quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Mais uns meses à espera


Lá se foi a Taça da Liga. Mais uma vez... Nem quando levamos a competição a sério e até quando fazemos por merecer melhor, isto corre bem. Não resta outra alternativa senão a de voltar no próximo ano com o mesmo empenho. É uma questão de tempo, visto que isto é uma competição feita à medida dos 3 Grandes. Mas a consequência imediata é a certeza de que vamos ter de esperar mais uns tempos até podermos festejar um título.

O jogo foi fraco e muito faltoso. Ainda assim, a segunda parte foi melhor porque trouxe mais oportunidades. Sobretudo para o FCPorto, mas há também uma oportunidade clara para o Sporting, numa bola parada. Podemos reclamar portanto alguma vantagem em termos de oportunidades de golo, mas o que ficou bem marcado, foi a intensidade que empenhámos nos segundos 45 minutos bem pontuada pelas recuperações de bola rápidas, pela quantidade de ataques, que foi muito superior à do adversário, e pelo facto de, a partir de certa altura, sermos a única equipa que demonstrava não estar conformada com a perspectiva de decisão através de penaltis. Nem todos o vão admitir, mas todos concordam que, a haver um vencedor nos 90 minutos, seria o FCPorto.

E isto leva-nos para um exercício complicado que é o de tentar antecipar o impacto deste desaire e de ter caído o nosso primeiro objectivo da temporada. Elogiar demasiado o facto de termos sido superiores ao longo do jogo e ao longo dos três clássicos de disputamos nesta temporada, soa um pouco a apologia da vitória moral. Mas não é importante constatar que estaremos sempre mais próximos da vitória se jogarmos melhor que os adversários? Não importante perceber que Jesus tem de fazer um discurso muito rebuscado para tentar implicar subtilmente que a sua passagem à final é merecida? Eles sabem o quanto desejaram sobreviver até aos penaltis naqueles minutos finais do encontro. E isso terá muita influência nos próximos 3 jogos de despique directo. E temos de ser claros: custou perder mas, se havia um jogo dos 4 que poderia correr mal era este. É a objetividade do nosso ranking de prioridades em termos de títulos. Em suma, julgo que esta desilusão faz sentido, mas não vejo que vá dar sequelas nem tampouco um boost emocional ao adversário. E veremos se conseguem ganhar o título porque, caso contrário, mais valia terem perdido hoje. O mesmo se aplicaria ao FCPorto se tivesse passado à final.

Passando do domínio do psicológico ao futebol jogado, individualmente, gostei da exibição de Ricardo Pereira. Só aquela arrancada na segunda parte chegava para lhe dar o MVP, mas esteve muito bem quer a defender, quer a atacar. Aquela faixa esquerda do Sporting é muito agressiva, mas foi facilmente anulada. De resto, defensivamente, voltamos a ter exibições muito boas. O único erro foi mesmo o de Sérgio Oliveira ter permitido que se marcasse aquele canto curto.  Ofensivamente, houve mais luta que inspiração. Brahimi destaca-se sempre e Marega, à sua maneira, criou muitos problemas ao adversário. Gostei mais de Soares do que de Aboubakar, que esteve algo desastrado. Gostei também mais de Sérgio Oliveira do que de Oliver e Herrera mas, há ali pequenos erros que fazem baixar a sua nota.

Não consigo pontuar Danilo porque, graças aos 'excelentes' acessos e localização do Estádio e à excelente organização do evento, não o vi jogar. Ainda bem que já há notícias sobre a repetição do evento em Braga nos próximos anos...

Uma última referência para o VAR. É interessante perceber como as opiniões variam quando o FCPorto está envolvido. Desta vez, já temos uma lance duvidoso que é bem anulado. Normalmente, a dúvida é um aliado para o ataque, mas... Já sabemos que isto vai variando. Uma coisa é certa: a culpa é sempre do protocolo. Acrescentaria outra: a razão, há muito que passou a estar com o Manuel Serrão...

4 comentários:

Anónimo disse...

O SC pós o FCPORTO a jogar de forma fantástica.
Mas não dando descanso a Brahimi, Danilo, Aboubakar estourou-os. Os próximos a dar o "berro" serão Ricardo, Marega e Alex T, pois Maxi, Layun, Hernâni e Corona pouco são utilizados pelo técnico.
Neste plantel cabiam perfeitamente Ivo Rodrigues, Gonçalo Paciência, Boly, Quintero, Mikel Agu. Estes jogadores podiam dar sossego aos titulares.
Mas dizer mal da gestão de SC é tabu.
É vamos estar muitos meses à espera.

Anónimo disse...

Criticava-se o NES por mandar titulares para a bancada e vice-versa.
Sérgio Conceição faz ainda pior e é um Ai Jesus que não se pode criticar o menino senão ele enerva-se.

Pispis disse...

E é interessante analisar a mentalidade da nossa equipa: eles meteram o 11 habitual (sem trocar sequer o gr), nós ainda perdemos um esteio como Danilo no início do jogo e mesmo assim fomos os únicos a querer vencer nos 90 minutos.

A vitória nos penaltis era mais do q justa e daí a muita azia...

Barbosa Artur disse...

A nossa bandeira segue ao alto: Azul, Branca, Indomável, Imortal!!!!

Vais é rumo à Liga Orangina

Artur