sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Gomes a Bisar e Muitos Penalties para Comentar...

Vídeos made in Basculação... Académica 1-3 F.C. Porto (86-87)...


Notas:
- Jogos à tarde... estádios arrebentar pelas costuras...
- Gomes, à ponta de lança, a bisar...
- André aparecer em zonas muito avançadas... quase como 10, ou pelo menos um 8 muito ofensivo...
- Quem é o Paulo Ricardo?
- O último lance de penalty sobre o João Pinto é caricato... o que era preciso mais para ser marcado?

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Tentem não 'panicar'


É mau mas não estou certo que seja caso para isso. O resultado no outro jogo ajudou e duas vitórias sobre o Apoel deverão tornar mais fácil a passagem à fase seguinte. Adicionalmente, a equipa foi altamente condicionada por um erro individual, daqueles para os quais nenhum treinador tem o antídoto. Irão sempre acontecer e são erros capazes de virar um jogo por muito bem que esteja a correr.

Convenhamos que não era o caso. Chega de paninhos quentes. O jogo não estava propriamente com ascendente nosso, ao contrário do que a nossa entrada em jogo nos fez acreditar. Não gerimos muito bem o golo marcado e demos algum espaço para que o adversário fosse crescendo. Depois disso tentámos controlar apesar de não termos criado grande perigo. Depois vieram as contrariedades. Primeiro a lesão de Kleber, e mais tarde veio a expulsão. Paragem de cérebro óbvia que deverá ser premiada de forma semelhante à do ano passado, ou seja, uns joguinhos no banco e só regressa se Sapunaru estiver mal, o que é raro... Mas o facto de não termos Kleber na altura da expulsão acabou por ser ainda pior. Isto porque Vitor Pereira não teve coragem para tirar Varela depois de 10 minutos em campo. Era o que eu faria, visto que James era muito mais útil e é claramente melhor jogador, mas compreendo a opção. Poderia perder-se o Varela e a época não terminava ontem. Ao intervalo estava com receio. Não confiava que abordássemos o jogo como o da Turquia no ano passado em que ficámos com 10 muito cedo e ainda aumentámos a vantagem. E de facto aconteceu. Ficámos sem poder de fogo, com Hulk entregue a acções individuais, com um desastre de Varela, com médios perdidos e sem pedalada e com uma defesa entregue a si própria. Em suma, uma equipa rendida à inevitabilidade da derrota. E dirão que foram poucos os golos sofridos e é verdade. Mas não é esse o problema. É normal ser dominado quando se está em inferioridade numérica. O que não é normal é a apatia que a equipa demonstrou e que tem demonstrado, nomeadamente na segunda parte do clássico do Dragão. Agora sim, estou preocupado! Não me importa o resultado, já tínhamos 3 pontos e este adversário tinha zero e ainda vai ao Dragão e à Ucrânia. O que me importava mesmo naquela segunda parte era ver como a equipa reagia à adversidade. Dou-lhe nota zero! Muito trabalho a fazer com esta equipa neste campo. Nem tudo se vai resolver com tácticas e com o talento dos jogadores. Futebol é mais que isso.

Individualmente, nota mínima para Fucile. O resto da defesa esteve demasiado nervosa e Alvaro não consegue aguentar os jogos inteiros. Tem de descansar. No meio campo, Souza não dá a mesma segurança que Fernando e isso notou-se na segunda parte. Ainda por cima Moutinho estava estranhamente complicativo. Hulk então... No fundo não há destaques positivos. Talvez James e Kleber que jogaram antes da desgraça acontecer.

Só quero é que venha rápido o próximo jogo para que esta desconfiança desapareça. Pedro Emanuel deverá pagar as favas...

A parte boa (desta vez) está dentro da revista...

O que mais chama a atenção nesta revista costuma ser a capa...


Mas desta vez há uma referência muito positiva ao basculação que ofusca qualquer capa da revista J...


Da Rússia com Vitórias...

Vídeos made in Basculação... Jogos na Rússia...

CSKA Moskva 0-1 FC Porto (04/05) e CSKA Moskva 0-2 FC Porto (06/07)
(Liga dos Campeões)



CSKA Moskva 0-1 FC Porto (10/11)
(Liga Europa)


Spartak Moskva 2-5 FC Porto (10/11)
(Liga Europa)


Notas:
- Até agora só vitórias... e a última com goleada... esperemos que logo à tarde o desfecho se repita com a quinta vitória em todos jogos até agora disputados pelo nosso clube na Rússia... seria uma excelente prenda de aniversário para comemorar os 118 anos de vida...

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

A minha 'Ileção'

Depois de assistirmos ao episódio de pura classe em que o mestre da táctica recomenda a Álvaro Pereira uma visita às partes baixas da sua própria mãe (poderão confirmar aqui), tivemos hoje mais uma amostra da eloquência do 'Senhor'. Não contente com a, provavelmente irrepetível, felicidade que bafejou a sua equipa no jogo do Dragão (a que muito ajudou a nossa apatia), ainda se dispõe a explorar a ousadia da sua táctica e a insanidade dos riscos ofensivos que correu na segunda parte. É óbvio que não estou disponível para discutir lógica com tamanha sapiência. Não arrisco. Pode correr mal. Somos de correntes filosóficas completamente diferentes. Vou, jogar pelo seguro e pegar talvez no seu calcanhar de Aquiles: falar português! Vamos a isso. Eu até nem tenho dificuldade e tenho praticado, creio que, nos últimos 30 anos da minha vida. Tal permitir-me-á a ousadia de lançar um passatempo: Quantas cacetadas deu JJ na língua celebrizada por Eça, Pessoa e Camões? Para não dizerem que invento erros, deixo primeiro o vídeo e depois a transcrição com os erros sublinhados.

 
Solução: 8 em 30 segundos! 
«O Benfica do jogo das Antas, acabou o jogo com Cardozo, Saviola, Nico e Bruno e Axel, praticamente com cinco jogadores de características ofensivas. E quando se tira um ponta-de-lança e substitui-se pel'um médio, procuro quem é que mexeu na equipa para defender pontos? Vocês agora façem a vossa ileção»

Cá vai a minha ileção: Em primeiro lugar eu gostaria que toda e qualquer intervenção oral ou escrita deste senhor passasse a ser obrigatoriamente acompanhada de intérprete e/ou legendas. Adicionalmente, quer me parecer, e digo apenas que me parece dada a quantidade de estrangeirismos ou neologismos utilizados, que foi argumentado que as substituições de Vítor Pereira foram mais defensivas. Permitam-me a ousadia de responder à pergunta: o único treinador que substituiu um ponta-de-lança por um médio foi o JJ? Trocou Cardozo, o tal que terminou o jogo, por Matic. A outra alteração referida foi a de um ponta-de-lança por um extremo. Um extremo não é exactamente um médio. Por isso é que se fala no 4-3-3 em vez do 4-5-1... Arrisco dizer que este Senhor tem sorte porque os seus adeptos 'comem' tudo. E assim vão inchando...

domingo, 25 de setembro de 2011

Nova soneca, novo empate


A primeira soneca foi na primeira parte em Aveiro. Desta vez foi após o golo de Otamendi. Consigo até encontrar outros paralelos entre este jogo no Dragão e o jogo com o Feirense. Em ambos apanhamos um adversário medroso e em busca do nosso erro. Nada que não se estivesse à espera. O que não esperava é que Vitor Pereira voltasse a mexer mal a partir do banco. Mas já lá vamos.

O ambiente estava fantástico no Dragão. Não houve, com certeza, dificuldade em motivar as tropas para o jogo. E o jogo começou com o FCPorto a fazer o que lhe competia:  a carregar pacientemente sobre o adversário. Não tivemos muitas oportunidades, mas o suficiente para chegar ao intervalo com uma vantagem justa. Nessa fase destacaram-se sobretudo Hulk e Guarin. Bom golo de Kleber após um falhanço de bradar aos céus. Na segunda parte entramos um pouco mais moles. Hulk demorou a tirar uma bola da zona defensiva e procurou driblar quando se exigia um chuto para a bancada, e Nolito lá inventou  uma rosca que isolou um colega de equipa. Golo sofrido logo ao primeiro erro. Não foi difícil regressar à vantagem. O mestre da táctica não se preparou convenientemente para uma bola parada estudada pelo 'ex-colaborador' de Villas-Boas (palavras de sua iminência o JJ...) e golo. Talvez por ter sido tão fácil retornar à vantagem, deu-se um apagão. E é isso, mais que a desastrada substituição de Guarín, que é preocupante. No ano passado chegámos aos 5-0 porque nos recusámos a dormir sobre o resultado. Porque havia contas a ajustar. Julgarão que depois de um ano a dar sovas atrás de sovas às papoilas, que já não temos nada a provar? Que somos superiores só por aparecer? Pois enganam-se. Haverão sempre contas a ajustar e o estatuto que ganhámos sobretudo nos últimos 30 anos não se ganhou a descansar sobre a glória passada. Um resultado de 2-1 com este adversário significa que lhes permitimos festejar um golo no nosso estádio. É motivo mais que suficiente para continuar a carregar até que a vitória seja inequívoca! Se têm dificuldade em perceber isto vamos ter problemas este ano... Pelo menos que o segundo golo sirva de lição, já que não se aprendeu nada na semana passada. Foi Fucile que foi apanhado a dormir mas toda a equipa andava sonolenta nessa altura. A isso também ajudou o facto de se ter substituído o jogador que mais tentava espevitar a equipa. O que terá passado pela cabeça de Vitor Pereira? Estaria a ver um jogo diferente? É já a segunda vez que é apanhado em trapalhadas destas e não me parece que seja descabida a preocupação que temos vindo a sentir perante estes episódios. É que até no jogo da Supertaça Europeia, que terá sido uma noite de afirmação do nosso treinador, houve más decisões na altura de mexer na equipa. Esperemos que também ele aprenda com os erros. 

Individualmente, gostei de Guarín que voltou a ser o melhor e da primeira parte de Hulk. Fernando foi talhado para estes jogos e Moutinho não sabe/consegue jogar mal. Otamendi também esteve bem e até foi dos que mais tentou puxar pela equipa na segunda parte. Pela negativa, os laterais. Parecem cansados. Sei que Alvaro vinha de lesão, mas Fucile teve muitas dificuldade na segunda parte o que poderá denotar algum abaixamento de forma. Quem também não agradou foi o Hulk da segunda parte. Preocupante este comportamento bipolar do Incrível. Precisámos dele nestes jogos.

Quarta-feira volta a Champions. Começo desde já a pensar que tenho de arranjar maneira de conseguir assistir a um jogo às 17 horas em dia de trabalho...

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Onze para logo

Julgo que a coisa é mais ou menos consensual. De qualquer forma deixo o meu onze para logo:

Helton; Fucile, Rolando, Otamendi e Palito; Fernando, Guarín e Moutinho; Varela, Incrível e Kleber.

Para animar deixo uma bela recordação:

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Domingos... Sempre Ele...

Vídeos made in Basculação... FC Porto 2-1 Benfica (90-91)...


Notas...
- Antes de eliminarmos o Feirense da Taça de Portugal, como recordado nos últimos vídeos colocados no nosso blogue, foi necessário deixar para trás outras equipas... teoricamente mais fracas... o Benfica foi um desses casos...
- Grande Exibição de Domingos a decidir a eliminatória com dois golos...
- Boas estiradas de Baía na peça...
- Paulo Sousa aparece quase a extremo esquerdo no golo do Benfica...
- "Sofre Penalty, mas o árbitro bem, deixou seguir..." - As regras mudaram entretanto?
- Duas tentativas de Domingos em fazer chapéu a Silvino...
- Baltazar à boca da baliza podia ter matado o jogo...

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Escolha múltipla


O jornal A Bola, insiste que Nolito preferiu o Benfica ao Barcelona. Dizem até que está feliz. Folgo em saber... Para abrilhantar a capa digna de revista côr de rosa, até posso porpôr a resposta cliché completa: «Estou feliz, de bem com a vida e com o mundo e pronto para novos desafios!». Centremo-nos antes na nega ao Barcelona. Porque é que Nolito disse 'Não' ao melhor clube do mundo?

A) Considerou que o Barça era um clube demasiado pequeno para uma dupla Messi-Nolito. Julga até que nenhum clube do mundo aguentaria essa colossal luta de egos.

B) É um sobredotado cujo brilhantismo só será compreendido quando misturado com os seus pares na próxima edição da Casa dos Segredos. Terá de encher mais um bocado para conseguir entrar...

C) O que lhe propuseram foi um lugar de técnico superior de equipamentos, a.k.a. roupeiro.

D) Acha o tiki-taka aborrecido e até um bocado apaneleirado. Tal como Gardiola...

E) O Barcelona B apresentou um projecto pouco ambicioso, para quem tinha um convite do auto-intitulado Maior Clube do Universo e das ex-Colónias. Diz-se até que eles nem tinham como objectivo, subir a médio prazo à primeira Liga Espanhola.

F) Todas as anteriores apesar de, pela lógica, essa conjugação ser impossível.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Nas Antas Para Carimbar a Viagem Para Oeiras...

Vídeos made in Basculação... FC Porto 2-0 Feirense (90-91)...


Notas...
- Resumo bastante curto, apenas os golos...
- Golão de João Pinto que até surpreendeu quem montou esta peça... ou então a mim mesmo que apenas queria gravar o resumo do jogo propriamente dito...
- Domingos lá estava... novamente para encostar...
- Vitória e passaporte para a final onde defrontaríamos o Beira-Mar e também onde ganharíamos apenas no prolongamento...

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Noves fora...


... nada! Ou melhor: um pontinho... Estranha esta maneira de atacar sem um ponta-de-lança. De que vale a profundidade nas alas se não temos ninguém para decidir em frente à baliza? Eu não percebo. Tal como não percebi as outras duas alterações de Vitor Pereira. Fiquei ainda mais surpreendido pela forma apática como abordámos aquela primeira parte. E assim é difícil.

Comecemos então por aí. Estreamos um esquema com Moutinho, Belluschi e Guarín. No ano passado já tínhamos a possibilidade de testar este trio no meio-campo. Tal nunca foi feito. Pela amostra de ontem poderíamos pensar que a receita não funciona. Eu tendo a discordar. O problema foi essencialmente mais à frente. Kleber pouco se viu e quanto aos Rodriguez... O Cristian é de uma insipiência preocupante. Até se entrega ao jogo com garra, mas isso só, não chega. Já James, passou ao lado do jogo. Sendo assim, torna-se difícil. Por muito que os médios tentem criar jogo, não há milagres. Daí o facto de se ter rematado tanto de longe. E assim se passou a primeira parte. Na segunda, apesar de ficarmos sem uma referência na área passámos a ter um extremo mais desequilibrante. E a coisa até foi melhorando. O problema é que o tempo ia passando e a bola, por vezes com algum azar, acabava sempre por não entrar. Isso gerou confusão, alguns contra-ataques perigosos do Feirense e um jogo extremamente descontrolado. Entretanto veio uma substituição absolutamente inexplicável dado o nulo no marcador, de Rodriguez por Defour. Mais tarde veio outra ainda mais bizarra. Djalma por Sapunaru. Ou seja, um tipo para ganhar a linha e centrar para os zero avançados centro que tínhamos em campo. Exibição fraca da equipa e uma exibição de Vitor Pereira, digamos que, pouco inspirada.

Individualmente, e pela positiva, Guarín e Varela apesar de ter falhado um golo de baliza aberta. Pela negativa, não houve nenhuma exibição horrível. Talvez apenas a de James que ainda conseguiu ser expulso de uma maneira bastante infantil. Tudo o resto oscilou entre o mediano e o medíocre. Destaque para a estreia de Mangala. Nada a concluir. Vi coisas boas e coisas más. A rever.

Não acredito que isto possa abalar a preparação para a recepção às papoilas. De facto o jogo correu mal, mas convenhamos que coincidiu uma má exibição de Kleber, James, etc. com as ausências de Hulk e Alvaro, e houve ainda algum azar. Não haverá motivo para alarme. Na próxima sexta-feira teremos um FCPorto à altura. Estou convicto disso.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Meias Finais da Taça de Portugal em Santa Maria da Feira...

Vídeos made in Basculação... Feirense 1-1 FC Porto (90-91)...


Notas...
- O título do post diz quase tudo... Meias Finais da Taça de Portugal em Santa Maria da Feira???
- E estivemos a perder já no prolongamento (os gajos com 10) e lá chegamos a igualdade pelo inevitável Domingos após assistência de cabeça de Paille...
- O vídeo é muito rápido, mas ou foi um grande golo ou o Baía meteu água...
- O desempate nas Antas fica para ser recordado na próxima semana...

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Quase o pleno...

Só um velhinho do Manster Unaite estragou as contas do ranking português...


Pena não ter estragado mais...

Subtileza

Gostei da capa de hoje do jornal O Jogo:


PS: Será que Ferguson arriscaria vir ao Dragão com esta mesma equipa que jogou ontem?

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Good to be back


Já estávamos com saudades e, para começar, uma vitória sobre o nosso maior adversário na luta pelo primeiro lugar no grupo. O outro, também ficou a 3 pontos... Para terminar o ramalhete, Bruno Alves foi expulso e não vai jogar na nossa visita a S. Petersburgo.

Como seria de esperar, não foi fácil. É uma equipa muito forte, bem orientada e que não sofreu, ao longo dos últimos anos, grandes baixas na sua estrutura. Engraçado que falávamos da importância dos brasileiros no Shakhtar e apresentámos no onze inicial tantos brasileiros como eles... A verdade é que o jogo começou por não correr bem. Um penalti falhado seguido de uma 'robertada' de Helton, deixaram-nos em maus lençóis. Custou a voltar ao jogo e foi preciso que Hulk acordasse a equipa 'à bomba'. Golaço que veio na melhor altura possível. A partir daí foi apertar até chegarmos à vantagem, coisa que aconteceu naturalmente. Depois do segundo golo, perdoámos um bocadinho e não aproveitámos a vantagem numérica e o ascendente que tínhamos ganho no jogo. Preferimos defender com bola, circulando de pé para pé. Isso irritou os ucrinanos e Hulk que, nota-se, gosta é de partir para cima e rematar. Contenção não é com ele... Compreende-se. A verdade é que é melhor ensaiar este número com um resultado mais confortável. Até porque o Shakhtar nunca deixou de ser perigoso e chegou a haver um lance em que Fucile e Helton resolvem, com muita sorte, uma jogada. Isto além das bolas paradas em que, invariavelmente, havia uma cabeceamento de um adversário. Sempre muito perigoso... 

Individualmente, Hulk, James, Moutinho, Palito e Maicon estiveram em bom plano. Nenhuma exibição memorável mas foi bastante bom. Pela negativa, Helton que deu o ouro ao bandido e Kleber que esteve desastrado em tudo menos no golo que marcou. Importante a exibição de Fernando na primeira parte. Quanto a Defour, tinha preferido a priori que tivesse sido titular o Belluschi. Não mudei de opinião. Não que o Belga tenha jogado mal. Antes pelo contrário. Gosto mais ali de um desequilibrador extra, além de James e Hulk.

Estamos no bom caminho e arriscámo-nos a chegar ao dia 24 de Setembro no ponto...

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Balançou as Redes... mas nos Festejos!

Vídeos made in Basculação... FC Porto 2-1 D. Kiev (86-87)...


Notas:
- Jogo em que o FC Porto defrontou, possivelmente, a melhor equipa ucraniana de todos os tempos...
- Futre eufórico após o golo... depois acompanhado por Gomes tenta recuperar a respiração...
- André faz o segundo de penalty... à sua maneira... quase sempre marcados da mesma forma... simula o remate forte e depois coloca para o seu lado direito...
- Que logo arranquemos da melhor forma contra a melhor equipa ucraniana dos últimos tempos...

Equipa para logo



Mal podemos esperar pelo regresso à Champions! Mas vai ser difícil. A escola de samba do Shacktar promete dar muito trabalho a uma defesa que não conta com o nosso melhor central: Rolando. Sendo assim, e como acho difícil que a vida nos seja facilitada ao ponto de beneficiarmos de 3 penaltis em 10 minutos, proponho uma alteração ligeira na abordagem ao jogo. Proponho Fernando à frente da defesa. Eu sei que é polémico e que ele ainda não esteve ao seu nível este ano. Apenas julgo que, sem Rolando, a defesa precisa de mais e melhor protecção. Ninguém melhor para essa tarefa que o nosso Obama.

Equipa para logo:

Helton; Fucile, Otamendi, Maicon e Palito; Fernando, Moutinho, Belluschi; James, Hulk e Kleber.

domingo, 11 de setembro de 2011

O Tiki, o Taka e o Teko...



Falo daquele minuto 75, a que assistimos no Dragão na passada sexta-feira. Este FCPorto de Vitor Pereira pode ainda não estar no ponto. Ainda assim, não deixa de nos proporcionar momentos como aquele e como o do primeiro golo na Supertaça. São momentos destes que nos deixam totalmente esperançados que será possível manter o nível que tínhamos no ano passado. Chamaram-nos o mini-Barcelona graças à nossa versão do tiki-taka mas eu para já vou notando algumas diferenças. Pressionámos muito mais à frente do que no ano passado e isso até nos tem exposto mais em termos defensivos.  No entanto, são muitas as vezes que recuperamos a bola lá na frente e aí, a posse pouco importa. É para chegar ao golo o mais objectivamente possível, sem passes para o lado e sem paciência. Tem sido assim que temos marcado e a excepção terá sido esse golo do minuto 75, uma obra prima do Tiki-taka!

Vamos ao jogo. Muitas surpresas. Primeiro a titularidade de Rodriguez perante a lesão/cansaço de Hulk e a bizarra não convocação de Varela. Depois a estreia de Defour fazendo-se descansar Moutinho. Não correu mal e o resultado ao intervalo era injusto dado o nosso domínio. Ao intervalo mais uma surpresa. Moutinho entra para o lugar de Souza alterando o esquema. Se até aí estávamos a dominar o jogo, esta alteração e a surpreendente rápida adaptação de Defour, fizeram com que o golo passasse a ser apenas uma questão de minutos. Interessante este novo desenho. Óbvio que terá mais dificuldade em funcionar sem James e Hulk... Individualmente, não tenho notas negativas. Ainda assim, não fiquei muito entusiasmado com as exibições de Maicon, Rodriguez e Souza. Destaques, além dos habituais, Hulk, James e Moutinho, Defour. O Mouitnho Belga entrou como uma luva numa máquina já bem engrenada. Notável!

Na terça-feira matamos saudades da Champions e logo contra o nosso adversário mais directo no grupo. Este jogo chega numa óptima altura!

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Benfica também compra baliza da sua última final Europeia...

O Benfica, em resposta à compra da baliza, da final da Liga Europa, por parte do FC Porto, resolveu fazer o mesmo e comprou a baliza do seu último título europeu...

Merece ser titular logo!


Mister, reparou nas declarações de Souza após o jogo de Leiria? Sobre o apagão na Marinha Grande, ele disse: «Foi pena que a luz tenha acabado mas nós estamos acostumados...»

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Hattrick de Domingos...

Vídeos made in Basculação... FC Porto 4-1 V. Setúbal (90-91)...


Notas:
- Melhores momentos do jogo comentados "ao vivo" e imaginem só por quem... Manuel José é o seu nome...
- Setúbal com muitas velhas glórias... Diamantino, Jaime Pacheco, Jorge Martins, Nunes e Mladenov por exemplo...
- Fernando Couto (sem cabelo), Geraldão e Aloísio... 3 centrais? Ou será que um destes seria trinco? Os laterais eram João Pinto e Paulo Pereira...
- Muita classe de Domingos Paciência no terceiro golo do FCP...
- Baltazar quase que imitava Domingos...
- Tavares na equipa??? Tinha saído do Infesta na época anterior, mas depois veio a notabilizar-se no clube da Rotunda...
- Domingos brincava... mais uma arrancada brilhante no quarto golo...

À vontade do freguês


Correu bem a viagem à Marinha Grande. Ainda na segunda-feira desejávamos aqui que James começasse a jogar para que pudesse arrancar para aquela que será a época da sua explosão. Pois não só jogou como, mesmo a 60% das suas capacidades, encheu o campo de magia com dois golos e participação decisiva noutros dois. Também temos insistido aqui que o Kleber tem tudo para dar certo e que apenas precisava de marcar um golo para a coisa começar a engrenar. Pois marcou dois! Por último, era imperativo trazer os três pontos e fazer uma exibição convincente para lembrar certos iluminados a diferença entre o verdadeiro líder e um líder à condição. Não só ganhámos de forma convincente como goleámos.

Vamos ao jogo. Não fizemos sempre aquele jogo de paciência e de posse. A verdade é que houve alturas em que tentámos chegar bem rápido à baliza contrária e fizemo-lo sempre com bastante perigo. Dava até a ideia que o nosso maior obstáculo não era a defesa do Leiria, mas o campo que insistia em pôr a bolinha aos saltos... O Leiria, que até tem um avançado interessante, foi atacando pelas alas à procura de cantos. A táctica até nem correu mal, o problema é que os cantos eram mais perigosos para eles, visto que originavam quase sempre perigosos contra-ataques. Os golos foram surgindo com naturalidade e com alguma classe. Apesar do terreno acidentado viu-se bom futebol e um belo exemplo é o quarto golo, segundo de Kleber, com participação de Palito e do inevitável James. Grande momento! Destaques pela positiva, todos, sobretudo James, Moutinho e Belluschi e a estreia auspiciosa de Defour. Parece mesmo um Moutinho belga. A rever.

De mau há pouco a apontar. Alguns erros defensivos, Alvaro ainda não está no ponto e Maicon tem aquela maldição de, mesmo que esteja a jogar bem,  a cada erro seu corresponde sempre um golo sofrido. No entanto, cá fica a minha primeira crítica a Vítor Pereira. Hulk não deveria ter jogado. Poderão retorquir que digo isto agora que sei que o James está capaz de assumir a equipa e que foram circunstâncias especiais. Ainda assim, não tenho memória de uma situação destas: um jogador que joga em dois dias seguidos. Ainda se não tivéssemos alternativas. Mas temos Varela, Rodriguez, Iturbe, Djalma. Além disso é extremamente desmotivante para estes jogadores. É preciso fretar um avião de Londres à pressa porque eles não dão conta do recado... Esteve mal o Mister.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

O Eterno Futuro Capitão...

Vídeos made in Basculação... U. Leiria 0-1 FC Porto (2004-05)...

7m - Finalização de trivela de Quaresma...


10 min - Fabiano a dar a sensação de golo...


16m - Ricardo Costa a decidir...


36m - McCarthy com uma tentativa de chapéu...


63m - Grande arrancada de Bosigwa...


88 min - Baía ao seu estilo...


Notas:
- Vitória suada e com Ricardo Costa, o eterno futuro capitão, a decidir a partida...
- Pepe, Quaresma, Fabiano e McCarthy... fdx, tinhamos uma equipa...
- E aquela arrancada do Bosigwa quando ainda era trinco ou algo muito parecido a isso...
- Baía no seu melhor estilo...

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Plantel fechado


Pelo menos até Dezembro... Depois de termos passado os últimos dias de Agosto inquietos, chega a altura de fazer o balanço do defeso. Uma coisa é clara: procurámos jogar em antecipação. E só não foi possível fazê-lo em relação a Villas-Boas, mas resolveu-se rápido. Quanto ao plantel, perante as imensas perspectivas de saída, tentou-se precaver com a contratação de jogadores jovens e de qualidade. Aconteceu com Alex Sandro e Mangala precavendo as saídas de Alvaro Pereira e Rolando, aconteceu com Defour e Danilo, precavendo as saídas no meio-campo e aconteceu com Kleber precavendo a saída de Falcao. Iturbe é uma aposta no futuro, talvez para substituir a eventual saída de Hulk. Tudo bem planeado para que não se repetissem os erros de 2004. No final não vendemos tanto como se pensava. Melhor! Ficamos com um plantel bem mais competitivo.

No entanto, nisto tudo vejo três problemas. Tanto dinheiro gasto e não se conseguiu resolver o buraco mais evidente no plantel do ano passado. Tínhamos Falcao e Walter e agora temos Kleber e Walter. Falta um terceiro elemento. Terá sido razoável reforçar tanto posições que já temos ocupadas por foras-de-serie, em vez de investir num outro ponta-de-lança? Lembro-me do meio-campo. Não tenho dúvidas que Defour e mais tarde Danilo elevarão a qualidade da equipa. Mas dificilmente entrarão na equipa no imediato. O mesmo acontecerá com Alex Sandro que estará tapado por Alvaro Pereira e por Fucile. Só aqui teríamos mais 25 milhões de euros para gastar num avançado que efectivamente precisamos. É que parece que só há uma alternativa a Kleber: É o Hulk... O que temos neste momento? Um avançado talentoso e inexperiente, uma alternativa com tendência para ganhar uns Kg a mais e um fora-de-serie que não parece jogar tão bem no meio. Não faria sentido canalizar esforços para a contratação de um ponta-de-lança? Até nos poderia pôr mais descansados se Kleber demorar a engrenar, coisa que eu duvido que aconteça.

Outra coisa que me incomoda é este investimento monstruoso que se fez este ano. São pouco mais de 60 milhões de euros. Mas o que me parece mais perigoso é o facto de que, deste record, apenas conseguimos retirar um titular indiscutível. E foi dos mais baratos... Parece-me demasiado investimento para uma expectativa de retorno a médio prazo.

Por último, trocámos portugueses por estrangeiros. Sai Sereno entra Magala, sai Rúben entra Defour e, pior de tudo, sai Beto e entra Bracali. Não é grave. Sempre achei que deveríamos ter na equipa os melhores independentemente da nacionalidade. No entanto, repararam que Iturbe, Walter e Alex Sandro não constam da lista da Champions. Tal sucede porque temos mais de 17 (?!) estrangeiros no plantel, que é o limite máximo, e 0 jogadores vindos das nossas escolas. Dá que pensar.

Independentemente destas críticas, importa referir que temos um grande plantel e que aquela exibição no jogo no Mónaco trouxe um upgrade à equipa que se vai notar já em Leiria. Já agora, gostaria que James começasse a jogar. Tenho a impressão que assim que entrar, não vai voltar a sair da equipa titular.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Não acardito


Já que hoje é dia de jogo da Selecção, aproveito para fazer um comentário breve sobre o 'caso Ricardo Carvalho'. Quem lê as capas dos jornais desportivos e quem viu na tv as reportagens sobre o assunto, só pode ficar com uma ideia na cabeça: Ricardo deixou de ser titular, amuou e foi para casa. Eu desconfio. Não porque sei alguma coisa sobre o assunto. Simplesmente porque a atitude não bate certo com este jogador que aprendi a admirar não só pelas suas qualidades futebolísticas. Além disso, não convém esquecer que estamos a falar da Federação Portuguesa de Futebol. Dado o passado recente e até o mais longínquo, tenho todos os motivos para confiar mais no Ricardo Carvalho. O problema é que a comunicação social está demasiado preocupada em manter o estado de graça de Paulo Bento...

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Outro Barça Muito Poderoso...

Vídeos made in Basculação... Barcelona 3-0 FC Porto (93-94)...

Este era o nosso vídeo...


Como não dá...




Notas:
- Bobby Robson fica lembrado pela negativa nos adeptos portistas por este jogo e pela escolha de Aloísio para defesa esquerdo... teoricamente para parar Hristo Stoichkov que marcou os dois primeiros golos da partida...
- Outra das imagens de marca deste jogo é o golo de Ronald Koeman... uma sarda de muito longe... na altura fiquei com a sensação que Baía não teve hipóteses... hoje, acho que dali, a bola tem de ser do guarda-redes... falta a imagem atrás da baliza para ver se foi um remate à Guarin...
- O terceiro estrangeiro do Barça que falta referir nestas notas (na altura era o limite de estrangeiros que uma equipa poderia ter) é, apenas, Romário, brasileiro que nesse ano iria levar o seu Brasil ao título mundial...
- Sim, a música do vídeo é irritante, mas foi o que deu para arranjar...