terça-feira, 23 de março de 2010

Novo Rumo - Treinador


Já sei que ainda estamos em competição e que o segundo lugar e sobretudo a Taça de Portugal ainda são possíveis. No entanto e dado o estado comatoso da equipa, é tempo de começar a preparar a nova época. Por isso queria aqui abrir a discussão que já começou há algum tempo entre os Portistas. Não queria, no entanto, deixar de dizer que não concordo com uma revolução total na nossa estrutura. Isso são coisas de mouros e com os resultados há vista nos últimos anos e este será a primeira excepção. Assim vou dividir isto por dossiers que explorarei nos proximos artigos. Comecemos pelo Dossier Treinador.


É um dos assuntos mais consensuais entre os portistas. Jesualdo já não é solução. Agradecemos e até tenho pena que saia pela porta pequena, mas não dá mais. O seu estilo conservador e seguro que nos deu o Tetra e a presença constante entre as 16 melhores equipas da Europa (e também alguns dissabores em jogos com adversários directos), transformou-se num conformismo e numa transferência do seu marasmo e falta de objectivos para a equipa resultando numa época que só a Taça de Portugal poderá salvar. Será por muito tempo lembrado como o técnico do nosso segundo Tetra mas também será quase de certeza o que nos retirou do primeiro lugar no ranking de presenças na Champions, lugar que ocupamos juntamente com o Man. United.


A mudança é garantida, falta o perfil. É obvio que o cinzentismo de Jesualdo que tanto nos cansou nos últimos anos faz com que se pretenda um outro tipo de treinador. Mas vamos ver e chegamos sempre a um conjunto de características que só um Treinador no mundo tem e chama-se José Mourinho: juventude aliada a ambição, conhecimentos técnicos e tácticos, mestria na relação coma imprensa, mão firme no balneário e um currículo com provas dadas e com títulos (a Capello já lhe falta a juventude e falta saber o que vale Guardiola sem Messi...). Pois este perfil de treinador não está ao nosso alcance, portanto mais vale rever as alternativas possíveis.


Comecemos pelo suposto clone de Mourinho: André Vilas Boas. De facto é jovem e ambicioso e até parece ter conhecimentos que aprendeu com o Mestre. Faltar-lhe-á curriculo. Seis meses de treinador não chegarão para lhe dar direito de acesso a um clube como FCPorto até porque a Académica não está a fazer um campeonato ao nível do do ano passado e aqui já estou a descontar o mau arranque com um mau treinador. No entanto, todos nos lembramos daquela vez em que resolvemos apostar num treinador com um currículo limitado de seu nome Mourinho. Mas já no Leiria e mesmo no Benfica havia ali sinais que não existem em Vilas Boas. Por mim ainda é cedo.

Há de seguida Paulo Bento. Para muitos é um treinador com o perfil indicado para espicaçar a moribunda confiança que temos apresentado este ano. Isto porque há esta ideia de que grande parte dos nossos jogadores tem muita qualidade mas pouca garra e vontade de vencer. O espírito guerreiro de Paulo Bento poderia contagiar a equipa. Outra vantagem será a confiança e especial atenção que Paulo Bento deu às camadas jovens do Sporting. Ora esta é uma clara lacuna de Jesualdo e apontada por muitos portistas que preferem os Ukras Castros e Helder Barbosas aos Guarins Valeris e Marianos. Em contraponto vem a mais que provada inflexibilidade, e rigidez táctica que se transformou facilmente em teimosia. Rigidez que fez com que se perdessem jogadores como Varela para o nosso FCPorto. Outra coisa que não aprecio é o facto de ele se ter deixado contagiar por aquele espírito tão leonino que é o de lançar as culpas para arbitros e sistemas obscuros. Cá não gostamos disso e a prova é que num ano de tanta vergonha nas arbitragens e nos castigos da Liga, grande parte dos portistas está preocupado com os problemas internos. De facto estamos habituados a ganhar apesar de tudo isso... Esta é no entanto uma solução que eu não aprecio. Acho que o trabalho de Paulo Bento foi muito acentuado pelos confrontos quase sempre vitoriosos com Jesualdo aproveitando o seu pé frio nos clássicos e também pelas péssimas temporadas que o Benfica tem realizado. Dirão que ele não tinha ovos para fazer melhor omelete. Eu acho que o problema do Sporting não têm sido jogadores mas sim a falta de cultura de clube com que ele foi complacente enquanto lá esteve.

Depois temos Domingos. Das características que enumerei apenas lhe faltam os títulos e a prova de que os méritos tácticos deste SuperBraga não advém do anterior treinador. Quanto ao primeiro ponto, julgo que não pode haver milagres dadas as equipas que treinou. Nem o Braga tem ambição de lutar por títulos, muito menos o Leiria ou a Académica. Uma coisa é certa: nunca defraudou os objectivos traçados para as temporadas e nos útimos dois anos superou-os categóricamente. Quanto à questão táctica e ao fantasma de Jorge Jesus, julgo que é um falso problema. É óbvio que a questão se vai pôr sempre visto que o plantel não mudou muito. E se a táctica é a mesma, convenhamos que no Braga de Jorge Jesus nunca se exigiu à equipa que ganhasse todos os jogos em que participa. A Domingos já há dois meses que essa exigência existe e ele apenas falhou no Dragão. Não poderei esconder esta é a minha opção favorita. Até porque às características acima listadas Domingos soma uma muito importante para Nós Portistas: amor ao FCPorto.


Por falar em amor ao FCPorto surge uma última opção portuguesa: Jorge Costa. Mas será essa a única característica que entusiasma visto que lhe falta curriculo como treinador, resultados convincentes e prova de que mantém como treinador, o ascendente que tinha no balneário como jogador. E há rumores vindos de Braga que esse não será o seu forte para surpresa de todos. Para mim não é solução.


Por último deixo a solução que menos aprecio e, segundo me dizem, a que está a ser discutida: o treinador estrangeiro. É óbvio que não estou a ver nenhum treinador de topo, empregado ou não, a arriscar vir treinar um FCPorto que jogará a Liga Europa. E como tal assusta-me que se possam considerar treinadores de equipas menores como se fez no passado com o insano Adriaanse, com Fernandez e com Del Neri. É muito menos arriscado optar por uma solução interma. Além disso que soluções há disponíveis no mercado? Zico? Juande Ramos? Mark Hughes? Sven-Goran Eriksson? Roberto Donadoni? Alain Perrin? Jurgen Klinsmann? Walter Zenga? Michael Laudrup? Isto só para pôr aqui alguns dos desempregados e não me parece que daqui venha boa coisa e alguns nem devem atender o nosso telefonema. Ainda por cima todos são muito mais caros que qualquer das soluções anteriores.

E aí têm a minha opinião. Fica aberta a discussão.

Equipa para amanhã:

Beto; Miguel Lopes, Rolando, Bruno Alves e Fucile; Fernando, Meireles, Rúben, Belluschi e Alvaro Pereira e Falcao.

12 comentários:

JN disse...

exactamente aquilo que penso em relação aos possíveis futuros treinadores do porto.

pk é k ng fala do paulo sérgio e tão smp a falar do vilas-boas? só pk as camaras adoram um e odeiam o outro?

The Blue One disse...

Na minha modesta opinião o Treinador ideal para ser o Sucessor de Jesualdo é o André Vilas Boas.

Não por ter sido um dos discípulos de Mourinho, mas porque o seu trabalho na Briosa está ser bom. Reparem que quando este lá chegou encontrou uma Académica completamente desfeita e conseguiu recupera-la e coloca-la, pelo menos, no trilho da tranquilidade.

E tendo em consideração que o Jesualdo vai deixar uma equipa completamente destroçada, este seria o treinador ideal para a montar outra vez.

Domingos tem carisma e faz frente ás Comissões, mas não muda muito as equipas e o FC Porto precisa de mexer, e muito, no Meio Campo e na Defesa.

Paulo Bento é o maior dos disparates e um Treinador Estrangeiro é uma asneirada que servirá para que os Srs. do costume continuem a ganhar € com as Comissões, pois um Treinador Estrangeiro nada sabe sobre a nossa Liga e teria de se fiar no que lhe pusessem à disposição.

Cumprimentos e saudações Portistas!!!

El Che disse...

Apenas para fazer alguns apontamentos ao que foi dito neste post relativamente ao Domingos.

1- Chamem-me tolo mas ainda não consegui perdoar totalmente ao Domingos as invenções no inicio da época que nos custaram a Liga Europa. (que, acredito, até poderia ter levado a não estarmos a fazer uma epoca como a que estamos ao nivel do campeonato);

2- O Domingos não usa a mesma tática do Jesus. O Braga jogava o ano passado em 442 com 2 avançados moveis e agora joga em 433... A questão de haver rotinas vindas desse treinador já é outra questão;

3- Quanto à rigidez tática dele, acho que simplesmente não precisou de mexer, na maioria dos casos, e não tinha plantel para isso. O unico caso em que inventou, tirando o inicio da epoca, terá sido com o Belenenses e Porto...com os resultados conhecidos.

4- Gostava de ve-lo mais um ano em Braga, mas acredito sinceramente que irá para o FCP.

prata disse...

Paulo Sérgio não me convence o suficiente para o pôr na minha lista. Já pus o Jorge Costa por favor e por respeito ao seu passado...

De facto a posição do Paulo César muito recuado a fechar o flanco pode levar a ponderar se é um 4-3-3 ou um 4-4-2. Por mim aposto na segunda opção visto que gosto mais de ver isto na forma como se ataca e aquilo não é um ala... Mas concordo que o que se fala é que o dedo de Jesus estaria mais no espírito que na forma. De qualquer forma acho que há mais dedo de Domingos portanto...

riskolas disse...

Prata, não sou o único a falar no Paulo Sergio!!!

O meu treinador é o Paulo Sérgio! Porque o Queiroz não estará disponível!

O Domingos foi o meu ídolo mas ainda não me convenceu. O início de época do Braga foi péssimo.

Che, atenção que contra o Belém, o Domingos esteve muito bem e mesmo contra o Porto o resultado é enganador. O Porto marcou 3 golos em 2 oportunidades e o Braga entrou melhor no jogo mas depois dos 3 ficou impossível. Todavia, acho-o algo rígido tacticamente... Acho que devia ficar mais uns anos em Braga.

Paulo Bento, Jorge Costa ou um estrangeiro que não o Capello ou o Hiddink, não obrigado!

penta1975 disse...

caríssimos,

o 'post' dissecou muito bem o perfil do futuro treinador para o FCP. nada a acrescentar nesse ponto.

permitam-me duas sugestões - uma nacional e outra estrangeira.

NACIONAL: Manuel José.
falhou redondamente no SLB, mas não nos clubes que se seguiram, principalmente no Al-Ahly. e a aventura angolana só não deu mais frutos porque a matéria-prima era um pouco fraca.

ESTRANGEIRA: Guus Hiddink.
há muito que o considero um bom treinador e um profissional competente. e, como já aqui o referi, tem um custo equivalente a um Valeri - mais milhão, menos milhão ;)

no fundamental: venha quem vier, que seja competente ao ponto de devolver a Mística, a garra e o espírito de «jogar à Porto» que, infelizmente, já não se vislumbra neste plantel.

saudações PENTACAMPEÃS!

Pispis disse...

Não percebo tanta aversão ao Paulo Bento... e ainda referes q ele se queixa das arbitragens... se fôssemos nós a perder um jogo no Dragão c a mão ou uma Taça da Liga cm ele perdeu, o q nós n diríamos...

E este ano só estamos a olhar internamente pk está a ser uma coisa por demais, se tivéssemos na luta qt vezes n iríamos referir o castigo do Hulk, os golos anulados ao Falcao ou os penalties jogo-a-jogo a favor do Benfica?

Paulo Bento nunca teve uma estrutura no Sporting a apoiá-lo e insurgiu-se mt vezes contra os 'bufos', contra a imprensa, contra as arbitragens, sp sozinho e sp c um discurso coerente, mm nas flash-interviews q tantas vezes criticamos no Jesualdo. Com a organização do Porto, ele mete ordem no plantel nem q ele tenha de encostar os melhores cm fez c Vuk ou o pp Liedson...

De qq das formas, a minha preferência vai para Domingos e, claro está, Paulo Bento. Mas prefiro este, pk precisamos dum líder, um Co Adrianse c mais tino.

Toni Silva (Baresi) disse...

Por mim, Paulo Bento será o Senhor que se segue...

Agrada-me a sua autoridade e pulso no plantel, que esta época no nosso Clube nunca existiu e a exibição do Bruno Alves no Algarve é disso prova.

Em termos tácticos e técnicos parece-me bastante aceitável e em termos de c.vitae o seu trabalho nos lagartos foi bastante interessante face ao plantel limitado que dispõs.

Claro que também dou o benefício da dúvida ao Domingos face ao seu trabalho no Braga mas também na Académica.

No entanto, o PCosta tem sempre a mania de nos surpreender e se calhar será um estrangeiro qualquer sem créditos firmados. Pode até calhar na "rifa" um técnico argentino, que pode ser mais um aliado no processo intocável da COMISSÃO...

Aliás e para terminar penso que qualquer um dos nomes avançados serão melhores que esta dupla merdosa Jesualdo e ZéZé Gomes!!

Abraço

miguel87 disse...

Se vier o Paulo Bento então é que vai parecer a reedição das épocas 2000/01/02... senão reparem nas coincidências:
1) F.Santos = Jesualdo
2) Octavio = P.Bento
3) J.Mourinho = Villas Boas (??)

1) Talvez os dois piores que vi no Porto até hoje. Ambos destruiram as equipas.
2) Muito bons a impor ordem e respeito no balneario mas fracos treinadores.
3) Special two??

Mais a sério, esta é uma questão complicada, já que é um bocado como os melões: só depois de abertos é que se sabe se são bons.

Dos nomes falados estou dividido entre Domingos e Villas Boas, espero que P.Bento seja um falso rumor e acredito que poderá vir um estrangeiro.

Acho que o mais importante era que viesse alguem com a capacidade de bater o pé á direcção e tivesse autonomia de escolher o plantel, formula que sempre resultou no passado.

prata disse...

Não vou ao ponto de comparar o Paulo Bento ao doido do Octávio, mas também tenho a ideia que a disciplina dele rapidamente se transforma em autoritarismo.

Anónimo disse...

O CJ mantem os castigos.

A AFP e a AFB deram roda livre ao Madail para formar o CJ e aquilo é só sensibilidades Lisboetas ???!!!

Lamas disse...

Depois do jogo do Arsenal, eu teria colocado um treinador em marcha... e teria de me sujeitar aos disponíveis... e nesse caso apostava no Paulo Bento... alguém que aparecia de novo, disciplinaria o grupo e iria "escolher" com quem ia para a guerra na época seguinte, analisando as carências do plantel...

Isso não aconteceu... e a Taça da Liga também já foi... a equipa estava de rastos psicologicamente e era imperioso colocar um novo treinador e eu continuava com a minha ideia...

Hoje tudo mudou... com o "terramoto HULK"... eu fiquei radiante e ao mesmo tempo mais revoltado... e penso que a equipa também... surgiu uma motivação exterior que vai permitir ao plantel unir esforços para o que falta da época e ao Jesualdo sair por uma porta digna com a possível vitória na Taça de Portugal...

Assim, mudando no final da época (já não acho que faça sentido mudar agora pelos motivos que enunciei e também porque também gostava que Jesualdo saísse de forma digna, concluindo um ciclo com a vitória na Taça), o meu eleito é, claramente, Domingos... acho que o pouco que "mexeu" no Braga deve-se à sua inteligência... gosto da forma que se relaciona com a imprensa... e é inigualável o amor que ele tem pelo nosso FCP...

Só para finalizar e realçando as questões tácticas... concordo com o Che e acho que ele joga num 4-3-3 à Mourinho, sendo o Paulo César o Derlei do SCB... gostei da forma como ele mexeu no jogo em Belém num jogo em que sofreu um penalty aos 15 minutos e ficou com 10... essa vitória do SCB em Belém foi claramente dele com a retirada do Hugo Viana e a colocação do Matheus...