domingo, 11 de outubro de 2009

611 ou 1216?


Num fim-de-semana que apenas foi futebolísticamente interessante graças à alhada em que Queiroz conseguiu enfiar a selecção nacional, apenas tenho a registar a entrevista de Luís Castro, responsável pelo projecto visão 611. Na capa do jogo é destacada uma afirmação, no mínimo, ousada:«Somos o melhor clube formador de Portugal». Até é possível que seja assim, mas a verdade é que não temos formado jogadores com qualidade suficiente para serem opção para o plantel principal. Depois quando é questionado sobre a ausência de resultados e sobre o facto de apenas Bruno Alves ter feito mais de 3 anos de formação no clube vem sempre a mesma resposta: o nível do plantel é tão elevado que se torna muito difícil para um jovem entrar. Esta conversa começa a irritar... Imaginem um Barcelona com um nível tão elevado que não permitia que aparecessem jogadores como Xavi, Iniesta, Puyol, etc. Será que os nossos miúdos saem assim tão mal preparados e tão longe do nível do plantel principal? Querem então dizer-nos que não temos qualidade suficiente nas camadas jovens que nos permita evitar a contratação de jogadores medíocres com Nelson Benitez, por exemplo? Não acredito. O que acho, e estou farto que falar nisso, é que o nível de exigência não é o mesmo para jovens jogadores da formação e para estrangeiros recém-contratados. E nisto incluo os adeptos. É muito vulgar dar o benefício da dúvida a um sul-americano por se estar a adaptar a um campeonato mais competitivo, mas não vejo o mesmo quando se trata de um miúdo que vem de um campeonato de juniores onde passa o ano todo a golear para ter 4 jogos difíceis no final do ano contra Benfica e Sporting. Para ele não há tempo. Quer dizer até há, na Olhanense... Mas o que mais me preocupou, foi que pela primeira vez se começou a adiar os resultados e a insinuar que a seguir à visão 611 vem mais um projecto do mesmo género mas com algumas evoluções. Com tudo isto continuo a interrogar-me se alguma coisa terá mudado desde o início deste projecto...

Quanto à selecção, gostei da exibição do Bruno e do Raúl e não entendam isto como um sinal de clubismo. Apenas registo essas exibições porque são jogadores que ainda não me entusiasmaram este ano e como tal, aguardo ansioso pelo regresso à sua melhor forma. De resto foi assistir ao milagre que vai ser a nossa previsível qualificação para o mundial. É que não foi apenas o resultado da Dinamarca. Houve também a inesperada derrota da Inglaterra que faz com que sejamos cabeça-de-serie no playoff. Enfim, uma sorte enorme e quase Scolariana... Mas tal não implica que não esteja pessimista em relação ao mundial. Se não jogamos nada agora, não estou a ver melhorias até Junho...

Rui Rio ganhou mais uma vez a Câmara Municipal do Porto perante o apoio claro de Pinto da Costa à candidatura adversária. Mais um mandato em que não esperaremos qualquer relação institucional com a Câmara. E ainda bem! Mete-me nojo o envolvimento da Câmara Municipal de Lisboa e das suas Empresas Municipais nos assuntos de Benfica e Sporting com loteamentos obscuros e com apoios financeiros claros. Enquanto Rio lá estiver, pelo menos de apoios indevidos não nos podem acusar...


Equipa para a Taça:

Beto; Sapunaru, Nuno André, Maicon, Tomás Costa; Prediguer, Guarin, Valeri e Mariano; Farias e Varela (se recuperar).

7 comentários:

Tony Silva disse...

Prata, não "atingi" o titulo?
Se calhar é algo tão óbvio que nem me apercebo... :)

riskolas disse...

Deve ser 2012 a 2016... partindo do principio que 611 era 2006 a 2011, digo eu.

De resto, não posso falar nem escrever muito já que sou apoiante do Queiróz...

Temo que me chamem muitos nomes por ser tão critico do Jesualdo e apoiante do Queiróz.

Quanto à formação, pelo menos o Castro, tinha lugar de caras no plantel.

prata disse...

É isso Riskas. O visão 611 tem o horizonte temporal no nome...

Quanto ao Queiroz, também apoiei a sua contratação, mas a verdade é que os resultados têm sido incrivelmente fracos e o futebol da equipa pouco ou nada evoluiu.

Lamas disse...

A imagem traz-me muita nostalgia...

Concordo com o que disseste... um projecto tem de ter objectivos... se os mesmos não forem alcançados há que responsabilizar aquilo que não se conseguiu, repensar os moldes do mesmo e iniciar um novo ciclo... estar sempre adiar o prazo de obtenção desses resultados não é solução...

Quanto à selecção, nos jogos que jogamos muito não ganhamos... os dois jogos contra a Dinamarca são bons exemplos disso... apesar de não se estar a jogar grande coisa, tem-se finalmente ganho e o paio também tem estado (finalmente) do nosso lado... se chegarmos ao Mundial, desta vez, vai-me dar um gozo especial...

Ricardo de Sousa disse...

Completamente de acordo com o Post.

Não vale a pena sermos o maior formador se depois não nos servimos desses mesmos formados.

Não tenho dúvidas que Helder Barbosa, Castro, Rabiola, Ukra, Ventura entre outros, teem mais que valor para ingressar no plantel principal.

Falta quem aposte neles.
Nesses aspecto jesualdo tem falhado. Assim de cabeça Co Adriianse lançou Bruno e Ivanildo.
Jesualdo lançou quem?

Abraço

miguel87 disse...

Tambem li esta entrevista e fiquei chateado, para não dizer fodido, a partir de determinada altura, com as respostas que pareciam "copy/paste" das anteriores. Na giria jornalistica, este tipo de entrevista, numa altura em que não há competições de equipas, enquadra-se no chamado "encher chouriços", mas era até um tema de interesse para os Portistas... pois, era! O conteudo não passou de um monte de balelas sempre com o mesmo argumento batido do "nivel de exigência" que sera facilamente desarmado com a questão colocada no post pelo Prata, e muito bem, com a anologia ao Barcelona (normalmente joga com 5 titulares provenientes da cantera e tem mais 3 ou 4 com presença assidua na primeira equipa)!

Interessante seria terem questionado o Luis Castro sobre o caso que veio a publico na sexta feira sobre a pretensa dispensa do Josué pelo treinador do Sp. Covilhã por alegada conduta incorrecta deste jogador.

Já agora, o Ivanildo, antes do Adriaanse, foi lançado pelo Couceiro, num jogo no Dragão contra o Guimarães salvo erro. Couceiro que tambem lançou nessa época o Paulo Machado em alguns jogos, acho que até chegou a ser titular uma vez.
O Adriaanse, um dos poucos méritos que lhe reconheci na altura foi o bom trabalho com jogadores jovens, que acabou por não ter continuidade.
Curioso, na altura até estava convencido que o Jesualdo ia lançar os putos todos... gajo português, que conhece o nosso futebol, tinha uns putos novos na equipa dele do Braga (um deles acho que até era o Bruno Gama), até já trabalhou nas camadas jovens da federação, etc... pois sim!

Daniel disse...

Concordo num ponto, um projecto tem de ter objecticos e estes têm de se concretizar para existir sucesso.
Foram formados jogadores que já etiveram no plantel principal, a diferença é estes terem capacidade/estofo para jogarem na equipa principal, aí sim é o problema, alguns dos nomes que foram referidos já estiveram no plantél principal. Neste ponto os adeptos têm alguma culpa porque não apoiam como deveriam os jogadores da casa, a política de contratações também não ajuda.

Estamos em 2009 o projecto só acaba em 2011, aí sim devem ser tiradas conclusões, mas vendo as selecções jovens penso que está a ser feito um bom trabalho.
Se em 2011 se conseguir ter 2 jogadores na equipa principal vindos da formação penso que já é muito bom e realista.

Relativamente à selecção fico estupefacto como é possível jogar, com o central que é suplente dos dois que foram e são titulares, a trinco quando se tem um jogador da classe do Pedro Mendes que nem chamado é!
O Queiroz adoptou a política do ximarrão e nem de lisboa deve sair para ver jogos de possíveis selecionáveis, descobriu o Edinho! e esqueceu completamente o Pedro Mendes tal como tinha feito o brasileiro. Penso que o Pedro Mendes nem quando esteve no Porto teve o reconhecimento que devia ter tido.

O ultimo parágrafo é muito bom, o que se passa na capital do império se se passa se no Porto seria a promiscuidade total, mas não, são apenas negocios que o povo aceita e até compreende, são necessáios...

Por último que já vai longo, as contas do Porto foram apresentadas, com resultados que se podem considerar interessantes, atendendo ao facto que não termos fundos de jogadores, de rating AAA, só me admira não ter sido o banco privado a comercializar produto de tamanha qualidade e com avaliações de activos tão boas...