sexta-feira, 26 de setembro de 2008

"Cromos" do Passado: Carlos Secretário...

Esta sexta iniciamos uma nova rubrica no nosso blog... "Cromos" do Passado que vale sempre a pena recordar...

Por estar em alta, o nosso lateral direito Sapunaru, pelo menos foi o que mais mostrou no último jogo da Liga, fomos ao encontro de outros laterais-direitos do passado... Carlos Secretário foi um deles... Iniciou-se a médio-direito e, como muitos outros, foi recuando no terreno até chegar à posição de lateral direito... Chegou-se a sagrar Campeão Europeu pelo Real Madrid, numa transferência histórica e, mais tarde, no nosso FCP em 2003/04 (não me lembro se chegou a jogar algum jogo)... O momento que mais me fica da sua carreira no FCP é o golo contra o Werder Bremen, no qual, ainda a médio-direito, simula o cruzamento, progride com a bola para o interior da área, fintando o adversário e, de seguida, com um remate cruzado, estabelece o 3-0 para o FCP noutro momento histórico para o FCP com a vitória na Alemanha, frente ao campeão, por 5 bolas a zero...

Em baixo, fica o cromo de Carlos Secretário no Penafiel, quando andava emprestado pelo FCP na época 1990/91...


Notas do Cromo:

- está praticamente igual, embora apenas tivesse 20 anos...
- os equipamentos de então, com o símbolo do Penafiel cosido à mão e visivelmente gasto...
- 10 internacionalizações??? Naquela altura??? só se fosse nas camadas jovens...

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Um nulo de outros tempos...

Tal como esta semana, outras houveram em que chegamos ao fim com a sensação que algo mais devia ter sido feito... a partir desta quarta vamos iniciar um regresso ao passado, recordando os jogos da época 1992/93... este foi nas Antas e contra o Beira-Mar e também acabou com o nulo... o que interessa é que no fim das contas sagramo-nos Bi-Campeões Nacionais com Carlos Alberto Silva no comando da equipa...





Notas do Vídeo (leiam apenas depois de o ver)...

- Logo nas primeiras imagens vê-se Dino, avançado do Beira-Mar que muito deu nas vistas nessa época...

- Na baliza da equipa Aveirense, Acácio, internacional brasileiro que chegou a estar em mundiais pela selecção do Brasil, pelo menos tenho-o nos cromos...

- António Carlos, outro brasileiro, desta vez do nosso FCP que não deixou grande saudades... lembro-me que era bom nos livres, mas aquela perdida de bola nas primeiras imagens que surgem do segundo tempo dá logo para tirar a pinta do jogador que tinhamos acabado de contratar...

- Aquela perdida do Domingos de cabeça...

- Carga de ombro??? nas costas??? Aquele gajo que virou o Kostadinov na área jogou de forma legal??? Já agora outra referência a esse jogador... Eliseu, aquela trunfa loira é inconfundível...

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Acordem!


Penosa a primeira parte de ontem. Aliás, pouco se aproveita do jogo todo. Podíamos e merecíamos ter ganho mas não o fizemos por merecer durante os 90 minutos o que é grave. Ao menos tivemos a capacidade de encostar o adversário às cordas, coisa que ainda há umas semanas um adversário directo não conseguiu… Jesualdo diz e bem é neste jogos que se ganha e perde campeonatos. Aliás serão muitos os jogos em que o adversário vai passar 90 minutos a tentar simplesmente anular o nosso futebol em vez de tentar desenvolver o seu. Chegava a ser irrisório como o Rio Ave chegava à frente, algumas vezes com espaço e das duas uma, ou chutava inconsequentemente de longe, ou tentava ganhar cantos com centros estapafúrdios. Mas isso é preocupante: nós não demonstramos incapacidade para criar oportunidades de golo. Criamos várias na segunda parte. O problema foi atitude competitiva. Jogamos na primeira parte de uma forma tão lenta e displicente que parecia que tínhamos caído numa arrogância própria de quem acha que mais cedo ou mais tarde o golo vai aparecer. Pois não apareceu e já estamos a 4 pontos do primeiro lugar. Acordem, antes que seja tarde demais! O Sporting não está jogar nada, (tal como nós) mas vitória a vitória...


Ontem apenas 2 jogadores me agradaram. Um foi Lisandro que apesar de ter falhado mais um golo proibido, fez de tudo para puxar pela equipa. Aliás fez o trabalho dele e o dos extremos que ontem simplesmente não existiram. Como é possível tamanho apagão de Mariano e sobretudo de Rodriguez? Uma das virtudes que reconhecia a Rodriguez era a sua consistência. Sinceramente nunca o vi jogar tão mal. Nem no Benfica. Não percebo como fez os 90 minutos... O outro que agradou (finalmente!) foi Sapunaru. Pelo que mostrou ontem dá toda a ideia que, melhorando defensivamente, poderá resolver o problema deixado por Bosingwa. Será para continuar? Um que não me tem agradado consecutivamente é Hulk. Verdinho de mais para ser verdade. Candeias igual. Espero que o Tarik regresse rápido… Ou então que apareça a surpresa de Pinto da Costa. Lembram-se? Continuamos à espera ou será que se precipitou ao prometer? Lucho esteve desastrado e isso notou-se e bem. Fernando, apesar de ter aparecido mais à frente teve várias trapalhadas que poderiam custar caro não fosse a falta de jeito confrangedora dos avançados do Rio Ave para tratar a bola. Já sei há quem não concorde mas, Lucho sozinho não chega sempre e começa a notar-se a falta de magia. Vocês sabem de quem estou a falar...


Por falar em magia, vi os 3 últimos jogos na Premier League do Arsenal. Lamento mas não estou nada optimista. Eu não vi o jogo da Ucrânia mas surpreende-me que os ucranianos tenham conseguido empatar. Há anos que admiro o futebol de Wenger e acho que há várias temporadas que nenhuma equipa joga futebol mais bonito que o Arsenal. Tem tudo: mobilidade, velocidade, técnica, grandes executantes. Falta-lhe a humildade de perceber porque é consecutivamente batido nos momentos decisivos por treinadores com um futebol mais cínico. Se calhar falta ali algum equilíbrio e se calhar uma injecção de experiência na contratação de mais jogadores como Gallas resolveria o problema. Jogar com a juventude e irreverência do Arsenal será a única maneira de os vencer. Vamos ter de ser cautelosos e jogar no erro, porque da maneira que estamos a jogar, jogar de peito aberto será um suicídio…


Espanha já começou a sua habitual campanha para eleger o melhor jogador FIFA de 2008. O jornal a marca propõe Casillas e os de Barcelona propõem Messi e Xavi. Normal. Mas há dias vi 2 dos comentadores do trio d’ataque dizer que preferiam Messi a Ronaldo. Gostaria de dizer que se Ronaldo não vencer o troféu este ano será um autêntico escândalo! Por muito que goste do futebol de Messi, ele está muito longe de Ronaldo. Um extremo que foi só o melhor marcador da Europa e da Liga dos Campeões e joga em Inglaterra onde não apanha equipas como o Sporting de Gijon... Já é altura de começar a julgar o Messi pelo que faz e não pelo seu potencial adiado por sucessivas lesões que o deixam todas as épocas 4 meses de fora. Messi poderá ser melhor driblador mas marca mais golos? Marca livres? Joga de cabeça? Tem resistência ao choque? Tem capacidade para fazer 50 jogos por época? Não brinquem comigo... Já chega a besta do Platini que diz que Ronaldo ainda tinha que fazer um grande Europeu para provar que era o melhor. Ele bem tentou mas lesionado e com Scolari no banco é complicado…


Equipa para a recepção ao Paços na próxima 6ª feira:

Helton; Sapunaru, Emanuel, Bruno e Fucile; Pelé (jogo ideal para a estreia), Raul e Lucho, Rodriguez, Tarik e Lisandro.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Para começar não está mal

Tinha aqui pedido uma vitória clara para mostrar à Europa e para dar mais uma voltinha à barriga do Platini, já que a nossa presença na competição lhe está a causar tanta azia. Não foi possível e se calhar até estava a pedir demais. Era tudo a ajudar. Primeiro temos meia equipa nova, mas não se notaria tanto se não estivéssemos a entrar na Champions, contra um adversário directo à passagem com apenas 3 (?!) jogos oficiais. Era óbvio que isso se ia notar mas Jesualdo também não ajuda. Se nas laterais não tinha outras opções, Pedro Emanuel daria maior segurança à equipa. Como é que nos podemos queixar de ter a jogar meia equipa nova se deixamos opções válidas e bem mais experientes no banco como Pedro Emanuel ontem e Fucile no jogo da supertaça? A verdade é que apesar de ser um risco desnecessário Rolando e Fernando têm agradado, ao contrário dos laterais, sobretudo Sapunaru que ontem foi ultrapassado várias vezes incluindo no golo e em todas as jogadas mais perigosas dos turcos.

Ainda por cima o Fenerbahçe não é propriamente uma equipa fácil. A maior parte do estádio deixou-se entusiasmar demasiado com o recital que demos nos primeiros minutos. Os turcos, bem mais experientes, apesar de não terem conseguido aguentar a nossa pressão inicial, tiveram a calma de ir pegando no jogo aos poucos até que o passaram a dominar. Foi nessa altura que se percebeu que a nossa equipa ainda tem trabalho pela frente. Mais uma crítica a Jesualdo. Dá a ideia que nessa altura ele não acautelou convenientemente a ala esquerda do Fenerbahçe, sobretudo quando pôs o tenrinho Hulk a fechar daquele lado. Parecia um convite para Roberto Carlos subir. Isto já para não falar da inacreditável substituição de Raul Meireles. Mais uma vez queixa-se da inexperiência da equipa mas potencia-a quando na altura decisiva tira um dos jogadores mais experiente, que até nem parecia mais cansado que os outros, para pôr outro que chegou há 3 meses. Enfim, no mínimo incoerente…

Sobrou aquele cheirinho de futebol quando Lucho, Lisandro e Rodriguez atazanaram ‘non stop’ e durante meia hora seguida a defesa Turca. Nessa altura, também Mariano e Raul estavam estava a jogar muito bem. Isto promete. E é isso que eu não percebo nas assobiadelas. Será que vão assobiar se não ganharmos o campeonato com 20 pontos de vantagem? Estamos muito mal habituados… O que vale é que Lisandro voltou! Desconfio que tenha a ver com a menina da foto...

Equipa para Vila do Conde:

Helton (continua a não haver outro); Sapunaru, Bruno, Emanuel e Fucile; Fernando (ou Guarin a nº 8), Raul e Lucho; Mariano, Lisandro e Rodriguez.

terça-feira, 16 de setembro de 2008

A fumaça começa a esmorecer. Só faltam rolar cabeças…

Está cada vez mais claro que o FCPorto terá que ser capaz de uma demonstração de força na Europa e na Liga Sagres. Temos contas a ajustar com estes energúmenos que continuam a tentar fazer as “coisas por outro lado”, a saber, Pinto Monteiro, Mizé Morgado e o seu séquito de justiceiros, Ricardo Costa, Platini, L. F. Vieira, Emílio Macedo e os 5 Conselheiros Revoltosos.

Comecemos por Pinto Monteiro e companhia. Já sei que herdou o caso e como na altura tinha acabado de tomar posse e estava com vontade de mostrar serviço, resolveu juntar uma equipa de justiceiros para apanhar os mauzões corruptos do Norte, ou seja, o Valentim e o nosso Presidente. Para tal reabriu processos, abriu precedentes com recursos atrás de recursos, há até um despacho inédito que obriga o MP a recorrer de qualquer decisão desfavorável neste caso. Enfim uma fúria justiceira nunca antes vista. Aliás, muito jeito teria feito tal empenho noutros casos como por exemplo a Operação Furacão que afinal já se transformou em tempestade tropical… E os resultados disto? Para já temos um acórdão que arrasa a acusação e a sua principal testemunha. Valentim acabou por não ser condenado em grande parte dos crimes de que estava acusado. Enfim, passados meses de investigação, após um ruinosa afectação de recursos a casos que manifestamente não tinham pés para andar, ninguém pede contas a este senhor. Nem à Mizé. Lembro-me da pressão que a imprensa fez sobre o anterior Procurador Souto Moura perante a sua incapacidade em lidar com casos mediáticos como o da Casa Pia. Nessa altura comeram-no vivo. Que dizer do desempenho do actual Procurador? A este ninguém pede contas?

E que dizer dos outros personagens da lista? Todos ficam mal com este acórdão do TAS mas o que fica pior de todos é mesmo o Platini. O acórdão é claro em vários pontos que o fanfarrão francês tinha como certos. Primeiro: «…nem o TAS, nem a UEFA, estão vinculados às normas da justiça desportiva portuguesa». Ou seja, se nos quiser condenar vai ter mesmo que analisar o caso, coisa que não lhe dava muito jeito tal era a pressa de demonstrar o seu empenho na luta por um ‘futebol limpo’. Futebol do género daquele que permitiu uma das mais vergonhosas arbitragens naquela final de Basileia ganha a custo pela sua Juventus, adiando um pouco a afirmação internacional do nosso FCPorto. Será esse o futebol limpo do Platini? Depois há a breve interpretação que é feita sobre a norma de acesso à competição. No ‘breve’ é que está cerne da questão. Para o TAS a questão é muito simples: «Levada à letra, a alínea d) do ponto 1.04 exclui perpetuamente os clubes que cometam actos ilícitos.». Isto é, ou é mudado e clarificado o regulamento de acesso, ou qualquer recurso que ali vá parar terá provimento como o do FCPorto. Por último, vem a tacada à justiça desportiva Portuguesa: «As duas decisões do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol e da Comissão Disciplinar da Liga Portuguesa não demonstram com a certeza necessária que o FC Porto ou o seu presidente estiveram envolvidos em actividades ilícitas.» Olha que chatice… Então estes senhores juízes não conseguem construir uma decisão a partir de um conjunto de coincidências e suposições… Que falta de imaginação! O Dr. Ricardo Costa é bem mais criativo. Os 5 conselheiros também demonstraram imaginação pela forma como organizaram a sua rebelião, especialmente para decidir cirurgicamente 2 casos a tempo de uma decisão do TAS. Já alguém foi informado dos fundamentos dessa decisão?

É por estas e por outras que mais do que nunca se exige ao FCPorto que em campo, como sempre, demonstre a esta gente a nossa força. Temos de responder! Perdemos já uma boa oportunidade ao permitirmos o empate na Luz em vez da vitória inequívoca que merecíamos. Será que isso deu para que se acorde a tempo da Champions? A resposta vem já amanhã.

Onze para o ataque ao fantasma Platini:
Helton(não há outro…); Sapunaru, Bruno, Emanuel e Benitez (Jorge está lesionado); Raúl, Guarín e Lucho; Mariano (se o Tarik tivesse ritmo seria a minha escolha), Lisandro e Rodriguez.

terça-feira, 9 de setembro de 2008

INSANIDADE LAMPIÃ

Prata, o teu texto está muito bom mas vejo-me forçado a basculizar aqui um link...

Pensei que as lamparinas não conseguiam impressionar-me mais pela estupidez tacanha que os move mas, de facto, conseguiram...

Aqui fica o link para o sitio oficioso dos vermelhos... ou rosinhas...

http://www.miragens.abola.pt/videosdetalhe.aspx?id=2172

Comentem... se quiserem ou se conseguirem...

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Estratégia desportiva nos 3 grandes

É difícil prever o que vai valer o nosso FCPorto na liga deste ano. Não será, no entanto, difícil de prever que é o candidato número 1 ao título. Todos os ‘especialistas’ o consideram como tal. Isto apesar de ter perdido 3 jogadores titularíssimos. No entanto, já nos habituamos a que a nossa estrutura resolva estas ‘consequências’ do nosso sucesso. Mas este ano houve mais problemas para resolver. Como encontrar alguém com a velocidade de Bosingwa? E alguém com o rigor táctico do Assunção? E a magia de Quaresma é substituível? Tínhamos 2 hipóteses: ou íamos buscar jogadores feitos com atributos semelhantes aos perdidos (como se isso fosse possível…) ou tentávamos encontrar jovens valores com potencial para em 2/3 anos renderem tanto como os que agora partiram. No entretanto resolvemos com os que já tínhamos no plantel. Tem sido esta a nossa política. Eu pessoalmente, e à primeira vista, acho sempre um risco contratar tanta gente tão jovem, e dá a ideia que se tem contratado mais em quantidade que em qualidade. Este ano parece estar a ser um pouco diferente e nota-se já qualidade nalguns reforços mas se olharmos para os reforços do ano passado, só o Mariano tem jogado… No entanto, olho para as políticas desportivas dos nossos 2 adversários directos e dificilmente encontro melhor.

Vejamos o Benfica, por exemplo. Têm uma necessidade extrema de mostrar que ainda são grandes. Para tal contam com uma imprensa que está sempre disposta a ajudar a instalar uma euforia generalizada. No ano passado foram buscar Cardozo um dos melhores jogadores do campeonato argentino por um dinheirão, contratando ainda o Di Maria e Adu duas das maiores estrelas do último mundial de sub-20. Mas a melhor contratação acabou por chegar pela porta pequena no último dia de inscrições e foi Rodriguez, um jovem desconhecido que tinha falhado redondamente a adaptação a esse colosso que é PSG… Resultado: perderam o campeonato por mais de 20 pontos, foram eliminados da Champions na primeira fase, e foram eliminados da Uefa pelo Estrela da Amadora de Espanha e a inconstância das ‘estrelas cintilantes’ contratadas só veio ajudar à festa. Aprenderam a lição? Lógico que não. Este ano, mantiveram a mesma política de contratação de ‘estrelas cintilantes’ mas com uma agravante, foram buscar jogadores a clubes europeus inflacionando consequentemente o dispêndio necessário na contratação e sobretudo agravando o pacote salarial de um clube que ainda há poucos precisou de ajudas, ainda pouco claras, da ‘implacável’ Manuela Ferreira Leite para ‘cumprir’ (ou não) as suas obrigações fiscais. Mas hoje em dia parece que dinheiro não é um problema naquelas paragens e o povo rejubila. O problema é que mais cedo ou mais tarde acaba o defeso e vêm os jogos a sério e o povo fica deprimido. Facilmente se perceberá porque é que as ‘estrelas’ não vingaram nos grandes clubes e que afinal a curva está já na fase descendente. Aliás 2 jornadas chegaram para assustar o mais optimista diabinho de tal forma que até já se descarrega as frustrações no cachaço dos árbitros... O que vale é que em Janeiro entram mais estrelas e dura a ilusão mais um mesito… Conclusão, tal como o Benfica, e apesar de termos mais credibilidade no mercado, apenas temos acesso ao refugo das grandes Ligas e parece bem menos arriscado recorrer a jogadores com potencial de ligas inferiores ou da nossa Liga do que estar à espera que ‘estrelas’ decadentes acordem de repente e que passem a valer o seu salário chorudo.

Já o Sporting também aposta mais em desenvolver talentos do que em grandes contratações. Investiu mais este ano mas apostou no conhecido. Postiga foi mesmo a contratação mais arriscada, já que Rochemback não engana mas também não dá muito mais do que o que se tem visto, continuando a ser um jogador lento e Caneira continuará sempre a ser um jogador polivalente mas insistente na mediania nas várias posições que ocupa. De resto foi investir na manutenção da equipa com os ligeiros ajustes já referidos. É claro que a grande aposta é nos talentos da casa. Já há uns anos que a estratégia gira à volta deles. São contratados jogadores para suprir as lacunas da formação e não o contrário. Até nem parece má a ideia. Economicamente faz sentido: os custos de formação são poucos, os salários dos jogadores são baixos e há sempre a possibilidade de os vender realizando mais-valias substanciais. Há até a possibilidade de desenvolver uma empatia generalizada da equipa e dos jogadores com uma identidade própria e valores do clube e consequentemente com os adeptos. Mas essa táctica tem falhado consecutivamente. Faltam títulos. É certo que recentemente o Sporting tem ganho umas taças e à custa das nossas exibições medíocres (recuso-me a falar em sorte). Mas e em termos de regularidade e consistência? Tem tudo a ver com o grau de exigência. ‘São miúdos e ainda têm tempo para aprender…’ O problema é que vão aprender noutro clube e nunca chegam a dar o seu pleno rendimento ao clube de formação. Outro problema é que em Portugal os adeptos se entusiasmam facilmente com dois ou três malabarismos de um dos miúdos (eu próprio alinho muitas vezes nessa onda). E a imprensa alinha nisso também. Ainda há dias via a desgraça dos sub-21 e dava por mim a perguntar: Que evoluíram Miguel Veloso, Manuel Fernandes e Paulo Machado nos últimos 2 anos? Qual é a diferença entre o Candeias e o Hélder Barbosa e o Vieirinha? Lançar miúdos é complicado e é também um risco grande. Basta ver os extremos que temos lançado na equipa principal que, mesmo entrando numa máquina bem oleada, têm dificuldades. Ainda mais difícil se torna se tivermos constantemente 3 ou 4 jovens na equipa titular. Temos um ou 2 exemplos de sucesso nos últimos anos e tem sido sempre esporádico. Até o Ajax deixou de fazer as suas gracinhas…

Conclusão, apesar de não ser perfeita, considero a nossa estratégia desportiva claramente superior à dos nossos adversários, o que mais uma vez me faz olhar para os exemplos lá de fora, nomeadamente o do Lyon. Já tivemos tempo e dinheiro suficientes para estarmos mais próximos daquela realidade, mas a verdade é que me parece que eles estão bem mais próximos da elite do futebol que nós. Sobretudo ao nível económico. Enquanto nos contentarmos meramente com o sucesso ao nível interno dificilmente evoluiremos para uma realidade onde seja possível passar um defeso sem vender duas ou três das nossas estrelas.

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Para não cair no esquecimento...

... a frase é de Riskas nos comments ao post anterior e bem se aplica ao vídeo da semana.

A actualidade não permitiu o regresso dos vídeos made Basculação. O de hoje é da autoria de Azulli do blog Bi-Campeões do Mundo e vale a pena rever. Não é preciso comentar muito mais, basta ver e acompanhar as legendas.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Ainda tens de crescer tanto...

Quaresma explicou a razão principal para a mudança da Invicta para Milão: «Nunca escondi que um dos meus objectivos era voltar a um grande clube, é um sonho estar aqui», afirmou.

Notícia do maisfutebol.

É por estas e por outras... miúdo cresce... sem o FCP não eras ninguém...

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Fim-de-semana correu mal


Não será um fim-de-semana negro mas não correu nada bem.


Tudo começou no sábado. Jesualdo resolve inventar. Muda para um 4-4-2 para fazer face ao suposto poder ofensivo do adversário que apresentava 4 homens na frente com Reyes, Aimar e Di Maria no apoio a Cardozo. A mudança em função do adversário é, por si só, coisa de treinador receoso, mas não foi só isso. Foram lançados 2 jogadores que se estrearam neste jogo com a camisola do FCPorto e que se estrearam também em jogos de dificuldade máxima. Lançados às feras, portanto… Apesar de ter tudo para dar em desgraça, acabou por correr bem e não foi por eles. Não terá sido milagre até porque Rolando e Fernando tinham dado boa conta de si na pré-época, no entanto, não deixou de ser um risco elevado, ainda por cima com mudança da disposição táctica. Este sistema, apesar de soltar Lucho que está cada vez a jogar melhor, apesar de ter caído um pouco na segunda parte, deixa Lisandro e Rodriguez quase entregues a si próprios para segurarem a bola enquanto esperam pela chegada dos médios que a defender quase que se colaram aos centrais. Com isto controlamos o jogo? Não! O jogo nunca esteve controlado nos primeiros minutos e perdemos ao mesmo tempo poder de fogo na frente. O lance do penalti, esporádico naquela altura, veio poupar-nos umas dores de cabeça. A ganhar tornou-se bem mais fácil criar perigo mesmo tendo apenas 2 elementos na frente e na defesa sobretudo Bruno Alves, Rolando e Fernando começavam a controlar as operações com alguma facilidade e só de bola parada é que o perigo rondou a baliza de Helton. Preparávamo-nos para aumentar a vantagem e já Rodriguez e Lisandro tinham falhado oportunidades incríveis quando Helton se lembrou de equilibrar o jogo. Começa a ser preocupante a forma como Helton insiste em ser protagonista nos grandes jogos. Lembro o jogo em Chelsea e contra o Shalke, lembro o jogo do ano passado em Alvalade, etc. A um guarda-redes do FCPorto não se pedem fintinhas e rodriguinhos, pede-se discrição e pede-se que esteja lá nos raros momentos em que se lhe exige trabalho. Se nesses momentos Helton falha consecutivamente, temos de considerar seriamente a sua titularidade. Eu por mim começava a preparar um guarda-redes jovem para a sucessão. Depois do golo de Cardozo e Helton a meias e da expulsão de Katsouranis (mais outro a quem parou o cérebro) deu-se o apagão. Lucho tocou mais 1 ou 2 vezes na bola, Hulk e Candeias têm muita dificuldade em trocar a bola com os colegas e Rodriguez e Lisandro desapareceram do jogo. Os jogadores do Benfica acusaram o esforço da primeira parte e começaram a cair como tordos e a perder tempo, e nem assim conseguimos dar a volta ao texto. Faltou sobretudo jogo em equipa que é normalmente uma das nossas imagens de marca.

Ontem vieram mais duas mais notícias deixamos de ser lideres e já o éramos praticamente desde que Jesualdo pegou na equipa, o que é de realçar. Mas não é grave visto que não acredito que o Sporting consiga ganhar em Braga. Cuidado com este Braga. Muito bom plantel, treinador muito organizado, segundo me dizem alguns especialistas.

Por último a pior das notícias do fim-de-semana: a saída de Quaresma. Por muito que a novela à volta disto nos fizesse desesperar pela sua saída, não posso deixar de lamentar quando um dos nossos melhores jogadores, um dos melhores no mundo na sua posição, um dos maiores prodígios técnicos que alguma vez tivemos no plantel é transferido. Os números parecem baixos mas também me parece óbvio que o negócio não se resume aos 24,6 milhões mais 6 (pendentes do cumprimento de objectivos). Cheira a manobra financeira de qualquer espécie. Até o passe de Pelé me parece desvalorizado. No entanto, para mim até os 40 milhões eram insuficientes mas é assim a lei do futebol. Seguirei sempre a carreira de Quaresma com atenção e ao contrário de muitos, acredito que ele vai vingar no estrangeiro e que Mourinho vai fazer dele ainda melhor jogador.

Até sempre Quaresma!

Ps: Ao benfiquismo de Miguel Prates no comentário já estava habituado, mas o William é extremamente irritante… Ando eu a pagar Sport TV para isto? Não arranjavam mais ninguém?

Ps2: Alguém percebeu porque é que Tomás Costa saiu ao intervalo? Eu até gosto mais do Guarín mas acho que queimamos uma substituição.

Ps3: Estou quase a perder a paciência com as invenções de Jesualdo e ainda estamos na segunda jornada… Mas já se viu como vamos jogar fora na champions e em Alvalade… De forma cautelosa à boa maneira do nosso pouco audaz treinador.