domingo, 22 de março de 2015

Acreditam?



Andámos desde Dezembro a mendigar um deslize, uma arbitragem justa, uma oportunidade de ver a falta de futebol do primeiro classificado traduzida em perda de pontos. De repente, aparece tudo isso num jogo que acaba minutos antes do nosso. Perante isto, confesso que fiquei muito desiludido com a exibição na Choupana. Já sei que não faltaram oportunidades para marcar. Duas bolas ao ferro, Aboubakar, etc. Mas se o fantástico golo de Tello nos tivesse dado os três pontos, a minha opinião não iria variar. Faltou aquela sensação de que a equipa queria agarrar esta oportunidade 'com as duas mãos'. E isso foi para mim uma surpresa enorme. Será que vocês jogadores acreditam?

Entrámos no jogo com aquela sensação de que a equipa estava a tentar gerir o jogo e os esforços. Uma obsessão pelo controlo do jogo que não estava a resultar em oportunidades de golo. Com bola, mas sem grande intensidade e sem grande acutilância. Como tal futebol foi recompensado com o golaço de Tello, não houve incentivo a melhorar. O empate acaba por castigar a nossa falta de vontade. Poderá não ser justo em números e futebol, mas é justo pela falta de atitude demonstrada.

E tu Lopes, Acreditas? Se Lopetegui não conseguiu tirar dos jogadores o ímpeto necessário, para compensar, não esteve nada feliz nas opções. Quaresma deveria ter entrado mais cedo, Casemiro deveria ter saído mais tarde e a aposta em Quintero é absurda, tratando-se de um jogador que não tem jogado. Mais uma vez, parece que é para queimar o miúdo. Não joga regularmente e, quando joga, é logo numa situação de complexidade máxima. A minha opção era Quaresma por Brahimi ao intervalo, tirava Herrera em vez de Evandro e tirava Aboubakar que esteve um desastre.

Individualmente, gostei de Quaresma, de Danilo e de Helton. Mas o MVP vai para Tello, que fez muita asneira, mas que está em todos os lances de perigo da equipa. Pela negativa, Herrera. Cansado, complicativo, trapalhão. Por falhar em trapalhices, Aboubakar esteve muito fraco. Brahimi não esteve péssimo, mas Quaresma este muito melhor em menos tempo. Ruben não conseguiu assumir a luta do meio campo porque ficou logo sozinho na tarefa.

Já sei que ficámos independentes dos resultados alheios para ganhar o título, mas julgo que Lopetegui deverá fazer um discurso de 'choque' no balneário: «Com quem conto? Temos homens aqui?» Acredito que o fará. Pena estes 15 dias de seleções...

sexta-feira, 20 de março de 2015

Acreditando

Sei que o sorteio nos deixou um pouco desanimados. Deixaria qualquer equipa... Mas é só o primeiro impacto! Isto é futebol e há diversas razões para estarmos confiantes. Assim que comecei a pensar lembrei-me logo de 3:

Razão nº1: Tello, achas que tens espaço suficiente para fazer miséria nas costas da defesa alemã? Importas-te de mostrar aos nossos leitores?


Razão nº2: A qualidade individual na defesa não é propriamente o forte desta equipa do Bayern. E Jackson já estará de volta... Isso mesmo, Dante! Pânico!


Razão nº3: Historicamente, damo-nos bem como 'underdogs'.  Lembremo-nos de episodios passados com magos Argelinos e Bayern! Brahimi também tem calcanhar...


quinta-feira, 19 de março de 2015

2009.01.04. Nacional 2-4 FC Porto (C. Rodríguez)...

Possivelmente, o melhor momento de Cristian Rodríguez no FC Porto...
Relembramos a crónica do jogo em:http://basculacao.blogspot.pt/2009/01/bom-2009.html

video


terça-feira, 17 de março de 2015

Efeméride!


Que dizer sobre isto? 

- Perspectiva 'coaching': Caro Desempregado, se acreditares em ti, ainda consegues ir à seleção!

- Perpectiva 'oscares': Ainda aguardamos pelos galardões mais importantes da noite: melhor jogador de 'sueca' do mundo, melhor bigode feminino do mundo e  melhor restyling de Fiat Uno do mundo!

- Perspectiva d'a Bola: O melhor desempregado do mundo surgiu em resultado da melhor e mais rigorosa investigação jornalística do mundo, baseada em dados gentilmente fornecidos pelo melhor clube do Universo e dos territórios ultramarinos.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Calafrio


Sinceramente não esperava isto. Por um lado, os jogos de ressaca da Champions têm tendência a ser mais difíceis que o habitual. Normalmente por culpa própria. Mas vínhamos numa série longa de boas exibições e não pensei que fossemos interromper logo agora. Na verdade, não deu sequer para ver como a equipa ia reagir. Cedo Fabiano resolveu pôr-nos em apuros. A propósito, se havia intenções de implementar um 'projecto Neuer' na nossa baliza, é melhor abortar. Tem acabado em drama. Seja hospitalar seja exibicional... Convém no entanto referir que, por muito que seja um lance ridículo de Fabiano, não estou certo que fosse para expulsão. A regra fala em golo iminente. Se é certo que Fabiano estava fora da baliza, não havia bola controlada e nem sequer era certo que chegaria primeiro à bola que o nosso defesa, que só não ganha o lance à primeira por causa da indicação errada de Fabiano. Sendo assim, expulsar foi um acto de coragem. Temos assistido a muitos este ano...

Lopetegui resolveu arriscar. Fez muito bem e fomos recompensados com um golo e com outros lances perigosos. Na segunda parte tentou equilibrar mais a equipa num arrumado 1-4-4-1. Perdia homens no meio-campo mas arrumava melhor a equipa a defender a vantagem. O problema é que estava à espera de mais ajuda defensiva dos extremos... Como tal não acontecia com frequência, vivemos a segunda parte sem bola e em sobressalto. As melhores oportunidades foram nossas e o adversário só chegou com perigo em lances de bola parada. Ainda assim, a primeira abordagem à expulsão foi mais audaz e mais eficaz. Compreendi a alteração ao intervalo mas não entendi que não tivesse sido corrigida assim que se notou que não funcionava. A melhor defesa teria de ser a posse de bola.

Individualmente gostei muito da exibição de Quaresma. Para mim o MVP. Esteve em todos os lance de perigo da equipa. Também gostei de Brahimi Alex Sandro e de Marcano. Pela negativa Fabiano. Nota mínima. Não gostei muito de Casemiro que voltou às 'carradas' de passes falhados. Ruben entrou com mais serenidade, como é seu costume. Aboubakar continua com um índice de rendimento absolutamente invulgar para os minutos de jogo que tem.

Safamo-nos! É o que interessa. Na próxima semana, mais um jogo de dificuldade máxima e voltámos a jogar depois do nosso adversário directo. Esperemos que possamos jogar com motivação extra!

sexta-feira, 13 de março de 2015

Fundidos



Indo ao fundo da questão, com a profundidade que os nossos leitores nos merecem, estamos profundamente convictos que o mistério em torno do investidor é fundado na misteriosa racionalidade do investimento. Seria uma profunda injustiça insinuar que isto, no fundo, acaba por ser bem parecido com um fundo

quinta-feira, 12 de março de 2015

2014.03.09. FC Porto 4-1 Arouca (Liga Portuguesa)...

O primeiro jogo pós Paulo Fonseca e o primeiro jogo da história em nossa casa (equipa principal) contra o Arouca... do jogo fica na retina esta finalização do ainda nosso número 7: Ricardo Quaresma...

Evandro



A propósito da minha embirração com a colocação de Indi no banco. Lembrei-me agora de Evandro. Todos concordamos que foi dos protagonistas principais destes últimos 3 jogos, sobretudo o jogo com o Sporting. Mas Oliver está pronto. Que fazer? Fazer como se fez com Marcano e esperar que haja um jogo menos positivo de Evandro para relançar Oliver? A minha opinião não poderá ser diferente. Oliver é melhor e, estando em condições, deverá retomar o seu lugar. De facto, custa tirar da equipa jogadores que aproveitaram as suas oportunidades com rendimento alto do ponto de vista individual e colectivo. Mas julgo que Lopetegui terá de tomar a decisão mais cedo ou mais tarde.

quarta-feira, 11 de março de 2015

Quatro tiros para os quartos!



Assim se comprova o favoritismo! Uma goleada para toda a Europa ver! Poderão também notar que jogámos sem Jackson e Oliver e, para agravar, perdemos Danilo. Só os três melhores jogadores do FCPorto esta temporada, na minha opinião. Ainda assim, o rendimento da equipa vai crescendo a olhos vistos. Não falta moral para os quartos de final!

O jogo começou bem com um golo cedo. Nada melhor do que golos de bola parada para castigar um adversário que abusa das faltas. Depois Danilo foi atropelado por um comboio. A equipa sentiu-o e passou a praticar um futebol demasiado excitado para o meu gosto. Estávamos em vantagem e tínhamos tudo a ganhar em serenar o jogo e os ânimos. Mas compreende-se. Notou-se que Fabiano tinha carta branca para se armar em Neuer, o que também se compreende depois do que aconteceu na primeira mão. O intervalo serviu para serenar os ânimos e a goleada apareceu com naturalidade. Este Basileia não chegou a apresentar argumentos para oitavos de Champions. Tinham vontade, mas a vontade traduziu-se mais em pancadaria do que em futebol. E acabaram por apanhar uma lição do que é ser intenso sem necessitar de ser violento. O próprio Casemiro vai aprendendo também. Mas aos poucos...

Por falar em Casemiro, escolhi-o para MVP. É o símbolo da combatividade e reacção à perda de bola. E ainda marcou um golão! Há muito tempo que não tínhamos tantas soluções para bolas paradas directas. Já tivemos golos de livre directo de Brahimi, Casemiro, Tello e Quintero. Sem Jackson os golos vieram de fora da área. Nem foi preciso Tello fazer um grande jogo. Não encontro más exibições na equipa do FCPorto. Apenas poderei destacar as melhores. Além de Casemiro, gostei de Alex Sandro e da sua estranha adaptação a lateral direito. A dupla de fundistas Herrera e Evandro tem sido fundamental nos últimos jogos. Brahimi continua a crescer de jogo para jogo. Aboubakar, no seu estilo trapalhão, continua com números incríveis dada a pouca utilização. E mais um jogo sem sofrer golos.

Depois do brilharete e do fim da serie terrível, temos um jogo que é fácil considerar fácil. Difícil vai ser apresentar o mesmo ímpeto de ontem, mas é exactamente isso que eu exijo no jogo com o Arouca.

P.S.: O  Basileia quase conseguiu não ter nenhum jogador expulso nas duas mãos. Incrível.

P.P.S.: Esperemos que as arbitragens sejam melhores nos quartos de final...

terça-feira, 10 de março de 2015

1992.11.04. FC Porto 4-0 Sion (Liga dos Campeões)...

Actualmente é a velocidade de Tello que está em voga, mas já tivemos outros velocistas como Kostadinov que aqui, frente ao campeão suiço de então, fez o segundo golo de uma vitória gorda que permitiu o apuramento, pela primeira vez, do FC Porto para Liga dos Campeões...

domingo, 8 de março de 2015

Onde andavas?



Esta sequência de jogos previa-se determinante. Duas deslocações complicadas, um clássico e com a eliminatória da Champions pelo meio. Mas entretanto apareceu Tello. Não que ele não tivesse feito coisas interessantes até agora. Muita velocidade e alguns golos e assistências que, claramente, não cabiam na expectiva que o jogador causou aquando da sua contratação. De repente, resolve três jogos seguidos e praticamente transforma o mês infernal na melhor serie da época. E reparem que não temos tido o melhor Brahimi. E também não teremos Jackson nos próximos tempos. Parece que a terrível serie de jogos nos está a tirar mais jogadores que pontos... 

O jogo foi difícil. Tínhamos o controlo que limitava por completo o 'contragolpe' adversário, mas não nos dava muitas oportunidades. À medida que o relógio avançava a dificuldade aumentava porque o futebol do Braga continuava a ser recompensado. Com Quaresma, Tello, Brahimi e Jackson em campo, Lopetegui pôs toda a 'carne no assador'. O efeito foi interrompido pela lesão de Jackson e o pânico instalou-se nos portistas. Até ao momento em que Aboubakar rodou e Tello resolveu. A defesa da vantagem não me agradou muito. Parecíamos uma equipa deslumbrada e sem maturidade na condução do jogo. A prova está no lance 'polémico' com o mergulhador bracarense. Uns minutos antes, já tinha mergulhado e, em vez que se manter a posição que tapava o caminho da baliza,  Alex diverte-se a dar pequenos toques na canela do adversário. Muito imprudente e só salvo pelo ridículo da simulação. E este lance só aparece porque não tivemos capacidade de manter a bola no meio-campo contrário. 

Individualmente o MVP vai para Tello. Óbvio. Num segundo plano, gostei de Danilo e Casemiro. Brahimi já me pareceu melhor. Evandro não esteve ao nível do jogo anterior mas esteve bem melhor que Herrera. Fabiano ofereceu a única oportunidade de golo ao adversário com uma saída fora de tempo. Os centrais estiveram bem a limpar e hesitantes a construir. Indi continua desaparecido...

Na terça-feira esperamos um jogo livre dos calafrios e das lembranças de outras eliminatórias em que não confirmámos o favoritismo como o Shalke04 e o Málaga.

sexta-feira, 6 de março de 2015

Quando a classe de Otamendi resolveu o jogo na Pedreira...

...e deu um importante para o título consumado na escuridão da Luz!

video

segunda-feira, 2 de março de 2015

Só foram 3...



Só foram 3 pontos e só foram 3 golos.

Perdemos uma oportunidade de humilhar (ainda mais) os vasquinhos mas, também, quem imaginaria um jogo destes depois dos clássicos que já tivemos esta época?

Perante a lesão de Oliver, Lopetegui decidiu não inventar e optar pela alteração natural. Nem Brahimi pelo meio, nem Quintero a 10. Evandro é craque, não é espalhafatoso nem dá muito nas vistas mas dificilmente perde uma bola e dos pés dele a bola sai sempre redondinha. Com ele temos posse de bola no campo adversário, esteve bem e nem nos lembramos de Oliver, haverá melhor elogio?

Mas nem tudo correu bem, a entrada no jogo foi muito macia, diria até, intranquila. Falhamos demasiados passes na fase inicial de construção de jogo (Marcano abusou) e passes longos nem se fala, tudo transviado. Mesmo assim, Sporting não incomodou e fomos nós a criar algum perigo: remate de Jackson e jogada fabulosa de Herrera. Por falar em Herrera: que gigante!

O jogo parecia caminhar para um arreliador 0-0 ao intervalo e o Porto sem forçar muito, principalmente para quem tinha obrigatoriamente de ganhar o jogo, até que surge o momento da noite com aquele calcanhar à Zlatan para possivelmente a melhor assistência que já se viu no Dragão. Por incrível que pareça Tello não estava fora-de-jogo e mesmo assim marcou na cara de Patrício!

O jogo estava desbloqueado e o Sporting lá avançou uns metros no terreno até ao final da primeira parte. Haveria talvez um pouco de receio nas bancadas sobre como seria a entrada da equipa na segunda parte e se passaríamos os últimos 45 minutos a trocar bola entre os centrais. Nada disso. O Sporting subiu linhas, arriscou e o Porto fez um jogo estrondoso, objetivo, como há algum tempo não se via! Grande parte da responsabilidade para o facto de William nunca ter pegado no jogo: Evandro e Herrera não lhe deram a mínima oportunidade. Atenção redobrada a Nani mas Danilo secou-o com grande ajuda de Casemiro e quando Marco Silva liberta Nani para zonas interiores entra Rúben Neves (que grande entrada!) não dando qualquer margem de manobra.

Enfim, Jackson um animal, Tello finalmente a concretizar o que tanto andava a ameaçar, Herrera um todo-terreno que só não é MVP devido ao hat-tello e a sensação que estamos a caminhar para o melhor momento da época na fase crucial da mesma!

Há que o comprovar com os minhotos!


Uma última referência para a arbitragem que só se compreendem algumas decisões pelo jogo já estar resolvido… Esmagámos e ainda temos razão de queixa da arbitragem, portanto, normal…