segunda-feira, 28 de outubro de 2013

A walk on the wild side


Serve o título para homenagear o grande Lou Reed que nos deixou ontem. Este é um dos seus mais aconhecidos temas a solo (eu prefiro os Velvet Underground) e é bem apropriado aos vasquinhos. Estavam todos cheios de si mesmos até ao momento em que tiveram de sair do conforto dos jogos 'a feijões' e visitar o Dragão, 'a aldeia'. A aí as coisas começam a complicar-se. 

Para explicar isto que aconteceu ao Sporting, nada melhor que os lamentáveis acontecimentos da tarde de ontem. Um grupo de adeptos disfarçados e vestidos de preto desceu a Alameda do Dragão criando confusão e batendo em quem podiam. Mas logo se tiveram de render às evidências. Não seria o facto de fazerem muito barulho que faria com que não acabassem encurralados e a pedir ajuda à polícia. Pois o Sporting tem vindo a fazer este campeonato disfarçado de equipa humilde e com ambições modestas. Mas, sempre que podem, põem-se 'em bicos de pés' e tentam lançar a confusão fazendo muito 'barulho'. Que sirva de lição. Tenho pena que não tenhamos marcado o quarto golo que iria elevar o resultado à categoria de sova. Era o que precisavam...

Vamos ao jogo. Como habitualmente, muitas oscilações ao longo do jogo. Começámos bem, como seria de esperar e chegámos ao golo. Depois assistimos a uma fase menos intensa. Deu a ideia que aguardávamos pacientemente pelo erro do adversário, mas a verdade é que vimos o FCPorto numa serie de lances esquisitos de perdas de bola a meio campo e na defesa. A segunda parte seguiu no mesmo tom até ao lance do golo Sporting. Foi o que precisámos para acordar no jogo e deixar que os nossos jogadores, puxassem da sua qualidade, e resolvessem a contenda. Danilo tratou disso à bomba. Alguns calafrios depois e Lucho acabou com o jogo numa vitória merecida. Mas o facto de a vitória ser merecida não apaga a sensação de que ainda não conseguimos ser minimamente constantes no jogo, de que não conseguimos gerir os jogos protegendo a defesa de sobressaltos e o facto de parecer que estamos a chegar às vitórias mais através do talento individual do que da dinâmica colectiva. Por exemplo, o jogo de ontem resolveu-se num grande lance individual de Danilo. E isso, dado o avançado da época começa a preocupar.

Individualmente, tenho dificuldade em eleger o MVP. Fico-me por Lucho, mas gostei das exibições de Varela, Josué, Alex Sandro e Danilo. Helton e Fernando também têm nota alta. Continuo sem perceber por que é que temos de apanhar sempre um calafrio ou mais por jogo, por causa de erros dos centrais. O Paulo voltou a apostar no Herrera. Para provar que fez sentido a titularidade contra o Zenit... Pois não me convence. Para mim a questão é semelhante à de Quintero. Há ali talento e dá para ver em certas jogadas que poderá sair dali um caso sério. Mas há que pensar no presente. E o presente indica que Herrera falha passes em zonas proibidas e tem um posicionamento defensivo bastante desregrado. Anda atrás do prejuízo em vez se se posicionar convenientemente. Para mim ainda não pode ser titular nestes jogos de maior importância.

Ficámos isolados com 5 pontos de vantagem sobre os segundos. Posição que seria bem mais confortável se a equipa nos voltasse a dar uma daquelas exibições sem mácula. Para quando, Paulo?

3 comentários:

Taqui disse...

tava no estádio e a lembrar-me daquilo que discutimos aqui sobre o Herrera. Sim a opção foi para justificar a sua titularidade, mas tb ao intervalo (para n o queimar) pra mim saía fora! Fogo mt mau! Tenho que reconhecer isso tb.

O golo do Sporting, para quem como nós acompanha o porto, tava previsivel. Estranhamente o porto recua as suas linhas até sofrer. Foi assim na terça. Anda o Jackson a ganhar bolas no meio dos centrais sozinho, com um futebol directo que nao é nosso costume! No minimo estranho!
Salvou-se a reacção que derreteu os gajos! Mais um golinho era o ideal, mas foi bom!
(nao dá para ir buscar o william Carvalho, para substituir o Fernando para o ano? Que jogador!)

Lamas disse...

A reação ao golo deles foi a melhor parte do jogo, mas não foi só a bomba do Danilo o momento do jogo porque logo a seguir o Helton dividiu com ele o momento do jogo a defender o cabeceamento do Montero completamente liberto de marcação...

O terceiro golo foi o momento sublime da noite... grande jogada... faltou o quarto, como tu dizes, para saírem de lá com a denominada cabazada...

De resto, em particular entre o primeiro golo e o golo deles, jogamos muito malzinho medido pela quantidade infindável de passes errados...

Continua a faltar consistência, mas as vitórias poderão ajudá-la a aparecer... e que chegue no jogo na Rússia... TEMOS DE O GANHAR...

miguel87 disse...

"(...)ainda não conseguimos ser minimamente constantes no jogo, de que não conseguimos gerir os jogos protegendo a defesa de sobressaltos e o facto de parecer que estamos a chegar às vitórias mais através do talento individual do que da dinâmica colectiva."

Acho que isto resume na perfeição a fase da equipa. Continuo a ver muito chuto para a frente e Jackson entregue a uma luta desigual de 1 para 2 e muitas vezes 1 para 3.

Quanto ao Herrera, discordo de vocês, apesar de ter entrado mal no jogo com muitos passes falhados, num modelo de jogo que tarda a mostrar soluções, o gajo é o único no meio campo capaz de verticalizar o jogo e fazer chegar a bola ao ataque em condições. Acho que deve jogar sempre, porque só tem a evoluir e a tornar-se num elemento chave na equipa.

Quanto ao MVP não tenho dúvidas que foi o Varela (escolha também do dragão, da sport tv e d'o jogo), jogasse ele sempre assim e podíamos dizer que tínhamos um elemento desequilibrador no ataque!

Otamendi deu as suas baldas do costume (contei 3 pelo menos), para variar nenhuma deu em golo!

Quando digo que não gosto do Fernando, a principal razão não é por ele jogar mal, mas por achar que é apenas "meio" jogador e ontem viu-se a diferença para um jogador inteiro - William Carvalho! Não só destrói jogo, como tem uns pezinhos que sabem tratar a bola, sair a jogar e distribuir jogo. Isto sim é um trinco de qualidade!
Estou com o Taqui - devia ser a próxima maça podre a vir para cá!