quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Peixoto e a arte de «puxar o saco»

Antes de viajarmos até ao motivo que nos leva a nomear este rapaz como o Cromo da Semana, não custa nada relembrar a carreira do Paulo César Silva Peixoto.

Peixoto integrou a formação do Vitória desde os 10 anos de idade até chegar à idade sénior, pelo meio apenas um ano de empréstimo ao Brito no primeiro ano de júnior. No período inicial da formação, ficam gravados na memória os confrontos escaldantes entre os infantis e (dois anos depois) os iniciados do Vitória e do Leixões. Peixoto e Pis, cada um a ocupar a faixa esquerda das respectivas equipas. Quem diria que anos mais tarde, Peixoto seria campeão europeu pelo Porto (entre muitos outros troféus), teria um filho com a Isabel Figueira e andasse com a Diana Chaves, estoirasse um Mercedes SL500 no Olival e jogasse no Benfica... o Pis, esse escreve no Basculação!

Bem, continuando, o rapaz chega a sénior ia ser emprestado ao Fafe mas prefere o Taipas. Durante dois anos mostra serviço e dá o salto para o Belenenses à custa de João Cardoso, antigo jogador internacional pelos 'azuis' que era seu treinador nos Taipas. Na época de estreia marca sete golos incluindo aquele golaço ao Baía quando perdemos 3-0 em Belém no mesmo jogo que Postiga é expulso de uma forma estúpida e percebe-se na televisão o Mourinho a rasgá-lo enquanto ele está a sair do relvado. Mourinho decide contratá-lo mas é utilizado em apenas 15 partidas no primeiro ano, mas mesmo assim faz parte do plantel para 2003/04. E quando parecia que iria começar a deslumbrar, naquele fantástico jogo (3-2) contra o Marselha de Drogba e o Porto de Marco Ferreira e Peixoto, lesiona-se gravemente num joelho.

Atravessa um período difícil, é emprestado ao Vitória, volta ao Porto e Co Adriaanse recicla-o para defesa-esquerdo, defesa-esquerdo dependendo da táctica do Co, claro está! podia ser um 3x3x4, um 3x4x3 ou um 4x2x4. O que é certo é que torna a lesionar-se gravemente num joelho e acaba por ser emprestado na época seguinte ao Espanhol. O contrato acaba, o empréstimo também. Na época seguinte rumaria ao Braga.

Entrando na razão da distinção da semana: devidamente alertados pelo assíduo leitor deste blog - Artur - pudemos ler uma entrevista de Peixoto ao Jogo onde tem esta primeira fantástica declaração "O Benfica é muito, muito maior do que o FC Porto. O FC Porto é grande, mas o Benfica é inigualável"; até aqui não admira, ele que dizia que queria acabar a carreira no Vitória quando chegou ao Braga disse que ia para o 4º maior clube nacional, portanto, há um lado brasileiro de 'puxa-saco' no Peixoto. O engraçado disto tudo é quando o jornalista lhe pergunta como é que reagiu às críticas quando disseram que só ia para o Benfica porque era um protegido do treinador, o nosso César saca esta pérola "Quando um jogador que já venceu tudo, como fiz no FC Porto, no qual conquistei a Taça UEFA, a Liga dos Campeões, três campeonatos, duas Taças de Portugal e três Supertaças, não tem lugar no Benfica... Um jogador com o meu palmarés não tem qualidade para jogar num clube grande como o Benfica?"
Ora aqui está um belo raciocínio (i)lógico do rapaz: a grandeza do Benfica é inigualável, mas ter participado (pouco) na conquista de troféus pelo Porto dá-lhe estatuto para jogar nos milhafrenses.

Esta teoria associada aos comportamentos reprováveis quando forçou a saída do Belenenses e, mais recentemente, do Braga ao recusar-se jogar contra o Elfsborg mostra que Peixoto tem uma cabeça pequenina mas que (de certeza) é compensada noutras coisas ou ele não tivesse andado com a Figueira ou a Chaves!


Cromo 2003/2004...



Currículo...

9 comentários:

Lamas disse...

Muito Bom Pis!!!

O primeiro cromo rasgado de cima abaixo... estou à espera da reacção do Prata... era o menino protegido dele...

Uma coisa que ele é bom, digo mesmo muito bom, é nas bolas paradas... fortíssimo... agora a carreira futebolística do menino e as incoerências realçam a sua cabecinha pequenina...

P.S. Como é que o HULK não fez gato-sapato deste gajo... tão fraquinho a defender...

prata disse...

Eu gostava. Mas hoje em dia estamos melhor servidos coisa que não acontecia quando tinhamos no plantel gajos como o Benitez e o Lino... Julguei que ia dar melhor jogador e se calhar as lesões foram decisivas. Ainda assim é um bom jogador para equipas menores tipo o actual clube e o Braga, não para o Porto. Jogadores destes só têm lugar no nosso plantel se forem argentinos. LOL

De facto aquela cabeça é só para pôr mousse para ajeitar a crista...

miguel87 disse...

Sobre essa declaração na entrevista ao Jogo, saiu o cartoon do Sistema no mesmo jornal mais ou menos assim:

- o Peixoto disse na entrevista que o benfica é maior que o Porto.
- é capaz de ter razão, afinal no benfica tem lugar e no porto não tinha.

Anónimo disse...

: Pinto da Costa poderia ser a "figura do ano"? Aos 72 anos, o mais titulado dirigente do futebol português, confrontado com um conjunto de acusações resultantes de um pífio processo denominado Apito Dourado, contaminado até à medula por falhas processuais, mas também por uma grande vontade de o condenar sumariamente, como foi evidente por uma certa imprensa lisboeta que cavalgou a "onda Carolina Salgado", explorando-se - sob a égide comercial - o que tem de pior a rivalidade entre o Benfica e o FC Porto; sem querer fazer "juízos de caráter" nem tomar partido pela "clubitização da justiça" - qualquer coisa muito perto deste fenómeno de inaceitável contaminação da politização do meio judiciário, talvez se possa concluir que Pinto da Costa venceu o seu próprio sistema. É uma vitória de Pirro, perante o imperativo exigético da credibilidade, que cada qual toma e "domina" à sua maneira? Talvez seja. Mas é uma vitória.

Rui Santos(Record)



Saúde e Paz para todos.

MPSV disse...

Cria, um pai, um filho para este chamar milhafrense a um clube rival.Bom Ano para todos.

Anónimo disse...

"Pinto da Costa, sabe onde estar,quando estar, o que dizer, quando dizer.Sabe Tudo"
JMOURINHo ao Expresso

Anónimo disse...

JESUALDO FERREIRA: «É COM ELES QUE VAMOS VIVER, É COM ELES QUE VAMOS GANHAR»

O treinador do FC Porto fez esta quinta-feira a antevisão do desafio com a Oliveirense, da quarta eliminatória da Taça de Portugal (sábado, 21h15), e deixou uma mensagem forte aos adeptos, apelando à união em torno da equipa. «É com eles que vamos viver, é com eles que vamos ganhar», afirmou o técnico, referindo-se ao actual plantel dos Dragões.

Equipa dá garantias
Jesualdo Ferreira fez questão de deixar uma mensagem inequívoca sobre o grupo de trabalho, dirigida aos «sócios, adeptos» e a quem «gosta do FC Porto». «Aquilo que nós temos de reforçar é que este plantel que escolhemos é um plantel que nos agrada, dá-nos garantias de entrar nas competições que disputamos e ganhá-las. É isso que queremos e que vai acontecer, seguramente. Estamos no meio de um processo de formação da equipa, por um lado, e de desenvolvimento dos jogadores, por outro», assegurou.

Paragem positiva
Após as férias de Natal, o plantel regressou ao trabalho com energias redobradas, frisou o treinador. «Foi uma semana de paragem, necessária e boa. Os jogadores vieram bem, dentro dos níveis que esperávamos. Nestes dias de treino, houve um grande empenhamento de todos», acentuou. Por isso, face à Oliveirense, vai alinhar o «onze» que Jesualdo Ferreira «achar melhor para o jogo», em «função dos jogadores disponíveis» e daquilo que o técnico entende ser «necessário ao desenvolvimento da própria equipa».

Terreno difícil, adversário forte
O desafio de sábado estava inicialmente agendado para Novembro, mas acabou por ser adiado devido ao mau estado do relvado do Estádio Carlos Osório, em Oliveira de Azeméis. A chuva que tem caído em todo o país não deixará de ser uma condicionante no primeiro desafio dos Dragões em 2010. «Em Novembro não se tratava do mau tempo, mas sim de condições não boas que o árbitro entendeu sancionar. Certamente o relvado estará difícil, como em toda a Europa e em Portugal. Vai ser um jogo condicionado pelo tempo, pelo terreno e pelo adversário. É uma equipa forte, que tínhamos estudado bem e que continuámos a observar, pelo que vai ser preciso sacrifício, empenho e entrega para os ultrapassar», esclareceu.

in fcporto.pt
___________________


Força Professor.

Anónimo disse...

quinta-feira, 31 de Dezembro de 2009
Factor Braga
O Público colocou a pergunta incontornável: e se o Braga for campeão?

Chegados a meio do campeonato, sem dúvida que seria um campeão justo. Possui uma equipa humilde, um treinador sem crédito - bom, bom, bom é o Diamantino, ou o Carlos Manuel, ou João Alves, ou o Jorge Jesus; aliás, a nação encarnada tirará sempre dividendos de uma hipotética vitória do Braga, dado que 99% do mérito é de JJ! - e bons jogadores, que não sendo excelentes, tornam o trabalho de todo o clube ainda mais meritório.

Há quem fique incomodado porque o "Braga pertence ao sistema" - como todos os outros clubes que não o Clube do Regime, que como toda a gente sabe, é o único clube que ganha por mérito próprio e perde por culpa alheia; não há um "encarnado" que diga em voz alta que o Pinto da Costa é o culpado dos 7-0 de Vigo, mas no fundo todos têm essa secreta convicção - mas para quem não sabe perder, todas as desculpa são válidas. Como adepto do Porto, incomoda-me certamente menos perder para um clube pequeno e (cada vez mais) aguerrido - como o próprio Porto outrora - do que para qualquer um dos "balofos" de Lisboa, que (sobre)vivem de benesses do Estado e "contribuições" de empresas públicas, mas acima de tudo não incomoda perder para quem tem mérito. Há também uma certa expectativa entre os "não-alinhados", de que a não-conquista do campeonato por parte do Clube do Regime, dado o investimento feito com a política de "fuga em frente", dite a sua perdição. Eu não tenho ilusões: é mais provável a falência do Estado, que a do Clube do Regime - há que ter prioridades, e as dos nossos governantes são claras.

O Braga é um pequeno clube, que está agora a sair de uma longuíssima crise de identidade, dada a incompreensível posição da maioria dos seus adeptos que "apoiavam sempre o Braga, excepto quando jogavam contra o Clube do Regime". Essa doença parece estar ultrapassada, e o Braga, ao contrário do Boavista, promete tornar-se um adversário a ter em conta já nesta, e também em futuras competições nacionais. Restam porém muitos jogos e pontos por disputar até Maio, e o Porto, com a sua equipa de trazer por casa, ainda pode (e deve, especialmente se houver nova golpada do CD) ter como objectivo o 1º lugar. Só tem é que mostrar que tem mérito para o ocupar.

Blogue Sistema FCP

Anónimo disse...

Depois dos "Apitos" os "Tuneis" ???!!!

Mais uma tramoia "Centralista" em curso ?!