quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Grupo fraco


Outra vez Herrera... Na crónica do jogo de Sábado destaquei o facto de André André ter ficado com a braçadeira e o facto de Herrera não a ter e de nem ter sequer jogado. Hoje terei de destacar Herrera novamente. O momento da foto é também duplamente satisfatório. Não só sai Herrera que estava a fazer um jogo bastante fraco, como reaparece Brahimi, finalmente como solução para a equipa. 

Mas foram poucos os momentos bons no nosso regresso à Champions. Lembro-me do do golo e do inesperado regresso de Brahimi. O golo apareceu cedo e sem que tivéssemos feito o suficiente. A partir daí, vimos um FCPorto incapaz de controlar o jogo e um adversário, que não é tão fraco como se pensava no dia do sorteio, mas também não é tão forte que possa vir cá causar problemas a um FCPorto a jogar o que jogou em Roma ou no Sábado, por exemplo. A lição a aprender é de que o Grupo é de facto fraco, mas o FCPorto ainda não está tão forte como em edições anteriores. Depois deste mau resultado, teremos de ir buscar pontos fora de casa. Pelo menos 4 pontos.

Voltemos à incapacidade de controlar o jogo. Aqui volto à minha luta. Este não é o meu meio campo. Um meio campo com jogadores que seguram melhor a bola como Ruben e André André, nos lugares de Danilo e Herrera, dariam mais e melhor posse e mais controlo sobre o jogo. Assim, no ataque o FCPorto dependeu um pouco da inspiração de Oliver e Otávio. Mas rematou muito pouco. No jogo de Sábado conseguimos controlar o jogo com golos. Hoje faltou o segundo, mas só se consegue se se rematar... Sem remates e sem golos não conseguimos ter capacidade para controlar o jogo. Tem sido notado que temos alguns problemas de posicionamento defensivo e ocupação dos espaços sem bola. Dá a ideia que a nossa reacção à perda de bola é forte, mas que não estamos preparados para recuperar quando esse primeiro ímpeto não funciona. Mais concretamente, se passam a nossa primeira linha de pressão, têm uma auto-estrada até à nossa defesa. E o Copenhaga tentou aproveitar para isolar no lado contrário os seus melhores alas que pressionaram a nossa defesa com inúmeros cruzamento perigosos. E isso fez com que o adversário fosse sempre perigoso até ao momento em que ficou com 10. A partir daí o jogo mudou. O FCPorto passou a atacar cada vez mais e cada vez pior, perante um Copenhaga cada vez mais defensivo. Brahimi trouxe mais critério ao ataque, mas não chegou.

Individualmente, gostei de Otávio e Oliver. Dou o MVP ao primeiro pelo golo. Gostei da entrada de Brahimi que trouxe alguma clarividência a um jogo ofensivo que estava um caos. Acho que Nuno poderia ter arriscado mais com a entrada de Depoitre por Herrera. Os centrais estiveram muito pressionados e responderam satisfatoriamente. Alex Telles acabou por fazer um jogo manchado pelo lance do golo adversário. Nota negativa, mas tem sido um jogador de adaptação surpreendentemente rápida. O lance do golo resulta de uma arrancada dele. Layun estava muito nervoso e complicativo no final. André Silva também.

Siga para Tondela! Estamos em perseguição e só os 3 pontos interessam.

3 comentários:

Mirone disse...

Será que vai ser outra época "montanha russa", no sábado uma boa exibição (mais pela vontade de vencer e a garra do que pela qualidade) e ontem um belo escarro. Estes dinamarqueses podem não ser tão fracos como isso mas não são de um nível inferior ao Guimarães.

Quando parece que vamos embalar, acontece um joguinho destes para demonstrar que ainda não estamos lá... muita coisa para melhorar mesmo.

Faltou uma referência negativa para o Casillas, segundo jogo consecutivo que não apanha um cruzamento. Não sei se a equipa já sente esta intranquilidade, mas pelo menos eu já borro a cueca sempre que cruzam uma bola para a nossa área.

miguel87 disse...

A imagem do jogo de ontem, para mim, é a do treinador. Não esperava mais do que isto dele, até já me surpreendeu e fez melhor do que eu esperava neste arranque de temporada.
Mas parece que acabou o estado de graça do Nuno Espirito Santo, aliás acho que mais do que Espirito Santo, é um Anjinho! Como é possível abdicar completamente de ter a bola após o 1-0 (fazer isso com 3-0 contra o Vitória já é mau, mas como ontem!?!)? E como é possível, depois de ter o brinde de se apanhar a jogar contra 10 (pois se isso não acontecia, duvido que tivéssemos sequer empatado), acabar o jogo sem um lance de perigo, com os 2 centrais e 1 trinco encostado a eles até ao final do jogo??

Mantenho a opinião que o mal maior do Porto não é o treinador, mas com o talento que temos no plantel acredito que era possível fazer muito melhor figura. Mas estamos condenados a um futebol "à Jesualdo", com linhas baixas, o meio campo encostado à defesa, sem pressão e sempre na expectativa. O Danilo é cada vez mais uma versão rasca do Fernando, sendo inoperante com a bola nos pés, não consegue sequer ser o tampão que ao menos o brasileiro ainda ia sendo... está sempre a marcar com os olhos, longe do lance e recuado demais.
Para Herrera já não há palavras, é um daqueles mistérios do futebol em que só os treinadores vislumbram algo que mais ninguém consegue. Oliver e Octávio andam a atropelar-se um ao outro e o segundo que foi sempre o mais esclarecido e com maior poder de explosão foi substituído em detrimento do primeiro. O Corona anda perdido entre as indecisões do treinador, ora joga encostado à linha ora joga junto ao André Silva, enquanto Adrian (este sim um avançado par jogar em dupla) já nem no banco se senta. Brahimi ficou cá por acaso e estamos para ver o que vai dar, sendo que o estado de espírito deste não pode ser grande coisa, vide declarações do Aboubakar, um caso quase idêntico ao dele nesta pré-época.

Layun, Telles, Ruben, Oliver, Octavio, André Silva, (JC Teixeira? e Diogo J?)... temos talento e raça suficientes para fazer uma grande equipa, com boa participação na champions (alguém se lembra de um grupo mais fácil à partida?) e para lutar pelo campeonato, mas não temos treinador e muito menos direcção para ir além dos 3ºs lugares...

Anónimo disse...

subescrevo o post, foi um jogo confrangedor óntem. colectivamente estamos muito mal, a jogar assim ficaremos à frente do Braga apenas pela qualidade que há no plantel. o Købncoiso é uma equipa com atitude e um comportamento colectivo a funcionar bem, mas eles também não são capaz de fazer mais do que um golo aos trambulhões. tentar jogar contra uma equipa destas com bolas longas pra frente e cruzamentos para a área é de rir. mas ser completamente incapaz de tirar-lhes a bola (no Dragão!) é de chorar...
--tom.