domingo, 26 de outubro de 2014

Passeio


Não era fácil de prever, mas o jogo foi fácil. Nem defendemos propriamente bem, mas o pânico constante que fomos espalhando na defesa do Arouca chegou para nos poupar dos habituais calafrios e trapalhadas defensivas. Tanto talento naquela frente de ataque deixa-nos a sensação que estes jogos serão para repetir. Mas não poderemos analisar o jogo e o bom desempenho da equipa sem falar da  rotatividade. Rodou um jogador e a equipa reagiu à altura. Esperemos que o Lopes tome nota do facto. 

Vamos ao jogo. Entrámos bem e chegamos ao golo tarde para o jogo que estávamos a fazer. Isto por entre duas ou três trapalhadas de Marcano. A bola estava a entrar facilmente em Quintero e isso bastou para que as jogadas de perigo se sucedessem. Mas isso constitui uma alteração no nosso jogo habitual. Parecia que estávamos a insistir muito no jogo pelas alas e, com isso, tornámo-nos algo previsíveis. A entrada de Quintero para o meio veio mudar isso. Na cabeça da área é capaz de rematar, de driblar e de assistir em curtos espaços de terreno. Se o deixam receber ali a bola... O jogo pareceu fácil porque temos a sensação que não foi precisa uma exibição grandiosa para conseguir uma goleada fora de casa. 

Individualmente, estivemos bem do meio campo para a frente. Destacaria Jackson pelos golos e pelo trabalho, mas Quintero também esteve muito bem. Tello e Brahimi tiveram boas jogadas mas não foram tão constantes na exibição. Destaque adicional para Fabiano que deu segurança quando era precisa. Pela negativa, a única surpresa no onze. Marcano fez uma má primeira parte. Melhorou na segunda. Destacaria por último a queda do mito de que Quaresma não rende a partir do banco. Com a Selecção e com o jogo da Champions são já duas assistências e um golo em pouco mais de 50 minutos de utilização. 

A seguir ao próximo jogo temos Champions. Ficarei inquieto até perceber quais serão os 6 jogadores que se vai rodar nesse jogo...

3 comentários:

Jorge Vassalo disse...

Caro Prata,

Olhe que o Arouca atacou bem, não achei que o jogo tenham sido favas contadas, o Arouca teve boas oportunidades e jogou o jogo pelo jogo...

Não vi grande autocarro mas podem ser os meus olhos...

Abraço,

Jorge Vassalo | Porto Universal

Lamas disse...

Já não tínhamos um fim de semana assim algum tempo... soube bem...

Foi justo o castigo ao Maicon... Oliver no banco é um crime, mas de facto, temos um plantel que dá para isso... Já disse em post anteriores, mas isto de dar minutos ao Quintero pode ser muito, muito bom...

Anónimo disse...

Temos gente para fazermos jogos destes e de nos colocarmos a salvo da máfia da arbitragem. Exigência máxima dos adeptos para com a equipa e treinador, para que as brincadeiras passadas não se voltem a repetir.
A rotatividade que Lopetegui a aplique na Taça Lucilio Calabote. Para o campeonato e para a Champions, temos que jogar com uma equipa estabilizada e com os melhores jogadores.