quinta-feira, 16 de abril de 2015

Parecia um sonho!


Aos 10 minutos tínhamos um cenário impensável. Uma das três melhores equipas do mundo vergada e a perder 2-0 no Dragão. E tínhamos ainda um Jackson miraculosamente recuperado, algo que julgávamos extremamente difícil. Lopetegui tinha montado um esquema agressivo e posicionalmente perfeito para expulsar o Bayern das zonas interiores onde é realmente perigoso. A intensidade com que abordámos aqueles primeiros minutos orgulha os portistas e faz lembrar outros tempos. O único pingo de realidade que tínhamos era o facto de Neuer não ter sido expulso. O resto era de tal forma inesperado que dei por mim a gritar o «olha a hora!» aos 11 minutos de jogo...

A verdade é que o 2-0 nos aumentou o desafio. Este ano tivemos superioridade de posse de bola em todos os jogos menos o de Bilbau em que tivemos 50-50 (nem falarei do jogo de Braga para a taça da liga...). Nessa altura sabíamos que iria ser impossível ter mais bola que um Bayern em busca da recuperação. Aí notei que a bola queimava um pouco, o que fez com que perdessemos um pouco da  nossa identidade. Mantivemos sempre uma organização excelente, uma pressão forte sobre a construção dos alemães e uma excelente reacção à perda. O golo alemão acaba por aparecer na sequência de uma bola parada e numa das poucas ocasiões em que a organização delineada não estava em prática. Até ao intervalo a tendência não se alterou. Na segunda parte viemos melhor. A mesma intensidade e organização, mas com mais qualidade e critério na saída para ao ataque. A vantagem de dois golos voltou a parecer possível e concretizou-se em três toques sublimes do inevitável Jackson. Perfeito!

Individualmente destaco Jackson. Temos óptimos jogadores e um esquema táctico que tem vindo a melhorar ao longo das provas. Mas se há um jogador que nos aproxima da qualidade Champions, é Jackson. Impressionante! Na próxima vez que me disserem que um jogador vindo de lesão não tem ritmo, tenderei sempre a dar este exemplo. Gostei também de Quaresma e do Alex Sandro. Foram os jogadores que menos menos tiveram de assumir o jogo, numa altura em que mais precisávamos. Ambos dormiram no golo do Bayern mas era difícil esperar que uma bola rasteira passasse no meio daquela confusão de pernas. Casemiro está transformado num monstro naquele meio campo. Dos jogadores que mais evoluiu com Lopetegui. Por falar no 'Lopes', nota máxima. Muito dedo de treinador, que soube preparar a equipa para não ter bola, algo que ainda não nos tinha acontecido. Deliciosa a forama como Rafinha gritava pelo passe longo e, quando recebia, já tinha alguém a barrar-lhe o caminho. Não anotei más exibições.
A balança da eliminatória equilibrou um pouco. Não será surpresa para ninguém se as dificuldades na segunda mão saírem triplicadas ou quadruplicadas. A Champions é assim.

PS: Achei um pouco audaz Alex e Danilo limparem amarelos na segunda mão...

4 comentários:

Anónimo disse...

Prata, o entusiasmo não te deixou ver más exibições, eu consegui: houve um jogador que nao percebeu nada do que andava a fazer, então na primeira parte, quase não tocou na bola e cortes mt poucos tb. Não é embirração é um facto. Mas é o que temos!

Não estamos habituados a estes bluf´s, isto é mais à JJ, mas resultou... Que jogão do jackson, realmente ele já deve tar bom há mt... não parecia que tinha vindo de lesão!

P.S: isto de golos fora faz-me mt confusão, mas com este resultado... 0-1 lá, chega nao é?

Abraço
Taqui

Tony Silva disse...

hahaha... esse PS :)
Já estamos a pensar na meia final, daí limpar os amarelos :D

Agora a sério, continuo a achar que eles são favoritos, mas há sempre esperança. Pelo menos mostramos à Europa e para quem quis ver cá dentro, que sabemos jogar à bola.

Espero é que não haja poupanças para sabado porque esse é que é (ou deveria ser) o principal objectivo.

levezinho disse...

Pelos vistos não é... e fica já a nota... que mesmo que corra bem... é uma estupidez.

Lamas disse...

Mas pronto, lá correu bem... :)

Quanto ao post... Grande Noite Europeia!