quarta-feira, 28 de abril de 2010

Curral de Braga também já era...

Um dos habituais comentadores no blog - Artur - já tinha alertado para o que tinha acontecido em Ermesinde à Casa do Benfica, que carinhosamente a apelidou de 'curral'.

Agora é o Record a noticiar que os adeptos bracarenses (quem diria que alguma vez isto se passaria em Braga) vandalizaram a Casa do Benfica em Braga.

Apelo à paz, por isso o meu desejo é que ninguém saia à rua no Domingo à noite a partir das 22h, seja no Marquês, na Boavista ou na Antárctica onde, parece-me, alguns pinguins também têm o kit da lampionagem.

Uma Festa Há Muito Reservada...

Última jornada da época 1987/88... um clássico nas Antas para fechar uma temporada em que o FCP se viria a sagrar campeão nacional com 15 pontos (2 pontos por vitória) de avanço sobre o segundo classificado, o Benfica, que é brindado na último jogo do campeonato com uns claros 3-0 no repleto Estádio das Antas sem uma única alma lampiã....

Apenas relembrar que este Benfica não era um Benfica qualquer... foi aquele que tinha chegado à final da Taça dos Campeões Europeus nessa mesma época e perdido a mesma contra o PSV treinado por Guus Hiddink no famoso penalty falhado por Veloso... o FCP dá-se ao luxo de deixar a 15 pontos este Benfica (mais ou menos 7 vitórias e um empate, actualmente equivaleria a aproximadamente 22 pontos) e colocar a cereja no topo do bolo com uma goleada na última jornada...

O homem deste jogo nem foi um habitual titular do FCP nesta época mas é bem conhecido da nossa gente pelo recente passado futebolístico como treinador... o seu nome é Jaime Pacheco...

terça-feira, 27 de abril de 2010

"O penálti contra o Estoril? É claro que o árbitro errou"

Daqui a 5 anos vai ser o Aimar ou Di Maria a ter estas fantásticas revelações sobre a vergonha que temos vindo a assistir este ano, para já ficamo-nos pelo Karadas na entrevista ao 'i' sobre o lance do penalti contra o Estoril... Não se enganem, não é o jogo das botas emprestadas e do campo inclinado do Estádio Algarve, este foi na 1ª volta na Luz:

Bom, foi penálti... Quer dizer, eu tinha dois defesas à minha frente, não me lembro de ter decidido nada, talvez me tenha dado um blackout e instintivamente tentei passar por eles e atirei-me. Os árbitros por vezes erram e é claro que o árbitro desse jogo também errou [era Paulo Pereira, de Viana do Castelo, que em 2008 abandonou o apito desiludido com o sector]. Mas foi bom para nós, ganhámos [2-1, dois golos de Simão depois de João Paulo abrir o marcador].


O resto da entrevista aqui.

domingo, 25 de abril de 2010

Fazem reservas com um mês de antecedência?


Parece que andam aí uns iluminados a tentar reservar praças para a festa do título. Tenho a ideia que já queriam reservar para hoje. Pois parece que vão ter de adiar a reserva. E se depender de nós até vão ter de adiar mais uma semaninha. Mas acho graça ao conceito. Normalmente só quem não é cliente habitual é que se tem de preocupar com essas coisas...

Mas a verdade é que a vitória do Braga que adia a festa da mourada, também põe um fim a qualquer aspiração que teríamos de chegar à Champions. Resta-nos fazer o mesmo e ir adiando o inevitável: o nosso terceiro lugar e o primeiro do nosso arqui-rival. Mas tal não implica que a vitória no próximo jogo não seja o mínimo que se possa exigir depois do que passámos e do que este adversário nos tem feito nos últimos anos. E todos sabemos que Hulk tem umas contas a ajustar com esta gente. Mesmo sem Falcao, quero uma vitória inequívoca.

Por falar em Falcao, que jogador! Mais um display de pura classe. Pena foi aquele safanão (nem tenha certeza que chegasse a isso) próprio de quem leva a décima quinta pancada desnecessária. Já sabemos que a disciplina à portuguesa castiga mais os safanões e os festejos de golo, que as sarrafadas em si. Basta ver que o jogador que faz falta não leva amarelo. Seja o movimento voluntário ou não, dificilmente estes lances não serão sancionados visto que todos sabíamos que para aquele jogador o amarelo sairia facilmente. É o que temos...

Quem fez fez um jogão foi o Guarín. Melhor, fez uma grande segunda parte. E o melhor dele até nem foi a sua participação nos últimos 3 golos. Para mim foi aquele passe que isolou Meireles na esquerda que depois Falcao falhou. Nos últimos dois anos tem sido Mariano a conquistar os adeptos na segunda volta do campeonato. Este ano é Guarín. Finalmente uma serie de exibições sólidas e sem ponta de trapalhada! Quem também está a fazer uma boa ponta final é Belluschi. Mas quanto a este, julgo que o problema não era ele mas o sistema de jogo. É de resto um problema que nós, meros adeptos, vimos levantando desde Outubro. Mas os técnicos são outros... Vá lá que não serão por muito tempo. De resto não houve nenhum jogador que não tivesse estado pelo menos razoável. Destacava no entanto mais uma boa exibição de Beto. Parece merecer fazer mais jogos no próximo ano.

Por último, não gostaria de deixar de falar de mais uma derrota de Ricardo Costa. E ao contrário do que diz o jornal O Jogo, já são 3-0 contando com o caso Rui Cerqueira. Começa a ser goleada. Gostaria que alguém perguntasse a Fernando Gomes o que é que ele pensa fazer com este personagem. E já agora outra pergunta: será que o seu programa que visa pôr finalmente a Liga a fazer dinheiro a sério com o futebol prevê a indemnização a pagar ao FCPorto pelo caso Hulk e Sapunaru? Já que é um homem das finanças, é melhor ir constituindo uma provisão nas suas contas...

Equipa para o jogo com os Mouros:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Alvaro Pereira; Fernando, Raul, Guarín e Belluschi; Farías e Hulk.

Não esquecer o colete em casa. Só terá impacto se todos levarmos!

E já agora: 100 mil visitantes! É obra para um blog que começou porque estávamos fartos de encher as nossas caixas de correio com mails a discutir o nosso clube. Virão surpresas nos próximos tempos...

Porque Já São 9 Vezes... e 9 Vezes é MUITO!!!

Parabéns Campeões!!!

sexta-feira, 23 de abril de 2010

O único campeão na Arábia

Poucos devem saber, mas Folha não é apenas conhecido por ficar triste por ter marcado um golo conforme já devem ter visto no vídeo do post abaixo... Ele foi o único Campeão do Mundo na Arábia Saudita que na altura já defendia as cores do FC Porto. Aliás, a seguir a Fernando Couto, João Pinto e Paulo Sousa, deve ser o jogador que mais sucesso teve na carreira dentro do lote daqueles jogadores que, supreendentemente, conquistaram o título mundial. Esqueçam Paulo Madeira, Paulo Alves ou Jorge Couto, António Folha até conseguiu ser convocado para o Euro 96.

No Porto, o extremo-esquerdo nunca conseguiu ter a regularidade desejada e manter um nível elevado para ser presença constante no onze portista. Foi várias vezes emprestado, primeiro ao Gil Vicente (acabadinho de chegar do campeonato do mundo na Arábia), depois ao Braga, teve então um grande período ao serviço do Porto para depois se ver envolvido nas negociatas com Luciano D'Onofrio e respectivos empréstimos ao Standard Liége. Ao clube belga ainda foram cedidos Sodestrom, Nuno André Coelho, Areias, Sérgio Conceição e Jorge Costa. Na última cedência, Folha representou o AEK Atenas e já findo o vínculo com o Porto acabou a carreira no Penafiel.

António Folha nunca se desligou do futebol tendo assumido funções técnicas no Penafiel quando Luís Castro era o treinador. Não admira, portanto, que o responsável pelo projecto 611 o tenha convidado para assumir os destinos dos Iniciados A juntamente com o Prof. João Brandão. Actualmente, estão a disputar a 2ª fase do campeonato nacional e estão com um pé na fase final (outra coisa não seria de esperar) onde vão encontrar Guimarães, Benfica e Sporting. Resta dizer que em 26 jogos empataram um e perderam outro. Mais regular a treinador do que a jogador, sem dúvida...



Cromo (1993/94)...




Carreira...

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Desculpa ter marcado... golo...

A ideia do vídeo da semana surgiu na segunda parte do jogo no Dragão contra o Vitória de Guimarães... principalmente após o segundo golo, era notório a preocupação dos jogadores do FCP em procurar Falcao para ser este o marcador de serviço... esta não é uma história nova e repete-se ano após ano quando perto do fim de campeonato quando há uma disputa acesa para ser o "pichichi" do campeonato português...

Em 1994/95, era a Domingos que os jogadores do FCP tentavam ajudar para este levar a bota de prata para casa... mas um deles esqueceu-se e quando reparou, já tinha metido a bola na baliza, pedindo, de imediato, desculpas ao colega de equipa... Folha é o seu nome e o vídeo é imperdível... ainda por cima com os comentários do próprio Domingos...

terça-feira, 20 de abril de 2010

Onde é que eu já ouvi esta ideia?

Mais uma vez, está-se a insistir nesta ideia que, sinceramente, eu vi pela primeira vez aqui no blog quando resolvemos publicar a sugestão de um amigo nosso, o Levezinho, mas que agora está a ser usada como brilhante ideia de outro. Enfim, pouco interessa. O que interessa é que é uma excelente ideia e terá um excelente impacto se os portistas aderirem em massa. Por isso vamos já lembrando.



Adenda:

Especialistas decidiram mandar abrir os aeroportos de toda a Europa devido a nuvem cinzenta, pois chegaram à conclusão que o pó no ar era dos cachecóis dos benfiquistas...

(notícia mandada pelo Moutinho)

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Agora que já não é preciso...


Ganhamos de todas as maneiras e feitios. Jogando bem, jogando mal ou jogando assim-assim como foi o caso de ontem. A verdade é que o nosso campeonato se reduz ao título de melhor marcador para Falcao e à possibilidade de adiar por uma semana o título do Benfica que até já pode chegar ao Dragão com a festa feita. Mais tarde teremos o prémio de consolação que vai ser a Taça de Portugal. Como não enfrentamos na final nem Benfica nem Sporting, julgo que será inevitável que não se passe esta época sem mais um troféu para a nossa atafulhada vitrina. Mas é pouco e será este o nosso triste final de temporada. Pior que tudo a humilhação de jogar a Liga Europa. E o pior é que jogamos nós e joga o Braga. Não estou a vê-los a passar duas pre-eliminatórias... E diz-nos o nosso presidente que em breve estaremos a lutar por uma prova europeia. Espero que não se esteja a referir à Liga Europa.

A equipa até tem estado a reagir bem a esta falta de objectivos condignos com um clube como o FCPorto. Sobra a vontade de Hulk de recuperar o tempo perdido, a vontade de Falcao de se afirmar como melhor avançado da competição. Por mim nem precisa do título de melhor marcador. Ele é mesmo o melhor. E há ainda a vontade de alguns jogadores de mostrar serviço agora que jogam com mais regularidade como é o caso de Guarín e de Belluschi que têm estado entre os melhores.

Mas ontem o melhor em campo para mim foi Beto. Não que tivesse tido um trabalho louco mas porque o que teve para defender foi difícil e ele executou na perfeição. Dificilmente podemos dizer isso sobre algum dos outros jogadores que estiveram em campo. Fica a exibição para Queiroz ver. De resto estiveram bem Guarín, Belluschi e Falcao na segunda parte. Bruno Alves desastrado tal como Fucile e Hulk. Mas este último, de vez em quando, lá tirou algumas jogadas deliciosas da cartola, motivo suficiente para que tenha nota positiva. Quanto à surpresa Valeri. Bem... Não aprecio. E não mudei de opinião.

Equipa para a visita a Setúbal:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Alvaro Pereira; Fernando, Meireles, Ruben e Belluschi; Falcao e Hulk.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

CTT fundamentais na contratação

Bernardino Pedroto, Katanec e Hector Cúper, a única coisa em comum que devem ter entre eles é que tiveram de lidar com o mau génio de... Zlatko Zahovic!

O esloveno veio para Portugal à custa de Pimenta Machado e Bernardino Pedroto, na altura treinador do Vitória. Ainda estiveram na dúvida entre Zahovic e um brasileiro que estava à experiência proveniente do Tuna Lusa, de seu nome Geovani. Optaram por comprar o passe ao Partizan de Belgrado e dispensar o brasileiro que, mais tarde, veio a representar o Barcelona.

Zlatko veio para Portugal com 22 anos e assinou por 3 anos com o Vitória com exibições cada vez mais regulares, atingindo o ponto mais alto nesse mesmo último ano de contrato com... Jaime Pacheco! Com o bi-campeonato conquistado e a vinda de António Oliveira, o Porto quis contratá-lo para reforçar o meio-campo. O processo negocial é que não foi dos mais simples. Como Zlatko estava em final de contrato, o mesmo só podia ser renovado com ajuste salarial e teria que dar entrada em devido tempo uma carta nos serviços da Liga de Clubes dando conta dessa intenção. Zahovic confirmou ter recebido a carta de renovação mas pelos vistos a mesma nunca deu entrada na Liga, tornando-o um jogador livre para assinar por quem bem entendesse. Só por mera curiosidade, o presidente da Liga era o Pinto da Costa e os CTT trabalhavam mal na altura! Para afastar qualquer dúvida de favorecimento ao Porto neste caso, quem decidiu foi o director executivo da Liga (não vou dizer quem foi, só adianto que agora candidata-se a Câmaras Municipais e fala todas as semanas na televisão a defender as cores dum grande do nosso país).

Zlatko foi feliz no Porto, ganhou o tri, o tetra e o penta ao lado de jogadores como Jardel, Edmilson, Drulovic e Artur. Como forma de agradecimento, o tri até foi conquistado no D. Afonso Henriques após uma goleada de 4-0 com bis de Jardel e Zahovic. Foi, no entanto, no ano do penta, com Fernando Santos, que o esloveno mais brilhou: 14 golos no campeonato e 7 na Liga dos Campeões deram a conhecer Zlatko na Europa. O Porto ainda recusou uma proposta do Valência mas foi «obrigado» a aceitar a proposta do Olympiakos.

Posteriormente foi mesmo para o Valência onde disputou a final da Liga dos Campeões contra o Bayern. Perdeu a final nos penalties e permitiu a defesa de um deles a Kahn. Disputou também o Euro 2000 na surpreendente qualificação da Eslovénia.

A carreira entrou depois em declínio e acabou por regressar a Portugal para umas férias retemperadoras ao serviço do Benfica.

Actualmente é director-desportivo do Maribor, clube onde começou a carreira, é comentador desportivo e dedica-se ao xadrez, desporto bom para uma pessoa temperamental!


Cromo (1996/97)...



Cromo (1998/99)...



Carreira...

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Sádico


Foi o que pensei quando, a meio da segunda parte e com o jogo e a eliminatória completamente controlados, Jesualdo põe Falcao e Hulk em campo. Se com nabos como o Valeri e o Orlando Sá em campo estávamos a controlar, que seria de esperar com as nossas maiores armas ofensivas? Sangue... E cumpriu-se. Passou-se de 1 para 4 a 0. Opção bastante sádica de Jesualdo, mas não deixa de ser um prémio para os poucos portistas que foram ontem ao Dragão.

Jogo sem história que valeu pelos golos, todos eles muito bons. MVP Bellushi, LVP Valeri e estreia promissora para Addy. Bem no apoio ao ataque e verde a defender. Nada que não se estivesse à espera. Também não esperava mudar de opinião sobre Valeri. Reforcei-a: é muito mau. Grande jogada de Falcao a que vai ao poste. Uma delícia!

E ficou marcado mais um picnic no Jamor. São já 3 seguidos. Prevê-se uma boa festa com o simpático público flaviense.

Equipa para a recepção ao Guimarães:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Alvaro Pereira; Fernando, Meireles, Belluschi e Rodriguez; Falcao e Hulk.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Jogos Raros entre Vizinhos...

Pedro Simões, habitual leitor do nosso blogue, sugeriu em dia de jogo da Taça de Portugal, a recordação do vídeo (que ele próprio colocou no seu espaço no youtube) que hoje publicamos relativo a uma eliminatória da Taça de Portugal de 1998 (ano do Tetra) em que os portistas derrotaram por números bem expressivos os seus vizinhos de Valongo... vale a pena recordar...

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Na casa do Padre Emílio...

Uma autêntica delícia que um grande jogador da bola, capitão e nº 5 (em honra ao ídolo que jogava nos seniores, quero eu acreditar) de seu nome Fábio Martins, me fez chegar via email. Grande intervenção no programa Antena Aberta da RTPN. Apreciem...

Cliquem aqui...

De facto, não se admite... :)

domingo, 11 de abril de 2010

Depois de tanto bater na mesma tecla...


Até acho que este era o único trocadilho que ainda não tinha feito com o nome de Farías mas aplica-se na perfeição. O homem esteve mais para lá do que para cá, querem encafua-lo no Brasil e ainda lhe põe as culpas pelo falhanço de um negócio feito em cima do joelho, criam-se rumores de que a lesão é falsa e que está no FCPorto até o conseguirmos despachar. E perante tudo isto ele entra em campo e em 2 minutos sofre um penalti claríssimo e passado um pouco marca o golo que valeu os 3 pontos. Há muito que defendo que este é um grande suplente e ele tem encarado essa posição com grande humildade. É de facto um luxo ter um suplente que marca mais de 10 golos por época.

Isto perante um jogo muito, muito fraquinho do FCPorto. Os desempenhos individuais roçaram quase todos a mediania. As excepções foram Hulk e Helton que é o outro grande responsável pela vitória. A surpresa foi mesmo o jogo desastrado de Falcao. Também tem direito a um de vez em quando... Outra surpresa foi a inclusão de Tomás Costa no lugar que todos previam ser de Belluschi. Má opção, como seria de esperar. Tomás Costa dificilmente conseguiria melhor do que o que fez naquela posição e percebemos que mesmo à beira do final Jesualdo ainda não perdeu o impulso da imaginação. Por falar em imaginação, gosto do Miguel Lopes, acho que tem futuro no FCPorto. Mas não consigo perceber como se pode conceber que ele possa tirar o lugar a Fucile. Acho vergonhoso o que estão a fazer ao uruguaio. Será que nos querem convencer que ele foi o responsável pelo desastre em Londres? Estamos a deixar um jogador no banco por um outro que até nem está a jogar assim tão bem. Se repararem o Rio Ave teve 4 oportunidades de golo e 2 delas tiveram erros de marcação do Miguel Lopes. Isto para nem falar que, nesta altura, qualquer jogador seleccionável para o Mundial que perca o lugar no seu clube tem, o Mundial em risco. Chamem-me doido, mas eu quero ter o máximo possível de jogadores do FCPorto na maior montra do futebol mundial...

Na quarta-feira restará apenas confirmar a marcação na agenda de mais um picnic no Jamor.

Equipa para a quarta:

Beto; Fucile, Nuno André, Bruno Alves e Addy; Fernando, Meireles, Guarín e Sérgio Oliveira; Farías e Hulk.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Já podes rir Manuel Machado!


Afinal a super equipa ficou pelo caminho. Veremos se o 'cansaço' também se vai fazer sentir contra o Sporting. Eu que nem vi o jogo não pude deixar de notar que Jesus à boa maneira portuguesa resolveu reforçar a defesa com David Luiz à esquerda. Que mania... Chegam às alturas decisivas e inventam...

Como diz o basculante Pis Pis, «o Benfica caiu de pé mas ficou de quatro...». Gostaria que fosse perguntado a Jesualdo qual o resultado ideal para a visita a Vila do Conde. Se fosse eu respondia como o cretino (foi o Manuel Machado que disse) e dizia 4-1 seguido de uma gargalhada...

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Já Tinha a Cabeça no Lugar...

A recordação da semana recua à época 1991/92, num jogo contra a equipa madeirense do Marítimo no Estádio das Antas... o grande destaque do resumo vai, inteirinho, para o segundo golo do FCP quando o resultado ainda estava empatado a uma bola... Jorge Costa meteu a cabeça no sítio certo e colocou o FCP em vantagem... o único pormenor é que a camisola que ele vestia também era listada, mas as cores eram vermelho e verde... :)

terça-feira, 6 de abril de 2010

Novo rumo - Plantel


Já sei que o post vem com uma semana de atraso mas estava à espera de desenvolvimentos na Liga para abordar este assunto. O que, pensando bem, nem faz sentido visto que defenderia a mesma política se fossemos campeões. Mas agora está claro que ficaremos em terceiro o que torna ainda mais premente uma revolução na habitual forma de construção do plantel. Mas há que tratar disto com calma. A primeira tendência perante a catástrofe é mudar tudo. Errado! Por exemplo,um dos pontos mais criticados é a estratégia de pesca por arrasto no mercado sul-americano que temos utilizado nas nossas contratações mas que também nos trouxe o fantástico Falcao, o incrível Hulk, o guerreiro Lisandro, o mágico Lucho, e outro exemplos não tão brilhantes mas que também são bons jogadores. A minha ideia é a de finalmente aprender a dosear os ímpetos no mercado sob pena de ficarmos com um plantel ainda mais caro. Como tal, convém fazer um levantamento dos principais problemas do plantel:

- Banco caro e ineficaz: Olhamos para o banco de suplentes e vemos Farias, Mariano, Guarín, Tomás Costa, Valeri, Orlando Sá, Sapunaru e muitas vezes Belluschi. A primeira coisa que vem à cabeça é que estão ali 28 milhões de euros (por ordem e com números que vêm na imprensa: 4 + 3 + 4 + 4,2 + 2,3 + 3 + 2,5 + 5). E ainda há os emprestados como Pelé que custou 5 milhões, Stepanov que custou 4 milhões e Prediguer que custou fantásticos 4,2 milhões... Tudo valores de aquisição que fazem prever altos salários. Demasiado altos para jogadores em quem Jesualdo não confia. Basta ver quantas vezes perante resultados negativos Jesualdo faz apenas uma ou duas substituições. Sejamos claros, deste lote apenas Farías trouxe um rendimento constante a cada vez que entrou e apenas Mariano e Belluschi constituem opções consideradas úteis embora tenham rendimentos intermitentes. Guarín e Tomás Costa são apenas soluções de último recurso por muito que de vez em quando façam coisas interessantes. Todos os outros simplesmente não contam.

- Falta de identidade portista: Quantos jogadores do nosso plantel são portistas? Lembro-me do Bruno Alves e é só. O portismo não pode estar só nos adeptos. Temos que ter jogadores que incutam nos colegas os nossos valores e a nossa identidade. Sem referências destas como seria possível ter tantos ex-jogadores a manifestarem que ficaram portistas durante a sua passagem pelo nosso clube. Lembro-me por exemplo, Deco, Lucho, Maniche que até era benfiquista em pequeno.

- Inadequação das características do plantel ao esquema de jogo utilizado: Jesualdo é um fundamentalista do futebol pelos extremos num 4-3-3. Concordo que essa terá de ser uma solução. É um esquema de jogo tipicamente português e o mais utilizado mas camadas jovens onde surgem sempre bons talentos para as alas sobretudo ofensivas. Mas há que ver se temos gente no plantel com características para esse esquema. Poderemos reparar que temos apenas um jogador que se adapta perfeitamente à função de extremo: Varela. E depois há as adaptações, mais felizes no caso de Mariano e menos felizes no caso de Hulk e Rodriguez. A verdade é que escasseiam opções e mesmo assim foi sempre este o esquema apresentado até há duas semanas.

- Plantel demasiado caro para uma competição como a Liga Europa: é um facto que se trata de uma competição com pouco interesse até aos quartos de final. Mas o grande problema é que sem a Champions, faltará uma das principais fontes de receitas do clube obrigando a uma severa revisão orçamental.


Postos os problemas, poderemos redigir um esboço de plano. Assentará em 3 pilares: dois esquemas tácticos alternativos (4-3-3 e 4-4-2) com mais jovens da formação e com uma redução de custos com o pessoal. Isto partindo do princípio que não haverá saídas inesperadas.

Plantel 2010/2011:
Guarda-Redes:
Helton, Beto e Ventura.

Defesas:
Fucile e Miguel Lopes; Bruno Alves, Rolando, Nuno André Coelho e Maicon; Alvaro Pereira e Addy ou Sereno.

Meio-campo:
Fernando e Pelé (ou Prediguer ou um trinco das camadas jovens); Raul Meireles, Castro ou Sérgio Oliveira, Rúben, Rodriguez, Guarín ou Tomás Costa; Belluschi ou Mariano.

Ataque:
Varela, Ukra, Hulk, Falcao, Farías ou ponta-lança a contratar, e Yero ou avançado das camadas jovens.

Dispensas: Teremos de cortar com os jogadores de banco caros não utilizados - Valeri; Prediguer ou Pelé ou os dois; Guarín ou Tomás Costa ou os dois; Belluschi ou Mariano; Orlando Sá (empréstimo); Sapunaru e eventualmente Addy (empréstimo). Tudo resto que não seja proveniente das camadas jovens é para vender, rescindir ou emprestar se as primeiras opções não forem possíveis.

Fica um plantel de 25 jogadores sem que haja uma verdadeira revolução. Isto porque o onze base mantem-se e mantém-se alguns jogadores de reserva com provas dadas nomeadamente na defesa. Outro factor importante é o de que apenas está prevista uma contratação a de um ponta-de-lança para a mais que provável saída de Farías. Ficamos ainda com a possibilidade do 4-3-3 adicionando a opção Ukra.

Que vos parece?

No próximo capítulo da minha ideia de planeamento para a próxima época virá a parte da Gestão.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

A importância de um bom par


Há meses que escrevo aqui que deveríamos apostar numa dupla de avançados. Eu e muitos dos que por aqui vão comentando. Dirão que o castigo de Hulk veio adiar esta opção e que a presença de Rodriguez também ajuda a inclinar Jesualdo para o 4-3-3. Errado! Por mim Varela também faz esta posição apesar de também render muito na ala. Mas no caso de Rodriguez, não tenho dúvidas que, e esta é já uma embirração minha há mais de um ano, rende o dobro partindo de uma posição mais interior. Penso nele mais ou menos numa posição semelhante à de Izmailov no Sporting. Tudo isto para que lá na frente haja liberdade para que a dupla de avançados 'pinte a manta'. E foi o que aconteceu nos últimos dois jogos. Poderão reparar que as oportunidades de golo são muitas e variadas, que já não temos de recorrer ao chuveirinho, que como sabem é o recurso de quem não tem arte para chegar ao ataque em termos... Mas se no ano passado já defendia uma dupla Lisandro/Hulk, este ano essa ideia ganha ainda mais força. É que as características de Falcao vêm trazer ainda mais versatilidade e mais imprevisibilidade. Por muito que Lisandro seja um jogador que nunca esqueceremos, não era uma referência de área. Tinha outros argumentos e não eram poucos. Já Falcao traz um preenchimento total de toda a área dando à equipa outras opções de chegar à baliza que não a da transição rápida onde Hulk é demolidor. Vimos de 3 anos em que o FCPorto marcava de duas formas: contra-ataque e bola parada. Hoje em dia há mais soluções mas isso é graças à arte de Falcao e não à sagacidade de Jesualdo. Basta ver que apenas apostou nisto numa altura em que as alternativas são zero. Mesmo assim ainda mete o Guarín quase encostado à direita... Assim não estranha tanto o desvio do seu esquema fetiche.

Por falar em fetiche, adoro golos de pontapé de bicicleta. Que dizer daquela obra prima que foi o nosso primeiro golo. Pena que os portistas que viram ao vivo foram menos que o habitual. Eu pelo menos não deixei de enviar um sms a gozar os que sabia que tinham ficado no quentinho e que consequentemente perderam aquilo. Pois vale a pena apanhar chuva a caminho do Dragão para ver provavelmente o melhor golo que lá se marcou. Falcao transformou um centro tosco de Guarín em pura arte chegando com o pé mais alto que as cabeças dos defesas. Impagável... Já pouco há a dizer sobre Falcao. Ele, mais que todos, não merece o triste terceiro lugar em que nos encontramos.

E por aqui devemos ficar. Eu até acreditava mas deixei de ter dúvidas quando um Braga que está claramente a perder gás, ganha da forma que ganhou. Fico à espera para ver se volta a sair da gaveta a lei que nos tirou Lisandro por dois jogos no ano passado. Há dúvidas? Se há simulação com influência no resultado é aquela.

Por último não gostaria de deixar de realçar aquela péssima entrada em jogo de Fernando. É mais um episódio bizarro numa época pródiga em coisas dessas. Ele esteve muito mal mas se pudesse escolher um jogador da outra equipa a quem assistir era aquele nabo Taka. Pena que ele se tenha enganado... De resto a equipa esteve bem mas não posso deixar de reparar que continuamos muito permeáveis na defesa. Muitas oportunidades de golo para o Marítimo no Dragão. Não fosse o desempenho do ataque e do Helton, teria sido um jogo bem sofrido. Mas julgo que tal se deverá a uma adaptação ao novo esquema. Para o ano e com outra orientação julgo que esta forma de jogar já estará no ponto.

Equipa para Vila do Conde:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Alvaro; Fernando, Meireles, Belluschi e Ruben; Hulk e Falcao.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Factores Estranhos...

... é assim que Pinto Costa definiu o afastamento do FCP do título de campeão nacional de 1990/91, chegando a abordar nesta pequena entrevista o famoso caso do "Guarda Abel"...

Na habitual pesquisa semanal que realizo encontrei esta pérola, mas que em termos práticos não vai surtir efeito porque a qualidade do som é muito má e neste caso, mais até que a imagem, era fundamental... sinceramente não me lembro minimamente do contexto desta entrevista, apenas penso que foi após a derrota nas Antas contra o Benfica com os célebres golos de César Brito que traçou o rumo desse campeonato... achei curioso as coincidências com a realidade actual e até a famosa história do "Guarda Abel" trazida para praça pública imaginem por quem... pois claro, o jornal "A Bola" no seu melhor... espero que consigam ouvir alguma coisa...