segunda-feira, 5 de junho de 2017

Época 2016/17 - Os melhores


Numa semana em que começaremos um novo ciclo (mais um...), damos uma 'ajudinha' a Sérgio Conceição e fazemos uma avaliação geral do plantel e do seu desempenho na temporada que agora acabou. Teremos uma por dia. Comecemos pelos destaques pela positiva. Eis os melhores da época por ordem crescente em termos de classificação:
5º - André Silva
4º - Danilo
3º - Casillas
2º - Brahimi
1º - Marcano

Comecemos por André Silva. Pode parecer estranha esta presença no top 5 por ter acabado a época no banco e por ter perdido influência no ataque para Soares. Tudo isto é verdade, mas não convem esquecer o que André Silva fez no início da temporada. Já foi há alguns meses, mas eu lembro-me bem da minha apreensão por ter uma equipa que estava totalmente dependente da inspiração de um puto de 20 anos e como isso era uma prova inequívoca das lacunas do plantel. Marcou 21 golos, 5 dos quais na Champions (mais 6 na seleção) e teve 7 assistências. A produção ofensiva pode ter baixado à medida que a época foi avançando, mas o seu contagiante espírito lutador manteve-se até ao final. Grande época de um grande talento.

Já todos sabem que Danilo não é de todo a minha escolha para a posição 6 no FCPorto. Ruben é melhor em todos os aspectos que lhe são possíveis ser melhor. Não lhe podem pedir que tenha o desempenho físico de um tipo de 1,90 m e 90 kg. Não obstante, Danilo fez a sua melhor época pelo FCPorto. Já sei que o futebol muito conservador de Nuno Espírito Santo o favorecia. Mas Danilo demonstrava muitos problemas de posicionamento, em que evoluiu claramente com Nuno. Tinha também problemas ao nível da aceleração do jogo, mas até nisso evoluiu. Junto com os centrais, foi o jogador que mais beneficiou com Nuno.

Esta deverá ter sido a última época de Casillas no FCPorto. Se tivesse saído no final da época anterior, não deixaria saudades. Agora deixa. Foi de uma regularidade e segurança impressionantes. Numa equipa em que até os jogadores de 27 anos parecem inexperientes e em que o capitão é o Herrera, Casillas e Marcano foram fundamentais na manutenção da equipa na luta até ao final.

Este é o segundo mago argelino que por cá passa e não deverá deixar tantas saudades como Madjer. A falta de títulos também não iria ajudar, mas Brahimi é claramente o jogador que todos procuram quando é preciso fazer alguma coisa impossível. Num esquema de jogo absolutamente castrador do talento individual ofensivo, Brahimi foi um oásis no nosso futebol. E fê-lo mesmo depois de ter sido usado pelo treinador como exemplo, para que pudesse afirmar a sua autoridade perante o grupo. É interessante constatar que estes treinadores fraquinhos nunca escolhem jogadores fracos para exercer a sua autoridade. 

Marcano é a nossa escolha para MVP da temporada do FCPorto. Já o fomos antecipando ao longo da temporada porque era claro que era o elemento que mais se destacava em termos de consistência de rendimento. Felipe pode ser mais vistoso e faz questão de o ser, mas o verdadeiro craque da nossa defesa é mesmo Marcano. Quem diria depois de uma época anterior em que falhou sempre nos momentos decisivos. Teve o equilíbrio perfeito entre impetuosidade e serenidade de acordo com o que a equipa ia precisando. Merecia o título!

Menção honrosa para Oliver. Há sempre Oliver ou Brahimi nos nossos melhores momentos. Por que será?

1 comentário:

João Silva disse...

Boa noite,

Fica a sugestão de fazer (também) uma avaliação dos jogadores mais desaproveitados do plantel, por NES.