do futebol Mundial, senão mesmo o mais apetecível. Fazemos, consecutivamente, belas figuras na Europa do Futebol e somos a melhor ponte mundial de jogadores. Quem rende no FCP dá dinheiro, faz dinheiro, transfere-se para um tubarão da Europa e faz o contrato da vida!

Quanto a Gomis é uma excelente oportunidade de negócio. As suas qualidades são inegáveis mas fez uma época desastrada no Saint-Ettiéne onde quem se destacou foi Ilan. 5 milhões de euros serão suficientes...

Bem, muito mais haveria para escrever mas, para já chega!

P'ra semana há mais! Aúúúúúúú!

Obrigado, Sr. Toni!


Qual Dragon Seat, qual carapuça... O que está a dar é o café da esquina do Sr. Toni! Trabalha de avental mas tem contactos... «sim, um senhor que passa por aqui que faz uns serviços para a SAD, eu arranjo-lhe isso não se preocupe».
Quantos arranjou? DEZ. A trinta euros? Não, a 20. Mas os bilhetes ao menos vão para sócios do Porto? Ora bem, dos 10 vai um que tem Dragon Seat (eu), vão 8 que nem sócios são e mais um... benfiquista (ao menos é sócio... mas do Benfica)! Ora aqui está o excelente resultado da política da venda de bilhetes da SAD.
Conforme prometido, vai reclamação para a SAD do Porto e o meu lugar não será renovado na próxima época... Chega de brincar com os Dragones Seats!
Obrigado, Sr. Toni!

Músicas que ficam...

O vídeo da semana é, possivelmente, o mais curto de sempre, mas, por várias razões, houve a necessidade de o ir buscar ao baú...

Na sequência dos festejos nos Aliados, pelo facto de ainda no Domingo a termos ouvido no Dragão e, muito especialmente, para os dois senhores do post abaixo, aqui fica...



São 6 segundos, mas acredito que já tenha ficado no ouvido... :)

Pelos meus registos foi a primeira vez que se cantou esta música e, é nestas alturas, que dá um gozo enorme dizer: "ICH WAR DA"... eu estive lá... :)

terça-feira, 26 de maio de 2009

Para sorrir...

Vejam até onde pode chegar a azia...

Campeão de verdade

Não se peça a Manuel José que seja campeão nacional para ocupar o lugar que merece na história dos grandes treinadores portugueses. Não é? Se calhar, nunca será. E seleccionador? Não foi? Se calhar, nunca será. Se calhar, foi demasiadamente injustiçado. Será? Claro que é. Decerto, ainda será.
Manuel José é daqueles que não apreciam o sistema, daqueles que se insurgem contra o fácil. Numa altura em que havia um império de colocação de treinadores, com sede ali para os lados de uma tal avenida, chamada Fernão de Magalhães, preferiu comprar uma guerra estimulante a uma paz contaminada.
Excesso de rigor? Não, independência. Independência e coragem. A coragem que lhe sobrou e que a outros escasseou.
Há campeões-menos-campeões, porque ser campeão também é pôr a bola a falar verdade. Há campeões-que-não-são-campeões, porque namoram, descaradamente, a verdade. Manuel José não é campeão, mas é… campeão. Campeão da dissonância, do lado mais crítico do jogo.
No Egipto, foi donativo permanente de sucesso. Vai agora rumar até Angola, preparado para martelar pela vitória no CAN 2010. Estabeleceu-se no roteiro dos títulos? Dotado de forte aparelho psíquico, com a leitura de todos os tratados em dia, mais insuspeita ambição, Manuel José brilha no poente da carreira. Pena que não comemore vitórias com um cálice bem português.

João Malheiro (no Destak de 25.05.2009)

Que curioso... problemas nos bilhetes outra vez!


Chega a ser bastante curioso que, sempre que haja um jogo mais importante (ainda bem que têm sido muitos) em que os próprios adeptos de sofá queiram marcar presença, exista problemas com os bilhetes.

Esta final da Taça não é excepção... Ontem desloquei-me ao Estádio do Dragão na minha hora de almoço na esperança de comprar 2 bilhetes, cheguei às bilheteiras e passado pouco mais de 2 horas desde a abertura só estavam meia dúzia de pessoas. Na minha inocência ainda pensei que não teria problemas em aranjar os bilhetes, quanto mais não fosse de € 20,00. Errado, já só haviam de € 30,00.

Gostava de saber ao certo quantas pessoas estiveram nas filas ontem de manhã. Já ouvi falar em centenas, já ouvi falar em milhares, 3 mil? 4 mil? Se só podiam comprar 2 bilhetes por pessoa como esgotaram? Depois vem-se a saber que quem compra camisolas ou packs para bebés tem direito a bilhetes, que a Cosmos continua a orientar-se às custas da paixão pelo Porto e, pior ainda, pessoas que nem sequer são sócias vão ter direito a bilhetinhos porque conhecem não sei quem não sei de onde... E a SAD do Porto ainda passa a imagem que quem tem Dragon Seat sai sempre beneficiado.

Isto não é de agora, dou como exemplo o jogo que nos deu o primeiro título deste Tetra, em Penafiel, quando os sócios do Porto esperavam nas filas do Dragão para comprar bilhete e eram «obrigados» a assistir impávidos e serenos aos chamados ‘gunas’ a meterem-se à frente das pessoas. Isso, a SAD já resolveu, oferece logo uns milhares de bilhetes às claques.

O mais engraçado é o próprio Pinto da Costa criticar as condições e a lotação do Jamor e a SAD não cria regras mais restritas de acesso aos bilhetes. Espero não estar a dar uma dica brilhante, mas tendo em conta os meios de pagamento possíveis há necessidade de ainda se assistir a esta confusão junto às bilheteiras? Eu, que já tenho lugar anual desde 2000, porque é que não posso comprar o meu bilhete online? A única vantagem na antiguidade dos sócios é receber dragões de prata e ouro?

Se conseguir 2 bilhetes por arranjinho, envio email à SAD e não renovo o meu Dragon Seat, fica a promessa.


Continuando neste clima de agressividade, mas já dentro das quatro linhas, uma história curiosa contada por Zamorano:

No 1º treino que fiz pelo Real Madrid, depois do mister Valdano me ter dito que era o 5º estrangeiro e não teria muitas hipóteses de jogar, estávamos em estágio de pré-temporada na Suíça. Nesse 1º treino, fizemos uma peladinha de 9 contra 9. Corria como um selvagem, porque sempre treinei como um selvagem. Valdano, entretanto, entra na peladinha e... sem querer, porque já não me consegui deter, faço uma entrada muita dura sobre ele e estatela-se no chão. Só me perguntou: «Treinas sempre assim ou só quando odeias o treinador?»

segunda-feira, 25 de maio de 2009

O Porto é nosso!


Infelizmente, não pude estar na festa nos Aliados com muita pena minha. Isto porque a festa, nos últimos anos, não tem sabido ao mesmo. Faltava aquele condimento especial que é a ligação da festa com a cidade e com o seu local mais emblemático. O FCPorto não poderá nunca ser dissociado da cidade e nem o contrário se aplica. Esta trica com Rui Rio já durou o tempo suficiente e foi pena que durante este tempo todo se tenha julgado que a resposta adequada à inexplicável atitude institucional da Câmara Municipal do Porto para com o Clube era o de concentrar os festejos em redor do Dragão. Ainda bem que os adeptos sempre por ali festejaram e ainda bem que se percebeu esta ano que não precisamos que se abram as portas da Câmara Municipal para levar a festa ao seu lugar natural. No Domingo por lá festejaremos mais uma vez.

Este é o facto da noite de ontem visto que no estádio vimos um FCPorto em clara e natural descompressão. Esperemos é que os níveis de concentração e intensidade se reponham para o embate da próxima semana.

Mas queria falar da inversão na nossa política desportiva. Já todos percebemos que para o próximo ano a aposta vai ser sobretudo em jogadores jovens e que se destacaram na Liga Sagres. Como tal decidi apresentar aqui aquele que considero ser o melhor onze da Liga se exceptuarmos os 3 grandes:


Alonso

Varela









César Peixoto








Nuno Coelho



Beto
Bruno China

Nené







Maicon






Rui Miguel








Miguel Lopes

Djalma



Suplentes:

Peskovic, Evaldo, Orlando, Vandinho, Ruben Micael e Yazalde.

Cheguei à conclusão que parte desse onze ou está contratado ou está debaixo de olho. E nem se fala muito de estrangeiros para o reforço do plantel. A única excepção será mesmo Angeleri que até me parece caro. Falta saber o motivo desta inversão súbita de política. Relembro que poucos têm sido os portugueses ou os provenientes da liga doméstica que foram contratados nos últimos tempos. No ano passado então, só Rodriguez e Fernando vieram do campeonato nacional. Será Jesualdo que está a influenciar a política de aquisições? Será Antero Henriques a ganhar força na estrutura? Será a crise? Será que por causa da rábula da renovação com Lisandro decidimos deixar de negociar com Hidalgo que era tem trazia o camião de argentinos? Será que este ano vamos fazer um esforço para manter todas as jóias da equipa e que por isso não haverá dinheiro para contratar jogadores mais caros? Gostaria muito que a resposta afirmativa fosse para esta última pergunta. Mas deve ser um pouco de todas as outras. Sinceramente, o importante é a inversão da política anterior. Isto por vários motivos, mas destaco um que, para mim, é o mais importante. Gosto de ver uma equipa do FCPorto com muitos portugueses e não uma equipa que joga constantemente com apenas 3!? É preocupante a possível perda de identidade que poderá acontecer com a invasão de estrangeiros no plantel. O que nos tem valido é que temos tido sempre estrangeiros com personalidade forte e Lisandro será sempre o maior exemplo disso. Dirão que é a globalização e que serão pensamentos xenófobos. Pouco me importa. Quero um FCPorto mais português e faz até mais sentido visto que, se queremos lutar com os clubes mais poderosos, temos de o fazer com jogadores desconhecidos e é bem mais fácil para nós descobrirmos jogadores desconhecidos portugueses ou do campeonato nacional do que estrangeiros. Não será todos os dias que aparecerá um Hulk... Uma coisa é certa, quero mais portugueses mas não me passa pela cabeça uma política de cantera desresponsabilizadora como a que apresentam os vasquinhos. Por muito que me custe o facto que não ver introduzidos na equipa principal jogadores das camadas jovens percebo que aqui a exigência é superior e a política de emprestimos por muito que seja exagerada permite aos jogadores chegarem mais preparados como irá acontecer este ano com Nuno André Coelho. E até acho que esta inversão vai trazer mais regressos de jogadores emprestados. Como tal, estou contente com esta nova política e entusiasmado para o ataque ao penta.

Para a semana, atenção ao Paços visto que é uma final perante uma equipa que nada tem a perder. Já sei que é um chavão, mas aplica-se na perfeição. Concentração máxima!

Equipa para o ataque à saladeira:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Cissokho; Fernando, Meireles, Lucho (ou Mariano) e Rodriguez; Hulk e Lisandro;

PS: Continua a petição para Lisandro renove em: http://www.peticao.com.pt/lisandro-lopez

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Um Daqueles Detalhes...

... maravilhosos do futebol!!!

As palavras são do jornalista que comenta o resumo que o Basculação recorda esta semana... Recuamos à época 2001/02 e, em semana do jogo com os arcebispos, nada melhor que recordar um dos jogos muito comentado em post´s anteriores desta rubrica...

Trata-se de uma vitória no Estádio 1.º de Maio, por uns categóricos 4-0, em que Benny McCarthy começa a despoletar no FCP com um hattrick e em que Deco, depois de um jopo sublime, tem um daqueles detalhes que faz conquistar qualquer amante do futebol... o treinador já era Mourinho e notava-se que estava a nascer uma super equipa consagrada na plenitude em Gelsenrkichen em 2004...



Notas do Vídeo...

- O segundo golo do Benny é uma sarda fantástica...

- Aquele sim, era o Cândido Costa que ainda hoje o Armando Sá deve ter pesadelos, numa noite memorável contra o Benfica no Estádio das Antas...

- Os comentários de Gabriel Alves... não percebi a toada agressiva do gajo nos comentários em relação ao Deco... num jogo fantástico do miúdo, em que leva porrada atrás de porrada vem com aquele discurso de: "se ele se preocupar em apenas jogar à bola é um grande jogador..."... certamente pura azia... para já não falar da ênfase em demasia a um dos golos do Benny ser fora de jogo....

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Figuras, figurinhas e surpresas


No rescaldo de um regresso aos passeios na Liga, como foi o jogo da Trofa, vamos lá ao rescaldo do campeonato. No entanto, não gostaria de menosprezar o bom trabalho que uma equipa, recheada de segundas linhas, realizou na Trofa. Mais uma vez vi ao vivo (e à chuva) e Lisandro, Farias, Mariano e Bruno Alves foram demasiado para um Trofense com o credo na boca. De saudar o regresso de Hulk e a estreia de mais dois campeões. Das segundas linhas destaco Stepanov que ainda continua a oscilar de inspiração dentro dos jogos e Benitez que realmente não parece deste filme apesar do empenho e da garra que imprime. Tommy e Guarin continuam a não convencer por completo mas, na minha opinião, têm lugar garantido no plantel da próxima época.

Mas foi com outros actores que se fez esta época. E olhando para trás fizemos melhor que o nos anos anteriores, visto que no ano passado, apesar de termos vencido o campeonato com uma vantagem record, não fomos capazes de fazer o mesmo na Champions e perante adversários mais frágeis. A verdade é este ano houve muito mais oscilações e em termos de futebol praticado, perdoem-me a ousadia, gostava mais da equipa do ano passado. Por muito que o plantel tenha mais soluções, a máquina de futebol do ano passado foi desmantelada. O problema é que Jesualdo tentou substituir peça por peça e só quando começou a correr extremamente mal (com 3 derrotas consecutivas e depois de apanhar uma coça futebolística em Londres) resolveu adaptar a equipa ao potencial dos jogadores e não o contrário. Tudo isto fez com que se começasse praticamente de novo e como tal o futebol da equipa oscilou entre um muito bom (normalmente fora de casa) e o medíocre (vá lá que aconteceu poucas vezes). Feita a resenha vamos aos protagonistas que dividi em figuras, figurinhas e surpresas.

Figuras

Confesso que oscilei primeiro entre 5 elementos, Meireles, Bruno Alves, Lisandro, Jesualdo e Hulk, depois reduzi para dois e acabei por chegar ao principal protagonista.

Meireles o MVP da época

O critério foi a consistência. Dos 5 que acima listei, todos tiveram os seus maus momentos. Ninguém esquece a fífia de Bruno Alves em Manchester, o apagão de Hulk nos quartos da Champions, a menor inspiração de Lisandro na finalização e os erros de Jesualdo no início da época. Só Meireles pairou sempre acima da mediania. Trata-se de um jogador que este ano quebrou 2 mitos. O de que apenas dura 70 minutos de jogo e o de que é incapaz de assumir a construção de jogo na ausência de Lucho. Pois Meireles transformou-se finalmente numa das referências da equipa facto que aliás foi recentemente recompensado com uma melhoria salarial.

O Capitão Bruno Alves

Ainda hoje deve ter pesadelos com aquela fífia de Manchester. Os adeptos também o sentiram como ele. Tinha de acontecer logo a ele! O jogador da casa, o porta-estandarte do nosso emblema, o nosso capitão. Ninguém esquece o episódio da Figueira Foz. Grande capitão, grande jogador! Grande demais, por muito que nos custe, para o campeonato Português. Custa a crer que todos os melhores clubes do mundo andem a dormir e como tal a final de Oeiras deverá marcar o último jogo de Bruno com o Dragão ao peito...

Jesualdo o professor do Tetra

E eventualmente do Penta. A dúvida continua e julgo que já deveríamos ter sido informados do que irá acontecer, visto que de certeza que decisão já está tomada. A verdade que é que também podia pôr Jesualdo na categoria das surpresas. Todos tínhamos na cabeça a ideia de que Jesualdo era um treinador conservador e avesso ao risco. Pois foi exactamente na altura em que decidiu arriscar que deu a volta à temporada. Pela primeira vez armou as equipas sem os temores que nos fizeram perder algumas Taças para o futebol cinzento Paulo Bento e alguns jogos na Champions como o do Arsenal este ano. É a jogar olhos nos olhos que poderemos vencer e a eliminatória com o Manchester provou-o. Ao contrário do que pensávamos Jesualdo não é apenas um treinador para consumo interno. Quanto à sua renovação, já aqui expliquei porque razão não a defendo. Mas de facto esta foi a época foi a época de afirmação de Jesualdo o que dada a sua avançada idade, é obra!

Lisandro o Espírito do Dragão

Dificilmente encontramos um jogador estrangeiro que melhor personifique o espírito do nosso Clube. Lisandro é e será sempre um verdadeiro Dragão e um empolgador nato do futebol da equipa. Incrível a forma como adaptou o seu futebol para que pudesse aparecer Hulk na equipa. Este é um jogador que leva a equipa às costas se for preciso e isto num ano em que tanto reclamou que a sua condição salarial não se coaduna com a sua influência na equipa. Como se fosse preciso ser a ele a reclamar. Então não está à vista de todos? Se ficar no próximo ano deixo já uma sugestão: que passe a ser um dos capitães. Pena foi que este ano tenha estado menos inspirado na finalização, mas ninguém o recriminará por isso, visto que Lisandro é muito mais que apenas um mero marcador de golos.

(continua a petição para Lisandro renove em: http://www.peticao.com.pt/lisandro-lopez)

O fenómeno Hulk

Ora aí está um jogador que também podia estar na categoria das surpresas. Quem esperava que um jogador escondido nas divisões secundárias do Japão daria nisto? Pior. Quem é doido o suficiente para dar 5 milhões de euros por metade do passe de um jogador desconhecido como este? Pelos vistos nós somos... É incrível como num ano contratamos um dos melhores marcadores de sempre do campeonato Argentino e não resolvemos o problema que resolvemos mais tarde com um desconhecido mais caro ainda. É de facto um jogador excitante sobretudo pelo potencial que tem. Que será deste jogador quando o conseguirem domar minimamente? São descobertas como estas que nos aproximam momentaneamente em talento dos tubarões da Europa. Veremos o que faz no próximo ano.

Surpresas

Rolando - a surpresa do ano

Para mim a maior surpresa do ano. Podemos falar de Hulk, Fernando e Cissokho, mas é um facto que já conhecemos este jogador há anos e confesso que, apesar de ter sido sempre titular numa das melhores equipas do belenenses nos últimos anos, nunca pensei que pudesse sair dali um jogador com atributos para uma Champions League. Muito calmo, rápido e consistente. Faltará talvez espírito de liderança o que trará mais um problema com a eventual saída de Bruno Alves.

Fernando - Paulo Assunquem?

A pré-epoca do ano passado e a boa época no Estrela deixavam antever um bom jogador. Mas ninguém esperava isto. Nem ele. Para mim, neste momento tem tudo o que Paulo Assunção tinha menos a experiência que só a idade trará. No resto é igual ou melhor, nomeadamente na velocidade e na polivalência. Ainda por cima é ainda um menino. Mais um jogador cujas potencialidades deixam água na boca para o que aí vem.

Cissokho - o pé esquerdo escondido

Há anos e anos que tentavamos contratar um lateral esquerdo sem sucesso. Fucile e Nuno Valente disfarçaram mas nunca entusiasmaram na posição. Foi preciso mais um tiro no escuro, mas ao contrário de Hulk, saiu bem mais em conta. Extremamente atlético, veloz e com um poderio físico invejável, tem compensado as lacunas que ainda tem ao nível táctico. Tal como Hulk exige ainda muito trabalho mas tem potencial para grandes voos.

Lucho-independência

Terá sido esta um surpresa positiva e negativa. Positiva porque implicou a ascensão de Meireles. Mas custa-me não poder pôr Lucho entre os protagonistas da época, mas de facto não o poderei fazer. Também não posso pô-lo nas desilusões visto que se há jogador a quem o chavão 'não sabe jogar mal' se aplica é a Lucho. E teve ainda grandes jogos este ano mas esperava-se mais ainda daquele que eu considero o nosso melhor jogador. Para o ano há mais e certamente haverá muito mais Lucho. Mas não esqueço que foi ele que com Hulk e Lisandro estabeleceu o ponto de viragem nesta época. Refiro-me aquele golo na Ucrânia, já nos descontos.

Menções Honrosas

Não nos podemos esquecer da grande segunda volta de Mariano González, da garra e velocidade de Rodriguez, da afirmação tardia de Sapunaru, da garra de Fucile e da veia goleadora de Farias. Todos eles foram muito importantes no arranque final para o título. Uma última menção para um grande campeão que é o Pedro Emanuel que deu tudo, mesmo a defesa esquerdo. Terá sido o ano de despedida de um jogador cujo coração ultrapassa em muito as suas condições técnicas. É isso que vamos lembrar neste jogador.

Figurinhas

Tarik a perder gás

Após a saída de Quaresma, esperava-se mais de Tarik. Apagão completo de um dos jogadores mais importantes na campanha da Champions do ano passado. Estará também de saída.

Terror na baliza

Nunca gostei de Nuno. Acho-o um guarda-redes sobrevalorizado desde muito cedo e falhou por completo a oportunidade que lhe deram de ser titular. Helton continua a ser dos maiores temores dos portistas. Perdeu justamente a titularidade no primeiro terço do campeonato para a recuperar pouco depois por causa das exibições de Nuno que foram ainda piores. Mas ninguém esquece que é um jogador que falha consecutivamente nos momentos chave como aconteceu este ano na Luz e em Madrid. Por mim pensava seriamente em vendê-lo e investir na baliza.

Benitez - o Flop anunciado

Pouco se esperava dele e pouco tivemos. Uma mancha numa política de contratações que este ano até foi bem razoável visto que entraram 5 contratações directamente para o onze regular.

Equipa para a continuação da festa (convinha dar já a Jesus uma prova do que lhe irá acontecer para o ano quando estiver a treinar os milhafres):

Helton; Sapunaru, Rolando, Bruno Alves e Cissokho; Fernando, Meireles, Mariano e Rodriguez; Hulk e Lisandro.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Outro quase Tetracampeão...

Na sequência do post anterior... e tal como Pedro Emanuel... há outro jogador quase Tetracampeão... a sua música ficava no ouvido e selou com um golo a confirmação de um campeonato muito, mas mesmo muito saboroso... o primeiro do Tetra...

E já com outra máquina digital, também estávamos lá...


terça-feira, 12 de maio de 2009

Que curioso… 12 tetracampeões!



Que ao clube dos ‘Tetras’ só dois clubes pertencem, isso quase toda a gente já sabia, que apenas um deles conseguiu o feito duas vezes e numa altura que já havia televisão a cores, também devem saber… Mas, jogadores tetracampeões, quantos são afinal?



Se o Sporting, na longínqua década de 50, contribuiu com 10 jogadores que estiveram na única séria de 4 campeonatos consecutivos da história do clube, o FC Porto no total das duas séries já contribuiu com 12. Tempos diferentes, em que os estrangeiros nos plantéis eram excepções e as transferências no final de cada época eram muito poucas. Entre 94/95 e 97/98, foram 7 tetracampeões, nesta nova série foram 5.


Vamos a uma curiosidade: em 94/95, o início da caminhada para o penta ficou (e vai ficar sempre) marcada pelo primeiro golo dessa época, apontado por Rui Filipe na vitória por 2-0 sobre o Braga nas Antas, nessa semana o jogador viria a falecer num acidente de viação mas o Porto marca presença em Aveiro e dedica a vitória (novamente por 2-0) ao jogador. Nesta nova série, alguém se lembra quem marcou o primeiro golo da caminhada, para já, do tetra?



E agora os nomes de todos os tetracampeões. Os primeiros 7 foram: Aloísio, Jorge Costa, Rui Jorge, Paulinho Santos, Rui Barros, Folha e Drulovic; os mais recentes foram: Helton, Bruno Alves, Lucho, Lisandro e Raul Meireles (Pedro Emanuel embora tenha feito sempre parte do plantel não jogou na época de estreia de Jesualdo devido a lesão gravíssima).





Rodriguez, durante os festejos do tetra, a relembrar que teve que pensar muito para trocar de clube…




Por fim, o primeiro golo desta nova série de títulos foi apontado por Ricardo Costa na vitória por 1-0 contra o Estrela no Dragão. O onze inicial: Baía, Sonkaya, P. Emanuel, Ricardo Costa, César Peixoto, Meireles, Jorginho, Diego, Lucho, Postiga e Lisandro. No banco estavam Helton, Ibson, Pepe, Paulo Assunção, Sokota, Alan e Hugo Almeida.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Para o ano há mais...


Aí está o Tetra! Vencemos mais uma vez! E vem-me logo à cabeça esta velha expressão do: para o ano há mais... É que aplica-se bem ao sentimento dos três grandes. Para uns é usado como um sinal de resignação às suas tristes realidades de calimeros ou de falsos moralistas. No nosso caso, tem a ver com a nossa sede de vitórias e, de facto, não há portista que não pense imediatamente na concretização do nosso segundo Penta. É de facto um orgulho ser portista! Primeiro porque somos diferentes em termos de cultura de clube e depois porque ganhamos que nos fartamos! E será à custa disso que o nosso clube continuará a crescer também em numero de adeptos. Uns dirão que é por causa das vitórias outros dirão que é por causa da cultura de clube como se fosse possível dissociar as duas coisas. E assim continuaremos. Pinto da Costa já leva 17 campeonatos exactamente os mesmos a que eu assisti desde que nasci. Pretendo continuar a acompanha-lo no palmarés durante muitos anos...

Mas este título tem contornos especiais e até se nota pela forma como foi festejado pelos jogadores e equipa técnica. Este ano a coisa esteve difícil e chegamos a estar a uma distância considerável do primeiro lugar. E se é sempre mais saborosa uma vitória em que damos a volta ao marcador, que dizer de um campeonato feito de trás para a frente? Mais que isso. É muito bom ver a forma como a equipa evoluiu perante as contrariedades que enfrentou. Uns dizem que têm uma equipa de jovens, mas que dizer da nossa? Fernando, Cissokho, Rolando, Hulk, Rodriguez não são jovens? Que bom foi vê-los evoluir no seio da equipa... E não convém esquecer a habitual envolvente hostil que nos acompanha e que está personificada na Liga e numa Comissão Disciplinar que tudo faz para agradar aos seus mentores. Está também presente numa imprensa mais que parcial e que assenta toda a sua actuação nas suas frustrações e nas dos seus filhos predilectos. Que chatice esta coisa de o clube que mais vence não ser o clube que mais vende jornais ou que dá mais audiência... Ainda ontem apanhei mais um exemplo da tamanha inveja desta gente. Perguntavam na SIC qual a razão desta nossa mais recente conquista. E não é que por entre as opções clássicas de jogadores, treinador, presidente e fragilidades dos adversários estava lá a opção arbitragens? Esta inveja faz-nos mais fortes e é incrível como insistem em não perceber isso. Para eles, fica a imagem que escolhi para ilustrar este Tetra: Toma! Para o ano há mais!

Quanto ao jogo, pouco há a registar nas quatro linhas para além do golo. Exibição fraca apesar do empenho que se notava em todos. Valeu pelo golo que deu a vitória e sobretudo pelo grande espectáculo das bancadas do Dragão. É lindo ver o estádio assim e foi esse o condimento essencial para mais uma festa memorável. Pena que este ano se tenha optado por não festejar também com os adeptos que não puderam assistir ao jogo que estava esgotado há alguns dias. Não me pareceu muito boa opção. Agora temos dois jogos para preparar a final da Taça para atingirmos mais uma dobradinha à nossa moda.

Equipa para a Trofa:(para fazer mais dois campeões)

Ventura; Sapunaru, Stepanov, Bruno Alves, Cissokho; Fernando, Tommy Costa, Guarín; Rodriguez, Mariano e Lisandro.

Ps: Hulk é monstruoso em tudo! Até a recuperar de lesões... Era uma ruptura parcial de ligamentos...

Ps2: Por falar em lesionados, até me assustou a forma como Lucho saltava. Será que o departamento médico aprova?

Ps3: A tal sondagem da sic. Estranho o resultado...



PS4: Prometi fazer a pergunta todas as semanas e, portanto, cá vai: Em que ponto está a renovação de Lisandro?

Continua a petição em: http://www.peticao.com.pt/lisandro-lopez



quarta-feira, 6 de maio de 2009

A Era das Máquinas Digitais...

Domingo, serão certamente muitas no Dragão... Há 6 anos atrás eram menos e eu tinha o privilégio de já ter uma... A qualidade é má, mas o golo é Lindo ou não fosse do meu ídolo Anderson Luís de Sousa... Lembro-me que estavamos, como agora, em altura da Queima das Fitas e, depois de ter recebido a cartola na FEP fui a correr para as Antas onde já só via a segunda parte... no fim, ainda me escapei minutos antes da festa terminar porque tinha um jogo de um torneio de futebol de 7 no Viso... alturas em que o tempo esticava e parecia que dava sempre para tudo... o jogo foi contra o Santa Clara, ficou 5-0 e foi o primeiro título do José que aparece dois post´s abaixo como treinador principal...

Domingo lá estaremos, outra vez com uma equipa insular e esperando um desfecho similar... quanto ao livre, pode ser o Bruno Alves desta vez... :)


terça-feira, 5 de maio de 2009

Que curioso... não são imbatíveis!

Grande projecção, nunca uma equipa tinha terminado uma fase regular só com vitórias: 30 jogos, 30 vitórias! LFV e Rui Costa vão ao pavilhão à 30ª jornada e logo contra o Porto. Fantástico!

Primeiro jogo dos play-off, vitória contra o Porto, 31 jogos igual a 31 vitórias. São imbatíveis, vai ser só com vitórias até ao final, valha ao menos o basquetebol. Já se ouve o cântico mais infundado do país “Ninguém pára o Benfica, ninguém pára o Ben...”

Oooops, parou! O Porto com uma época penosa (17v/13d) foi a Lisboa quebrar a invencibilidade. Podia ser a Ovarense, a Física, o Vitória, qualquer um, mas não, tinha que ser o Porto... já começa a ser demais... e quando é que foi? Foi no Domingo depois do Benfica ter perdido contra o Nacional e antes do Porto ter ganho ao Marítimo e ficar a 3 pontos do título. É claro que as más-línguas disseram logo que o Benfica nunca esteve a tão poucos pontos do Porto – 54-58 – só a 4...


Tudo isto para dizer que o basquetebol surgiu no FC Porto em meados dos anos 20, cerca de uma década após a introdução da modalidade em Portugal. O FC Porto foi um dos grandes impulsionadores da modalidade em Portugal, contribuindo, a par do Académico e do Fluvial, para fazer do Porto a capital do basquetebol português. A Federação Portuguesa de Basquetebol (em 1927) é fundada na Invicta e é aqui que se disputa o primeiro jogo internacional da modalidade - Portugal x França, em 1931, no Estádio do Lima (Portugal perdeu por 34 x 9). No início da década de 70 o FC Porto contrata aquele que é considerado o melhor de todos os basquetebolistas que já actuaram em Portugal: Dale Dover, estrela do basquetebol universitário norte-americano pela universidade de Harvard. No final da mesma década, o treinador Jorge Araújo e o então director Matos Pacheco foram os grandes responsáveis pela profissionalização do basquetebol portista. Desde então, o FC Porto somou vários títulos nacionais, tendo passado pelas suas fileiras jogadores como Jared Miller.



E porque queremos falar do desporto-rei, uma curiosidade contada por Carlos Bilardo:


“Durante um estágio, era eu treinador do Estudiantes, enquanto via um jogo na televisão ouvi alguns dos meus jogadores que estavam noutro quarto a gritar gooooolo como loucos! Fui a correr a pensar que outro jogo poderia estar a dar na televisão, mas quando me abriram a porta fiquei incrédulo quando vi que estavam a jogar PlayStation enquanto se disputava um jogo do nosso campeonato. Para cúmulo, Marcelo Carrusca distraiu-se quando entrei no quarto e enquanto me olhava marcaram-lhe um golo. ‘Ai, ai, Marcelo, no campo também é a mesma coisa!’, disse-lhe”

Falta o c******!!!

Não sei se tem muito tempo, nem tão pouco se correu os mails de toda a gente, vi-o ontem e tive que o postar...

Mourinho a dar mais uma prova da sua mentalidade vencedora e a mostrar que Quaresma serviu para uma coisa: ensinar as triveladas... De resto, demonstra o português de gema que é, pode falar muito bem italiano, mas meu amigo, quando é para insultar, que seja em português!!!

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Se é que alguém ainda tinha dúvidas…

Aí está! Chegada a hora da verdade, destacam-se os Campeões! Tal ficou bem patente no fim-de-semana. Enquanto, para nós, bastaram 3 minutos para chegarmos ao golo, outros esconderam-se do jogo recusando-se a assumi-lo como seria exigível. Era espectável. Ainda assim, havia quem tivesse dúvidas. Havia quem acreditasse que o Sporting, apesar de não apresentar qualquer ponta de futebol e apesar de depender há vários jogos unicamente da inspiração de um jogador, Liedson, poderia pôr pressão sobre a nossa equipa. Pois tal estrelinha não iria durar para sempre. Eu diria até que, ontem foi a nossa vez de ter alguma sorte visto que marcámos muito cedo e sobretudo porque fizemos provavelmente a exibição mais fraca desta serie de dez (?!) vitórias consecutivas fora de casa. Mas de facto esta serie é impressionante e é bem verdade que foi fora de portas que desenhámos este iminente Tetra campeonato.


Quanto ao jogo, exibição muito descolorida. Jesualdo tem razão que a perda de Meireles, nos primeiros minutos do jogo afectou o futebol da equipa. Tal não se deveu ao facto de Tommy não ter assumido o jogo. O problema é que havia ali um jogador a menos visto que Guarín continua a não passar de uma penosa soma de correrias tontas e de trapalhadas. Também Rodriguez teve um jogo assim. Valeu-nos a exibição de Tommy no meio, Mariano na frente, e Cissokho lá atrás. Mas o melhor de todos foi mesmo Tommy que terá feito a sua melhor exibição com a camisola do FCPorto. Ainda por cima coroou a exibição com o golo da tranquilidade. No entanto, este foi um jogo que raramente tivemos sob controlo, o que até é aceitável dado o avançado da época e as recentes e profundas alterações que tivemos de fazer perante as lesões, sendo a de Meireles apenas a mais recente.


Mas chega do jogo. Já todos estamos com a cabeça no Domingo e na festa que já está marcada. Deixemos que os outros se preocupem com os futuros craques que virão para o lugar das habituais desilusões. Deixemos os outros preocuparem-se com o estranho minuto 68 ou com o estranho minuto em que Carvalhal resolveu deixar no banco o seu melhor marcador, ou o estranho minuto em que substituiu Djalma. Quem fez bem foi o Domingos que fez as substituições todas no tempo de compensação… O máximo que podem dizer é que tentou perder tempo… Para esses deixamos os títulos menores, seja o da cerveja, seja a da melhor performance nos túneis, seja do da melhor cantera, seja o que for. O título que interessa é nosso e não deixa de ter um saborzinho especial, saber que, desde que começou este engodo que é o Apito, seja dourado ,final ou entupido, vencemos sempre e sem excepção o campeonato nacional. Ora, saiam quatro doses fresquinhas de realidade para a mesa daqueles senhores da segunda circular! Será que ainda terão apetite para a quinta? O FCPorto terá com certeza todo o gosto em servi-la…


Equipa para o jogo da consagração:


Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves, Cissokho; Fernando, Tommy, Meireles e Mariano; Lisandro e Farias.



PS: Prometi fazer a pergunta todas as semanas e, portanto, cá vai: Em que ponto está a renovação de Lisandro?

Continua a petição em: http://www.peticao.com.pt/lisandro-lopez