segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Clássico é de azul-e-branco!


Existem tantas coisas por onde pegar neste jogo que mais vale começar pelo equipamento. Amarelo?! Clássico é de azul-e-branco! Mas ok, tivemos jogo em Roma e os equipamentos podem não ter ficado secos a tempo.

Quanto ao futebol jogado, entramos muito bem mais uma vez, oportunidade de André Silva e pouco depois golo de Felipe. Mais uns minutos, cotovelada de Coates em André Silva, mergulho de Slimani para a piscina aos pés de Marcano, mão de Gelson e golo de Slimani. Chega de futebol jogado?

Continuemos. Antes, inacreditável como Bruno César não leva amarelo após entrada violenta sobre Otávio. Se tivesse levado se calhar já não fazia outra entrada dura perto do final do jogo a Felipe, esta sim, com direito a amarelo. Cotovelada de Slimani a Layún. Ruiz faz grande defesa na área do Porto e assiste Gelson para o segundo.

Portanto, para além de toda a intimidação que os nossos jogadores foram alvo, com constantes cotoveladas e entradas à margem da lei, tivemos ainda um criterio alargadíssimo na análise dos lances da mão que resultaram em golos. Este criterio foi tão largo que até Layún, na segunda parte, a tentar cruzar viu Zegellar a fazer mais uma grande defesa e impedir que a bola chegasse à área.

Vamos a outro? Disputa de bola entre William e Otávio. William entra com o pé em riste e dá mão, o jogo prossegue. Ação imediatamente a seguir: cotovelada de William a Otávio.

Esta é o principal aspeto positivo no Porto: mesmo perante um ambiente adverso, um futebol intimidatório, um árbitro permissivo, mesmo depois de perder o único ala de raíz ao intervalo, o Porto nunca se rendeu. Se o fez da melhor forma? Não. As substituições não ajudaram. Oliver com dois treinos, Danilo e Herrera sem poderem com um gato pelo rabo e o NES tira o Otávio?! Pior, mete o Adrian! Perdemos o meio-campo, aliás, não tivemos mais ninguém para correr atrás deles e a partir daí o Sporting controlou o jogo a pesar de mesmo assim ainda termos o mau dominio de Layún e a passividade de Adrian que podiam ter resultado em oportunidades de golo muito mais evidentes.

Destaco Casillas porque mesmo velho e depois de uma carreira cheia de títulos vibrou como ninguém a roubalheira de que fomos alvo, André André pela segurança e qualidade na posse de bola e a magia de Otávio. Este Deco em ascenção jamais pode ser substituído quando estamos dentro do resultado.


Agora vem Mangala, Oliver com mais rotinas e Rui Pedro a ser chamado à A para alternativa a André Silva e pronto, está feito. Vamos ser campeões! :-)

2 comentários:

prata disse...

De amarelo levamos com a arbitragem q levaria o uniao da madeira. mas em Alvalade é costume levarmos estes ataques de realidade. Por mais títulos q se ganhe e mesmo nestes períodos de seca o tratamento é sempre este. Nao se pode baixar a guarda nunca! Há que fazer barulho, por muito q nao nos dêem eco na imprensa q nos é adversa (quase toda). Uma entrevista so presidente poderia se o começo.

Quanto ao jogo entramos bem. Mas deixamo-nos abater pela roubalheira. Uma equipa mais madura poderia ter feito melhor. Tb acho q Nuno mexeu mal pelos motivos q aqui puseste.

miguel87 disse...

Fomos prejudicados pela arbitragem em lances decisivos e no critério aplicado? Claramente! O que está errado nisso? Nada! Pelo menos para a direcção e presidente, já que não se ouviu um pio da boca dele, deve estar a guardar os bitaites para a próxima vitória europeia... O
estado da arbitragem é o que sabemos e vemos todas as semanas desde que Vitor Pereira foi lá posto a controlar e não era preciso esperar pelo inicio desta época para saber que o substituto dele ia continuar o serviço... Mas enquanto o clube continuar a assobiar para o lado e não se mexer para mudar as coisas, tudo vai continuar igual.

O que fazer para contrariar este estado de coisas? Voltar ao passado e incutir nos jogadores que não basta serem melhores que os outros, têm que se ser MUITO melhores. O problema é que o Nuno já não é dessa altura, e o #somosporto não nos leva a lado nenhum.
Noutros tempos, se o Adrien, William ou Bruno César entrassem com tudo a cada lance que disputam, havia um Jorge Costa ou um Paulinho para lhes responder à letra.
Hoje em dia temos 3 médios que juntos, não valem por 1 do adversário... qualquer um dos 3 titulares de ontem dificilmente teria lugar em 90% dos ultimos 30 plantéis do Porto!
Vemos o Herrera a ser abalrroado na grande area (um lance idêntico ao que deu o penalty ao benfica na jornada anterior) e em vez de pressionar o arbitro, levanta-se prontamente e vai cummprimentar o adversário. O gajo que anda com a nossa braçadeira em campo... é triste!

Para os portistas que ainda andam convencidos que a culpa da falta de titulos é do (inserir nome do treinador à escolha), que abram os olhos e vejam o que anda a fazer a direcção desde há 4 ou 5 anos para cá.
Porque é que deixaram de defender o clube? Porque é que deixaram de se basear na equipa de olheiros que tantos talentos descobriu e foi buscar antes de todos os outros, para passar a fazer negócios exclusivamente com o empresário de ocasião?
Porque é que deixaram de defender os jogadores e apoiar os treinadores como faziam antigamente?
O Nuno já está sinalizado, o presidente fez questão de dizer claramente que todos as contratações foram pedidas por ele (desde o J.C.Teixeira até ao Jota, passando pelo Depoitre), por isso desta vez quando estiver na cadeira do Júlio Magalhães a dizer que batemos no fundo e que vai dizer basta, e que as coisas vão mudar, e que para o ano vai haver uma equipa à porto, etc... não vai precisar de dizer novamente que "o treinador é que pediu estes jogadores, eu nem os conheciam"...