segunda-feira, 26 de setembro de 2016

A ideia de jogo


O jogo deste fim de semana já foi há algum tempo, mas ainda está fresco o susto que apanhámos. Contra o Vitória de Guimarães tivemos o único jogo descansado no Dragão e nós tratamos de o destacar aqui no título do post. Não conseguia prever nessa altura que os jogos com o Copenhaga e Boavista seriam bem mais difíceis, até porque me parecia que a equipa de Guimarães está ao nível de uma e é bem superior à outra. O jogo com o Boavista tornou-se difícil pelo golo 'a frio' e por termos adiado o ataque ao golo da tranquilidade. Nuno Espírito Santo pretende um FCPorto autoritário no Dragão. Ainda não o temos.

Aqui encadeio a questão da ideia de jogo. Vejo três grandes problemas. Nuno diz que vamos evoluindo e assimilando a ideia de jogo. Ora o que eu vejo são avanços e recuos. Na sexta-feira vimos uma excelente reacção a seguir ao golo sofrido. Se a ideia de jogo de NES é a que se viu nos 20 minutos que se seguiram ao golo do Boavista, gosto. Se for a do resto do jogo e sobretudo a do jogo com o Tondela, estamos mal! O problema é não se sente evolução. Sente-se que a ideia muda consoante os interpretes. Parece óbvio. Herrera é diferente de Oliver, Depoitre é diferente de Corona, Corona é diferente de Brahimi e Ruben é muito diferente de Danilo. É normal que as coisas mudem consoante os interpretes. O que não é normal é que o rendimento seja muito pior num dos esquemas. Outro problema é que não conseguimos ter uma ideia de jogo que nos sustente durante os 90 minutos. É inexplicável que, tendo virado o resultado ao intervalo, não se parta para uma vitória segura. A cada jogo que passa, fico com a noção que ainda estamos numa fase bastante embrionária na formação de uma equipa.

Individualmente, André Silva é o destaque óbvio. Esteve muito bem apoiado por Oliver e Otávio, os suspeito do costume. Adrian também esteve bem e esteve bem melhor do que Depoitre nos jogos anteriores. Lá atrás, Alex Telles esteve muito melhor que Layun, talvez a nossa pior exibição e Marcano esteve bem melhor que o eterno desastrado Felipe. Já tem sido habitual. Do banco vieram reforços. Os três entraram bem com destaque para Jota.

Em Leicester teremos uma boa a oportunidade para recuperar os dois pontos perdido em casa.

Para terminar, ainda aguardamos um jogo em que não tenhamos razão de queixa em lances capitais. Pelo que vejo nas bancadas, os adeptos estão revoltados. Quanto a Direções e SAD's, a newsletter vai-me dizendo que também estão revoltados, mas é o único indício que tenho...

3 comentários:

miguel87 disse...

Ridiculo. É a palavra que me vem à cabeça para classificar a maneira como abordamos um jogo destes. No Dragão, contra equipas que se fecham todas, como entra o Porto? Tudo afunilado no centro, laterais a meio caminho, nem dão profundidade e largura, nem garantem a cobertura às costas.
Danilo à frente dos centrais, Octávio, Oliver e André André no meio, André Silva e Adrian à frente deles. Isto visto da fila 46 paraceu-me perfeitamente ridiculo.
Ganhamos graças à sociedade Octávio & André, que fabricaram mais 2 golos e um frango do redes adversário.
Enquanto isso o nosso melhor jogador passa de titular para a bancada e daqui para não se sabe onde amanha em Leicester, onde ao contrário de ti, não tenho fé nenhuma que seja uma boa oportunidade para recuperar pontos, simplesmente porque qualquer equipa inglesa joga com uma intensidade que por si só é capaz de deixar esta nossa equipa à nora.
I expect the best and prepare for the worst...

Entretanto, ouvi dizer que o treinador adversário se queixou da arbitragem! Como!? Um golo em fora de jogo e 3 penalties por marcar não chegam? Ainda choram por mais??

A nossa newsletter e FB estão revoltados sim, mas não trabalham em conjunto com a direcção, o presidente já dissse várias vezes que nem sequer vai à internet, por isso não nada com ele...

Lamas disse...

Prata, só porque sei que adoras o "moço", tal como referes na crónica, relembro que o MVP da partida, segundo os adeptos foi... esse mesmo... Felipe! ;)

prata disse...

Eu e o Pis reparamos nisso. Foi o momento WTF da noite...