quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Factor casa


Alguns julgavam que poderia ser um jogo para levantar a moral da equipa. Isso até me ocorreu, mas bastaram uns minutos de jogo para perceber que isso não ia acontecer. Nada é fácil para este FCPorto. Nem mesmo manter uma vantagem de dois golos perante o seu público, contra uma adversário banal, na segunda competição europeia... O factor casa tornou-se num bom medidor da maturidade das equipas. A capacidade que demonstram de impor o seu jogo e de aproveitar o apoio dos seus adeptos. Esta campanha europeia não tem paralelo na sua vertente de jogos em casa. Arriscámo-nos a sair das duas competições sem uma vitória em casa! E nem sequer defrontámos um único tubarão europeu.

O jogo de ontem foi dos que custou. Custa-me perceber que uma equipa tão limitada consiga mandar no jogo durante tanto tempo. Basta uma jogada para a defesa se intranquilizar. O mais difícil estava feito. Dá para explicar a fraca segunda parte que fizemos? O 2-0 não caiu do céu. Houve outras oportunidades. Mas custa-me que uma equipa tão fraca tenha tanta bola no Dragão. Foi o suficiente para acreditarem e lá chegaram aos golos da única forma que se poderia esperar a um equipa que parecia ter jogadores acima de 90 kilos por todo campo: aos repelões. Não conseguimos ter bola o tempo suficiente para gerir um resultado... Acho que vamos passar, mas o Napoles...

Individualmente, gostei das primeiras partes de Herrera e Quaresma. O golo é uma obra prima, daquelas que só esperamos de jogadores como Quaresma. Jackson lutou muito e também ele ia marcando um grande golo. Pela negativa o colectivo na segunda parte. Nessa altura não havia um jogador que pusesse ordem no jogo. A saída de Fernando não ajudou muito... Eu tinha tirado o Herrera. Para quem não esteve atento, Carlos Eduardo entrou no jogo. Podiam não ter notado...

No Domingo mais um jogo em casa perante um adversário que vi jogar várias vezes e que tenho a certeza que é bem mais difícil que estes alemães. E já agora, Paulo, se me estás a ler, bem podes preparar a equipa para o Leverkusen. Se estivermos prontos para o Leverkusen, estes 'trambolhos' de Frankfurt não vao ter hipóteses...

11 comentários:

bruno rodrigues disse...

o jogo de hoje é a prova daquilo que eu tenho vindo a dizer ao longo desta época e que , infelizmente, é a mais verdadeira das verdades, este ano, o porto é uma equipa de partes, raramente consegue manter o seu nível de jogo em ambas as partes, quer em jogos nacionais ou internacionais. desafio todos os leitores deste comentário a referirem 5 jogos em que o porto consegue manter o nível de jogo em ambas as partes. Na minha opinião, o problema é o seguinte: ou a equipa entra fortíssima nos jogos, a todo o gás, a pressionar, a criar oportunidades e jogar bem e depois, o pulmão e a força anímica acabam e isso reflete-se nas segundas partes miseráveis que a equipa faz nesses jogos (que, por vezes nos custam vitórias). os casos mais flagrantes são: atlético de madrid em casa, marítimo em casa e gil vicente em casa. ou então a equipa entra mal nos jogos, desconcentrada, com os jogadores a errarem constantemente e os adversários a ganharem confiança. depois, na segunda parte, a equipa vai atrás do prejuízo e tenta de tudo, para sair do jogo com um resultado positivo. aí, os casos mais flagrantes são: setúbal fora, austria de viena em casa, estoril em casa (para a taça de portugal). e ainda há jogos onde a equipa joga mal, do primeiro ao nonagésimo segundo minuto (académica fora, marítimo fora, esgoto escuro de carnide, etc...). conclusão- é urgentemente necessária uma mudança de treinador, que seja capaz de motivar a equipa de modo a que a equipa jogue bem do primeiro ao nonagésimo segundo minuto. este tipo é além de muito burro e estúpido, inexperiente, esse é para mim o maior defeito dele enquanto treinador, a questões técnicas e táticas também são importantes, visto que a equipa não está bem tecnicamente nem taticamente. mas tenho fé que no final da época este estupido seja corrido e aí, as coisas vão melhorar. BIBÓ PORTO

Anónimo disse...

É realmente deplorável tudo o que Paulo Fonseca faz. As ordens para os laterais deixarem de subir. As substituições caricatas. O não ver que o meio campo mais parecia um passador, o jogar com as linhas tão afastadas dando espaço, mesmo a um adversário tão limitado técnicamente.
Como é que alguém com alguma responsabilidade de gestão num clube desta natureza, nada faz para minimizar os incríveis danos causados por este miserável treinador.

Anónimo disse...

É realmente deplorável tudo o que Paulo Fonseca faz. As ordens para os laterais deixarem de subir. As substituições caricatas. O não ver que o meio campo mais parecia um passador, o jogar com as linhas tão afastadas dando espaço, mesmo a um adversário tão limitado técnicamente.
Como é que alguém com alguma responsabilidade de gestão num clube desta natureza, nada faz para minimizar os incríveis danos causados por este miserável treinador.

Anónimo disse...

Eu ja nao peco a saida deste anormal que se senta no banco...eu peco encarecidamente que o nosso grande presidente se retire e leve com ele a obra feita e deixe o FCP para quem tiver unhas.PC esgotou-se, ja nao dá mais.

Anónimo disse...

Definitivamente O F.C.P, já não é o grande amor de Pinto da Costa. Talvez o seu grande amor, agora tenha sotaque. De qualquer forma não deveria tratar o Porto, como uma mulher de quem acaba de divorciar-se. É puro SADismo manter este pérfido treinador, é puro SADismo ver o nosso belo Estádio às moscas ou só para convidados do empresário e altas individualidades. Por favor, se já não ama o Porto, deixe-o a quem o ama e vá gozar a sua lua-de-mel para Fortaleza ou outras paragens de sotaque adocicado.

Anónimo disse...

Numa semana em que campanhas ultrajantes em todos os meios da capital do Império nos são dirigidas e que implicitamente nos apelidam de saloios, broncos e básicos, o treinador do F.C. do Porto faz uma figura tão ridícula na conferência de imprensa! Ninguém pede responsabilidades a este senhor? Ninguém avalia os danos causados a uma Instituição prestigiada, ninguém se interessa pela imagem que isto passa para o exterior? Como é que chegamos a uma situação destas e uma estrutura que move centenas de milhões de euros nada faz?

miguel87 disse...

Em certos momentos do jogo de Barcelos e de ontem notei uma ligeirissima evolução no jogo da equipa, mas é vergonhoso, porque é uma evolução que vem com 7 meses de atraso!

A certa altura da primeira parte de ontem ocorreu-me o seguinte:
Maicon é um rochedo, Mangala uma força da natureza, Danilo é capaz de desequilibrar no ataque, Alex Sandro uma máquina, Herrera um monstro que enche o campo, Quaresma é capaz do pior mas também do melhor, Jackson uma categoria... Como é que um conjunto de jogadores destes em 7 meses joga tão pouco futebol...???

De resto nada de novo, passados 7 meses continuamos a ver um Porto incapaz de controlar um jogo, reparem que nem falo em dominar como fazíamos num passado recente, mas apenas controlar!

Junta-se a tudo isto o vergonhoso preço dos bilhetes - como é possível nuns 1/16s da liga europa cobrar quase o dobro (€14) do que paguei pelo mesmo lugar nos 1/8s da champions há um ano (€8)?? - mais as lamentáveis gaffes do treinador quer antes quer depois do jogo e chega-se à conclusão que algo vai muito mal no reino do Dragão, e muito para lá da simples incapacidade do treinador!

Anónimo disse...

Não concordo quando dizem que o Alex Sandro tivesse ordens para não avançar. Antes tivesse, já que houve umas 3 situações quase iguais na 1.ª parte em que se esqueceu de recuar e deixou uns 40 metros livres atrás de si. E depois queriam que o Quaresma fosse compensar. Esta situação já se verificou muitas vezes esta época. Se o defesa não defende vai o Quaresma fazer isso? Fui (ainda sou?) um admirador do A Sandro, mas está a passar um período horrível. E nem falo do segundo golo onde tentou aliviar a bola. Esta equipa é tudo para a frente e fé em Deus. Só que fazem tudo em camara lenta. Os adversáros estão à espera de oportunidade porque sabem que vai aparecer não uma mas várias vezes.

Lamas disse...

O Carlos Eduardo apareceu no último lance do jogo em que Ghilas falha o encosto...

Doloroso, muito doloroso empate... fez lembrar uma igualdade com o Olympiakos também a 2 bolas a escassos minutos do fim com Ivica Kralj a enterrar fortemente...

Mas voltando à realidade actual são sinais preocupantes...

E quanto à situação caricata do PF, ela ainda se torna mais bizarra porque na antevisão chamou-os de "Borussia"... como é possível, depois de se ter enganado no dia antes do jogo, conseguir enganar-se outra vez... a primeira até se pode dar de barato, mas depois não ter esse cuidado no dia seguinte... e por duas vezes??? Incrível...

Anónimo disse...

Os problemas já estão identificados há muito tempo:
-decisões de contratação e dispensa são tomadas com base o lucro...mas não o do clube (o que poderia ser discutível mas aceitável)...masto o dos gestores de topo e a sua comandita;

orodas disse...

Os problemas já estão identificados há muito tempo:
-decisões de contratação e dispensa são tomadas com base o lucro...mas não o do clube (o que poderia ser discutível mas aceitável)...masto o dos gestores de topo e a sua comandita;
-a sad/clube deixou de ser a preocupação de PC...e tudo leva a crer que a compra de acções que tem feito a baixo preço (para o que muito contribui a falta de qualidade do futebol) se deve ao muito falado takeover do clube por parte de algum sheik ou barão do petróleo...coisa que os adeptos estarão muito mais receptivos com uma equipa em perda;
-todos os ganhos obtidos com vendas e algumas boas participações na CL tem sido "queimados" na compra de jogadores medianos que mais tarde ou mais cedo saem do plantel e vão sendo emprestados;
-estes jogadores medianos ou comprados a preços sobrevalorizados estão a tapar o lugar de jogadores da formação: muitos sem sombra melhores do que os jogadores adquiridos...outros no mínimo de igual qualidade mas mais baratos...então porque não aproveitados? Fácil porque jogadores formados no clube não dão comissão;
-a escolha do treinador é nitidamente um erro...não tem experiência, nem conhecimentos, uma confiança cega nas suas ideias só tem validade se forem boas pois caso contrário não é confiança é estupidez...para além disso torna-se evidente que a equipa funciona em autogestão enão vê no treinador como um catalisador das capacidades dos jogadores
-mas a culpa não é só dele...ou pelo menos assim parece: mesmo com todos os erros de contratações o plantel no início de época tinha matéria prima para soluções diferentes: importará então saber quem fez as escolhas entre jogadores que permaneceram e os que foram emprestados ou cedidos, e que tornaram o plantel actual muito desequilibrado...falta no meio campo alguém com capacidade técnica qb mas com a capacidade de luta para ajudar fernando nos jogos (defour não é esse jogador e Herrera muito menos...e tínhamos esse tipo de jogador em castro...e não deve ter sido à toa que Moutinho disse que seria o seu substituro natural); por outro lado não existem alternativas aos laterais (não poderia fucile ter sido gerido de outra forma?)...e Danilo não sendo mau não vale os milhões dispendidos é um jogador mediano; os centrais são muito parecidos...não existe um que se assuma como patrão da defesa; a utilização de lucho como um "cão de fila" encaixotado atrás do PL rebentou fisicamente com ele; a escolha de licá e varela como primeiras opções foi um erro porque são dois jogadores muito parecidos...iturbe, kelvin traziam mais risco mas mais soluções, e um bom treinador tem que saber encontrar esse equilibrio;e por último a escolha da alternativa a Jackson ou pelo menos a utilização que está a ser dada a ghilas não é a mais correcta