segunda-feira, 7 de maio de 2018

Finalmente Campeões!


Finalmente por duas razões que todos já sabemos. Por um lado, já não ganhávamos nada há muito, demasiado tempo. Ciclos destes têm sido muito raros desde que nasci e desde que Pinto da Costa está no clube. Mas desta vez entrámos numa espiral de insucessos que estava a ser demolidora na tesouraria e até nas Taças. Este ponto de viragem poderá ser importante para quebrar com o ciclo que nos vinha afectando os nervos, a expansão do museu e os cofres. Também por esse motivo, este pode ser um dos títulos mais importantes da era Pinto da Costa, tal como Sérgio Conceição fez questão de destacar.

Por outro lado, todos temos a noção de que podíamos ter resolvido isto mais cedo. Há três motivos principais para esta quebra, que chegou a pôr a nossa superioridade em questão. Em primeiro lugar tivemos um surto invulgar de lesões em jogadores importantes. O jogo de Paços de Ferreira é o maior exemplo das dificuldades que tivemos. Jogámos sem Danilo, Herrera, Alex, Marega e Soares. Só 5 (!?) titulares... E não foi assim tão invulgar vermos Sérgio Conceição a jogar sem 3 ou 4 dos habituais titulares. Há quem diga que isto é um resultado da nossa forma intensa de jogar, mas não me lembro de uma época com tanto azar. Em segundo lugar, e num 'segway' perfeito entre factores, a equipa chegou muito cansada a esta fase do campeonato. Nota-se que este impulso final foi mais com 'coração do que com cabeça'. Há jogadores que, devido às lesões dos colegas, fizeram a época toda. Lembro-me sobretudo do Alex, da dupla de centrais, de Brahimi e de Ricardo Pereira. Notou-se sobretudo nestes últimos dois. Por último, o polvo. Ontem vimos o Sérgio Oliveira, o Marega e o Gonçalo a maltratar um peluche. Será talvez uma metáfora perfeita do que se tem passado. Temos feito fortes investidas, mas o animal não parecia muito afectado. Pelo menos não mudou nada. Temos feito um bom trabalho na denúncia, mas podem ter a certeza que este título lhes vai doer muito mais! Mais um motivo para a importância capital deste título.

Quanto ao jogo, nem vale a pena falar muito. Valeu mais a festa! Dava a ideia que o jogo era apenas um pretexto. Jogámos o suficiente para dar a vitória aos adeptos e não se exigia mais. Individualmente dou o MVP a Brahimi pelo momento bergkampiano do seu golo. Sublime! Gostei também do Sérgio Oliveira que está com muita vontade de marcar e apareceu muito na área.

Está feito! Vamos lá ao record dos 88 pontos e a seguir aos Aliados!

1 comentário:

Anónimo disse...

O Porto assim é ainda mais bonito, pá. Parabéns Campeões.