quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Fora de jogo


Os tipos da SIC tiveram dificuldade em notar, mas é claro que acabámos por perder o jogo num lance em fora de jogo. Mas será que chegámos a estar dentro do jogo? Julgo que não. Vou ser claro: para mim acabou o período de 'namoro' com Peseiro. Dou sempre o benefício da dúvida mas, neste caso, vai ser mais curto. Isto apesar de o resultado penalizar demasiado a nossa exibição, seja por decisões do árbitro seja por falta de concretização em dois ou três lances.

Para mim as opções do treinador nesta eliminatória foram más e não se adequam ao que se exige ao FCPorto numa competição europeia. Todas as opções de Peseiro resultam de um principio de que não poderíamos passar a eliminatória sem mudar o nosso jogo e a nossa maneira de jogar. Por isso, apresentámos a atitude submissa em Dortmund e por isso é que entrámos ontem em campo com duplo pivot, sem Brahimi, sem André e sem Herrera. Outro exemplo gritante do temor que tínhamos ao Dortmund é a opção por Layun a central. É certo que tivemos uma razia na defesa que não é responsabilidade do treinador. A questão é que, para responder a limitações do plantel, limitámos o jogo ofensivo da equipa privando-a do jogador com mais cruzamentos e com mais assistências para golo. Tendo de ganhar por 2-0, para mim é inexplicável. Depois, tirando Brahimi, depois de tirar Corona da equipa, assume-se que não queremos ter bola, nem capacidade de improviso nas alas. Ficámos apenas com jogadores que procuram movimentos quase em linha recta à baliza ou à linha, sem rasgo e com o único objectivo de  cruzar ou ganhar cantos. Assim, Evandro passou a ser o único com qualidade para receber em zonas avançadas de terreno e foram inúmeros os casos em que perdemos a bola nessas condições, o que fez com que se passasse a procurar preferencialmente o jogo longo. Parece-me uma concepção de jogo pobre.Acabámos por criar perigo porque a equipa entrou com vontade e conseguiu ganhar algumas bolas em tentativas de pressão alta. Mas tendo ganho a bola mais facilmente, perdemos em qualidade na definição. Ainda assim, as jogadas de perigo resumiram-se a isso e a algumas bolas paradas. E convém dizer que o golo também surge de uma tentativa falhada de pressão. Danilo, que foi o MVP, sai da posição, não intercepta a bola e deixa nas costas uma situação de 4 para 3. A defesa terá de se habituar porque parece que vai acontecer constantemente...

Além das opções de equipa pequena de Peseiro, o que se retem desta eliminatória é uma contradição que temos no plantel. Por um lado temos o Suk, o Marega e o Varela que têm vontade mas que não têm qualidade para este nível de competição. Suk que tão bem jogou no Domingo, ontem voltou a tropeçar numa toupeira quando tinha tudo para finalizar. Marega tem pormenores técnicos assustadores e Varela continua incapaz de dominar uma bola sem que ela 'pinche dois metros'. Por outro lado, os que parecem ter melhores condições técnicas, como Corona, Brahimi e Aboubakar, perdem-se em disparates ou em individualismo. O toque de calcanhar de hoje do Aboubakar é ridículo. Assim torna-se difícil para Peseiro optar. O ideal é dosear. Jose Angel é um jogador que não deveria estar no plantel, muito menos a jogar nestes jogos. Ainda bem que Casillas continua em boa forma.

Foco no campeonato. É o que resta...

3 comentários:

miguel87 disse...

Mas ainda esperavas alguma coisa do Peseiro? (tipo, como esperavas alguma coisa da entrevista do PdC aqui há umas semanas...?)
A partir do momento que a direcção despede um treinador antes sequer do fim da primeira volta, para mim a época está perdida. Com a agravante de terem demorado 2 semanas para arranjar alguém que aceitasse vir para cá.

A opção por Varela e Marega explica-se simplesmente por eles defenderem junto dos laterais, ao contrário de Brahimi e Corona, e mostra que, tal como na primeira mão, o objectivo primordial foi perder por poucos. Objectivo conseguido!

O André não aguenta 2 jogos por semana (mal aguenta 1), o Herrera foi poupado para Belém e se o Danilo fosse para central os estragos poderiam ter sido maiores...

O calcanhar ridiculo do Abou é consequência do ridiculo cruzamento do Marega (o gajo que faz lembrar Hulk, segundo o site oficial, LOL) que é feito para trás.

Eu se fosse o treinador, punha o Marega a central o José Sá a 10 e o Suk a lateral, para esfregar na cara da direcção a merda que andam a fazer.

PS. Não culpo o Peseiro, porque acho que ele não pode nem sabe fazer mais, mas nem quero pensar no tipo de barbaridades e impropérios que diriam os adeptos se fosse Lopetegui o treinador nestas 2 exibições miseráveis com o Dortmund...

prata disse...

A própria ousadia das substituições é um espelho da ambição de Peseiro nesta eliminatória

Anónimo disse...

Concordo com quase tudo, mas falar do calcanhar ridiculo do Abubakar?? LOL. O Miguel87 fez a leitura correta.
Jogador com tanta qualidade, que tal como todos os outros foi sub-aproveitado pelo espanhol.
Mesmo com este treinador mais "ofensivo", mais rapido nas transicoes, mas com tudo tao atabalhoado e com mas execucoes tecnicas fica dificil.
Pensem em qualquer um dos grandes avancados que o Porto teve. Sera que fariam eles melhor com estes companheiros de ataque? Querem 1 avancado que resolva tudo sozinho? So conheco dois jogadores capazes disso atualmente. Mas revejam o golo do Abubakas frente ao Benfas.
TOP, qualidade maxima!