quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Interruptor


É talvez a grande crítica que tenho a apontar ao FCPorto deste ano: tem oscilações de intensidade dentro do próprio jogo. Liga, desliga, volta a ligar, desliga novamente e no final as coisas têm-se composto, com excepção de Barcelos e de Vila do Conde onde já ligámos tarde demais. Desta vez, Vitor Pereira argumenta que a paragem afectou a forma da equipa. Acredito, mas nem sempre pudemos apresentar essa desculpa. Se calhar o problema é outro, existe e deverá ser atacado antes que traga mais dissabores. É que resolvido este problema, teremos condições para estar confiantes neste FCPorto pós-Hulk. Esta constante rotação da organização e do centro do jogo entre Lucho, Moutinho e James, tem confundido facilmente os adversários que têm de lidar com vários focos de imprevisibilidade. Depois, a qualidade que temos nas extremidades do jogo equipa é maior. Por exemplo, temos um avançado capaz de gerar confiança nos colegas e nos adeptos, coisa que não tínhamos na época anterior. Temos ainda jogadores sólidos nas alas como Varela e Atsu (apesar de andarem a alternar nas boas exibições) e sobretudo nas laterais onde Alex Sandro e mais recentemente Danilo mostram muita qualidade e encaixam na perfeição no esquema de circulação de bola rápido que temos implementado. Ou seja, por mim o esquema parece estar bem montado, mas faltará a VP conseguir gerir a intensidade de outra forma. Sei que é impossível  ter estes índices lá em cima durante todo o jogo, mas convém saber controlar o jogo por forma a que os 'desliganços' sejam com bola e não em correrias atrás dela.

Ontem  não gostei propriamente do jogo. Não achei nada de especial. Vi os bons promenores habituais mas não vi uma produção ofensiva ao nível de jogos anteriores. O que vi foi uma eficácia tremenda. Não tem sido habitual, mas em 5 oportunidades tivemos 3 golos e isso resolveu muita coisa. Aqui entra o homem do jogo: Jackson. O primeiro golo é bastante bom pela forma como protege a bola da investida do defesa. É de matador. Além disso impressiona a facilidade de finalização seja em que circuntâncias for. Vimos isso ontem naquele remate de pé esquerto em rotação e até na bicicleta que mandou à barra quando já estava em fora de jogo. Entusiasmante! De resto, Lucho e James estiveram bem dividindo entre eles as assistências para golo. Danilo também me agradou apesar de continuar a distrair-se um pouco na marcação defensiva. Não gostei de Moutinho apesar de se saber que não sabe jogar mal. Também não gostei da entrada de Atsu. Otamendi e Fernando borraram a pintura no segundo golo do Dínamo  e Helton teve demasiada dificuldade com os cantos do Veloso. É qie foram todos iguais e todos perigosos. Varela jogou medianamente mas o golo é muito bom. Quanto a Mangala... Chega a ser hilariante a forma como qualquer adversário que se aproxima dele, aparece irremediavelmente e violentamente capotado e estatelado no chão... Continuo a não gostar daquela oscilação táctica da entrada de Defour para a ala direita de um 4-4-2 clássico. Até percebo a ideia de aproximar James de Jackson, mas não percebo porque não se aposta num ala de raiz. Ainda assim, gostei que tivesse saído Moutinho em vez da habitual substituição de Lucho.

Quanto aos 9 pontos, é bom sinal mas ainda não chegam. Reparem que com um adversário tão fraco como o Zagreb no grupo, se facilitarmos nas duas deslocações que temos,  sobretudo na da próxima semana, podemos facilmente acabar com uma igualdade a 12 pontos entre 3 equipas no final do grupo. Além disso, o primeiro lugar no grupo será sempre importante no sorteio dos oitavos. Está próximo mas convém não desligar...

Última nota para o horrível equipamento alternativo deste ano. O terceiro equipamento é muito mais bonito, mas já sabemos que o que é alternativo é o escuro e esse podia estar bem melhor...

10 comentários:

Lamas disse...

Muito melhor o resultado que a exibição... quando fizeram o empate a 2 bolas pensei, sinceramente que já não íamos lá... concordo plenamente contigo na parte de ligar/desligar-se do jogo frequentemente... Jackson, logicamente, começa-me agradar mais...

Uma última nota para Fernando, não para a exibição em si, mas para os pormenores técnicos revelados... depois de nos ter mostrado que é dos melhores a fazer "cuecas" anda com uns novos movimentos com os pés engraçados, tipo os do "Moutinho"... aquele trinco posicional que essencialmente varria já passou à história... continua a errar passes na saída de bola, mas está muito mais completo...

riskolas disse...

Prata, concordo com tudo.

A equipa superou bem a saída do Hulk mas há um claro défice de atitude. Só jogamos quando temos de ir atrás do resultado.

Não percebemos porque não procuramos o 2º e o 3º depois de marcarmos o 1º... é a oportunidade ideal para matar os jogos e descansar para as batalhas seguintes!

prata disse...

Faltou dizer que 30.000 no Dragão me parece pouco para um jogo de Champions League. Eu vou a todos, mas se tivesse de escolher, para mim há jogos que não perco de maneira nenhuma: os jogos com os outros dois grandes, os jogos com o Sporting e os jogos da Champions...

Barba azul disse...

Que mau, prata!...: ))

riskolas disse...

Muito bom Prata.
Gostava era te te ouvir dizer isso há um mesito :P

prata disse...

Há um anito dizia...

Lamas disse...

Prata, isso merecia refazeres o post só para incluíres essa última nota... :)

riskolas disse...

http://www.elespectador.com/deportes/futbolinternacional/articulo-380059-jackson-martinez-de-hazmerreir-genio

Anónimo disse...

Começam a ser muitas as vezes com jogos com adormecimento, umas vezes é a falta de atitude dos jogadores , outras a paragem prolongada, falta perguntar uma coisa : em todas essas vezes onde é que está a Responsabilidade do Sr. Vitor Pereira ?

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

« convém saber controlar o jogo por forma a que os 'desliganços' sejam com bola e não em correrias atrás dela »

nem mais!
já o Mourinho o preconizava: é fundamental saber "repousar" mas sempre com o controlo da bola e do jogo assegurados (e por muito que o público não goste). afinal, tratou-se de uma partida para a Champions, com um milhão de euros em disputa e que muita falta nos faz.

somos Porto!, car@go!
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)
Miguel | Tomo II