sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Máquina de golos



Foram 14 golos em apenas 3 jogos e são já 64 golos em 24 jogos, numa média de 2,67 golos por jogo. São efectivamente números impressionantes! É mais impressionante se tivermos em consideração que não somos propriamente uma equipa eficaz. Continuamos a precisar de várias oportunidades para fazermos um golo. Ainda hoje, na primeira parte, poderíamos ter marcado mais 3 golos em oportunidades claras, com duas bolas ao poste e um remate de primeira de Aboubakar, num lance em que tinha espaço para tudo. Com posse ou sem posse, com mais ou menos 'nota artística' este FCPorto produz muito futebol ofensivo e muitas oportunidades de golo!

Ainda assim a exibição, apesar das muitas oportunidades que criámos, foi inferior às duas anteriores. Deu até a ideia que tínhamos alguns jogadores cansados. A título de exemplo, o Alex não estava com tanta vontade de dar opção na ala como é seu costume. Até para marcar cantos ia com menos pressa. O adversário também não esteve mal e criou alguns problemas na primeira parte. O lance do penalti é óbvio, apesar de ser uma 'nabice' tremenda do defesa. Não consigo compreender a 'lata' com que alguns tentam transformar isto e o lance da mão do Luisão em lances de análise duvidosa. Dá a ideia que vale tudo, até inventar regras e mudar interpretações que eram consensuais. Se havia lances de mão na bola em que a interpretação era fácil, era quando resultavam destas 'nabices' de tentar dominar a bola e não conseguir. É o polvo...

MVP para Danilo que parece estar numa forma física impressionante. Esteve em grande parte dos nossos lances mais perigosos, o que é de destacar num médio defensivo. Aboubakar vem ajudando cada vez mais na construção, sendo uma evolução de destacar nos últimos jogos e que melhora consideravelmente o nosso jogo. Corona não esteve mal mas também não fez esquecer Brahimi em termos de lances individuais, procurando jogar mais com o Alex. O jornal O Jogo deu destaque a esta adaptação de Corona à esquerda, mas é uma situação a rever, numa altura em que ele esteja com mais confiança. Ainda assim, é de destacar que não se notou muito a ausência do argelino, algo que me surpreendeu. Quanto à dupla de centrais, manteve-se equilibrada apesar da ausência de Felipe. Também manteve a baliza a zeros... Tal como aconteceu com o Mónaco, Soares voltou a entrar bem no Dragão. Mas André André fez ainda melhor com dois golos em 30 minutos. Não defendo que seja jogador para ser titular, mas tenho notado que a entrada dele, nestes jogos, ajuda a equilibrar mais a equipa. Por falar em médios que saltaram do banco, voltámos a ter um 'cheirinho' de Oliver. Mas, com pena minha, para termos mais, teremos de esperar pela Taça da Liga...

O próximo jogo é muito importante, perante uma equipa muito boa a defender. Se vencermos, chegamos ao 'derby da tv a preto e branco' com possibilidade de ganhar pontos a um dos nossos adversários e fechar a primeira volta isolados.

Sem comentários: