domingo, 15 de fevereiro de 2015

Sexta-feira 13


O 'filme' até parecia calmo com um argumento que indicava um final feliz. Entrámos bem e os lances de perigo sucederam-se com uma regularidade que fazia prever uma vitória gorda. Mais uma vez apresentámos uma finalização medíocre e pouco condizente com o agradável volume de jogo produzido. O intervalo poderia ter trazido mais acerto, mas trouxe um FCPorto semelhante. Um pouco menos de qualidade de jogo mas um desacerto na finalização igual. Vitória justa, mas curta.

Quem veio transformado do intervalo foi o Vitória de Guimarães.  Continuou a não criar perigo algum para a nossa baliza, mas apareceu transformado e bem mais agressivo.  Inicialmente pensei que poderia ser um bom teste para Basileia mas enganei-me. A agressividade não foi da boa. Foi mais à base da patada e da violência gratuita. Tentaram transformar aquilo num filme de terror, com a conivência de quem tem o dever de sancionar este tipo de jogo. Como o nosso segundo golo não surgiu, as patadas foram subindo de tom. Estranhei! Tenho visto vários jogos desta equipa e não tenho visto disto. Fui comparar com o jogo no campo do outro candidato ao título, nomeadamente no número de faltas. E lembrei-me também de outra equipa que fez este número de faltas no Dragão. Conclusão 1: Rui Vitória está a candidatar-se ao lugar de Catedrático com reforma dourada. Conclusão 2: Os miúdos que lá estão emprestados vão ter algumas coisas para desaprender quando voltarem...

Individualmente, já que houve muita selvajaria, destaco Casemiro como MVP. Teve o melhor jogador contrário para marcar e adaptou-se bem às exigências. Gostei também de Oliver e de Quaresma. Não fez nada de extraordinário mas jogou bem. Dá a ideia que o Lopes o está a convencer a descolar-se da linha e julgo que terá tudo a ganhar com isso. Tem de aproveitar as correrias de Danilo para ganhar o espaço que precisa. Brahimi arrancou bem mas foi bem substituído. Pela negativa, de uma forma geral a finalização. Não é possivel continuar com estes índices de aproveitamento. Indi continua no banco e eu continuo sem perceber. Último destaque para este 'pronto-socorro' de Lopetegui. A cada vez que perdemos o controlo emocional, entra um miúdo de 17 anos para serenar os ânimos. Incrível!

De regresso à Champions para confirmar o favoritismo. Acredito na passagem mas creio que os portistas vão ficar surpreendidos com a qualidade deste Basileia de Paulo Sousa.

1 comentário:

Lamas disse...

O Casemiro até costuma abusar do cacete, mas neste jogo foi um autêntico cristo, tanta paulada levou...

Curioso para a questão "Indi", que julgo será desfeita (ou não) logo...