quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Podia ter sido mais fácil...


Ora aí está um título de post que posso aplicar tanto ao jogo de ontem como à primeira volta.

Comecemos pelo jogo de ontem. Boa entrada em jogo, com golo nos primeiros minutos e com mais 3 oportunidades claras para facturar. Logo aqui se podia ter feito o resultado. Com um bocadinho mais de calma e de talento, um 2-0 nessa altura seria um resultado que não assustaria ninguém. Mas logo veio um dos nossos habituais apagões. O Setúbal deixou de andar à nora e passou a acreditar. Pregou dois ou três sustos e com isso chegou ao intervalo com a ilusão de que estava a disputar o jogo. E por mim tinham razão. O jogo não estava controlado. Passou a estar com uma substituição de Vitor Pereira ao intervalo. Tira-se um extremo e mete-se um central. Chamar-lhe-ão substituição defensiva mas eu prefiro eficaz. A partir daí não mais o Setubal criou perigo, a não ser numa quase oferta de Helton. Além disso, trocámos um jogador apagado e inconsequente por um titular que começará agora a reentrar na equipa. E Alex Sandro é um jogador de tamanha fineza que desempenha melhor as funções de médio/extremo que qualquer dos extremos do plantel, com a excepção de James que também não é bem um extremo. Foi portanto um boost de qualidade e serenidade no jogo do FCPorto que permitiu que a equipa ganhasse o jogo. Só não dou nota máxima a Vitor Pereira porque acho que esta poderia ter sido a solução inicial.

Destaques óbvios para os já habituais Alex Sandro, Jackson e Mangala. Para mim o MVP foi Alex Sandro. Muita, muita classe. Impressionante. Depois tivemos Jackson que marca dois golos. Por último, Mangala que tirando de dois lances em que dá a Meyong demasiado tempo para pensar, fez mais uma exibição impressionante coroada com duas assistências para golo. Pela negativa Kelvin. Muito tenro. Não pode ainda jogar a este nível. Por mim ficava na equipa B até ao final da época. Lucho esteve bem em tudo menos no último toque. Nem parece dele. A excepção foi o golo. De saudar o regresso de Maicon. Por muito que Otamendi venha a jogar bem, Maicon é outra coisa.

Fazendo um análise rápida e superficial à primeira volta: não está mau. Óbvio que uma primeira volta de sucesso era uma primeira volta com liderança isolada e isso poderia ter acontecido não fossem aqueles quatro pontos perdidos em Barcelos e em Vila do Conde. Se se lembrarem desses jogos poderão concordar que foram ambos jogos que tivemos controlados, mas que não ganhámos porque simplesmente deixámos o tempo passar até uma altura em que já era tarde de mais. Isto aconteceu também noutros jogos como o de ontem sem que houvesse consequências de maior. Há que temperar melhor as nossas exibições. Quando é para descansar com bola, há que fazê-lo com mais critério e sem que o adversário veja nisso uma oportunidade para crescer no jogo. Esse é um dos desafios para uma segunda volta mais segura e ainda mais vitoriosa.

4 comentários:

Lamas disse...

Penso que faltou falar no factor vento, também ajudou, quer à boa reacção do Setúbal na primeira parte quer ao controlo absoluto do FCP na segunda... ou sou eu apenas influenciado pelos comentários do Pedro Henriques...

O Alex Sandro tem aquele pormenor delicioso na primeira parte quando lhe tentam virar à primeira e depois à segunda é barbaramente pontapeado e o gajo conseguiu ficar em campo até à gritaria que fez quando se atirou para a piscina na segunda parte...

prata disse...

Sim. agressão nesse lance. e o Mota ainda se queixa...

miguel87 disse...

fora a quantidade/reincidência brutal de faltas cometidas por eles...

Anónimo disse...

Antes de tudo quero fazer uma declaração de interesses: sou Portista.
Exatamente por ser Portista tenho vindo a observar o Clube e noto que talvez tenhamos caído num adormecimento, acreditando solenemente na chamada "estrutura", a mim por muito que custe perder acabo por aceitar quando se perde depois de tudo fazer e em campo, ora vejamos:

Em Braga para a Taça fomos jogar com suplentes, porquê ? porque é fácil jogar em Braga ? já sei ERA PORQUE NÃO ERA UMA COMPETIÇÃO PRIORÍTÁRIA... e foi-se a Taça por uma suposta "gestão da estrutura"

Agora ficamos de fora da Taça da Liga...já sei ...ERA PORQUE NÃO ERA UMA COMPETIÇÃO PRIORITÁRIA...e foi-se a Taça da Liga por uma suposta "gestão da estrutura"

Em 4 objectivos ficaram 2 enquanto o Benfica está nos 4, dir-se-á : mas o Benfica não é melhor que nós e eu concordo mas uma coisa é certa :

- Não foi o Benfica que foi jogar com suplentes a Braga para a Taça

-Não foi o Benfica que permitiu que jogadores que segundo os regulamentos não poderiam jogar jogassem.

Umas vezes caímos em armadilhas
(ex caso do Túnel da Luz )noutras damos tiros nos pés "vamos jogar com suplentes ou vamos jogar com jogadores sem verificar da regularidade do seu uso".
O que é certo é seja que a cair em armadilhas, seja a dar tiros nos pés e a dizer constantemente que
"NÃO É UMA COMPETIÇÃO PRIORITÁRIA" (já farta ouvir isso) vemos todos as competições fugirem.
Devemos ganhar no campo mas um grande clube vence no campo e na organização e quer-me parecer que há uns tempos para cá adormecemos na história da estrutura.

Enquanto isso outros estão em 4 competições e nós quando não tivermos nada para ganhar vamos finalmente dizer : foram-se todas as competições mas nenhuma delas era prioritária !

A equipa que temos merecia muitos melhores treinadores e muito melhor estrutura.

Assim não dá e custa muito perder não por mérito dos adversários mas por burrice nossa....e isso tem-se vindo a repetir em outras ocasiões embora menos faladas...aquela gestão em Braga foi um típico exemplo de acreditar na estrutura, de tiro no pé.

corremos o risco de ver o Benfica levar tudo.

O FC Porto que eu conhecia ia a todas as competições sempre para ganhar, algo no clube se passou que acabou com isso, somos frágeis demais para tudo o que construímos, com um sopro jornalístico parece que se consegue fazer-nos cair...está na altura de abrir os olhos.