terça-feira, 24 de abril de 2018

Goleada das antigas


Esta é uma expressão muito utilizada no comentário e nas crónicas desportivas. Até sábado a expressão referia-se àquele tempo em que estes resultados avolumados eram a regra. Graças a Rui Vitória o sentido mudou um pouco e dá um novo significado ao nosso título de post. Se é possível haver goleadas por 2-1... E isto só porque a equipa grande criou muito mais oportunidades que o adversário que luta para não descer. Se assim é, pena que não tenhamos conseguido trazer pontos das goleadas morais que tivemos nas Aves, em Moreira de Cónegos, em Paços de Ferreira e até em Belém. Já estava resolvido... Ridículo!

O jogo foi tudo o que poderíamos ansiar. Resolvemos cedo, descansámos as bancadas e pudemos usufruir do jogo por forma a preparar o próximo jogo na Madeira que será fundamental, até porque é o próximo. Mais uma vez, notou-se que a equipa se sente muito confortável a jogar com os ataques de Marega à profundidade. Até já tenho aqui referido várias vezes que me preocupa que não se consiga replicar estes movimentos com outros jogadores. Por um lado, porque são arrancadas desconcertantes e por outro porque arrasta sempre dois defesas, estica a zona de defesa adversária e cria espaço para as investidas pelo meio, sobretudo de Brahimi. Essas arrancadas criaram imediatamente instabilidade na defesa contrária e permitiu-nos carregar nos primeiros minutos até ao 3-0, que nos descansou para o resto do jogo. Apesar do percalço, que pareceu resultar de alguma desconcentração pela ausência momentânea de Herrera, a equipa nunca tremeu e manteve-se confiante e capaz de descansar no jogo. Não é ideal mas torna-se necessário dado o adiantado da época e dados os problemas físicos que nos têm fustigado constantemente. Jogo seguro, tranquilo, como se exigia!

Queria destacar especialmente o nosso terceiro golo. Há quem insista que Brahimi tem uma tendência trágica para complicar. Ontem tinha 4 jogadores entre ele e a baliza e com classe escolheu o caminho mais fácil, fazendo lembrar o golo de Deco em Gelsenkirchen. Com classe e simplicidade. Grande golo!

Individualmente, tenho alguma dificuldade em dar o MVP. Gostei de Marega, mas mais na primeira parte. Gostei de Alex, mas foi dos que dormiu no golo sofrido. O outro que dormiu foi Brahimi, outro dos meus candidatos. Não havendo nenhuma exibição sem mácula, dou ao Alex que inventou o primeiro golo e fechou a contagem. Gostei dos dois médios e, desta vez, a entrada de Oliver não  teve o mesmo impacto das ocasiões anteriores. Soares tem de marcar no lance do primeiro golo. Não pode falhar aquilo. Foi importante termos a redenção de Marcano e não termos Felipe com amarelo. Gonçalo precisa muito de um golo. Precisa de se soltar e julgo que é isso que falta.

Nota pequena para João Pinheiro. Sem qualquer influência no resultado mas nota-se que tem todo o talento Nuno Cabral e Adão Mendes viram nele... Talvez um dia possa ser um jubilado como o Rôla. Ainda bem que não tiveram a coragem de o nomear para a Madeira...

Na próxima semana, joga-se o campeonato. Acredito que uma vitória deverá arrumar a questão. Espero também que se apresente o mesmo onze da Luz.

2 comentários:

Barba azul disse...

Alguém sabe do Glorioso? Estou preocupado com a ausência dele, não é normal...Não será melhor pedir à Polícia para irem ver a casa, se estará bem?

prata disse...

:)