domingo, 17 de setembro de 2017

Mesmo com Herrera...


Vou ter de rever aquela primeira parte com o Besiktas. Tenho de perceber o que é que aconteceu para que se prescinda de Oliver nestes cerca de 135 minutos tão importantes para a equipa. Para mim, tem sido um dos melhores jogadores da equipa e dos que melhor se adaptou a este esquema de Sérgio Conceição. É o único jogador que consegue colar as duas partes da equipa evitando, na medida do possível, um jogo demasiado partido. Além de que é, para mim, impensável prescindir dos melhores, quer na Champions, quer numa das deslocações mais difíceis do ano na Liga portuguesa. Muito contente com o resultado, mas muito assustado com as opções iniciais de Sérgio Conceição. 

Quando um Grande enfrenta uma equipa que tenta jogar, o plano terá de ser o de evitar que eles joguem da forma a que estão habituados. Para nós isso devia ser simples: evitar que eles tenham bola. E aqui entra o meu choque com a ausência de Oliver das opções iniciais. E o susto começou com o anúncio do onze mas ainda não passou com a alegria da vitória. Será que Sérgio Conceição irá recorrer ao músculo, quando as coisas correrem mal ou quando o adversário for mais difícil? Poderão referir que a equipa, até não jogou mal. De facto, trouxemos os 3 pontos, mas terá sido uma grande exibição? Eu não acho. Em primeiro lugar, este foi o primeiro jogo do ano em que não tivemos a primazia em termos de posse de bola. Fizemos também menos 150 passes que o adversário. Isto para não falar do facto de Herrera ter sido o jogador em campo com mais perdas de bola. 11 vezes! Danilo e Oliver têm até agora uma média pouco superior a 2 por jogo... Marega, Aboubakar e Brahimi têm médias entre 5 e 6... Para não 'bater mais no ceguinho', concluirei que o Sérgio arriscou e saiu-se bem. Apenas espero que esta solução não seja recorrente.

Mas se me queixo da falta de posse de bola e de Herrera, também tenho de elogiar a outra 'face da moeda'. O jogo ganhou-se na raça e nas muitas recuperações de bola que conseguimos. Algumas no meio campo ofensivo. Outro dado estatístico interessante é o das faltas. Foram 25, quase o dobro das do adversário. Demonstra a clara diferença em termos de agressividade, que foi fundamental para o resultado final. Pena que não tivéssemos conseguido capitalizar essas recuperações e transformá-las em jogadas de golo. A partir do momento que chegámos ao golo, numa bola parada, o jogo ficou de feição para a nossa estratégia de saídas rápidas para o ataque. Pecámos demasiado no último passe e até na finalização. Ainda deu para duvidar um pouco com aquele golo atípico, que misturou uma 'nabice' do Felipe com um posicionamento deficiente de Ricardo, que tinha acabado de chegar ao lugar de lateral esquerdo.

Individualmente, dou o MVP a Danilo. É isto que precisamos: agressividade, segurança e amplitude de acção. Há quem diga que isto só sucede quando tem um jogador mais defensivo ao lado. São opiniões. Para mim ele jogou bem porque jogou ao seu nível. Ou melhor, jogou bem, apesar de Herrera. Não sei bem se o MVP é justo, porque Marega também fez por merecer. Grande intensidade e grande velocidade. Pena que os pés nem sempre acompanhem... Também gostei de Brahimi. Pela negativa, além de Herrera, Aboubakar teve um jogo muito discreto. Especial destaque para aquela jogada irritante em que trava e não aparece no segundo poste para aproveitar a oferta de Marega. Otávio esteve bastante trapalhão no último passe.

Falta uma vitória para chegarmos a Alvalade com o pleno. Será muito importante que se concretize este objectivo!

20 comentários:

Anónimo disse...

"Mas se me queixo da falta de posse de bola e de Herrera, também tenho de elogiar a outra 'face da moeda'. O jogo ganhou-se na raça e nas muitas recuperações de bola que conseguimos. Algumas no meio campo ofensivo." Se na primeira parte do texto foste pormenorizar a estatística ao Herrera já que no que se refere à frase acima cagaste em pormenorizar o porque de tantas recuperações. E depois há coisas que a estatística não mede, como a intensidade.
Grande Herrera, grande capitão!

Abraço,
Artur

Anónimo disse...

Tony Carreira continuará a ter sempre os seus fãs por muito que seja constantemente a mesma coisa.
Grande Herrera. Fundamental num estádio onde já todos vaticinavam o nosso descalabro.

Anónimo disse...

Boa comparação! Tony Carreira e Herrera. Todos dizem que não gostam deles sem apresentar razões válidas, mas no íntimo quase todos os apreciam.

Artur

prata disse...

Eu apresento razões válidas para os dois: Um joga pouco, passa mal, perde muitas vezes a bola. Outro pega em alguns artitas musica ligeira latina e traduz as musicas para português. Chega-te?

prata disse...

Já agora toma uma estatística Artur: Danlio fez 4 recuperações de bola no jogo e Herrera fez 1.

Anónimo disse...

Um é capitão do Porto e da selecção do México com milhões de fãs e até já deu uma medalha de ouro ao seu país. O outro traduz músicas de merda para português, é o maior representante da música portuguesa, o que tem mais fãs, o que ganha mais guito e os gajos de quem ele copiou algumas músicas suplicam-lhe que os deixe aparecer a cantar com ele em alguns concertos a ver se vendem alguma coisa.

Artur

Lamas disse...

Rei, logo leva caneleiras... o Prata está na outra equipa...

prata disse...

Primeiro queixas-te de que não apresento argumentos. Quando apresento dizes que eles têm muitos fãs e fazem muito dinheiro. Poupa-me Crl! Tb o Oliver tem muitos fãs. Até o Justin Bieber. E depois? :)

Anónimo disse...

Oliver tem muitos fãs como Tony Carreira.
Herrera joga futebol e é jogador de equipa.
Perguntem ao Danilo se ele não sente isso, bem na pele.

Anónimo disse...

Lamas, se o Prata jogar como o Oliver não preciso de caneleiras...até vou descalço. Já se jogar como o Herrera é mais perigoso.
Eu gosto dos dois e como é óbvio prefiro o Oliver mas daí até o Herrera ser um inútil vai uma distância muito grande. E ontem fez um bom jogo.

Pispis disse...

A minha vénia a quem ainda tem paciência para Herrera e acha que é um jogador agressivo! Eu só gostava q ele fizesse uma meia dúzia de jogos a q ele habitualmente faz no México e dp vendíamos para outro lado por... sei lá... um pênalti e um canto contra nós:-)

Vidente Mor disse...

oliver e bom , tem boa qualidade de passe, visao de jogo MAS E LENTO E FISICAMENTE FRAGIL PARA ALEM DE NAO TER POTENCIA MUSCULAR PARA CHUTAR A BALIZA, nao e por acaso que nem no atl madrid se conseguiu fixar porque lhe falta intensidade de jogo continuada. Nao sei se custou 10M ou 20M mas o bruno fernandes que e portista custou menos e o battaglia ainda menos e esteve deste lado mas por medo e subserviencia ao benfica de braga esistimos do jogador. FALTAM AO PORTO HA ANOS, REPITO HA ANOS 3 MEDIOS A SERIO, INTENSOS, RAPIDOS, FISICAMENTE FORTES, E RAZOAVELMENTE TECNICISTA.

david almeida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
david almeida disse...

Pior post que me lembro deste blog. Herrera jogou assim tao mal para mercer tanta atençao? Ou sera que tambem aqui se entra na onda de perseguiçao ao capitao do fcp?
Para mim Herrera tem uma coisa que o Oliver nao tem, intensidade. Desculpem-me a blasfemia, mas Oliver para poder ser titular absoluto do porto tem de crescer muito, aprender a ocupar o meio campo de uma ponta a outra e a criar perigo (nao marca golos nem assiste).

prata disse...

Pah não consigo fazer muito mais. Se têm um texto à frente e não o conseguem interpretar, não sou eu que vos vou ensinar. Mas posso dar umas pistas. Digamos que vou tentar fazer o pior post de sempre com a melhor adenda possivel. :)

O título não é o mais importante do texto. É apenas para atrair para a leitura. No corpo do texto estão os motivos. Nunca escondemos que o Herrera não é um jogador que seja muito apreciado por cá. Mas não é esse o foco do post. Nem é o Oliver e a sua fragilidade física, que é um argumento utilizado vezes sem conta. Apenas apresentamos alguns dados estatísticos sobre o Herrera porque tínhamos a certeza que viriam argumentos como: «houve gajos que jogaram pior» ou malta incapaz de detectar más exibições em jogos que ganhamos. O foco é que o Sérgio muda o sistema por completo quando troca um jogador com as características do Oliver por outro com as características do Herrera. A equipa passa a jogar de uma forma mais desligada e partida, fica demasiado dependente dos desequilíbrios dos alas e sacrifica a nossa capacidade de controlar o jogo. É disto que se trata.

prata disse...

Se me disserem que não existem no plantel alternativas ao Oliver, ou jogadores que possam desempenhar este papel sem mudar o estilo de jogo... Essa será uma discussão interessante, mas está longe de ser a única lacuna do plantel.

Anónimo disse...

Comparar o Bruno Fernandes e o Battaglia ao Oliver é uma anedota. Oliver é o jogador que eu conheço mais próximo das características do Iniesta.

Artur

miguel87 disse...

O Herrera esteve tacticamente perfeito e tecnicamente uma perfeita nulidade.
Ocupa sempre os espaços certos, mas depois falha quase sempre que tem a bola nos pés.

Com o Oliver em campo talvez não tivéssemos ganho este jogo, ou pelo menos, o Rio Ave não tivesse tido tão poucas oportunidades de golo.

Continuo sem perceber o fascínio pelo Danilo, muitas vezes mal posicionado e a falhar muitos passes. Folgo em saber que não sou o único, pois hoje n'O Jogo escrevem que o próprio ficou chateado por ter "falhado muitas fintas e passes"...

prata disse...

Tacticamente perfeito... Não concordo. Para mim, neste jogo, o Danilo esteve bem melhor nesse aspecto. Por muito que tenha falhado essas fintas e passes das quais, sinceramente, não me lembro.

Dizer que com Oliver não tínhamos ganho este jogo, é mais especulativo do que eu dizer que com Oliver tínhamos jogado melhor. É que Oliver jogou em quase todos os jogos e tem jogado consistentemente bem, como em Braga por exemplo.

david almeida disse...

Depois de uma vitoria dificil, onde demos uma boa resposta na segunda parte, acho pouco pertinente dar tamanha importancia ao tema oliver. Para mim um bom jogador, que tem jogado bem, mas apenas é uma peça fulcral dada a falta de opçoes. Herrera pode e deve ser uma constante soluçao alternativa ao oliver e vice versa