segunda-feira, 10 de março de 2014

Descubra as diferenças


Já aqui disse que não sou grande adepto desta solução de mudança encontrada. Temos um treinador que pode ser interino se correr mal e que pode ser definitivo se correr muito bem. Gostava que se definisse que precisamos de um planeamento melhor da próxima época e, nesta situação de limbo, não vai ser Luís Castro a fazê-lo. Pelo menos não tem grandes condições para isso. 

Na ressaca da troca de treinador, importava perceber se haveria alguma evolução. Convenhamos que que seria difícil apresentarmos um esquema diferente e um alto rendimento, depois de um ou dois treinos. Esperava-se antes uma transformação anímica e no empenho demonstrado. Quanto a isso, lamento, mas não posso tirar grandes conclusões. De facto, entrámos bem no jogo e marcámos cedo. No entanto, voltámos a apresentar o comportamento bipolar. O fim da primeira parte e o início da segunda foram um claro seguimento do que víamos com Paulo Fonseca: nervosismo, confusão, erros defensivos e poucas oportunidades de golo durante um largo período do jogo. Ou seja, e em jeito de conclusão, a 'chicotada' funcionou em metade do jogo. A mesma metade que Paulo Fonseca apresentava e depois desperdiçava... 

A diferença está no desperdício. Desta vez a coisa lá se resolveu. Por um lado, acho que o Arouca é um adversário apenas simpático. Mas marcou um golo em mais uma nabice (azar?) e isso ajudou a que reentrasse no jogo. Importa destacar que a mudança de Carlos Eduardo por Quintero foi proveitosa e mexeu com o jogo. Esteve bem Luís Castro nessa mudança quando podia ter apostado em Josué. Aqui me parece que há alguma diferença. Parece-me que o novo treinador tem ideias diferentes sobre os jogadores. Por exemplo, Defour volta a ser alternativa, Quintero também e Maicon deverá voltar à equipa, apesar de estar muito longe do jogador de há dois anos. E Reyes e Ricardo, que o têm acompanhado na equipa B poderão ter mais oportunidades. Em suma, não notei muitas diferenças mas percebo que haverá uma abordagem diferente à gestão do plantel.

Individualmente destaco Quaresma o MVP claro. Dois golos e participação em quase todas as nossas jogadas de perigo. Danilo continua a ser dos que tem tido um rendimento mais uniforme e ontem esteve bem. Depois gostei das incorporações de Defour (exceptuando no capítulo do remate) e de Quintero e Ghilas que mexeram com o jogo. Mangala esteve em bom plano na adaptação a lateral. Pela negativa, achei a exibição de Fernando cinzenta e acho que esta dupla de centrais treme por todos os lados. Helton ia metendo água num lance, mas meteu nojo nas reposições de bola. Perder tempo com o Arouca e nesta altura em que precisámos de vitórias claras? Acho desnecessário.

Na Liga Europa há expectativas baixas. Luís Castro não teve tempo para mudar muito. Que, desta vez, o efeito da chicotada dure o tempo todo!

10 comentários:

Anónimo disse...

A grande diferença pareceu-me ser a inclusão e posicionamento do Defour. Finalmente, digo eu. Embora não o ache um craque como outros que têm passado pelo nosso meio campo, parece-me evidente que é de longe o jogador mais consistente e mais competitivo para aquele lugar. Aliás, a prova da inteligência do PF está bem espelhada nesta situação: no actual plantel, que todos reconhecemos não ser famoso, temos um internacional belga, titular de uma das boas selecções do futebol europeu e ele nem sequer saía do banco... Espero é que a aposta tenha continuidade, porque todos os jogadores precisam dessa continuidade para melhorar o rendimento. A dupla de centrais tem de ser mangala e maicon. Isso e o correcto posicionamento do meio campo não farão milagres, mas vão ajudar bastante. Era tão simples PF, bastava perceber o óbvio.

Anónimo disse...

(adenda ao comentário anterior) Só para terminar, também não concordo nada com esta história do treinador interino. Só há uma razão que poderia justificar isso, seria contratar um grande treinador no final da época que agora estivesse indisponível. Agora fazer essa figura por um Marco Silva é ridículo. A ser verdade esse interesse da SAD ele tinha que vir na hora e a pé desde linha até ao Dragão. Acho que vamos mal em termos de organização, mas sobre isso poderei comentar num post dedicado à planificação desta época e a tudo o que correu mal.

Anónimo disse...

uma pergunta, costuma ver os jogos no estádio? porque ter ido lá e dizer que está tudo na mesma é que me parece inacreditável... na televisão pode ser que não se veja (acho que uma grande parte do desamor dos portistas para com o VP vinha do facto de verem os jogos na tv em vez de ir ao estádio, e que não se percebe a qualidade do futebol sem ver o campo todo), mas lá foram muito evidente as melhorias introduzidas, mais do que esperava com apenas dois treinos

prata disse...

vi no Dragão com o parzinho de olhos do costume...

Abel disse...

Este ultimo anônimo consegue ver grandes resultados em dois treinos, com jogadores ausentes à mistura e tudo. Prata, tb vi o jogo, gostei mais da escolha do 11 e das substituições, de resto tudo na mesma. E isto não é mau, escolher melhor os jogadores é perceber o que a equipa precisa, pode ser o começo de melhorias. Esperemos que sim.

Taqui disse...

Eu encontro mais diferenças:

- Defesa mais subida;
- Carlos Eduardo a bater livres em vez do Quaresma;
- Varela a receber por dentro, mas o médio a entrar nas costas para a linha e cruzar (vi o defour 2 vezes a fazer isso).

Vi tambem uma entrada forte, com mts remates, uma bola ao poste e alguns cantos, vi vontade, vi uma equipa onde só tem a melhorar encostando aquele matreco que dizem que é central!
Vi tambem um golo consentido, com mt falta de concentraçao, tudo a virar as costas na barreira e depois a tremideira do costume!
Vamos la ver se jogamos bem e se conseguimos um bom resultado na Quinta! Que raio de hora!
Abraço

Anónimo disse...

As diferencas estao lá para quem as queira ver....agora é obvio o tempo é curto e aquilo que o PF andou a fazer estes meses todos que foi a destruicao premeditada e consentida de rotinas ha muito consolidadas nao sao recuperadas em 2 treinos....mas os sinais sao reveladores, para este treinador o quintero conta ao contrario do anterior coisa que até uma crianca de 5 anos consegue ver.Enfim um dia ainda alguém vai ter que explicar pq se deu tanto tempo a um treinador que desde a primeira hora o que quis foi destruir.Agora também nao espero milagres porque ja sei o suficiente de futebol para perceber que enquanto quaresma andar por lá nunca seremos uma grande equipe.o único treinador que teve mao nesse menino foi o adrianse

bruno rodrigues disse...

taqui, o matreco que referes é o abdoulaye.

Anónimo disse...

Caro Bruno Rodrigues, fiz aqui há tempos a defesa do matreco, por acha que tem velocidade, físico, capacidade de antecipação e outras condições atléticas que fazem um central, mas hoje tenho que vir dar o braço a torcer, acho que lhe faltam duas coisas fundamentais: posicionamento e atitude competitiva. Confesso que aquela atitude de relaxamento (visivel na distancia que dá aos adversários) me começa a irritar definitivamente.

Lamas disse...

Resultado enganador... boa entrada no jogo, mas depois do golo do Arouca, os níveis de confiança desceram estrondosamente e a tremideira apareceu... os dois golos na reta final enganam, mas ao mesmo tempo dão alguma moral que andava em falta...