sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Operação resgate

Um dos maiores elogios que se faz a Sérgio Conceição é o aproveitamento dos jogadores que estiveram emprestados na época anterior. Os melhores exemplos são Aboubakar, Marega e Ricardo Pereira, mas há outros como Reyes, por exemplo. Há também casos em que não se aproveitaram os jogadores, tendo-se feito boas vendas como foi o caso de Martins Indi. Nesse sentido, torna-se relevante uma peça desta semana do jornal O Jogo sobre o rendimento dos nossos emprestados. Há casos em que a possibilidade de regresso ou de venda são boas, como os casos de Gonçalo Paciência, Boly, Chidozie ou Mikel. Outros, nem por isso, mas há ali dois casos que me deixam apreensivo: Rafa e Rui Pedro.

São dois dos melhores produtos das nossas camadas jovens nos últimos anos e são dois jogadores que fizeram toda a pré-época com Sérgio Conceição, tendo sido emprestados no final do mercado e de forma algo atabalhoada. Talvez por isso, os clubes de destino não foram os melhores.

Rafa Soares foi emprestado a um clube da segunda liga inglesa que, só por acaso, está desde o ano passado, empenhado em promover o melhor talento das suas camadas jovens. Sessegnon tem 17 anos e já é campeão Europeu de sub19 pela Inglaterra. Adivinham a posição em que joga? Lateral Esquerdo... Imaginem se nos tivessem emprestado um guarda-redes no momento em que se lançou o Vítor Baía. Por muito talentoso que fosse, não iria ter hipótese de jogar muito. Rafa foi um dos melhores da Liga Portuguesa na sua posição, nas últimas duas épocas e não devem faltar interessados no seu concurso.

Rui Pedro é um caso diferente. Torna-se difícil esperar muito de empréstimos de jogadores ofensivos a equipas que vão passar a época na zona dos aflitos, como o Boavista. É uma questão de conceito de jogo. A título de exemplo, só à terceira experiência é que começou a correr melhor a Gonçalo Paciência. A forma de jogar destas equipas  poderia dar a Rui Pedro novas armas em termos de jogo defensivo e agressividade, mas nunca o poderão preparar para o estilo de jogo que se exige no Dragão. O que é que um avançado com a habilidade de Rui Pedro ganha em jogar numa equipa em que toca na bola duas vezes por jogo? Para completar, o Boavista mudou inesperadamente de treinador e contratou um dos treinadores de futebol mais antiquado e, na minha opinião, dos piores treinadores da primeira Liga. Não merece ter um talento destes nas mãos. Ainda o estraga.

Em suma, se queremos que estes jogadores voltem a ser opção, no mínimo para a próxima pré-época, teremos de os resgatar imediatamente!

Sem comentários: