quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Estofo Europeu


Lembram-se daquela sucessão de agoiros que nos foram lançando nesta época? Primeiro era porque defrontámos equipas fracas na pré-época, depois era porque ainda não tínhamos jogado com um grande e depois era porque só tínhamos equipa para 'consumo interno'. No geral, todas estas teorias resultam de outra doutrina pré-concebida que determina que o nosso plantel é curto. Sérgio Conceição tem vindo a fazer por provar que todos estavam errados menos o Presidente que, pelas declarações de ontem, já adivinhava isto tudo e muito mais... Quanto a essas declarações, custa-me comentar porque ele apresenta como contraponto a esta aposta de sucesso, uma outra aposta sua, que agora ele considera desastrosa... Bizarro no mínimo, mas adiante. Sérgio tem vindo a demonstrar que a sua gestão do plantel é capaz de sobreviver às competiçoes internas, às baixas por lesão e até à dificuldade das competições europeias. O nosso estatuto Europeu ficou definitivamente selado ontem, em que confirmamos a continuidade nas Competições Europeias, mantendo uma probabilidade elevada de continuar na Champions. Mas mais que isso, conseguimos, com maior ou menor dificuldade, conquistar pontos no campo daquela que tem sido a melhor equipa do grupo.

Vamos a essa questão da 'maior ou menor dificuldade'. O onze apresentado foi mais conservador do que o habitual. Voltámos a ter Sérgio Oliveira a fazer dupla com Danilo e tivemos Ricardo Pereira na direita, tratando-se de uma opção mais segura do que Corona ou Marega que estava indisponível. Apesar desta táctica de proteger melhor a nossa baliza, as nossas entradas em jogo foram complicadas. Sobretudo na segunda parte em que sofremos bastante, apesar de não termos permitido grandes oportunidades. Recordo que, tirando o golo sofrido, os lances perigosos surgiram invariavelmente de remates de fora da área. Isto sucedeu porque, nessas alturas, o FCPorto teve muita dificuldade em sair a jogar. Ora isto não poderá surpreender ninguém, dado o onze apresentado. Com esta configuração de meio campo, teremos sempre períodos em que vamos 'cheirar a bola' porque não a conseguimos segurar com qualidade. A única solução boa de saída é Brahimi. Isto é limitativo e demonstra que, ao contrário do que se poderia admitir aos adeptos, o empate foi sempre encarado como um cenário bem razoável. Foi uma opção conservadora de Sérgio Conceição, mas que resultou na maior parte do jogo. Polémico ao não, parece-me razoável que se planeie o jogo contando com o facto de o adversário, que joga em casa, apenas precisar de um empate.

Individualmente, dou o MVP a Brahimi apesar de ter gostado também das exibições do Sá, do Marcano e do Sérgio Oliveira. Brahimi parece ser o único jogador que 'põe sal' neste esquema de jogo e isso, para mim, é decisivo. A exibição de Sá e aquela defesa a remate de Quaresma poderão ser muito importantes para a sua afirmação. É que a sombra de Casillas vais pesar bastante. Ricardo também tem nota positiva apesar daquele falhanço horrível. Felipe esteve soberbo no nosso golo e péssimo no do adversário. 

Segue-se o jogo nas Aves. Muita atenção! Parece que as 'papoilas' estão a apostar mais nesse jogo do que no da semana seguinte...

Sem comentários: