quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Resolver cedo


O resultado poderá indicar que deu para 'lamber as feridas' dos últimos dois jogos. E até deu. Mas não foi uma exibição excelente. Foi uma exibição regular. E como é que de uma exibição regular, surge um 0-4 fora de casa e, ainda por cima, na maldita ilha da Madeira. Simples de explicar: entrámos fortes, objectivos e com vontade de resolver o jogo cedo. Nada mais mudou. Continuaram as invenções de Lopetegui com Ruben e Aboubakar no banco e com Bueno na bancada. Continuaram os períodos em que temos uma posse de bola estéril e afastada da baliza contrária. Até voltámos a mudar a dupla de centrais a meio do jogo. Mas uma boa entrada chega para esconder isso tudo. Se assim é, só admira que não consigamos fazê-lo mais vezes, sobretudo nos jogos em casa.

Ainda assim, não posso deixar de referir que, a uma semana do jogo em Londres, não temos um onze tipo definido. Se o temos, está bem escondido porque só o usámos uma vez... Tal ajuda a tornar imprevisível o resultado de quarta-feira e até o do próximo Domingo. Que FCPorto vamos ter? Quem vai descansar agora? André? Marcano? Brahimi? Que táctica iremos ter? Assim vai o nosso FCPorto...

Individualmente, gostei de Brahimi, MVP. Gostei de algumas coisas de Corona e detestei outras. Dá a ideia que é perigoso em progressão com tabelas em espaços curtos e fraco em dribles no um para um. Sendo assim, estará talhado para zonas interiores e não para a ala. Pela negativa, Osvaldo que não aproveitou mais uma oportunidade. Teve o azar de apanhar com mais uma daquelas decisões do Bruno Paixão nos jogos com o FCPorto. Esse é um dos destaques do jogo. Sobrevivemos num jogo apitados por este artista com apenas uma baixa de um jogador que nem é titular.

Sem comentários: