segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Pequena revolução?


A interrogação surge porque decidi ver a conferência de imprensa de Paulo Fonseca. Se não o tivesse feito, nem me lembraria que adicionar pontuação ao título. Eu estava convencido que o nosso treinador, finalmente, tinha decidido fazer alguma coisa pelo futebol da equipa, que não a simples troca de jogadores. Pelos visto o FCPorto jogou no esquema habitual. Quero acreditar que isto é mais para gozar com os jornalistas que têm sempre aos mesmas perguntas. Porque, de facto, as coisas foram bem diferentes. O posicionamento de Lucho na posição 8 acaba imediatamente com qualquer discussão sobre a existência de duplo pivot. Notou-se bem a liberdade que Fernando teve durante o jogo e notou-se que Lucho só aparece perto dos defesas em movimentos defensivos. E depois há Carlos Eduardo. Diferença óbvia por se tratar de um jogador que prefere servir do que finalizar, isto é, não aparece tão lá na frente como Lucho. Além disso, consegue 'furar' pelas alas e transporta a bola em velocidade. Ou seja, corre mais com bola do que sem ela. Tudo características que mudam drasticamente a maneira de jogar da equipa. Até o facto de jogar Licá em vez de Josué tem a ver com isso. Se não temos Lucho a rondar a área convém ter um jogador capaz de apoiar Jackson. Enfim, muitas mudanças para quem diz que manteve o mesmo esquema de sempre...

Vamos ao jogo. Não foi uma exibição de encher o olho, mas foi bem mais segura que as anteriores deslocações. Houve um erro grave que, para não variar, resultou em golo sofrido. Parece que nos vamos ter de habituar a isso... Mas a equipa reagiu bem e chegou novamente à vantagem sempre com muita pressão sobre o adversário. Se não foi um record de cantos esta época deve ter andado lá perto. Pena que a equipa relaxe um pouco a seguir aos golos. Sobretudo nesta fase em que os adversários precisam de 'meia' oportunidade para nos marcar um golo convém que não se descanse 'à sombra' de uma margem mínima. Enfim, boa resposta perante duas vitórias dos nossos adversários directos. A equipa não tremeu ao contrário do que aconteceu no mês de Novembro.

Individualmente, gostei de Carlos Eduardo, Fernando e da dupla Otamendi-Maicon. Sem fazerem grandes exibições Jackson e Varela acabaram por ser decisivos. Por último, gostaria de falar de Kelvin. Uma jogada bastou para que se percebesse que o miúdo tem características únicas no plantel. Não tem grande utilidade se estiver sempre escondido na equipa B. Sobretudo nos jogos em casa.

Na próxima jornada temos o Olhanense no Dragão. É para desfrutar. Espero eu. Por falar em desfrutar de futebol, que é feito de Quintero?

2 comentários:

Lamas disse...

Gostei, obviamente que gostei... foi diferente... e até achei que depois do 2-1 a pressão/ritmo continuou relativaemente acelarado até chegar ao 3-1... mas não vou comentar muito mais... vou aguardar pelos próximos desenvolvimentos...

P.S. Eu acho que quem desfruta em dar cacete é o Alex Sandro... então pedem-lhe para ele levar amarelo e ele desfruta tanto que se pôs a jeito do vermelho direto... ;)

Taqui disse...

logo agora que o AVB está livre...