segunda-feira, 25 de julho de 2016

De Regresso


Tivemos umas merecidas férias aqui no blog. Não foram férias do trabalho. Essas ainda hão de vir. A época foi bastante traumática e, escrever semanalmente sobre o clube e a época passada, foi extenuante. Neste período de férias sempre deu para olhar para o futebol de uma forma menos apaixonada. Eu bem tentei, durante o Euro, transferir os meus afectos para a nossa Selecção, obviamente sem grande sucesso. Ainda assim, uma saborosa vitória. Muitos falam no futebol menos bonito, na sorte e noutras 'merdas' que têm servido para atenuar a nossa desilusão noutras ocasiões e que agora servem para desvalorizar este feito. Tipicamente Português.... O caneco é nosso e o nosso futebol já o merecia há muitos anos! Tenho imensa pena que não pudéssemos ter mais jogadores do FCPorto neste momento histórico. Vi serem dados demasiados minutos para jogadores banais como Eder, Adrien, Cedric, Eliseu, etc., e poucos a André André, a André Silva e ao Ruben Neves, mas esse é um sintoma da nossa época e da nossa política dos últimos anos.

Por falar em política desportiva, podemos começar por aí a pré-avaliação à construção do plantel. O Presidente tínha-nos prometido uma política de integração dos 'retornados' e dos jogadores que brilhantemente venceram o campeonato da Segunda Liga. Os B's já foram todos despachados para os Olímpicos ou para rodagem em Primeira Liga e, dos retornados, sobram Otávio, Reyes, Hernani e Josué, sendo que estes últimos não deverão durar muito. É mau? Não sei e não consigo avaliar agora. Mas sempre é um sintoma de 'navegação à vista' que oscila de acordo com o treinador ou com o que o mercado nos oferece. Dou um exemplo paradigmático: Rafa vs Alex Telles. Parece-me um caso claro em que se tinha um plano de valorização de um jogador da casa que foi abandonado perante uma oportunidade de mercado, de comprar um jogador seguido há muito tempo, por um preço considerado barato. E o Rafa e os adeptos que têm muita esperança nele terão de esperar... Já a contratação de João Carlos Teixeira vai no sentido inverso. Também retira o lugar no plantel a Graça, Chicão, Josué e até a Sérgio Oliveira, mas é português, com potencial e foi barato. Com isto pretendo dizer que não se percebe um rumo e isso assusta um pouco. Em suma, tivemos a limpeza das contratações de inverno, a limpeza dos B's que vão rodar mais um ano, a devolução dos retornados ao mercado dos empréstimos e três entradas. Duas são de brasileiros caros (pelo menos para já) e um português barato. Quanto a saídas, Helton e apenas sabemos que Indi não vai ficar e que Quintero já é um caso perdido. Tudo o resto é incerto e nem sequer houve desmentido das notícias que garantiram que não cumpriríamos o fair-play financeiro. Ainda temos de vender? Tudo indica que sim. Resta-nos aguardar.

Quanto aos jogos de pré-temporada, nada de muito excitante. Há até alguns sinais precoces de desnorte defensivo que não deverá, no entanto, ser sobrevalorizado. Pré-época é para isto. Podemos no entanto ir tirando algumas conclusões avulsas:
- Na baliza, tirando a estranha saída de Helton, tudo normal. Estranha pela forma e não pela saída, que teria de acontecer. Veremos se ainda vamos a tempo de o tratar como ele merece. Gudiño tem de rodar para nos fazer esquecer a fraca época no União.
- Chidozie continua com tendência para a desgraça, mas o golo do reforço Felipe na própria baliza é para já o lance mais ridículo da pré-época. Mas ainda assim, dá a ideia de que veio para ser titular, faltando saber apenas quem o acompanha: Marcano, Reyes ou Chidozie. Aqui temos um excedentário em Indi;
- Nas laterais o reforço Alex Telles tem um desempenho típico de lateral brasileiro. Entusiasma quando sobe e desilude quando tem de encontrar o melhor posicionamento defensivo. Se assim for, Layun e Maxi não deverão ser apoquentados ao longo da época.
- Ruben e Danilo têm lugar cativo e qualidade que sobra. Há quem goste muito mais do Ruben, porque é mais completo, pensa o jogo, passa curto dentro do bloco ou longo nas costas, e há outros que preferem a força da natureza que é Danilo. Pelo descritivo já percebem em que grupo me incluo.
- João Carlos Teixeira e Otávio começam a pegar no jogo com qualidade e com técnica, algo que André André ainda não está a conseguir e algo que Herrera teima a fazer, ora muito bem, ora pessimamente, consoante o calendário lunar ou o que quer que funcione com ele. É que, passados três anos, eu ainda não percebi... Josué e Quintero estão de saída e Sérgio Oliveira deverá seguir o mesmo caminho.
- Por muito que o critiquem, Brahimi continua a dar o sal ao nosso futebol. Ele e Corona, mas este último tem de ser mais constante. Quanto a Hernani, não se percebe a sua manutenção no plantel e  Varela também não conta. Até o encostam a lateral... Dá toda a ideia que vamos tentar contratar outra solução para a ala, apesar de a opção Otávio estar a dar algum resultado.
- André Silva parece ser uma solução indiscutível para titular, mas não convém subalternizar Aboubakar que também é jovem e tem muito para dar ao clube. Se Suk não conta, falta outro. A não ser que aconteça algo Bueno com que não estamos a contar.

Na quarta feira teremos mais respostas. Siga a pré-época mais longa da história do clube!