domingo, 27 de setembro de 2009

Andávamos a precisar de mais Hulk


Voltei a não poder ver o jogo. Como tal, em vez de uma crónica do jogo, vai ser uma crónica do resumo e um apanhado das opiniões portistas que fui recolhendo.

Todos me disseram que entramos muito fortes no jogo, o que me agrada bastante., visto que vínhamos de um jogo péssimo. Também me parece que o Hulk pintou a manta o que é uma óptima notícia para a recepção ao Atlético de Madrid. Belluschi parece que reagiu muito bem à perda da titularidade e Falcao continua a não enganar. Também me foram dizendo que não conseguimos controlar convenientemente o jogo quando passámos a jogar contra 10. Dizem-me que Meireles e Mariano foram os destaques pela negativa e aqui espero bem que Rodriguez recupere para quarta-feira.

No resumo que vi deu para comprovar estas ideias, mas adicionalmente, vi também uma boa exibição de Helton e algumas distracções defensivas graves. Vi também uma grande exibição de Rui Patrício o que para mim é surpreendente, visto que o acho muito fraco.

Mas o que sobra mesmo é o regresso de Hulk aos grandes jogos e logo num clássico. E todos nos queixámos no ano passado de algum apagamento de Hulk nos grandes jogos, se exceptuarmos o jogo em Madrid. Sobrou também a Calimerice pegada no final do jogo. Não vi nada que pudesse dar razões de queixa e mesmo assim, com todo aquele berreiro, retiraram mais uma vez o enfoque da nossa exibição com as queixinhas do costume. Ainda há de chegar o dia em que o Sporting irá aceitar uma derrota, como ainda há de chegar o dia em que o Benfica vence sem um penalti a seu favor, etc. Entretanto vamos gozando como a máxima de Paulo Bento: Betencourt e companhia: Calimerice forever!

Para o jogo com o Atlético recomenda-se a mesma equipa com Rodriguez, se possível, e com Tomás Costa no lugar do castigado Fernando.

Equipa para o regresso da Champions:

Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Álvaro Pereira; Tomás Costa, Raúl Meireles, Belluschi e Rodrigez; Hulk e Falcao

13 comentários:

Artur disse...

Acho k na ekipa para Quarta não pode jogar o Tomas Costa. Prata, vê-se bem k não viste o jogo, senão não pensavas seker nesse gajo pro banco. Axo k devia jogar o Guarin para que o Raul e o Belushi joguem nas suas posiçoes. São tão divertidas as entrevistas aos Calimeros.É de xorar a rir!!

Lamas disse...

Eu colocaria o Meireles no lugar de Fernando... Não está em forma é certo, mas penso que é o gajo com mais maturidade para desempenhar aquela posição, pelo menos a nível táctico... posicionalmente deve ser, de longe, aquele que melhor deve saber os locais que ocupar...

Gosto de Tomas Costa pelo voluntarismo, mas perde-se dentro de campo... Guarin, parece estar a crescer, mas colocá-lo a trinco poderia queimá-lo para sempre...

Por isso, Meireles + Guarin e Beluschi...

Quanto ao jogo, apesar de o Sporting não ter praticamente nenhuma oportunidade depois do penalty, faltou saber controlar o jogo...

E depois é os seeeesss... se o penalty entra, podíamos ter goleado e a auto-estima estar bem lá cima para a recepção aos madrilenos...

miguel87 disse...

Eu vi o jogo e isto foi o que achei dele: uma grande merda!

Artur disse...

Engraçado Miguel, isso foi o que eu própio axei dos "adeptos" que assobiavam o Mariano: K eram uma merda

miguel87 disse...

Oh Artur, isso eu não sei porque não fui ao estádio, nem tenciono ir enquanto estiver lá este treinador.
Agora não me venham com merdas, porque só não vê quem não quer: o futebol desta equipa do Porto é uma vergonha, digno de uma equipa do meio/fundo da tabela (sem desprimor para estas).

Um clube como o Porto, com a história e os titulos que tem, com um plantel desta categoria e a jogar da maneira que se vê, É UMA VERGONHA!

Se há sócios que se contentam com isso, tudo bem, acho triste que se contentem com tão pouco, mas não tenho nada contra eles nem os vou insultar ou assobiar (como não assobiava a equipa quando ia ao estádio).

Agora, por mim basta, ver este jogo contra uma equipa fraquissima, com uma defesa aos retalhos (aquele Polga, só mesmo com um burro do caralho a treinador é que foi á selecção num mundial), um meio campo de meninas e um ataque de futuras ex vedetas... para cumulo, reduzidos a 10 e ainda nos remetem para o nosso meio campo defensivo!!! BRAVO! Hats off to our mister!

Anónimo disse...

A inveja é um sentimento muito feio...
CARREGA ATLETICO !!!! hahahahaha

miguel87 disse...

Anda para aqui um anónimo cheio de moral, desconfio que seja um daqueles cujo clube vai em 2º lugar, mas a euforia é tanta que já é tudo deles, são os mais maiores grandes da europa e massacram adversarios a jogar 14 contra 9 e com penalties á discrição! Viva a mediocridade! Viva os campeões do 2º lugar! Viva os recordes do guiness!

Artur disse...

LOL temos k deixar os frakos terem o seu momento de glória.
Tens razão em kerer mais. Eu tmb keria. Mas acredito k dentro de algum tempo akeles 20 minutos se prolonguem por mais 70. Não se pode é assobiar kdo o mais importante nakela altura estava garantido.
Já agora estes bois já vão levar na boca na Grécia e em Paços para k lhes acabe o piu.
Carrega AEK!!

Anónimo disse...

E que tal Lerem o artigo do Ze´Luis "A arbitragem, pois..." no blogue portistas de bancada.

Anónimo disse...

Esqueçam o Apito Dourado: bom é que os clubes escolham
JOSÉ MANUEL RIBEIRO

Apesar do muito que se disse, do que queriam à força que se dissesse e, sobretudo, do que se berrou, ficou esquecido o detalhe do costume no dossiê Duarte Gomes-Vítor Pereira: a existência de um regulamento e, principalmente, dos factos que lhe estiveram na origem. É que Vítor Pereira escolheu o árbitro do FC Porto-Sporting porque, de outra forma, teria sido o Sporting a escolher por ele.

As leis da Liga estipulam que os processos e denúncias contra árbitros não podem servir de impedimento para os nomear. São assim porque, em tempos, esse método servia aos clubes para, boicotando aqueles de que não gostavam, terem sempre os preferidos a dirigir-lhes os jogos. Porque esse lado também existe.

Há os árbitros que erram, mas também (acreditem) os treinadores que instruem os jogadores para caírem na área ou para apontarem às canelas; os jogadores que nem precisam de instruções para o fazer; e os clubes que se defendem por todos os meios, com e sem maus intentos. Só que nenhuma equipa da Liga deve ter direito a poder determinar, ainda que caso a caso, quem é o árbitro do seu jogo.

Se Vítor Pereira tivesse consentido em vetar Duarte Gomes, o que impediria o Sporting ou outro clube qualquer de engendrar pretextos para, de processo disciplinar em processo disciplinar, ir tocando os apitos que lhe apetecesse? E o melhor: sem correr o risco de ser apanhado nas escutas.

Fosse um dos concorrentes do Sporting o emblema envolvido e até Dias da Cunha recomendaria um Stromp para o sócio Vítor Pereira pelo estoicismo na luta contra o sistema.

OJOGO


Afinal o VPereira limitou-se a cumprir as regras que os clubes aprovam!!!

Anónimo disse...

RMeireles a trinco NÃO !

Anónimo disse...

O Trinco deve ser o TC, na mnha opinião.

Anónimo disse...

O centenário de um craque imortalizado
Artur de Sousa "Pinga" completaria hoje o centésimo aniversário e o F. C. Porto assinala a efeméride recordando aquele que muitos evocam como "o melhor jogador" da história do futebol português, perdido nos efémeros tempos da Rádio
00h12m
ALMIRO FERREIRA
Qual Peyroteo, qual Hernâni? E nem Eusébio, nem Futre, nem Figo, nem Cristiano Ronaldo... Artur de Sousa "Pinga", craque do F. C. Porto nos anos 1930 e 1940, foi o maior de todos. Mas, por mais que se busque no Youtube, não há maneira de se encontrar um videozinho que seja para comprovar a convicção dos adeptos mais velhos, que o viram jogar na Constituição ou no Ameal e que se deliciaram com o maior talento dos primórdios do futebol português, perdido nos efémeros tempos da Rádio. Mas a injustiça do que será a extemporaneidade de um futebolista genial só enriquece ainda mais o imaginário e o enredo épico de Pinga. Se fosse vivo, um dos maiores símbolos da antologia portista celebraria, hoje, o centésimo aniversário. O F. C. Porto assinala a efeméride, com um rebusco ao baú das memórias.

Artur de Sousa "Pinga" não morreu em 12 de Julho de 1963, ainda antes de completar 53 anos. Só foi vencido pelo álcool e pela cirrose, segundo contam os registos da época, mas a obra do futebolista, tão vasta e valiosa, imortaliza-o entre os melhores de todos os tempos. O melhor de todos, sem rival à altura, juram os mais velhos. "Foi um jogador fulgurantíssimo - verdadeiramente genial. Talvez o maior talento de jogador do nosso futebol. Tudo nele era prodigioso: a concepção, como a execução; a imaginação viva e riquíssima marcada na escolha do lance ou do toque subtil, ou a finta intencional e preconcebida, ou no pormenor em que revelava a sua grande inteligência prática, o profundo e exacto conhecimento do jogo e dos jogadores e até sentido artístico - de verdadeiro artista do futebol", escreveu a prodigiosa pena de Cândido de Oliveira, em Abril de 1945.

O elogio, nas colunas do jornal "A Bola", soava já a homenagem jubilar à carreira de Pinga. Um ano depois, a 7 de Junho de 1946, nos relvado do Estádio do Lima, o craque de 37 anos teve o jogo de despedida. Saiu a chorar, sob os aplausos do público e aos ombros dos colegas do F.C. Porto e dos da selecção nacional que lhe prestaram o tributo.

Para trás, tinham ficado 400 jogos e 394 golos, um turbilhão de fogo nascido na natureza vulcânica da Madeira (30 de Setembro de 1909), revelado no Marítimo e explodido no F. C. Porto, onde chegou a 23 de Dezembro de 1930, aos 21 anos, atraído por um principesco salário de 800 escudos. Pinga singrou e depressa passou a ser o ídolo da Constituição, entre pares como Costuras, Correia Dias, Valdemar Mota ou Acácio Mesquita. E foi muito à custa das geniais jogadas e dos golos do avançado madeirense que o F. C. Porto venceu o primeiro campeonato português como o conhecemos nos moldes actuais, em 1934/35. Ganhou mais dois títulos, em 1939 e 1940, e representou a selecção em 23 ocasiões (oito golos).

Após pendurar as chuteiras, foi treinador da Sanjoanense, do Gouveia e do Tirsense. Fora dos relvados, sucumbiu novo, aos 53 anos, vítima de um quotidiano de tontura, afinal a mesma vertigem que fez dele um craque imortal.

JN

------------------------------


Recordar e dar a conhecer Herois como Valdemar Mota;Syska;Acacio Mesquita;Costuras;Araujo e Correia Dias (entre outros) é uma obrigação.

Ou treinadores como ; Syska,Yustrich ou Pedroto;

Ou Presidentes como Monteiro da Costa;Urgel Horta e Cesario Bonito.