quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Frente fria


Não foi só a frente, foi o meio, foi a defesa, foi  o guarda-redes, foi o banco. Água gelada na cabeça de todos.

Depois de uma vitória sobre o tubarão do grupo, de cumprirmos em todos os outros jogos, não se esperava este descalabro que ainda por cima devido a toda a conjugação de resultados no grupo leva-nos de apenas precisarmos de 1 ponto nas duas últimas jornadas para necessitarmos de 3 na última.

Primeiro ponto: tentar perceber a tática de Lopetegui. Custou arranjar uma justificação mas cá vai: no meu entender, Lopetegui acreditou que o adversário viria jogar ao ataque, melhor, deliberadamente ao ataque e que teríamos a ganhar jogando em transições ofensivas rápidas. Só assim se justifica Tello e Brahimi nas alas e Imbula como médio mais ofensivo a procurar os desequilíbrios nos ucranianos que supostamente teriam muitas mais peças na zona avançada do terreno. Teoria demasiado rebuscada? Talvez. Mas o que custa mais, a ser verdade esta teoria, é alterarmos a nossa conceção de jogo que tantas vezes é criticada e assobiada de posse de bola/de passes lateralizados/de jogar para trás, só porque um adversário vem jogar ao Dragão para ganhar.

Partimos o jogo, o meio-campo nunca conseguiu ter o controlo da partida e depois deixamos o Dínamo crescer na partida até se colocar em vantagem. O que fazemos ao intervalo? Tiramos o lateral que dá mais profundidade ofensiva e dá mais raça àquela equipa para alterar tudo na defesa: Indi na esquerda, Layún na direita e Danilo para central. Até compreendo Indi na esquerda porque defende melhor e Yarmolenko estava a brincar com Layún mas porque não tirar este? Ou então, tirar Danilo/Imbula/Tello, qualquer um, e meter André André ou Evandro que são artistas na posse de bola que era o que o Porto mais precisava para tranquilizar: ter bola!

Uma palavra para todos os jornalistas (eu tive oportunidade de ver na tv e ainda ouvir o rádio depois do jogo) e foi incrível como ninguém constatou o facto que aquele resultado obrigava a uma vitória em Stamford Bridge. Todos a comer de sono. Se calhar até os responsáveis do Porto. Perder por um seria importantíssimo embora o empate em Londres também não seja fácil de alcançar. Talvez pela desilusão, acredito mais no Maccabi em Kiev do que no FCP em Londres.


Qualquer escorregadela no campeonato ou nas taças servirá para crucificar o Julen e ainda por cima o AVB está a fazer uma boa campanha na Champions, ou seja, não vem a meio da época…

12 comentários:

Anónimo disse...

Infelizmente AVB não virá a meio da época nem no fim. Mas, até podíamos contratar o Manuel José!!!! Enfraquecíamos a equipa do ressabiado de Paredes na RTP e continuávamos com um técnico que fala espanhol, para que grande parte do plantel o compreendesse.

prata disse...

É a tua primeira vez, percebo q n tivesses querido bater muito... :)

Mas eu bato! Onze inicial com uma opção inacreditável! Havendo a minha tão detestada dupla de 6's, é impensável q o outro médio nao seja André ou Evandro. Um absurdo. Pior ainda é tirar o André da equipa! Ele q tem sido a alma da equipa. Notou-se o efeito qdo entrou mas desvaneceu-se com a confusão q se criou na defesa. Derrota do tem um responsável: Lopes!

Mais três reflexões: imbula tem de jogar independentemente do q rende. Talvez um abrir dr olhos para esta doyenizacao q vivemos. Nem todos doyens são brahimis...

O melhor da primeira parte foi yarmolenko. O melhor da segunda foi derlis. Coincidentemente tinham pela frente (nem sempre) um médio adaptado a lateral: layun. A capa do jogo de há umas semanas fez-me agoirar q mais cedo ou mais tarde iríamos sentir falta de Danilo e sobretudo do Alex.

Para terminar diria q o jogo termina qdo sai brahimi. Foi castigo pela bola perdida no segundo golo. Mas há castigo para quem o põe a organizar jogo na cabeça da defesa e longe da zona onde desequilibra? Talvez haja se correr mal em Alvalade...

miguel87 disse...

Não há duvida que o Lopes tem pé frio... neste jogo falhou tudo, a começar na táctica e acabar na (falta de) atitude da equipa. Mas mesmo assim o resultado decidiu-se em 2 erros individuais, para não falar nas nossas duas bolas ao ferro.
O futebol é fodido, já ganhamos jogos a jogar tão mal como este e não ganhamos outros em que jogamos muito melhor.

Aparte disso vi o Maxi a jogar a passo e abrir crateras no flanco direito. O André pareceu-me estourado, sem pernas e pulmão que tinha no inicio da época.

O treinador não é isento de culpas, mas o estado das coisas já se arrasta há muito e vem de cima.

Anónimo disse...

Desta vez eu que admiro o Lopes tenho de admitir que foi o grande culpado. Não tanto pelo 11 inicial pois já jogamos assim e ganhámos mas principalmente pela instabilidade que passou do banco para dentro de campo. As substituições foram de um desesperado e a equipa sentiu. Mas se tudo correr normalmente estaremos nos oitavos.
Quanto ao Villas Boas se vier como adjunto do VP era óptimo.

Artur

Pispis disse...

O Imbula não tem jogado muito, nem em minutos nem em futebol jogado e não é preciso ser da Doyen para haver uma pressão natural para jogar. Um clube quando gasta muito dinheiro numa contratação normalmente gosta de o ver a ser utilizado.

O problema são estas alterações à Football Manager perante adversários diferentes. Não pode trocar tanto. Rúben Neves tem de jogar a 6, único 6. Danilo fica a léguas de Rúben Neves em tudo. E nem a central pode ser opção, basta ver a forma fácil como Derlis passou por ele no segundo golo.

O FCP não sabe jogar sem bola e ainda por cima é uma equipa muito, mas muito macia. Mas qd n mete jogadores de contenção e q gostam de ter a bola no pé cm André e/ou Evandro, não dá para ter muita posse...

prata disse...

Tenho ideia q nunca jogamos assim, mas é possível q possa ter acontecido uma vez.

Imbula ainda n custou 20... Pelo menos a nos. Puseram-no ca para estar na montra e para isso tem de jogar.

O q mais me admira é saber q lopetegui n consegue escolher os melhores interpretes para a sia própria táctica de enconanço... Assusta

prata disse...

Por uma vez, podíamos ter bola sem precisar mto de marcar e nem isso conseguimos fazer!

prata disse...

Já agora pis, relativamente ao q disseste dia milhões, tem o exemplo do Danilo q foi caro e jogava sempre. Mas tb tens o caso do adrian...

Lamas disse...

Tínhamos tudo e ficamos quase sem nada... derrota muito dura... o facto de termos tudo fez com que não nos apercebêssemos a real dimensão daquela partida...

A justificação que dás para o onze inicial, com um bocado de esforço, até se come... mas depois a borrada nas substituições já é mais difícil de engolir... primeiro desorganizando aquela defesa toda, depois tirando o nosso maior desequilibrador por ter falhado um passe (vou na óptica do Prata) que seria inofensivo se o Danilo não fosse comido de cebolada e o Casillas não enterrasse... substituição clara de cabeça quente...

levezinho disse...

eh pahh estava a ler a crónica e a pensar.. desta vez vou dar os parabéns ao prata.. podia ter sido eu a escrever isto... mas depois quando li a parte da importância de perder só por 1.. pensei... hum.. óbvio que eu pensei logo nisso... mas o prata tb ??

.. depois li basculizado por Pis.. e percebi tudo. :)

Até me dei ao trabalho durante o jogo de perceber que com o 0-1... em Stanford Bridge dava para arranjar a passarmos os 2... e fiquei 45 minutos incrédulo com o facto de mais ninguém se te der dado a esse trabalho.. principalmente alguém do FCPorto.

prata disse...

Eu nao acho q tu és um asno lev...

Mirone disse...

Qualquer que fosse o meio campo que jogasse tínhamos obrigação de ganhar a este dínamo... uma equipa bem inferior à nossa.
Tudo teve a ver com a atitude demonstrada de que já tínhamos o grupo no papo.