quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Taça da Liga - Proibida a entrada no museu!



Já percebemos! Não é preciso insistir... Só lá vamos quando chegarmos a Janeiro e só nos restar esse título para discutir. Mas julguei que os portistas já se tinham habituado a isso. Como vejo lenços brancos, num jogo da Taça da Liga, percebo que estava enganado. Mas não deixo de achar caricato.

Com isto salto em defesa do treinador, pasmem-se! Logo eu que tanto o critico... Mas não entro euforias nem em turbas. Muito menos do género das que tenho visto no Dragão. Vamos ao jogo de ontem. Achei que os convocados e o onze inicial foram bons. Boas escolhas de acordo com o que se exige ao treinador nesta competição e que é passar a primeira fase integrando jogadores menos utilizados e até jogadores da equipa B. O rendimento da equipa não foi bom, mas foi suficiente para vencer o jogo. Mas foi um jogo estranho e atípico. Recordo que todos os golos foram muito facilitados pela nossa dupla de centrais, logo os dois que têm sido titulares... Além disso tivemos uma exibição desastrada do André Silva. 'Karma', pensei eu... «Mete os titulares!» - ouvia gritar da bancada. E entra Aboubakar e, de seguida, tem um falhanço ainda pior que os do miúdo! 'Duplo Karma', pensei eu... E depois temos de contar com os falhanços de Evandro e de Maicon e com a inenarrável falta de rendimento de dois dos jogadores mais bem pagos do plantel: Imbula e Tello. Para completar, tivemos uma arbitragem mais do que desastrada, em que é inexplicável como o 'sarrafeiro' madeirense, que marca o segundo golo, não é expulso minutos antes. E o treinador tem culpa? Tem! É óbvio que sim. Mas é este o ponto em que decidimos mostrar os lenços? Neste jogo e nesta competição? Se já assobiámos substituições aos 85 minutos num jogo que nos pôs em primeiro lugar, já acredito em tudo... 

O que vejo é que há uma grande quantidade de adeptos que só avalia de acordo com os resultados. Ouço muitas vezes dizer que Lopetegui não ganhou nada. O que gostaria de ver avaliado é que com Lopetegui não jogamos nada. Avaliação dos resultados em conjunto com as circunstâncias que os rodeiam. Por isso, lenços brancos neste jogo, nesta competição, numa altura em que estamos em primeiro lugar e nas vésperas de um dos jogos do ano é ridículo, é nocivo para a equipa e é algo que me faz ter vergonha de alguns colegas de bancada!

Pensei que já não ia fazer mais posts este ano mas cheguei à conclusão que tinha mais um desejo para 2016: além de melhor treinador, melhores adeptos! Acredito que o primeiro desejo é mais fácil de realizar...

domingo, 27 de dezembro de 2015

Bom 2016



Faltou a crónica do último jogo e faltará a crónica do jogo da Taça da Liga, mas não faltarão os nossos votos para que os nossos leitores e amigos tenham um 2016 recheado de títulos e sucessos desportivos do nosso FCPorto. Quanto ao resto, até poderíamos desejar, mas este é um blog especializado, com votos especializados...

Entramos em 2016 numa boa posição. Em primeiro lugar e de bolsos cheios! A primeira parte é mais objectiva. Basta consultar as tabelas e, desta vez, até os sites do record e da bola não o conseguem desmentir. Quanto ao negócio com a PT, seguir-se-ão exercícios de 'medição de pilinhas', normais nesta altura, mas de difícil sistematização, até porque me parecem negócios bem diferentes. A única coisa que me parece que há em comum é um encaixe substancial baseado num contrato de longo prazo e que servirá para resolver problemas de tesouraria de curto prazo... É assim a gestão em futebol. Siga! 

Bom 2016!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Via aberta


Lopetegui ainda não ganhou nada no FCPorto. Quantas vezes ouvimos isto? É um facto. Mas parece que este ano vai andar mais perto de um deles. Já não terá os 'grandes' pela frente e, tendo jogado sempre com equipas de escalões inferiores, fora de casa, está a um jogo das meias finais. Aí as coisas ficam mais fáceis por dispormos de dois jogos. Nada de extraordinário, mas significativamente melhor que no ano anterior. Não podemos dizer o mesmo da participação na Champions, do desempenho do treinador ou do futebol praticado em geral.

Apesar de se tratar de uma equipa da segunda liga eu considero que, teoricamente, o primeiro classificado dessa liga é tão ou mais perigoso em casa do que 6 ou 7 equipas da primeira liga. Foi difícil, mas não tanto como esperava. O golo apareceu no meio de um futebol sonolento e desligado. Nada de novo. Apesar de tudo melhorámos na segunda parte. Fomos muito mais seguros com bola e dominámos por completo. Houve apenas uma excepção num lance que me pareceu precedido de mão na bola.

Nada a reter a não ser o regresso aos golos de Aboubakar, os cruzamento venenosos de Jose Angel e a boa capacidade de gerir os tempos de jogo de Evandro e Bueno, na segunda parte. Direi também que Sergio Oliveira já deveria estar à frente de Imbula nas opções e nas convocatórias. Pelo menos sabe circular a bola e não apenas correr com ela. Acho que poderia ter entrado o André Silva. Se não se tem confiança nele para a segunda parte deste jogo, não vale a pena pensar nele para fazer de Osvaldo na segunda parte da época. Aliás, juram-me que já está contratado o novo Osvaldo e que se trata de Suk do Setubal. Veremos.

Siga a Taça em direcção ao pic-nic. Já agora, para compor a relativa sorte que temos tido no sorteio, poderia sair agora um jogo em casa.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Futebol enevoado


Se havia a 'malapata' da Madeira, julgo que ficou enterrada. Por um lado, pelo facto de termos conseguido duas vitórias seguidas, por outro lado a forma como as conseguimos. Não nos podemos queixar nada da sorte nestes dois jogos. No primeiro porque marcámos nos primeiros três remates/cruzamentos à baliza. No segundo porque mantivemos uma eficácia invulgar nos primeiros minutos do jogo, a que se adicionou a muita sorte de Marcano com as decisões do árbitro. Sobram as cinco vitórias seguidas na competição, que deverão ter seguimento com a Académica em casa. Ou seja, Lopetegui chegará vivo a Alvalade, mantendo-se em perfeitas condições para discutir o título que é o nosso maior objectivo.

Mas tal não significa que a equipa esteja bem. Nos últimos tempos estabilizámos Herrera no onze mas não o estabilizámos numa posição. Na Madeira, por exemplo, jogou à frente de um duplo pivot com responsabilidades de fazer a ligação a Aboubakar. Parece-me pobre ter um jogador, com características de transporte de jogo, no papel de organizador e, para agravar, à frente de dois médios defensivos. Faz com que a equipa fique partida, sem maestro e entregue ao talento dos seus alas dribladores e desequilibradores. É um esquema a que me habituei este ano, mas não me conformei. A equipa não ganha segurança defensiva, como se viu na segunda parte com o Nacional, e ataca constantemente com menos elementos que qualquer adversário directo no campeonato. Até o Braga assume sem complexos um ataque com mais gente. Mais uma vez Lopetegui a ir contra toda a lógica e contra todas as tendências do futebol mundial. Digam-me uma equipa de topo que jogue com três médios de características defensivas? A maior parte até evoluiu para esquemas de dois pontas de lança. Mas Lopetegui tem ideias fortes. Princípios de jogo dos quais não abdica, nem para defender a própria pele. Temos de ter bola nos últimos minutos na Choupana? Vamos tirar o jogador que melhor a segura no meio campo adversário. Danilo está lesionado? Vamos mexer na defesa toda e tirar aquele que estava a ser o melhor em campo da sua posição para o pôr a lateral esquerdo. Lopetegui continua enredado no desespero em que entrou quando percebeu que não é tão bom como ele pensa. A falta de humildade nos treinadores bons parece uma virtude. Nos maus é apenas insanidade...

Para mim o MVP foi o Indi a central. Herrera está com um pulmão muito bom mas os pés continuam a ser os mesmos... Pela negativa Marcano. Marcou um excelente golo mas pôs em risco o esforço dos colegas em dois lances ridículos que poderemos somar ao do primeiro golo em Londres. Aboubakar está perdido por entre a falta de confiança e a falta de um treinador que jogue com ele e para ele.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Delírios


Delírio nº1: Achar que o Kiev não ia ganhar ao Macabi em casa;
Delírio nº2: Achar que Lopetegui não ia apresentar um onze transfigurado e com várias alterações;
Delírio nº3: Achar que Lopetegui ainda tem um modelo de jogo;
Delírio nº4: Achar que sofremos o primeiro golo por azar;
Delírio nº5: Achar que é apenas Lopetegui que decide quem joga e não uma qualquer entidade financiadora do Clube;

Destapando os olhos e vendo a realidade, temos uma equipa desorientada por estar mal orientada. Até quando?

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Virada



Sofrer um golo em casa não é problema nenhum. Foi um lance ridículo, mas havia um jogo inteiro para poder 'dar a volta ao texto'. O problema é que tal não tinha ainda sucedido na era Lopetegui. É provável que muitos dos adeptos não se lembrassem imediatamente desse record negativo. Até porque já têm o suficiente com que se preocupar: jogamos pouco, a equipa muda todos os jogos, o treinador parece cada vez mais nervoso, a equipa também notando-se nas oportunidades claras falhadas, etc.

A verdade é que se resolveu com o primeiro penalti da época. Mas o mais importante da jogada foi o facto de o lance se ganhar pela capacidade de pressão da equipa e mais concretamente de Herrera. Tivéssemos demonstrado essa agressividade no resto do jogo e não teríamos tido qualquer problema em arrumar este Paços. A este propósito é de destacar a estabilização de Herrera no onze. Não julguem que se segue uma 'Ode a Herrera'. Não seria capaz de tal. Até porque ele continua a ter um defeito capital de erros sucessivos ao nível do passe. E até começou por fazer uma exibição bem pobre em Aveiro. Mas, quando comparado com Imbula, tem chegada à área, tem mais agressividade, tem mobilidade, está vivo dentro do campo. Tudo que o jogador Doyen não tem demonstrado. 

Por falar em Doyen, e passando às avaliações individuais, esta semana regressou Corona. Seja bem vindo! Para mim foi o MVP e, juntamente com Brahimi, um dos grandes responsáveis pelos 9 pontos conquistados esta semana. Pena que Aboubakar e Maxi tenham desaparecido. Notas positivas para todos os mexicanos em campo. Pela negativa, além de Maxi e Aboubakar os centrais que não deram muita tranquilidade à equipa. Ainda assim nota melhor para Maicon que é o nosso jogador mais perigoso nas bolas paradas ofensivas. Para Tello não há palavras. Só palavrões...
Na quarta-feira enfrentámos o Chelsea mais fraco da era Mourinho. Ainda assim, são obviamente favoritos. Por um lado, por causa dos jogadores que são melhores que os nossos e do treinador que é muito melhor que o nosso. E depois, não me parece que o FCPorto esteja a atravessar uma fase fulgurante, apesar das três vitória consecutivas. Apenas concebo uma vitória se aplicarmos uma atitude à André André. Isto se ele jogar... Entre outras invenções, antecipo a possibilidade de Aboubakar ficar no banco, a do Tello jogar, etc. Mas já nem concebo que Imbula seja utilizado, mas...

Uma última referência para o 'lambidinho' treinador do Paços de Ferreira, a quem aconselho mais calma. Passou o jogo a gesticular e a saltar. Parecia um adepto. Por ter perdido por um e não por três, como devia, no final fez declarações que faziam parecer que estava no barbeiro ou no taxi. Ficou registado.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Resolver cedo


O resultado poderá indicar que deu para 'lamber as feridas' dos últimos dois jogos. E até deu. Mas não foi uma exibição excelente. Foi uma exibição regular. E como é que de uma exibição regular, surge um 0-4 fora de casa e, ainda por cima, na maldita ilha da Madeira. Simples de explicar: entrámos fortes, objectivos e com vontade de resolver o jogo cedo. Nada mais mudou. Continuaram as invenções de Lopetegui com Ruben e Aboubakar no banco e com Bueno na bancada. Continuaram os períodos em que temos uma posse de bola estéril e afastada da baliza contrária. Até voltámos a mudar a dupla de centrais a meio do jogo. Mas uma boa entrada chega para esconder isso tudo. Se assim é, só admira que não consigamos fazê-lo mais vezes, sobretudo nos jogos em casa.

Ainda assim, não posso deixar de referir que, a uma semana do jogo em Londres, não temos um onze tipo definido. Se o temos, está bem escondido porque só o usámos uma vez... Tal ajuda a tornar imprevisível o resultado de quarta-feira e até o do próximo Domingo. Que FCPorto vamos ter? Quem vai descansar agora? André? Marcano? Brahimi? Que táctica iremos ter? Assim vai o nosso FCPorto...

Individualmente, gostei de Brahimi, MVP. Gostei de algumas coisas de Corona e detestei outras. Dá a ideia que é perigoso em progressão com tabelas em espaços curtos e fraco em dribles no um para um. Sendo assim, estará talhado para zonas interiores e não para a ala. Pela negativa, Osvaldo que não aproveitou mais uma oportunidade. Teve o azar de apanhar com mais uma daquelas decisões do Bruno Paixão nos jogos com o FCPorto. Esse é um dos destaques do jogo. Sobrevivemos num jogo apitados por este artista com apenas uma baixa de um jogador que nem é titular.