quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Pé no Jamor


Mais que um teste à evolução FCPorto de Peseiro e à tão falada adaptação ao novo sistema de jogo, o jogo de ontem foi também um primeiro teste às opções do mercado de inverno. Poderão ter notado que houve uma mudança de paradigma. O nosso foco de mercado foi claramente o de baixar a folha salarial. Saem Tello, Osvaldo, Cissokho e Imbula e entram Suk, Marega, José Sá e Rafa falhou perto do fim. Trocámos transferências falhadas provenientes de campeonatos estrangeiros, por jogadores que se destacaram no mercado nacional. 

Para já, nota-se diferença. Para melhor. Poderia temer-se que iríamos perder em qualidade individual. De facto, a bola não sente tanto carinho no pé de Suk ou Marega como sentia no pé de Tello, Osvaldo e Imbula. Mas, ao contrário do que acontecia com os 'craques', Suk e Marega dão tudo o que têm. Pelo menos ontem deram. Só isso não chega, mas é um bom começo e um claro antagonismo com os flops. Isto para nem falar de casos como André André ou Sérgio Oliveira que tiveram de batalhar muito mais para chegarem a este plantel e isso nota-se em campo. Mais dois jogadores que se destacaram no campeonato nacional e, ainda por cima, portistas. Este rendimento dos 'underdogs' deverá ser tido em consideração na próxima vez que os Doyen's e os Mendes deste mundo nos quiserem impor o seu menu. Os negócios de 40 milhões não poderão durar para sempre e já notámos que as margens são cada vez piores. Abram os olhinhos!

Quanto ao jogo, direi que perdoámos muito. A equipa pareceu ter facilidade em criar problemas ao Gil Vicente, mas foi falhando vários golos e isso acabou por empolgar o adversário e fez com que chegasse duas ou três vezes com perigo à nossa baliza. Duas delas foram 'ao ferro'. Parece mesmo que este FCPorto de Peseiro não vai primar pela segurança defensiva. O 3-1 e o 4-2 passarão a ser mais frequentes que o mero 1-0. Mas desde que signifiquem 3 pontos e não seja em casa com o Dortmund... 

Rúben Neves e sobretudo Danilo controlaram o jogo todo. Varela foi o que melhor fez a ligação ao ataque. Brahimi esteve mais trapalhão. Marega  teve uma estreia que começou por ser desastrada mas que acabou por ser boa. Teria sido melhor se, tal como aconteceu com Suk, o outro trapalhão, tivesse encontrado o caminho do golo. Destaque também para o excelente golo de Sérgio Oliveira. Pela negativa, Maicon continua a provar que está bem no banco.

Falta um jogo mas falta pouco.

2 comentários:

miguel87 disse...

Concordo inteiramente com o segundo paragrafo. A politica de contratações tem vindo cada vez menos a preocupar-se com a vertente desportiva. Este mercado de inverno deu bons sinais, mas não acredito que seja para manter.

Com o terceiro paragrafo também, embora volte a afirmar que não gosto de ver a equipa a jogar assim e mais uma vez sujeita à "lógica" do futebol... repara como com o Peseiro, em 3 jogos já levamos 3 bolas no ferro, além de metermos uma no ferro que deu golo. Ainda achas que o pé do Peseiro é mais frio que o do Lopetegui?
Mais uma vez vimos o adversário a progredir no terreno e a trocar a bola à vontade. Vamos estar sempre dependentes da eficácia do ataque. Que continue a correr bem.

prata disse...

É isso. Parece arriscado. Há sempre aqueles jogos em que a bola não entra de maneira nenhuma. Nesses, estaremos mais perto de perder do que do empate a zero... Esperemos que sejam só sintomas da adaptação mas, para já, parecem-me problemas do sistema.