segunda-feira, 25 de abril de 2016

De volta aos serviços mínimos...



Primeira vitória da pré-época fora de casa e terceiro lugar garantido… Uau! Não fosse a Taça de Portugal e a motivação que é necessária aparecer com bons resultados e exibições para chegarmos ao Jamor com boas possibilidade de trazer o caneco e quase que me veria a torcer por maus resultados até ter a certeza que Peseiro não vai ser opção para a próxima época.

Bem, voltando ao jogo. Repetição do onze da jornada anterior com alteração do guarda-redes (lá está, para ganhar rotinas para a final do Jamor). O Porto entrou mandão, muita posse de bola e subida declarada dos laterais com Rúben Neves também mais subido, arrastando Sérgio e Herrera para posições mais avançadas no terreno e não permitindo grandes trocas de bola à equipa adversária, obrigando-a a um futebol mais direto.

E contra a corrente do jogo e num desses lances de futebol direto, a Académica ganha um livre que Pedro Nuno (o tal que dizem ser da formação do slb mas só lá esteve um ano de juvenil e um ano de júnior) concretiza para o lado que deveria ser protegido por Helton… Mas pronto, vou dar de barato e entrar na onda que foi um grande golo e não referir que Helton estava mal posicionado.
No período de menor fulgor do Porto e quando parecia que iríamos entrar no marasmo de ideias depois de estarmos em desvantagem, Rúben Neves mostra que Danilo tem que ser vendido por 20M porque temos de aproveitar um miúdo de 19 anos que pode construir jogo, que arrisca no passe, que é feliz nos remates e, acima de tudo, é NOSSO (bem, quase todo já que deram 10% do passe a um familiar qualquer da SAD). Qual a equipa que se pode dar ao luxo de construir com um 6 sem ter de estar à espera que venha um 8 recuar no terreno para pegar no jogo?

Reatando a partida, o Porto continuou a procurar o golo e o quanto eu desejei que aquele segundo golo tivesse um toquezinho do André, vi umas 20x a repetição à espera de encontrar uma câmara que mostrasse o desvio da nossa próxima referência na grande área mas não posso dizer que encontrei. O miúdo precisa de golos para mostrar aos mais cépticos que ele, Rúben, Rafa, André André, tem que ser titulares no próximo ano… Já que é para ficar em terceiro e é, aos menos ficamos com os nossos!

Até ao fim, uma reacção normal da Académica que podia ter resultado no golo do empate, principalmente com aquele ‘charuto’ à trave.


Para sábado, não podemos facilitar… ou então se me garantirem que o slb não é tricampeão podemos perder por um :-)

4 comentários:

prata disse...

Vi grande parte do jogo apenas ontem. Destaque para o golo do Ruben Neves e para o facto de estar a custar a chegada ao golo do André Silva. Já merecia.

A transição defensiva continua medíocre e a isso muito ajuda o facto de Maxi jogar com menos preocupações defensivas que Varela e Corona juntos. Vá lá que ele vai sendo decisivo em termos ofensivos.

Ultima referência para a tua lista de jogadores da casa. Tenho ouvido pouco o nome de Ivo Rodrigues nestas conversas, mas é injusto. É provavelmente, e a par de Ricardo Pereira, o jogador emprestado com rendimento melhor e mais consistente, numa equipa que tem a Europa praticamente garantida. Merece um lugar na pré-época.

Anónimo disse...

Nunca na vida suportaria ou admitiria ver o FC Porto perder para evitar que outros, sejam eles quais forem, sejam campeões.
Respeito as opiniões dos outros, mas acho ridículo alguém Portista "não se importar" com uma derrota do FC Porto, tipo "um meio para um fim" ou "mal menor", quanto mais escrever tal coisa, como autor ou comentador.
O pior de tudo é ver esta opinião largamente defendida na bluegosfera...
Um Portista tem vontade de vencer todos os jogos que disputa, independentemente de estar arredado da luta pelo título. Prejudicar-nos a nós próprios para prejudicar um rival só porque o odiamos (ou porque não queremos a sua supremacia, ou porque são vermelhos, ou porque cheiram mal do rabo) é subverter o princípio pelo qual competimos e pelo qual nos batemos nos últimos anos: ser e saber-se (muito) melhor que os outros.

cumps,
bms

prata disse...

Duas coisas, caro bms: Acho que o ':-)' é para ser entendido como ironia. Mesmo que não fosse, não me parece absurdo que uns prefiram que ganhe um ou outro. Eu pessoalmente, também preferia que não houvesse tri. Por muito que isso implique que ganhe um presidente membro de claque com a maturidade de um adolescente punheteiro e impossível de aturar. Eu acho que seria menos mau para o FCPorto. Ideal mesmo era que ganhasse um Leicester Tuga , tipo Arouca, mas isso não é possível. Estas teorias 'puristas' de que temos de jogar sempre para ganhar, até na Taça da Liga, é bonita mas nem sempre é praticável. Neste momento, a vitória do FPorto implica que o nosso maior adversário seja Tricampeão. Isso é impossível de limpar da nossa análise.

Anónimo disse...

Eu esperaria até ao jogo do Guimarães na Luz para decidir se deixava mos ou não o Abordem ganhar. Claro que não puderia ser um deixar ganhar de uqalquer maneira. Teria de ser um jogo sério, marcar um ou dois golos e no final dar duas fífias para que não ficassem dúvidas que nós é que tinhamos escolhido o resultado.

Artur