segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Aflição


Digam o que disserem de Peseiro, não nos podemos queixar de falta de emoção! Parece que não há meio termo. A distância entre a linha defensiva e o resto da equipa ou é de centímetros ou é de quilómetros. Depois dos centímetros de Dortmund tivemos ontem diversas clareiras nas costas do nosso meio-campo que fizeram com que a defesa e mais concretamente o miúdo Chidozie, sucumbissem perante o à vontade dos avançados contrários. Ultimamente, desde que Lopetegui deixou de ser o culpado de todos os males do universo, temos procurado incessantemente por culpados. Seja o árbitro e o Maicon no Arouca, seja o Brahimi que não passa a bola, o Aboubakar que falha muitos golos ou a SAD que permitiu que se chegasse a esta fase da época sem centrais e com a necessidade de pôr Layun nessa posição. Ontem é fácil apontar o dedo a Chidozie. De facto, sobretudo no primeiro golo, tem uma abordagem ridícula e quase que apontou o avançado contrário no caminho da baliza. Mas convém que nos comecemos a concentrar na nossa incapacidade de apresentar um futebol equilibrado. Já levámos oito jogos de Peseiro sem que se veja qualquer evolução no processo de transição defensiva. Ele dirá que neste período não teve tempo para treinar. Eu direi que foi ele que resolveu mudar tudo de uma vez só...

Valeu a reacção da equipa. É complicado estar a perder por dois quando, no jogo anterior com o Arouca, nem conseguimos recuperar uma desvantagem de um golo. Valeu aquele golo na primeira parte num penalti simpático (eu continuo a achar que há penalti antes sobre Brahimi mas ainda não arranjei um portista que concorde comigo...) e valeu Casillas no início da segunda. Outro factor importante foi a entrada de Suk no onze. Há jogadores que têm um coração e uma entrega que fazem com que pareçam melhores jogadores do que os pés parecem indicar. Suk é um deles, como era Derlei e como é André André. São jogadores que empolgam a equipa e que mantém os adversários sempre em alerta. Poderão ter reparado que estivemos a perder por 0-2 e Aboubakar nem entrou em campo. De facto não era preciso e não se surpreendam se o virem no banco na quinta-feira. Na transição defensiva, nos dois golos poderão reparar na intensidade com que Danilo no primeiro e Herrera no segundo, abordam a necessidade de recuar em auxílio à defesa. Assim não há milagres e mesmo que em vez de Chidozie lá estivesse Indi ou Marcano ou Mangala ou Otamendi, arriscamo-nos a sofrer na mesma.

Individualmente dou o MVP a Casillas. Tal como no jogo com o Arouca, achei que a equipa entrou muito mal na segunda parte e foi Casillas que nos manteve no jogo com duas excelentes defesas. Parece que ganhou nova vida com as aflições deste esquema de Peseiro. Outro candidato a MVP era Suk. Aboubakar que se cuide. Layun Maxi e Brahimi oscilaram um pouco durante o jogo mas têm nota positiva. Pela negativa, obviamente Chidozie. Está ligado aos dois golos sofridos. Espero que isso não signifique que seja proscrito. É um jogador com um potencial invulgar e que deve ser trabalhado na equipa principal. Voltei a não gostar de Corona e a entrada de Marega não foi melhor. Evandro parece ter ajudado Peseiro a encontrar o meio-campo a apresentar na quinta-feira e que deverá ser o que entrou na segunda parte.

Já sabemos que não é impossível na quinta. Andará lá perto. Eu lá estarei para mais uma 'remontada'.

10 comentários:

João disse...

Um bocado forçado. O Peseiro TEVE QUE mudar tudo, ou tentar, porque o processo defensivo do Lopetegui era inexistente. Não quer dizer que agora seja brilhante, nem é propriamente por ser óptimo nesse aspecto que é reconhecido. Mas começou de base zero. Depois também não será de somenos importância o facto de ter o sector feito em farrapos, de lesões a exclusões, passando por Maicões. É preciso mais tempo para lhe tirar a ficha.

prata disse...

Aceito que me digam que a equipa se expunha muito menos. Agora, dizer que o processo defensivo de Lopetegui era inexistente? Eu que tanto critiquei o homem não lhe consigo apontar essa.

miguel87 disse...

" o processo defensivo do Lopetegui era inexistente."
AHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHAHA

Anónimo disse...

O processo defensivo do Lopetegui era tão inexistente que tivemos mais de um ano sem sofrer golos no Dragão. Prata, eu concordo contigo no penalty sobre o braihmi. Claramente o gajo bate lhe na perna para que ele bata uma perna na outra e caia. O engraçado é andarem por ai a comparar o penalty inventado para as papoilas com o penalty do Maxi. Na repetiçã até aceito que não seja penalty. No estádio parece claramente penalty. Quinta vamos pra cima deles!!
Artur

prata disse...

Obrigado Artur.

Miguel, tanto AHAha que pensei que era o mouro atrasado mental do costume...

miguel87 disse...

Pois, por acaso também me lembrei dessa figura logo depois de ter enviado o comentário...

Agora que já quase parei de rir com a piada do Lopetegui, posso dizer que estou de acordo com o teu texto, excepto na apreciação ao Chidozie.
É como escreves no fim do segundo paragrafo, com este modelo de jogo, não há central que resista, nem Pepes nem Carvalhos, a jogar constantemente em igualdade numérica com os ataques adversários, é uma questão de percentagem de quantos golos vai sofrer em quantos ataques...
Ontem por ex. o Moreirense só precisou de 2 ataques para marcar o primeiro golo, e no anterior a bola não passou longe!

PS. De expulsões perdoadas na liga europa a penalties forçados concedidos no campeonato, já viste como tem mudado a nossa sorte até nisso??

prata disse...

Não nos podemos queixar da sorte. Mas tb é certo q a sorte dos 'outros' não abrandou...

Anónimo disse...

Mais um jogo se passou em que dois dos tres jogadores da frente tivessem feito nada de positivo. Porto tem extremos que nao estao minimamente interessados em fazer assistencias.
Brahimi assume muito protagonismo no ataque do porto e o minimo que e pode dizer e que arruina todo o processo afonsivo.
Impossivel pros seus companheiros prever qdo se desmarcar, se devem fazer desmarcaoes em apoio ou em rutura, ir ao primeiro ou ao segundo poste, etc. Ate no lance em que anedoticamente ha portistas que dizem que ele sofreu penalti, veja se que ele ganhou a frente e assistir foi a ultima coisa que lhe passou pela cabeca. Noutro lance semelhante pela esquerda tentou o golo por entre as pernas do GR. Nao faz uma assistencia!! Nunca!
Va la que o Suk teve cantos e livres laterais para rematar senao mais um que seria apelidado de mau finalizador.
Lembro que o Abubakar tem media de 0.5 golos por jogo. Com estes extremos e de louvar.
Vejam qualquer equipa que ganha titulos e reparem quem sao os jogadores com mais passes de morte e/ou criacao de lances de golo. Sao invariavelmente os extremos/medio ofensivo. Como o Porto joga sem n10 caberia aos extremos. Qua falta fazia um Drulovic, Capucho, S. Conceicao ou ate Quaresma.
Concordo na apreciacao do Suk. Merece jogar, mas vejo-o como extremo esquerdo a movimentar para o meio e apoiar o Abubakar, tal como fez com tanto sucesso o lisandro lopez noutros tempos

João disse...

Quando é que foi esse ano e onde é que ele encaixa as 3 batatinhas do Sporting, as duas solhas do Lima, o golo do Bayern, as prendinhas de Natal do Dynamo e Marítimo, e isto só assim de cabeça?

Anónimo disse...

O Lopetegui não só não tinha processo defensivo, como não tinha processo nenhum. Era parado, para o lado e para trás.