domingo, 30 de agosto de 2015

Dragão tem razão



Não sou fã do género assobiador mas é um facto que a equipa, em três jogos, joga muito pouco. Pelo menos muito menos do que seria de esperar. Diria que foram duas exibições fracas em três. Lopetegui argumenta que perdeu meia equipa que lhe falta um criativo, enfim... Neste momento apresenta mais problemas que soluções. Até faz questão de não convocar o Cissokho só para demonstrar que precisa de reforço na lateral esquerda. Lopetegui queixa-se demasiado! Nós que já cá andamos há uns anos, sabemos comparar e as queixas de Lopetegui soam a ridículo. Perdeu vários jogadores mas dois estavam emprestados, política que nunca tinha visto no Dragão antes de Lopetegui. E depois, tal como temos vindo a dizer aqui, a transição no meio campo poderia ter sido muito mais suave se se apostasse em jogadores que já cá estavam no ano passado e com provas dadas, como Evandro e Ruben Neves. Além disso, com excepção da lateral esquerda, onde Cissokho levanta dúvidas, e do médio criativo onde Quintero não conta, as posições depauperadas e que apresentavam problemas, foram preenchidas com jogadores internacionais e caros: Casillas, Osvaldo, Maxi. Além disso o meio campo foi super reforçado com Bueno, Sergio Oliveira, André e Imbula. Houve um esforço de mercado demasiado grande, para nos dotar de um plantel capaz de nos livrar destas exibições aflitivas, como a que se viu no Dragão. Não aceito as atenuantes que Lopetegui apresenta. Aceitei que continuasse na esperança de que ele seria capaz de aproveitar o facto de poder continuar o seu trabalho do ano anterior. Se soubesse que era para começar de novo, aceitaria ponderar sobre outro treinador, algo que não fiz.

Vamos ao jogo. Lopetegui resolveu apresentar no onze duas soluções que não aprecia minimamente: Brahimi a 10 e Indi a lateral esquerdo. Poderia até pensar que a ideia dele era a de que precisamos de ter um lateral que não sobe para podermos ter um verdadeiro criativo no miolo, ideia que me parece limitada e completamente deslocada do que é o futebol português. Assumindo que Indi foi uma opção de 'birra' por causa da contratação de Cissokho, vamos ao caso de Brahimi. Passado uns minutos a jogar na nova posição inventou logo um golo. Depois do golo foi aparecendo a espaços. No entanto, tal como aconteceu na Madeira, quase tudo o que tirámos de bom do jogo veio dos pés do argelino. Se Tello e Varela continuam a jogar tão pouco como nos últimos jogos e se aboubakar continuar sem possibilidade de participar no jogo, é óbvio que temos um problema atacante. Lopetegui, viu que não estávamos a criar oportunidades e voltou ao plano dos jogos anteriores. Como é óbvio não melhoramos porque o problema de falta de criatividade manteve-se. Tivemos apenas uma experiência de 40 minutos e um resto de jogo em sobressalto. Sem criatividade não há oportunidades de golo. Sem oportunidades de golo o adversário acredita, a defesa treme porque não tem a quem passar a bola e Casillas passa a ter mais trabalho. O golo de Maicon trouxe uma tranquilidade que não merecíamos.

Individualmente destaco duas exibições: a do MVP Brahimi e a de Casillas que esteve bem quando solicitado. Varela e Tello estiveram muito mal, sobretudo o segundo. As duas últimas exibições de Danilo não justificam a sua titularidade. O mesmo direi sobre André, que julgo que não justifica ter tantos minutos a mais que Evandro e Sérgio Oliveira. Aboubakar fez o que pôde mas não chega. Tem de participar mais como fez no primeiro jogo.

Veremos o que o dia de hoje nos traz. Desconfio que Lopetegui terá mais presentes que ele não merece. Nós merecemos!

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Miolo

 
Fiquei logo apreensivo quando soube que o União da Madeira tinha subido de divisão. A apatia generalizada que demonstrámos consistentemente nas últimas deslocações à Madeira é alarmante. Já dura há demasiado tempo sem qualquer sinal de retoma. No Sábado tivemos o absoluto oposto aos bons indicadores do Dragão. Velocidade, fluidez de jogo e intensidade transformaram-se numa languidez que só podia resultar em perda de pontos. Vá lá que foram só dois, visto que não me parece que tenhamos jogado melhor do que nas últimas aparições na Madeira... Sinceramente, não me parece que as equipas da Madeira estejam a aproveitar bem o 'factor casa'. Como Tondela e Arouca já provaram, é mais importante fazer uma boa performance de bilheteira do que uma boa performance em campo. Deixo a sugestão: os estádios de Aveiro, Leiria e Algarve estão disponíveis para as próximas visitas. É uma questão de Nacional e União fazerem contas...

Mais a sério, vamos à minha primeira sessão de pancadaria em Lopetegui desta época. Já sentiam saudades... Ouvi dizer que esteve bem ao admitir que a equipa não jogou nada na segunda parte. Pois por muito que prefira que ele analise o jogo com discernimento, preferia que ele continuasse a culpar, erradamente ou não, os árbitros e os relvados e que simultâneamente, tivesse dado a impressão de que ele próprio deu tudo para ganhar. É ridículo pedir mais da segunda parte da equipa e não exigir mais rasgo a partir do banco. Tivemos três trocas sem que se notasse qualquer tentativa de surpreender ou baralhar a defesa adversária. Não é justo criticar a clássica 'troca-por-troca' 'per se'. É importante perceber se, de facto, se exigiu aos jogadores que entraram, o mesmo que se exigia aos substituídos. Foi o caso. Depois vem a questão do miolo com o duplo 8. Na passada semana chamei-lhe o duplo-Herrera e avisei que era limitativo em termos de criatividade. E expliquei porquê. De facto, tudo de bom que o FCPorto tirou do jogo veio dos pés de um jogador: Brahimi. Há apenas uma excepção no lance do falhanço do Aboubakar. Lopetegui tem de escolher. Se quer jogar com o sistema do ano passado tem de jogar Evandro. Se não quer, e era o que eu julgava que ia acontecer, dada a construção do plantel, tem de jogar Bueno ou Osvaldo ou Brahimi no meio. Nunca esta combinação de Danilo, Herrera e Imbula. Primeiro porque Danilo ainda está num processo de adaptação ao lugar, que Casemiro também teve. Segundo porque Imbula, tal como Herrera quando chegou, só acelera o jogo com bola no pé. Nunca o faz em circulação de bola e isso é fundamental. E depois porque se exige a Herrera características de organização e movimentação entre-linhas que não tem e nunca vai ter. Assim perdemos o jogador. Outro argumento e talvez o mais importante. Se perdemos 6 jogadores titulares na época passada, e se queremos manter a mesma fora de jogar, não seria melhor fazer a transição com interpretes que já cá estavam? Evandro e Ruben cumpriram sempre que jogaram e sabem o que é exigido nessas posições. Temos um único médio que transita  e com funções diferentes. Para quê mudar tudo se tínhamos a possibilidade de manter a espinha dorsal da equipa baseada no plantel do ano passado? Estamos a sabotar a equipa para exigir reforços? Se continuarmos assim, arriscámo-nos a ter uma nova época com muita posse de bola... Ganha jogos? Se continuar a ser apenas no nosso meio-campo, não!


Individualmente gostei apenas de Brahimi. Aboubakar destaca-se nas exibições negativas porque foi o que baixou mais de rendimento, quando comparado com o jogo anterior. Por falar em más exibições, já sentem saudades do Alex?

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Estreia a bombar



Quando Aboubakar é o homem do jogo, tem de se fazer um título de crónica com um trocadilho com o nome do camaronês. Julgo que é uma regra... Estou de férias, mas ainda me lembro como é que isto se faz!

'Graçolas' à parte, vamos à estreia. Auspiciosa, por três motivos:
1) A equipa consegue jogar da mesma forma apesar de ter perdido grande parte dos seus habituais executantes. A estabilidade técnica pareceu conseguir harmonizar a entrada de novos interpretes. A ideia de jogo mantém-se apesar de, neste momento, estarmos a jogar sem um jogador com características de organização no meio-campo.
2) A equipa consegue marcar golos e apresentar um goleador alternativo a Jackson. Aboubakar fez, logo na sua estreia como dono do lugar, a sua melhor exibição. Quer a marcar, quer a tocar a bola com os colegas, quer a assistir. Faltou o terceiro golo.
3) Além de Aboubakar, os reforços estiveram em destaque logo no primeiro jogo. Sobretudo Maxi, Varela, Imbula e Danilo. Casillas teve pouco trabalho mas cumpriu.

De resto, deixarei mais duas notas. Gostei do estádio cheio. Não estive na apresentação e sei que também encheu. Já sei que no Verão as assistências nos estádios são tão enganadoras como os números do desemprego no terceiro trimestre mas, ainda assim, é bonito. Depois a questão do 10. Isto sem Brahimi, com Tello a 50%, jogar com um duplo Herrera, sem um 6 com características de organizador como o Ruben, parece-me pouco ambicioso em termos de criatividade. No Sábado chegou e sobrou, mas não sei se este elenco não será pobre em criatividade. Lopetegui poderá temperar melhor. Por exemplo, só joga com Herrera e Imbula se tiver em simultâneo Ruben por trás e Brahimi na ala. Assim parece arriscado.

Individualmente, MVP óbvio para Aboubakar. Depois, uma boa estreia de Maxi com duas assistências. Alex Sandro também esteve bem apesar de uma distracção defensiva na primeira parte. Varela esteve muito melhor que Tello, Imbula e André melhor que Herrera e Marcano melhor que Maicon. Danilo e Casillas cumpriram e bem.

Começámos bem! Siga!

PS: Estava a escrever o post e tinha a tv ligada no programa prolongamento. 'Empandeiraram' o Seara? Quem é este gajo com fato à mafioso três números acima da sua medida? Resolvi ouvir e dá logo para perceber do que se trata. Aí comecei a ver se aparecia algum plano alargado porque, se houvesse, iria aparecer o João Gabriel com a mão enfiada por baixo do fantoche... Bem escolhido Sousa Martins!


sábado, 15 de agosto de 2015

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

terça-feira, 4 de agosto de 2015

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Basculação Headlines 2015.08.03...


Alemanha


O estágio da Alemanha veio aumentar consideravelmente a dificuldade dos testes. Parece-me que esta sequência foi bem mais vantajosa do que a digressão americana que Lopetegui rejeitou e bem. Isto apesar de os resultados não terem sido 'famosos'... Uma derrota dois empates e uma vitória. Na verdade, a sequência deveria ter sido um empate, uma derrota e duas vitórias, de acordo com o futebol jogado.

Mas deu para ver que o esquema de jogo não irá mudar muito. Temos apenas a possibilidade de jogarmos em alternativa com um pivot defensivo mais criativo ou mais físico oscilando entre Ruben e Danilo. Temos também a alternativa de um 10 mais organizador e intenso e um 10 mais finalizador optando entre Evandro ou Bueno. Entre Imbula e Herrera, parecem-me jogadores semelhantes. Mas Imbula parece ser melhor. Além disso, André e Sérgio são médios mais versáteis, que podem trazer mais alternativas de jogo e mais polivalência.

Pela evolução da equipa, julgo que é justo dizer que se nota alguma evolução e algumas das potencialidades e lacunas do plantel. Passo a esquematizar.

Destaques positivos:
- Aboubakar - e herança é pesada mas parece que temos homem;
- Brahimi - Mais um grande arranque de época. Esperemos que dure a época toda;
- Danilo - Num estilo semelhante ao da época passada teremos o sucessor de Casemiro;
- Ruben Neves - Se pretendermos um 6 mais 'Pirlo', temos o nosso menino. Seria um crime não aproveitar cada vez mais este grande talento;
- Alex Sandro - Sempre o achei melhor que o melhor Alex era melhor que o melhor Danilo. Será que o vamos ver este ano?
- Marcano - Claramente o nosso melhor central na actualidade.

Destaques negativos:
- Tello - A pior critica que lhe posso fazer é que apenas se destacou de Adrian porque fez um passe para golo. No resto, igual em apatia, falta de rasgo e empenho;
- Adrian - Mais do mesmo e uma presença garantida na lista de dispensas; 
- Jose Angel - Apenas um segunda linha para nos criar calafrios enquanto o Alex não renova;
- Maicon - A equipa até vai controlando os seus ímpetos de jogar directo, até ao momento em que a bola chega aos pés de Maicon. Para mim, actualmente, não tem lugar na equipa;

Reformulações de plantel:
- Avançado - Aboubakar precisa de um suplente. De preferência alguém jovem numa fase de evolução mais avançada que a terceira opção, André Silva;
- Central - Maicon não me satisfaz há algum tempo. É apenas bom e não parece que vá evoluir. O chileno é um erro enorme de casting. Vi muitos jogos dele no ano passado e não preciso de ver mais. Indi e Marcano satisfazem. Julgo que a contratação que falta é a de um central, com pé direito.
- Excesso de médios - O ideal seria colocar Herrera no mercado pelos motivos acima explicados.

Melhor Onze Actual:
Iker; Ricardo, Indi, Marcano e Alex; Ruben, Imbula e Evandro; Varela, Brahimi e Aboubakar.

domingo, 2 de agosto de 2015

sábado, 1 de agosto de 2015