segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Boas entradas


É uma frase muito repetida por esta altura. Depois daquela multidão no primeiro treino do ano até pensei que a entrada do FCPorto fosse fortíssima. Enganei-me. Tivemos duas más entradas. Na primeira parte durou até aos 20 minutos, na segunda parte até à entrada de Quaresma. Ainda assim, o resultado foi bom, a exibição também e os golos foram todos bonitos. Fiquei satisfeito.

Mas o que me agradou mais foi ver aquela subida a pulso na primeira parte. Entrámos mal mas, pouco a pouco, impusemos o nosso jogo, imprimimos velocidade e ganhámos com naturalidade. Importa analisar o contraste entre os primeiros minutos e os restantes. Por um lado, temos Casemiro que, sem linhas de passe, ou as inventa perdendo a bola ou passa para trás para Maicon alongar jogo para Tello e Jackson. Futebol irritantemente inútil porque as defesas contrárias estão consecutivamente em cima da sua área não dando grande espaço nas costas. Mais tarde, aparecem Oliver e Brahimi a assumir o jogo e tudo muda. A expulsão veio terminar com o jogo mas o segundo golo não tardaria, mesmo contra 11. Não deixa de ser perigosa esta oscilação entre o mau e o muito bom, mas não podemos dizer que a equipa não nos tem habituado a isso... No meio da nossa melhor fase, contra dez, conseguimos encaixar um golo sofrido e uma expulsão. Factos tão incríveis como os golos de Casemiro, Oliver e Jackson... Perdemos uma oportunidade de obter uma goleada histórica.

Individualmente, tivemos um recital de Brahimi e Oliver. Normalmente, pisam os mesmo terrenos o que os transforma numa dupla ameaça e consequentemente, muito mais difícil de conter. Atribuo o MVP a Brahimi que foi o que causou mais estragos. Vai deixar saudades. Oliver também, mas isso é só em Junho... O resto da equipa esteve bem com três exceções. Herrera esteve particularmente mau na finalização, Casemiro intranquilizou a equipa no início e Alex Sandro estava visivelmente embriagado. Tanto o vimos a tentar o golo do ano, como a tropeçar numa toupeira imaginária e a ser expulso num lance perigoso para a baliza, mas sem qualquer perigo para o resultado. Adrian fez uma assistência para golo! Eu sei que o mérito é de Oliver mas convem ir motivando o nosso deprimido porque, sem Brahimi, vamos vê-lo jogar mais minutos em jogos a sério. Continuo a esperar mais de Quintero, nomeadamente em jogos destes.

Boa reentrada no campeonato apesar da má entrada no jogo. Que sirva de lição. Resta-nos ganhar os jogos todos e, entrando bem, a coisa fica ainda mais fácil.

1 comentário:

Lamas disse...

Penso que o Alex Sandro tropeçou na toupeira de propósito, sacando o amarelo para limpar, não devia era ter aquela entrada (no segundo amarelo), mesmo que o lance desse golo não era problemático...

Oliver, pura classe... que golo.